Archive for 21 Junho, 2010

Mundial 2010 – Balanço intercalar

O Campeonato do Mundo de Futebol de 2010 atingiu hoje (em número de jogos disputados) a sua metade, não obstante terem decorrido apenas 11 dias de competição.

Após a realização dos 32 jogos das duas primeiras rondas da Fase de Grupos poderão ser inúmeras as ilações a retirar, mas poucas de carácter definitivo; basicamente, duas: Holanda e Brasil garantiram já o apuramento para os 1/8 Final; as selecções da Coreia do Norte e Camarões estão já virtualmente eliminadas.

Subsistem, assim, ainda por atribuir, 14 vagas na fase seguinte da prova, com nada menos que 28 países ainda na liça; por sua vez, estes podem dividir-se em dois grupos:

  • os que dependem apenas de si (17): Uruguai, México, Argentina, Grécia, Eslovénia, EUA, Inglaterra, Gana, Alemanha, Sérvia, Japão, Dinamarca, Paraguai, Itália, N. Zelândia, Portugal e Chile; e
  • os que se encontram dependentes de resultados de terceiros (11): França, África do Sul, Coreia do Sul, Nigéria, Argélia, Austrália, Eslováquia, Costa do Marfim, Suíça, Espanha e Honduras.

A situação, Grupo a Grupo, ainda com uma infinidade de possibilidades em aberto:

Grupo AUruguai e México necessitam de apenas um empate para garantir a qualificação, pelo que este resultado na partida da última ronda entre estas duas selecções afastaria automaticamente a França e a África do Sul, equipas com uma ténue réstia de esperança: a de, vencendo, conseguir ainda anular a diferença de golos desfavorável que registam face às selecções americanas (desde que uma delas vença a outra), cifradas entre um mínimo de 4 golos (França vs. México) e 6 golos (África do Sul vs. Uruguai).

Grupo B – A Argentina até poderá perder com a Grécia… desde que a Coreia do Sul não vença a Nigéria. A Grécia dependerá apenas de si, na hipotética medida em que tenha a capacidade de vencer a Argentina por 3 golos de diferença! Pode, não obstante qualificar-se com uma vitória tangencial, desde que a Coreia do Sul não vença; ou, empatando, se os coreanos forem derrotados. À Coreia do Sul, que dispõe de vantagem sobre a Grécia, por ter mais um golo marcado, bastar-lhe-á obter o mesmo resultado que a equipa helénica… desde que não perca. Por fim, a Nigéria será apurada desde que vença a equipa coreana, mas apenas se a Grécia for derrotada pela Argentina.

Grupo C – A Eslovénia necessita “apenas” de um empate frente à Inglaterra, mas poderá mesmo apurar-se em caso de derrota, desde que haja empate no EUA-Argélia, ou, sendo a Argélia a ganhar, desde que as eventuais vitórias na última jornada sejam pela margem mínima, excepto se a Argélia marcar mais 3 golos que os eslovenos. Os EUA dependem também apenas de si próprios: a vitória sobre a Argélia garante-lhes o apuramento, podendo mesmo qualificar-se com um empate se a equipa inglesa não vencer. A Inglaterra encontra-se em circunstância análoga (não obstante a desvantagem decorrente de ter menos 2 golos marcados que os estado-unidenses): apura-se com a vitória frente à Eslovénia, ou com um empate… desde que os EUA não percam, e, neste caso, apenas na eventualidade de marcarem pelo menos mais 2 golos que os rivais do outro lado do Atlântico. Por fim, a Argélia poderá qualificar-se apenas se vencer, se a Inglaterra não ganhar à Eslovénia, ou, neste caso, se conseguir superar a actual desvantagem de golos face aos eslovenos.

