Posts tagged ‘Ciclismo’

Rui Costa vence Volta a Suíça em bicicleta pelo 3.º ano consecutivo

O ciclista português Rui Costa, de 27 anos, sagrou-se hoje vencedor, pelo terceiro ano consecutivo, da Volta a Suíça em bicicleta, após ter vencido a etapa final da prova. Foi a seguinte a classificação geral final da prova:

1.º Rui Costa (Portugal) – Lampre-Merida – 33:08.35
2.º Mathias Frank (Suíça) – IAM Cycling – a 0.33
3.º Bauke Mollema (Holanda) – Belkin – a 0.50
4.º Tony Martin (Alemanha) – Omega Pharma-Quick Step – a 1.13
5.º Tom Dumoulin (Holanda) – Giant-Shimano – a 2.04
6.º Steve Morabito (Suíça) – BMC – a 2.47
7.º Davide Formolo (Itália) – Cannondale – a 3.00
8.º Roman Kreuziger (R. Checa) – Tinkoff-Saxo – a 3.03
9.º Janier Acevedo Calle (Colômbia) – Garmin-Sharp – a 3.20
10.º Eros Capecchi (Itália) – Movistar – a 3.46

Para além da tripla vitória na Suíça, o actual Campeão do Mundo de ciclismo ganhou também, na sua carreira, o Grande Prémio Ciclista de Montreal (2011), 3 etapas do “Tour de France” (2011 e 2013), 5 etapas na Volta a Suíça (2010, 2012, 2013 e 2014), 4 dias de Dunkerque (2009), Volta à Comunidade de Madrid (2011) e a clássica “Primavera de Amorebieta (2013), tendo sido 2.º classificado no Paris-Nice deste ano.

22 Junho, 2014 at 3:43 pm Deixe um comentário

Rui Costa Campeão do Mundo de Ciclismo

Rui Costa - Campeão do Mundo de Ciclismo - 2013

(foto Reuters, via “MaisFutebol” – ver galeria aqui)

O português Rui Costa sagrou-se hoje Campeão do Mundo de Ciclismo, vencendo ao sprint, sobre a linha de meta, o espanhol Joaquim Rodriguez, no termo de uma prova extremamente exigente, com a extensão de 272 km, disputada na região da Toscânia, em Itália, com a meta em Florença.

Confirmando ser um mestre da táctica da gestão da corrida, o ciclista português deixara já para trás, a cerca de 1,5 km, os mais perigosos rivais, o italiano Vincenzo Nibali e o espanhol Alejandro Valverde (até agora seu chefe-de-fila na equipa Movistar), com os quais (juntamente com Rodriguez) formara um grupo de quatro ciclistas que se isolara na frente, na última escalada do percurso (ver “filme da corrida”, no L’Équipe).

Depois dos triunfos na Volta a Suíça nos últimos dois anos, das duas vitórias em etapas na Volta a França deste ano, Rui Costa culmina uma brilhante temporada com o maior feito da história do ciclismo português. Absolutamente fantástico!

Classificação final:

1.º Rui Costa – Portugal – 7:25:44
2.º Joaquim Rodriguez – Espanha – m.t.
3.º Alejandro Valverde – Espanha – a 00:15
4.º Vincenzo Nibali – Itália – a 00:15
5.º  Andriy Grivko – Ucrânia – 00:31
6.º  Peter Sagan – Eslováquia – a 00:34
7.º  Simon Clarke – Austrália – a 00:34
8.º Maxim Iglinskiy – Cazaquistão – a 00:34
9.º  Philippe Gilbert – Bélgica – a 00:34
10.º Fabian Cancellara – Suíça – a 00:34


Rui Costa - L'Équipe
Rui Costa - Gazzetta
Rui Costa - Marca
Rui Costa - A Bola
Rui Costa - Record

ABola-RuiCosta

Record-RuiCosta

29 Setembro, 2013 at 4:55 pm Deixe um comentário

Christopher Froome vence centésima edição do “Tour de France”

O ciclista britânico (nascido no Quénia) Christopher Froome venceu hoje a centésima edição da Volta a França em Bicicleta, uma prova em que o português Rui Costa esteve também em grande evidência, tendo vencido duas etapas, e concluindo a competição no 27.º lugar da classificação geral, tendo Sérgio Paulinho obtido posição bem mais modesta (apenas 136.º posto).

