Archive for 5 Dezembro, 2021

O Pulsar do Campeonato – 11ª Jornada

(“O Templário”, 02.12.2021)

Poderá, eventualmente, até não ser situação inédita, mas não haverá memória de uma jornada – integrando oito jogos – em que nenhum dos visitantes tenha saído derrotado, como sucedeu no passado fim-de-semana, na 11.ª ronda do Distrital da I Divisão (com seis triunfos dos forasteiros)!

A última situação anterior sem vitórias caseiras tinha ocorrido na 19.ª jornada da época de 2018-19, mas, então, contando com a disputa de apenas sete partidas (registando-se quatro empates).

Desde que o campeonato passou, a partir de 2013, a ser disputado por 14 equipas, e, depois (desde 2019), por 16 clubes, tinha havido alguns casos aproximados, com um único triunfo dos visitados: uma vez em 2020-21 e outra em 2019-20; e – apenas com sete desafios por ronda – também uma vez em 2018-19, 2017-18 e 2015-16, quatro vezes em 2014-15 e três vezes em 2013-14 (numa delas com a particularidade de se terem registado igualmente seis vitórias dos visitantes).

Por seu lado a situação inversa, de triunfos exclusivamente dos donos da casa, é também rara, apenas se tendo registado, em anos recentes, uma única vez, na época de 2013-14 (sete jogos).

Para além destas curiosidades, tendo-se entrado já no segundo terço da prova, continuando a selecção a fazer-se jornada a jornada, com vários clubes a ficarem cada vez mais atrasados, será porventura tempo de se começar a restringir o leque de candidatos apenas aos três primeiros.

Destaques – De entre o lote de sucessos dos clubes visitantes, o primeiro realce vai para o Rio Maior, que, ganhando no Cartaxo por tangencial 2-1, não só confirmou a robustez da sua candidatura, como terá afastado definitivamente a equipa local – já a 14 pontos de distância do líder, e a 13 dos riomaiorenses – de maiores ambições na presente competição.

De facto, Rio Maior e U. Tomar fixaram novo “record” de vitórias sucessivas (quatro) nesta edição do campeonato – somando-se seis vitórias para cada emblema, nas últimas sete rondas, sendo que o único desses jogos em que não ganharam foi, justamente, no embate entre ambos.

Em Salvaterra de Magos os tomarenses voltaram a dar mostras do seu grande potencial, empurrando o adversário para a sua zona defensiva, tendo, uma vez mais, sido bastante perdulários, mas vindo a abrir o activo à passagem do minuto 25. Porém, também como tem sucedido noutras ocasiões, uma baixa de intensidade, durante um período de pouco mais de cinco minutos, bastaria para que a equipa logo fosse penalizada, consentindo o golo da igualdade.

Na segunda metade, já com o jogo mais repartido, os unionistas voltariam a criar algumas ocasiões, antes de reporem a vantagem no marcador (2-1), no que viria a ser o resultado final. A última meia hora caracterizou-se pela tentativa de futebol directo por parte do Salvaterrense, a ameaçar, também em várias situações, a baliza do U. Tomar, tendo, num dos derradeiros lances da partida, a bola ido à trave. Um triunfo bastante sofrido, em função do desaproveitamento de oportunidades e da dificuldade em manter o ritmo de jogo e a concentração durante os 90 minutos.

Sobre este jogo, uma nota final que não gostaria de dar: tal como se tem registado noutros quadrantes, também aqui ocorreram atitudes inqualificáveis, que deveriam ser erradicadas de uma sociedade que se pretende justa e igualitária, sem distinções injustificadas entre seres humanos, por via de palavras dirigidas ao jogador do União, Fábio Luzio. Valeu a atitude apaziguadora e de pronto pedido de desculpas adoptada por parte de jogadores e responsáveis do Salvaterrense.