Grupo D – O Gana qualifica-se se vencer, ou, empatando com a Alemanha, desde que a Sérvia não derrote a Austrália; pode inclusivamente apurar-se perdendo, desde que mantenha a vantagem no desempate por diferença de golos face à Sérvia (em caso de empate desta) e à Austrália (em caso de vitória desta equipa). A Alemanha apresenta-se em situação análoga: a vitória garante-lhe a qualificação, que pode também obter com um empate (desde que a Sérvia não ganhe), e, inclusivamente, perdendo, com as mesmas condicionantes que o Gana. A Sérvia garante também o apuramento se ganhar à Austrália e, empatando, desde que a Alemanha perca; no limite, poderá hipoteticamente qualificar-se com uma derrota, se os alemães sofressem uma goleada. Finalmente, a Austrália, não só necessita imperiosamente de vencer, como terá de esperar por uma derrota alemã…

Grupo E – Com a Holanda já qualificada, tudo se decide entre Japão e Dinamarca, no jogo que opõe as duas selecções, com vantagem (por 1 golo de diferença) para o Japão, a quem bastará portanto o empate; à Dinamarca só a vitória servirá.

Grupo F – O Paraguai apura-se desde que não perca com a N. Zelândia, ou, mesmo se for derrotado, se houver empate no Itália-Eslováquia ou se a Eslováquia, vencendo os italianos, não anular a desvantagem de 4 golos face aos paraguaios com que entra na derradeira ronda. Itália e N. Zelândia, que, de forma absolutamente inesperada, partem em absoluta igualdade para o jogo decisivo, serão apurados se vencerem; caso empatem, será apurada a equipa que marcar mais golos, podendo haver a necessidade de recorrer a um sorteio para desempatar a tal igualdade absoluta. Por fim, a Eslováquia necessitará de vencer os Campeões do Mundo, Itália, e esperar que a N. Zelândia não derrote o Paraguai; se esta última variante ocorrer, a Eslováquia necessitaria anular a referida desvantagem de 4 golos face aos paraguaios.

Grupo G – Com o Brasil também já qualificado para os 1/8 Final, a vaga restante disputa-se entre Portugal e Costa do Marfim. À equipa portuguesa bastará um empate, ou, caso seja vencida pelo Brasil, não desperdiçar a vantagem de 9 golos que detém sobre os marfinenses… A equipa africana necessita de – em caso de derrota portuguesa pela margem mínima – vencer por 8 golos de diferença, ou um tento a menos por cada golo adicional da eventual desvantagem da selecção portuguesa.

Grupo H – O Chile será apurado desde que obtenha, no mínimo, um empate frente à Espanha; caso seja derrotado, necessita que a Suíça não vença as Honduras, ou, se tal acontecer, não supere a desvantagem de golos. A Espanha poderá apurar-se vencendo, empatando, ou até perdendo, desde que faça pelo menos resultado igual ao que a Suíça obtiver no jogo com os hondurenhos. A Suíça apura-se se vencer, desde que a Espanha não ganhe (ou, se tal ocorrer, se reverter a desvantagem de 1 golo); ou, caso empate, se a Espanha perder; pode ainda apurar-se perdendo, desde que a Espanha seja derrotada por margem superior, e no pressuposto de que manteria a vantagem de golos face à equipa centro-americana. Finalmente, as Honduras apenas podem sonhar com uma vitória face aos helvéticos e com uma derrota da Espanha, necessitando de inverter a desvantagem de 4 golos relativamente aos espanhóis e de 3 golos em relação à Suíça.

