Archive for 18 Fevereiro, 2008

Cheias

Quando, ontem, já próximo da meia-noite, Maria Elisa estreava na televisão um novo programa, tendo como tema da emissão inicial as grandes cheias que assolaram a região de Lisboa em 1967, estaria longe de profetizar o que se iria passar nesta madrugada…

Depois de – na semana passada – se ter anunciado que este era o Inverno menos chuvoso dos últimos 90 anos, questionava-se ontem qual o impacto que umas eventuais cheias de dimensão análoga poderia registar… Entre as 4 e as 5 da manhã, a forte precipitação que se abateu sobre a região de Lisboa foi, ainda assim, de intensidade muito inferior a outras já registadas.

Esta manhã, o caos estava instalado em Lisboa e arredores, com a linha do Norte interrompida (comboios); as auto-estradas do Norte e do Oeste, tal como a marginal, cortadas; a circulação do Metropolitano limitada; falhas nos abastecimentos de água, gás e de electricidade; milhares de pessoas perdendo horas no trânsito.

E, confirmando as idiossincrasias aparentemente inseparáveis do carácter português – e na ausência de medidas preventivas, que deveriam ter sido tomadas há meses atrás – o que hoje se discute (com mais de meia hora nos telejornais e direito a “programa especial” sobre as cheias, numa espécie de “show da vida real”, explorando as emoções associadas às imagens sempre espectacularmente impressionantes) é “de quem é a culpa”, com o Governo a endossar responsabilidades às autarquias e estas a devolverem a acusação.

Algum dia conseguiremos aprender com os nossos erros? Vencer a inércia e o laxismo?

P. S. A ler, a propósito, Francisco José Viegas, José Pacheco Pereira, Paulo Gorjão, Francisco Almeida Leite e, também, Filipe Nunes Vicente.

18 Fevereiro, 2008 at 9:34 pm Deixe um comentário

Kosovo

Há meses que se sabia que o Kosovo iria declarar unilateralmente a sua independência face à Sérvia – a primeira a ocorrer na Europa em mais de 50 anos -, portanto “tecnicamente” uma declaração ilegal.

Há semanas que se sabia que essa declaração seria efectuada a muito curto prazo e que a União Europeia não iria adoptar uma posição comum.

Há dias que se sabe que a França, Alemanha, Reino Unido e Itália irão reconhecer esta independência – patrocinada pelos EUA -, enquanto a Espanha, Chipre, Grécia, Roménia, Bulgária e Eslováquia se mostram contrários a esta tomada de posição da maioria de origem albanesa que habita o território que tem estado sob tutela da ONU.

E Portugal?

Tomará uma decisão (quanto ao reconhecimento da independência) “em devido tempo”, depois de realizar as “consultas necessárias”.

Obviamente – e não obstante o alerta do Presidente da República quanto aos riscos associados a esta situação -, a decisão está tomada e acabará por ir, inevitavelmente, no sentido do reconhecimento da independência… Porquê então o protelamento?

P. S. Sobre o tema, a ler, Pedro Sales (também aqui), Paulo Pinto, Luís Novaes Tito e João Miranda.

18 Fevereiro, 2008 at 9:11 pm 1 comentário


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Fevereiro 2008
S T Q Q S S D
« Jan   Mar »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.