Archive for 15 Março, 2020

O Pulsar do Campeonato – 21ª Jornada

O pulsar do campeonato - 2019-20 - 21jornada

(“O Templário”, 12.03.2020)

Um total de 35 golos (média superior a quatro golos por jogo) foi o saldo apurado na 21.ª jornada do Distrital da I Divisão, a que mais remates certeiros regista na presente temporada, a contribuir activamente para o atingir de uma marca redonda, com um total global de 500 golos no campeonato. Isto, numa ronda assinalada por algumas surpresas, com o segundo desaire do líder, o regresso do Riachense aos triunfos após praticamente toda uma volta com o pleno de derrotas, a par de uma tarde em que o Amiense se exibiu a grande nível.

Destaques – O principal destaque vai precisamente para a goleada (5-2) aplicada pelo Amiense no Cartaxo, que mantinha um registo acumulado de 16 jogos invictos no seu reduto, desde 2 de Dezembro de 2018, data em que fora derrotado… também pela turma de Amiais de Baixo (então, por 1-0, na 10.ª jornada do campeonato da época transacta).

Confirmando o bom momento – somou o sexto triunfo nas sete últimas jornadas –, o grupo comandado por Jorge Peralta potenciou a seu favor, da melhor forma, a irregularidade que os cartaxeiros vêm denotando, ganhando de forma categórica, prosseguindo a sua aproximação ao pelotão da frente (agora somente a dois pontos do 6.º classificado, e a seis pontos do 5.º lugar).

Também em particular evidência esteve o Torres Novas, igualmente em fase muito positiva, tendo somado a quinta vitória consecutiva, impondo ao líder, U. Almeirim, a segunda derrota na prova, também por números convincentes (3-1). Por coincidência, um dos três clubes actualmente com maiores aspirações na Taça, nenhum dos quais conseguiu, nesta ronda, um resultado positivo.

Surpresas – Pese embora tenha sido obtido perante um adversário (também) em crise, o triunfo de uma equipa que seguia com uma terrível série de 14 desaires consecutivos não pode deixar de ser considerado, de alguma forma, surpreendente.

Foi o que sucedeu nos Riachos, com o Riachense a ganhar à equipa da Glória do Ribatejo por 5-4, num jogo empolgante, com várias reviravoltas no marcador, sendo que a surpresa é tão mais assinalável quanto, a cerca de um quarto de hora do fim, a turma da Glória mantinha ainda vantagem de 4-2, que adregara logo desde o início do segundo tempo, acabando por vir a baquear, com dois tentos sofridos nos derradeiros cinco minutos.

Um sinal de revolta do Riachense, como que a querer fazer “prova de vida” (está agora a dois pontos do Moçarriense… e a cinco da Glória), que poderá eventualmente traduzir-se num ponto de viragem, enquanto, em paralelo, não deixa de constituir um preocupante sintoma para o adversário (tendo encaixado, nas últimas cinco partidas disputadas, nada menos de 22 golos sofridos – tantos quantos os que marcou até agora em todo o campeonato –, sendo que todos esses encontros se saldaram por desaires).

Também o outro encontro entre “aflitos”, em Rio Maior, com os locais a baterem o Pego por tangencial 1-0, constituirá uma “meia surpresa”, atendendo aos sinais que vinham sendo transmitidos por ambos os conjuntos (o Rio Maior somava um único ponto na segunda volta, ao passo que os pegachos até tinham vencido fora duas jornadas antes); um forte passo atrás na recuperação ansiada pelos pegachos.

Em Tomar, o União recebia um adversário difícil, Mação (anterior Campeão Distrital, há duas épocas), num ciclo positivo de resultados. Mantendo a abordagem que tem sido característica nesta temporada, os unionistas assumiram, logo de entrada, a iniciativa do jogo, empurrando os maçaenses para a sua zona defensiva, porém sem resultados práticos. Seria já numa fase de maior equilíbrio que os tomarenses inaugurariam o marcador. Porém, voltando a revelar algumas falhas de concentração, sofreriam o golo do empate.

No segundo tempo, o cariz do desafio alterou-se substancialmente, com o conjunto nabantino como que a sofrer um “apagão”, consentindo que o adversário se assenhoreasse do domínio do jogo, não tendo sido surpresa que tivesse conseguido a reviravolta no marcador. O impacto seria minorado, mesmo ao “cair do pano”, com o tento do empate (2-2) a recompensar os esforços empreendidos na última fase do encontro.

Confirmações – Nos restantes três desafios, Fazendense (3-1 frente ao Moçarriense), Coruchense (3-0 ante o Ferreira do Zêzere) e Abrantes e Benfica (também 3-0, na recepção ao Samora Correia, outro dos semi-finalistas da Taça), confirmaram o favoritismo que lhes era creditado, consolidando as suas posições na disputa pela vice-liderança, em prejuízo do U. Tomar, agora já a seis pontos da formação das Fazendas de Almeirim (que, por outro lado, continuando a dar sequência a uma excelente campanha, “encurtou” para dez pontos o atraso face ao comandante).

II Divisão Distrital – O Alcanenense, arrancando uma igualdade a duas bolas no Entroncamento, garantiu matematicamente a qualificação para a fase final, de apuramento de Campeão e de disputa da promoção, com o novo clube da cidade ferroviária também muito próximo de alcançar igual objectivo. O Caxarias, ganhando ao U. Tomar “B” por 2-0, subiu ai 4.º lugar e “sonha” ainda com o 3.º posto (ocupado pelo Tramagal), enquanto o U. Atalaiense (derrotado por 0-1 pela Ortiga) poderá ter-se despedido de tais aspirações.

A Sul, o Pontével ganhou por categórico 4-1 na Golegã, reforçando a liderança. Benavente e Marinhais repartiram pontos, com o empate a um golo, o que possibilitou que o Espinheirense (2-0, na deslocação às Fazendas de Almeirim) ficasse um pouco mais “desafogado” no 3.º lugar. O Forense, que cedeu também igualdade (1-1) no “derby” em Salvaterra de Magos, atrasou-se.

Campeonato de Portugal – Na deslocação a Condeixa, o Fátima obteve um nulo de tendência mista: deixa-o mais longe dum hipotético 2.º lugar (agora pertença do B. C. Branco, a cinco pontos), mas é, noutra perspectiva, tranquilizador quanto à manutenção, dispondo agora de margem de segurança de nove pontos sobre a “linha de água” (a nove jornadas do final).

Uma vez mais o U. Santarém sofreu três golos, perdendo por 3-2 nos Açores, no terreno do líder, Praiense, mantendo a 15.ª posição, um ponto abaixo de tal linha delimitadora.

Antevisão – Neste fim-de semana ficarão definidos os finalistas da Taça do Riabtejo, restando saber se U. Tomar e U. Almeirim conseguirão confirmar, nos respectivos redutos, as (tangenciais) vantagens alcançadas em terreno alheio, na 1.ª mão.

Na II Divisão, destacam-se os seguintes embates, tendo sob mira a possibilidade de apuramento para a fase final: U. Atalaiense-Tramagal, Aldeiense-Caxarias e Pontével-Benavente.

No Campeonato de Portugal, o Fátima recebe o Oleiros (10.º), esperando-se que possa alcançar mais um resultado positivo; por seu lado, o U. Santarém terá a visita do Sertanense (4.º), um adversário difícil, numa fase em que urge somar pontos.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 12 de Março de 2020)

15 Março, 2020 at 11:00 am 1 comentário


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Março 2020
S T Q Q S S D
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.