Destaque para o excelente desempenho do colombiano Nairo Quintana, que, na estreia, atinge a 2.ª posição final. A grande decepção foi o espanhol Alberto Contador, que se perfilava como um dos principais candidatos à vitória, tendo sido apenas 4.º classificado. Outros dois antigos vencedores da prova, Andy Schleck (vencedor em 2010, depois da desclassificação de Alberto Contador) e Cadel Evans (vencedor em 2011), não foram além do 20.º lugar e do 39.º lugar, respectivamente.

Classificação geral final:

1º Christopher Froome (Grã-Bretanha) – Sky Procycling – 83h 56′ 40”
2º Nairo Quintana (Colômbia) – Movistar – a 04′ 20”
3º Joaquin Rodriguez (Espanha) – Katusha – a 05′ 04”
4º Alberto Contador (Espanha) – Saxo-Tinkoff – a 06′ 27”
5º Roman Kreuziger (R. Checa) – Saxo-Tinkoff – a 07′ 27”
6º Bauke Mollema (Holanda) – Belkin Pro Cycling – a 11′ 42”
7º Jakob Fuglsang (Dinamarca) – Astana – a 12′ 17”
8º Alejandro Valverde (Espanha) – Movistar – a 15′ 26”
9º Daniel Navarro (Espanha) – Cofidis – a 15′ 52”
10º Andrew Talansky (EUA) – Garmin – Sharp – a 17′ 39′

27º Rui Costa (Portugal) – Movistar – a 54′ 34”

136º Sérgio Paulinho (Portugal) – Saxo-Tinkoff – a 03h 38′ 58”

21 Julho, 2013 at 8:46 pm Deixe um comentário

Fantástico Rui Costa bisa no “Tour”

(foto via “A Bola“)

Com um fantástico desempenho, Rui Costa entra na história do ciclismo mundial, ao conseguir vencer, na edição do “Tour de France” deste ano, duas etapas, no intervalo de apenas três dias!

Hoje, entre Bourg-d’Oisans e Le Grand-Bornand, numa extensão de 204,5 km, com duas contagens de montanha de categoria “extra”, e outras duas de primeira categoria, a última a cerca de 13 km da meta, o português, desde cedo integrado num grupo de cerca de 20 fugitivos, aproveitou a última escalada para começar por se isolar, em perseguição do ciclista que seguia na frente, Pierre Roland, para, depois de o alcançar, atacar decididamente em direcção à vitória, que consumaria com uma temerária descida até à meta, sob intensa chuva e com a estrada bastante molhada, terminando com uma vantagem de 48 segundos sobre o 2.º classificado, Andreas Kloden, com o 1.º pelotão a chegar com 8.40 minutos de atraso.

Com uma magnífica atitude táctica e excelente leitura da corrida, Rui Costa – não sendo um “trepador nato” – conquista o triunfo nestas duas etapas, com características similares, adoptando uma táctica em que é, a nível mundial, dos melhores ciclistas, impondo-se na subida, e não dando possibilidades de recuperação na descida final.

Na classificação geral – nesta altura, de importância secundária para o português -, Rui Costa voltou a subir, até ao 24.º lugar.