Sobre a forma em que as equipas se encontrarão e o modo como impressionaram nos dois jogos já disputados, parece ser ainda demasiado prematuro estar desde já a fazer projecções para a fase mais decisiva da competição…

21 Junho, 2010 at 9:25 pm Deixe um comentário

Mundial 2010 – Resultados e Classificações – 2ª

GRUPO A        Jg  V  E  D   G  Pt  África Sul-México.....1-1
Uruguai    Uruguai  2  1  1  -  3-0  4  Uruguai-França........0-0
México     México  2  1  1  -  3-1  4  África Sul-Uruguai....0-3
França     França  2  -  1  1  0-2  1  França-México.........0-2
África Sul África Sul  2  -  1  1  1-4  1  França-África Sul.....---
                                    México-Uruguai........---

GRUPO B        Jg  V  E  D   G  Pt  Argentina-Nigéria.....1-0
Argentina  Argentina  2  2  -  -  5-1  6  Coreia Sul-Grécia.....2-0
Coreia Sul Coreia Sul  2  1  -  1  3-4  3  Grécia-Nigéria........2-1
Grécia     Grécia  2  1  -  1  2-3  3  Argentina-Coreia Sul..4-1
Nigéria    Nigéria  2  -  -  2  1-3  -  Nigéria-Coreia Sul....---
                                    Grécia-Argentina......---

GRUPO C        Jg  V  E  D   G  Pt  Inglaterra-EUA........1-1
Eslovénia  Eslovénia  2  1  1  -  3-2  4  Argélia-Eslovénia.....0-1
EUA        EUA  2  -  2  -  3-3  2  Eslovénia-EUA.........2-2
Inglaterra Inglaterra  2  -  2  -  1-1  2  Inglaterra-Argélia....0-0
Argélia    Argélia  2  -  1  1  0-1  1  Eslovénia-Inglaterra..---
                                    EUA-Argélia...........---

GRUPO D        Jg  V  E  D   G  Pt  Alemanha-Austrália....4-0
Gana       Gana  2  1  1  -  2-1  4  Sérvia-Gana...........0-1
Alemanha   Alemanha  2  1  -  1  4-1  3  Alemanha-Sérvia.......0-1
Sérvia     Sérvia  2  1  -  1  1-1  3  Gana-Austrália........1-1
Austrália  Austrália  2  -  1  1  1-5  1  Gana-Alemanha.........---
                                    Austrália-Sérvia......---

GRUPO E        Jg  V  E  D   G  Pt  Holanda-Dinamarca.....2-0
Holanda    Holanda  2  2  -  -  3-0  6  Japão-Camarões........1-0
Japão      Japão  2  1  -  1  1-1  3  Holanda-Japão.........1-0
Dinamarca  Dinamarca  2  1  -  1  2-3  3  Camarões-Dinamarca....1-2
Camarões   Camarões  2  -  -  2  1-3  -  Dinamarca-Japão.......---
                                    Camarões-Holanda......---

GRUPO F        Jg  V  E  D   G  Pt  Itália-Paraguai.......1-1
Paraguai   Paraguai  2  1  1  -  3-1  4  N.Zelândia-Eslováquia.1-1
Itália     Itália  2  -  2  -  2-2  2  Eslováquia-Paraguai...0-2
N.Zelândia N. Zelândia  2  -  2  -  2-2  2  Itália-N.Zelândia.....1-1
Eslováquia Eslováquia  2  -  1  1  1-3  1  Eslováquia-Itália.....---
                                    Paraguai-N.Zelândia...---

GRUPO G        Jg  V  E  D   G  Pt  Costa Marfim-Portugal.0-0
Brasil     Brasil  2  2  -  -  5-2  6  Brasil-Coreia Norte...2-1
Portugal   Portugal  2  1  1  -  7-0  4  Brasil-Costa Marfim...3-1
C. Marfim  Costa Marfim  2  -  1  1  1-3  1  Portugal-Coreia Norte.7-0
Cor. Norte Coreia Norte  2  -  -  2  1-9  -  Portugal-Brasil.......---
                                    Cor.Norte-C.Marfim....---

GRUPO H        Jg  V  E  D   G  Pt  Honduras-Chile........0-1
Chile      Chile  2  2  -  -  2-0  6  Espanha-Suíça.........0-1
Espanha    Espanha  2  1  -  1  2-1  3  Chile-Suíça...........1-0
Suíça      Suíça  2  1  -  1  1-1  3  Espanha-Honduras......2-0
Honduras   Honduras  2  -  -  2  0-3  -  Chile-Espanha.........---
                                    Suíça-Honduras........---

