Archive for 3 Novembro, 2013

U. Tomar – Centenário (VI)

UT-Centenario-06

(“O Templário”, 31.10.2013)

A 28 de Dezembro de 1941, dando sequência a uma progressão gradual encetada nos anos mais recentes, o União, pela primeira vez na sua história, conquistava o título de vencedor da sua zona (Norte) do Distrital, da época de 1941-42, no termo de um muito disputado campeonato, com uma espécie de final, na derradeira ronda, entre os dois grandes rivais tomarenses:

«O Estád[i]o Municipal, vulgarmente conhecido pelo «Campo do Sporting» registou no passado domingo uma considerável assistência, talvez a maior da presente época. O União e o Sporting, velhos rivais, poderiam ganhar o título máximo da prova e em qualquer deles ficava bem, visto que são, sem contestação, os melhores «teams» da região.

Ganhou o União por 4-0. Resultado que não traduz fielmente o desenrolar da partida, pois ela decorreu, de uma maneira geral, equilibrada, demonstrando o União mais conjunto. […]

Os grupos alinharam:

União – Aníbal; Marques e Alberto; Cardoso, Machado e César; Inácio, Terras, Victor Hugo, Tôrres e Firmo.

Sporting – Carlos Lanceiro; Souto e Basso; Armando, António Silva e Elísio; Henriques, Rui Silva, Apleton, Fernandes e Silvestre.»(1)

Culminando uma temporada a todos os títulos notáveis, a 26 de Abril de 1942, goleando o U. Entroncamento pela categórica marca de 6-0, na última jornada da prova, o União de Tomar sagrar-se-ia também vencedor da sua série (“Província do Ribatejo”) do Campeonato Nacional da II Divisão – apenas na sua segunda participação na competição, após a estreia no ano anterior – assim obtendo o seu primeiro título de Campeão Provincial do Ribatejo:

«Sob a arbitragem do Sr. Carlos Mariano da A. F. S. os «teams» alinharam da seguinte forma: União do Entroncamento – Fernando; Cipriano e Calado; Afonso, Madeira e Carreiro; Tavares, Américo, Louro, Varandas e Lacueva. União de Tomar – Aníbal; Marques e C. Alberto; Mário, Cardoso e César; Sousa, Terras, Vitor, Tôrres e Firmo.

O jogo foi disputado quási sempre debaixo de chuva tendo na primeira parte caído duas fortes bátegas que transformaram por completo o rectângulo numa lamaçal onde os jogadores se moviam com visível dificuldade

O jogo foi disputado quási sempre debaixo de chuva tendo na primeira parte caído duas fortes bátegas que transformaram por completo o rectângulo numa lamaçal onde os jogadores se moviam com visível dificuldade.»(2)

O União faria ainda mais nesta brilhante época de 1941-42, vencendo os três Campeonatos em disputa: o Regional (Zona Norte do Distrital), o Provincial (II Divisão Nacional) e o Distrital da II Divisão.

____________

(1) Cf. “Cidade de Tomar”, 4 de Janeiro de 1942 – Crónica de Vasco Jacob
(2) Cf. “Cidade de Tomar”, 3 de Maio de 1942 – Crónica de X. (Raúl Pereira)

3 Novembro, 2013 at 12:00 pm Deixe um comentário

O pulsar do campeonato – 5ª jornada

Templario-31-10-2013

(“O Templário”, 31.10.2013)

Num campeonato (I Divisão Distrital) este ano com maior extensão (26 jornadas) do que vinha sendo habitual nos últimos anos (considerando apenas a primeira fase das épocas anteriores), pode dizer-se que “ainda a procissão vai no adro”… mas, também, continuando nos provérbios, que “a candeia que vai à frente alumia duas vezes”.

E a verdade é que, pelo menos até agora, a formação do Torres Novas – e não obstante aproveitar do facto de ter disputado já quatro partidas em casa, o que poderá não ser despiciendo – tem revelado plena eficácia, somando cinco triunfos noutros tantos encontros realizados, liderando destacada, com 15 pontos, tendo, nesta última ronda, vencido pela categórica marca de 3-0 o até então 3.º classificado, Pontével – contando também com o ataque mais concretizador (13 golos) e a defesa menos batida (apenas 2 golos sofridos).

Pelo que começou a cavar um fosso face à concorrência mais directa, com o Fazendense agora já a quatro pontos, Amiense e Pontével ambos a seis, At. Ouriense a sete, e Coruchense e Mação já a oito longínquos pontos!