Desta forma, passa a ser  de 12 o número de vitórias individuais de ciclistas portugueses em etapas da competição, depois dos triunfos de Joaquim Agostinho (4, duas das quais em 1969, e uma nas edições de 1973 e 1979, esta no mítico Alpe d’Huez – no ano de 1977 venceu também uma outra etapa, mas seria posteriormente desclassificado), Acácio da Silva (3, em 1987, 1988 e 1989 – ano em que envergou a camisola amarela da prova) e Rui Costa (3, duas este ano e uma em 2011), Paulo Ferreira (1, em 1984) e Sérgio Paulinho (1, em 2010) – tendo também José Azevedo participado em 2 vitórias em contra-relógios por equipas (em 2004, pela US Postal, e em 2005, pela Discovery Channel).

19 Julho, 2013 at 10:21 pm Deixe um comentário

Rui Costa vence etapa no “Tour de France” pela segunda vez

O ciclista português Rui Costa, de 26 anos (recente vencedor da Volta à Suíça, prova que tinha já conquistado também em 2012), ao serviço da equipa Movistar, obteve hoje em Gap – na quinta participação no Tour de France”- a sua segunda vitória em etapas, na mais importante prova velocipédica do mundo.

Aumenta assim para 11 o número de vitórias individuais de ciclistas portugueses em etapas da competição, depois dos triunfos de Joaquim Agostinho (4, duas das quais em 1969, e uma nas edições de 1973 e 1979, esta no mítico Alpe d’Huez – no ano de 1977 venceu também uma outra etapa, mas seria posteriormente desclassificado), Acácio da Silva (3, em 1987, 1988 e 1989 – ano em que envergou a camisola amarela da prova), Paulo Ferreira (1, em 1984) e Sérgio Paulinho (1, em 2010) – tendo também José Azevedo participado em 2 vitórias em contra-relógios por equipas (em 2004, pela US Postal, e em 2005, pela Discovery Channel).

(foto via)

Na etapa de hoje, entre Vaison-la-Romaine e Gap, na distância de 168 km, depois de uma primeira tentativa de fuga, logo ao km 3, neutralizada aos 30 km, o ciclista português culminaria da melhor forma uma outra longa fuga, de cerca de 130 km, integrando um alargado lote de 26 ciclistas, conseguindo, já na parte final da etapa, na subida de uma contagem de montanha de 2.ª categoria (de 10 km de extensão), destacar-se dos seus companheiros de escapada, controlando depois a vantagem na rápida descida de 10 km até Gap, vencendo, com mais de 11 minutos de vantagem sobre o pelotão, que chegaria à meta separado em diversos pequenos grupos.

16 Julho, 2013 at 3:54 pm Deixe um comentário

Histórias do “Tour”

Um excelente dossier do Público, assinado por Ana Marques Gonçalves, com curiosas histórias sobre o “Tour de France”, a propósito da sua centésima edição:

A ver, também, esta magnífica página especial do L’Équipe, dedicada aos contra-relogistas.

8 Julho, 2013 at 3:45 pm Deixe um comentário

100.ª edição do “Tour de France”

29 Junho, 2013 at 8:00 pm Deixe um comentário

Rui Costa vence Volta a Suíça em bicicleta

Rui Costa - Volta Suiça 2013

(foto via Record)

O ciclista português Rui Costa, de 26 anos, sagrou-se hoje vencedor, pelo segundo ano consecutivo, da Volta a Suíça em bicicleta, após ter vencido o contra-relógio final da prova, triunfo que soma ao obtido igualmente na antepenúltima etapa. Foi a seguinte a classificação geral final da prova:

1.º Rui Costa (Portugal) – Movistar – 31:08.11
2.º Bauke Mollema (Holanda) – Blanco – a 1.02
3.º Roman Kreuziger (R. Checa) – Saxo-Tinkoff – a 1.10
4.º Thibaut Pinot (França) – FDJ – a 1.26
5.º Mathias Frank (Suíça) – BMC – a 1.43
6.º Tanel Kangert (Estónia) – Astana – a 1.51
7.º Tejay van Garderen (EUA) – BMC – a 2.23
8.º Daniel Martin (Irlanda) – Garmin-Sharp – a 2.42
9.º Simon Spilak (Eslovénia) – Katusha – a 2.42
10.º Cameron Meyer (Austrália) – Orica-GreenEdge – a 3.44