Marcadores (2ª Jornada) – Diego Forlán (Uruguai) – 2, Álvaro Pereira (Uruguai), Park Chu-Young (Coreia Sul – p.b., pela Argentina), Gonzalo Higuaín (Argentina) – 3, Lee Chung-Yong (Coreia Sul), Kalu Uche (Nigéria), Dimitrios Salpingidis (Grécia), Vasileios Torosidis (Grécia), Javier Hernandez (México), Cuauhtemoc Blanco (México), Milan Jovanovic (Sérvia), Valter Birsa (Eslovénia), Zlatan Ljubijankic (Eslovénia), Landon Donovan (EUA), Michael Bradley (EUA), Wesley Sneijder (Holanda), Brett Holman (Austrália), Asamoah Gyan (Gana), Samuel Eto’o (Camarões), Nicklas Bendtner (Dinamarca), Dennis Rommedahl (Dinamarca), Enrique Vera (Paraguai), Cristian Riveros (Paraguai), Shane Smeltz (N. Zelândia), Vincenzo Iaquinta (Itália), Luís Fabiano (Brasil) – 2, Elano (Brasil), Didier Drogba (Costa Marfim), Raul Meireles (Portugal), Simão Sabrosa (Portugal), Hugo Almeida (Portugal), Tiago (Portugal) – 2, Liedson (Portugal), Cristiano Ronaldo (Portugal), Mark Gonzalez (Chile) e David Villa (Espanha) – 2

Melhores marcadores – Gonzalo Higuaín (Argentina), 3; Diego Forlán (Uruguai), Asamoah Gyan (Gana), Luís Fabiano (Brasil), Elano (Brasil), Tiago (Portugal) e David Villa (Espanha), 2

21 Junho, 2010 at 9:20 pm Deixe um comentário

Mundial 2010 – Portugal – Coreia do Norte

Portugal Coreia do Norte 7-0

Portugal Eduardo, Miguel, Bruno Alves, Ricardo Carvalho, Fábio Coentrão, Pedro Mendes, Tiago, Raul Meireles (70m – Miguel Veloso), Cristiano Ronaldo, Simão Sabrosa (74m – Duda) e Hugo Almeida (77m – Liedson)

Coreia do Norte Ri Myong-Guk, Cha Jong-Hyok (75m – Nam Song-Chol), Pak Chol-Jin, Ri Jun-Il, Ji Yun-Nam, Ri Kwang-Chon, An Yong-Hak, Mun In-Guk (58m – Kim Yong-Jun), Pak Nam-Chol (58m – Kim Kum-Il), Hong Yong-Jo e Jong Tae-Se

1-0 – Raul Meireles – 29m
2-0 – Simão Sabrosa – 53m
3-0 – Hugo Almeida – 56m
4-0 – Tiago – 60m
5-0 – Liedson – 81m
6-0 – Cristiano Ronaldo – 87m
7-0 – Tiago – 89m


(foto via TSF)

Num jogo em que o único resultado aceitável era a vitória portuguesa, dado não só o desnível de potencial entre ambas as selecções, mas também o calendário do grupo de apuramento, e na sequência do nulo registado na jornada inaugural, a selecção nacional entrou em campo com boa disposição, deliberadamente ofensiva, criando duas ocasiões de perigo, logo aos 4 e aos 6 minutos, ambas por… Ricardo Carvalho: primeiro, num falhado remate à meia-volta; e, logo de seguida, acertando novamente no poste.

Não aproveitadas estas oportunidades decorrentes de uma entrada com algum fulgor, a Coreia do Norte começou gradualmente a ganhar confiança, tornando-se cada vez mais atrevida, começando por dar um primeiro sinal de aviso à passagem dos 10 minutos, com um remate a rasar o poste, nova ameaça aos 17 minutos e, ainda outra, cerca dos 23 minutos, fase em que a equipa portuguesa parecia algo aturdida coma a reacção coreana.