Em destaque esteve também o Samora Correia, vencendo, em terreno alheio, no “derby” frente ao rival Benavente, mercê de um solitário golo, o bastante para passar a integrar um quinteto, que se escalona a partir do 8.º lugar (incluindo, para além destes dois clubes, também o Cartaxo, Salvaterrense e At. Ouriense), agora já com cinco pontos de vantagem face ao antepenúltimo.

Surpresas – A maior surpresa da jornada chegou de Abrantes, onde os locais, a denotar alguma (porventura comprometedora) irregularidade, foram batidos pelo Alcanenense, também por 0-1, o que lhes custou distanciarem-se na tabela, agora já dez pontos abaixo do comandante.

Também a turma da Glória do Ribatejo voltou a surpreender, ao impor um empate (1-1) ao Mação – que, contando com a vitória (1-0) averbada a meio da semana em Almeirim, em jogo de acerto de calendário, atingira igualmente uma série de quatro triunfos consecutivos –, provocando igualmente o atraso dos maçaenses, que, nas cinco jornadas anteriores, tinham sido os únicos a conseguir aguentar a “pedalada” dos dois primeiros, com apenas um empate cedido.

Uma “meia-surpresa” terá ocorrido em Almeirim, com outra vitória de uma equipa forasteira, no caso, o At. Ouriense, a derrotar o União local, igualmente por 1-0. Os almeirinenses – que, recorde-se, vêm do Nacional – afundam-se na classificação e começam a ocupar zona bastante perigosa, sendo agora antepenúltimos classificados. Poderá vir a repetir-se o caso de dupla descida do Alcanenense, de há três anos?

Confirmações – Amiense e Fazendense confirmaram o cenário mais provável num embate repartido, tendo empatado a um, desfecho, ainda assim, muito mais penalizador para as aspirações do grupo das Fazendas de Almeirim, que, mantendo o 6.º lugar, dista agora 13 pontos do guia.

Já o Ferreira do Zêzere, que se apresentou reforçado com alguns antigos jogadores do U. Tomar (casos de Nuno Rodrigues e Joca), foi impotente para contrariar o maior poderio do Torres Novas: os ferreirenses ainda se colocaram em vantagem, mas dois golos “de rajada” de Miguel Miguel – um “caso sério” nesta temporada, já com 12 golos apontados em 11 jornadas – resultaram numa reviravolta no marcador, que empurra para situação cada vez mais delicada o conjunto visitado.

II Divisão Distrital – Com o calendário regular em pausa, disputaram-se dois jogos que se encontravam em atraso, com o Riachense a ganhar nas Caxarias (2-0), enquanto o Fátima, goleando por 6-1 o Vasco da Gama, ascendeu ao 2.º lugar da série, atrás do Entroncamento AC.

Liga 3 – O U. Santarém não conseguiu melhor que uma derrota tangencial (1-2) na deslocação ao terreno do líder, U. Leiria, subsistindo, pois, na última posição da pauta classificativa.

Campeonato de Portugal – Também o Coruchense não foi feliz, perdendo em casa com o anterior “lanterna vermelha”, Sacavenense, por 0-1, passando a integrar o quarteto que se posiciona entre 6.º e 9.º lugar, apenas dois pontos acima do agora último, Rabo de Peixe.

Antevisão – No principal escalão o desafio de maior cartaz na 12.ª jornada será o Rio Maior-Abrantes e Benfica (actuais 2.º e 4.º classificados); recebendo o U. Tomar o U. Almeirim.

Após a disputa, no feriado, da pré-eliminatória da Taça do Ribatejo (envolvendo também clubes da I Divisão), é retomado o campeonato da divisão secundária, com realce para os jogos: Forense-Águias de Alpiarça (entre os dois primeiros da série A) e Entroncamento-U. Atalaiense.

Na Liga 3 o U. Santarém recebe o adversário que o precede na tabela, Oliveira do Hospital; enquanto, no Campeonato de Portugal, o Coruchense viaja até aos Açores, para defrontar o Ideal.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 2 de Dezembro de 2021)

5 Dezembro, 2021 at 11:00 am Deixe um comentário


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Dezembro 2021
S T Q Q S S D
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.