16 Junho, 2013 at 8:32 pm Deixe um comentário

A confissão de Lance Armstrong




«Tomou substâncias proibidas para melhorar o seu rendimento desportivo? Uma dessas substâncias proibidas era a EPO? Recorreu a transfusões sanguíneas para melhorar o seu rendimento desportivo? Utilizou outras substâncias proibidas como a testosterona, cortizona ou hormonas de crescimento? Nas sete vezes em que venceu a Volta à França utilizou substâncias dopantes? A todas estas perguntas, Lance Armstrong respondeu “sim” na entrevista que concedeu em Austin, Texas, a Oprah Winfrey, e transmitida nesta sexta-feira em horário nobre da televisão nos Estados Unidos.»

(Público)

Mais aqui:

Sem pretender, de todo, branquear o comportamento de Lance Armstrong – perante quem, não obstante nunca ter sido o meu “favorito”, me curvava e aplaudia as suas extraordinárias façanhas, pelo que muito me decepciona esta confirmação da verdade, ou antes, da grande mentira que foi a sua mítica história de vida -, tenho de reconhecer que esta foi uma atitude de grande coragem (depois de anos e anos de negação), e, infelizmente, confirmar também que Armstrong fazia parte de um sistema alargado, porventura generalizado (conforme refere nesta entrevista, «não inventei o doping, mas também não fiz nada para acabar com ele»…), que, inapelavelmente, lança a suspeita sobre todos os restantes vencedores do “Tour de France”, pelo menos nos últimos  trinta anos.

Recupero, a propósito, alguns artigos que aqui fui publicando, relacionados com o tema:

18 Janeiro, 2013 at 8:23 am Deixe um comentário

Lance Armstrong déchu de ses titres par l’UCI

Lance Armstrong n’est plus le septuple vainqueur du Tour de France. Le nom de l’ancien cycliste a été, une fois pour toute, rayé du palmarès de la Grande Boucle par l’Union cycliste internationale (UCI), qui a suivi le rapport cinglant de l’agence américaine antidopage (Usada) accusant le Texan de dopage systématique lors de sa carrière.

“Armstrong n’a pas sa place dans le cyclisme”, a ainsi déclaré le président de l’UCI, l’Irlandais Pat McQuaid, à l’occasion d’une conférence de presse organisée lundi à Genève. […]

L’UCI a annoncé qu’elle déciderait vendredi si les podiums du Tour de France de 1999 et 2005 seront réattribués. La tâche parait compliquée, et ressemble à un véritable casse-tête pour désigner vainqueur un coureur vierge de toute accusation de dopage… En 1999, le deuxième du Tour de France est le Suisse Alex Zülle. Impliqué dans l’affaire Festina l’année précédente, il avoue s’être dopé et sera suspendu sept mois. L’Allemand Jan Ullrich (deuxième en 2000, 2001 et 2003), l’Espagnol Joseba Beloki (deuxième en 2002) et l’Italien Ivan Basso (deuxième en 2005) ont tous été sanctionnés pour avoir été mêlés à l’affaire Puerto, vaste scandale de dopage mis au jour en 2006. Seul Andreas Klöden, deuxième en 2004, n’a jamais été pris par la patrouille même si plusieurs de ses coéquipiers l’ont accusé d’avoir procédé à des transfusions sanguines durant le Tour 2006 qu’il termine également à la deuxième place.

De son côté, Amaury sports Orgnaisation (ASO), propriétaire du Tour de France, a plaidé, par la voix de son directeur, Christian Prudhomme, pour laisser vide le palmarès des années Armstrong. “Ce que nous souhaitons, c’est qu’il n’y ait pas de vainqueur”, a-t-il déclaré.

(Le Monde)

22 Outubro, 2012 at 1:53 pm 1 comentário

Artigos Mais Antigos Artigos mais recentes


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Outubro 2021
S T Q Q S S D
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.