Efectivamente, a turma de Fazendas de Almeirim, que apenas registara um empate nas quatro jornadas iniciais, cedeu nova igualdade na deslocação a Tomar, numa partida em que chegou a dispor de vantagem no marcador, mas na qual, o União de Tomar, denotando uma boa capacidade de reacção – tal como revelara já no desafio contra o Benavente – conseguiria restabelecer a igualdade a uma bola. Para os tomarenses foi um pequeno passo, um simples ponto, mas que poderá ter reflexos positivos bem mais amplos, a nível da confiança que poderá proporcionar ao grupo.

Também o Amiense não conseguiu fazer melhor na visita a Assentiz, empatando, igualmente a um tento, somando já o terceiro empate na competição, contando apenas duas vitórias em cinco jogos. De entre os candidatos ao título, pior está o Mação, que, contrariando a lógica, cedeu um imprevisto desaire caseiro (e logo por 0-2) ante o conjunto dos Empregados do Comércio, de Santarém.

Depois da goleada da pretérita semana, frente ao U. Chamusca (5-0, em encontro da Taça do Ribatejo), o Cartaxo, principal decepção da prova até ao momento (recorde-se que militava, na época transacta, no Nacional da III Divisão, onde, porém, teve desempenho bastante fraco), não foi além do nulo na recepção a um seguro Coruchense; os cartaxenses são os únicos ainda sem ganhar, tendo-se isolado na posição de “lanterna vermelha”, contando apenas três pontos; ao invés, a equipa de Coruche (apenas com três golos sofridos, segunda melhor defesa, a par do Fazendense), continua invicta (à semelhança de Torres Novas, Fazendense e Amiense), apesar de apenas por uma vez ter ganho.

Falando do U. Chamusca, voltou a registar um mau resultado, perdendo em casa ante o At. Ouriense (equipa sempre a disputar os lugares da frente) por 0-2; pior indício: em cinco jornadas marcou apenas um golo. Por fim, numa partida entre duas agremiações que, até agora, têm estado algo aquém das expectativas, a U. Abrantina conseguiu obter a primeira vitória, derrotando o Benavente por 3-2.

Diversamente do que se verifica nos lugares de topo da tabela, na metade de baixo da pauta classificativa assiste-se a um grande equilíbrio, com o primeiro e o último destes sete concorrentes separados por apenas dois pontos, cabendo ao Assentiz (com cinco pontos) liderar este “mini-pelotão”, que, curiosamente, agrega nada menos de cinco equipas com desempenho idêntico – todas com uma vitória e um empate, e três derrotas: Benavente, Empregados do Comércio, U. Tomar, U. Abrantina e U. Chamusca.

Na próxima ronda, o guia, Torres Novas, terá um “teste” mais sério à efectividade da supremacia que vem evidenciando, deslocando-se a Benavente. Outro desafio de interesse será o Pontével-Mação, com os maçaenses já com margem de erro muito estreita, na perspectiva de encetar uma recuperação que os possa conduzir até aos primeiros lugares.

No Coruchense-U. Chamusca, a expectativa, pelo menos em teoria, será a de um prélio com poucos golos, porventura a tender para a igualdade. Também o Empregados do Comércio-Cartaxo deverá permitir aquilatar melhor sobre a real valia destes dois grupos.

Por fim, no Fazendense-Assentiz, Amiense-U. Abrantina e At. Ouriense-U. Tomar, as formações da casa gozam de amplo favoritismo. Assim tal possa ser desmentido em Ourém, como foi, na última jornada, em Mação…

Na II Divisão Distrital, os anteriores líderes a Norte, Atalaiense e Pernes foram ambos derrotados (respectivamente por Caxarias e Pego), tendo o Tramagal aproveitado para se guindar ao comando isolado da série, agora seguido pelo Pego, a um ponto. A Sul, nada de novo: U. Almeirim e Porto Alto continuam a ganhar, somando quatro triunfos consecutivos, dispondo já de quatro pontos de vantagem sobre o mais imediato perseguidor, Barrosense.

No Campeonato Nacional de Seniores, uma ronda positiva para as equipas do Distrito, com os triunfos do Alcanenense sobre o Portomosense, e do Fátima perante o Caldas (ambos por 1-0) – ocupando agora tranquilos 3.º e 4.º lugar, respectivamente; por seu lado, o Riachense continua com dificuldade em adaptar-se ao ritmo competitivo desta prova, tendo somado mais uma derrota (1-4) na Lourinhã, pelo que continua no último posto, a par da equipa de Porto de Mós.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 31 de Outubro de 2013)

3 Novembro, 2013 at 10:00 am Deixe um comentário


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Novembro 2013
S T Q Q S S D
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.