Procurando acalmar a toada algo precipitada, Portugal veria coroada de êxito uma boa jogada, com Tiago a fazer uma boa abertura, para uma excelente finalização de Raul Meireles, a marcar o golo inaugural da equipa portuguesa na prova, jogava-se o 29º minuto da partida.

Daí até final do primeiro tempo, apenas digno de menção um remate cruzado, da esquerda para a direita, de Cristiano Ronaldo, a sair ligeiramente ao lado da baliza, já com 41 minutos e, mesmo a fechar, uma iniciativa de Simão, porém com o cruzamento a não sair bem.

A selecção da Coreia do Norte iniciava a segunda parte do jogo, na condição de eliminada… mas seria a equipa portuguesa a assumir, de novo, a iniciativa do jogo, com Tiago, com um bom remate, a colocar à prova a atenção do guarda-redes adversário logo no minuto inicial, a que responderiam de imediato os coreanos, obrigando Eduardo a “dizer presente”.

Num reinício animado, seria Hugo Almeida a dividir uma bola com o guarda-redes norte-coreano, em mais uma jogada de perigo eminente. E, de seguida, um livre apontado por Jong Tae-Se, com Eduardo a mostrar estar concentrado.

Pouco depois, Hugo Almeida, desenquadrado da baliza, não conseguiria dar a melhor sequência a uma boa jogada da ofensiva portuguesa. Antes de a equipa da Coreia do Norte se desequilibrar por completo, ante o turbilhão ofensivo português, com 3 golos no espaço de 7  minutos, marcados sucessivamente por Simão Sabrosa, Hugo Almeida e Tiago.

Após 10 minutos de sonho (que, já noutras circunstâncias, viria a repetir a findar o encontro), Portugal acalmaria a toada, procurando aliciar a equipa coreana a subir no terreno, visando explorar eventuais situações de contra-ataque.

Cristiano Ronaldo ainda acertaria com estrondo na trave, em mais um potente remate. Do outro lado, Jong Tae-Se ameaçaria uma vez mais Eduardo, já na aproximação dos 80 minutos, precisamente antes de mais um golo português, o quinto, por Liedson, entrado em campo escassos minutos antes.

Haveria ainda tempo para o consumar do descalabro coreano, com um golo risível de Cristiano Ronaldo, a beneficiar de uma carambola do esférico no guarda-redes, que lhe tabelou na nuca, ressaltando para a cabeça, antes de cair no chão, à mercê de um leve empurrão para a baliza com o pé, e, de seguida, com Tiago, com mais uma excelente execução de cabeça, a bisar.

Com uma boa exibição, não obstante ter sido alcançada frente a um débil opositor, Portugal beneficiaria do mérito de ter obrigado a equipa coreana a abrir o seu jogo, desequilibrando por completo (destroçando mesmo) a sua estrutura defensiva, o que conseguiria aproveitar da melhor forma, com alto grau de eficácia, sem nunca abdicar de procurar dilatar a marca.

Depois dos 5-3 de 1966, outro Portugal – Coreia do Norte entra na história dos Mundiais: 7-0!

E, com 9 (!) golos de vantagem em relação à Costa do Marfim, só uma absolutamente indesejável catástrofe impediria Portugal de prosseguir para os 1/8 Final…

Melhor jogador – Cristiano Ronaldo

Amarelos – Pak Chol-Jin (32m) e Hong Yong-Jo (47m); Pedro Mendes (38m) e Hugo Almeida (70m)

Árbitro – Pablo Pozo (Chile)

Cape Town (12h30)


(CNN)

O jogo visto no Twitter, via The Guardian.

Crónica no The New York Times.

21 Junho, 2010 at 2:22 pm Deixe um comentário


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Junho 2010
S T Q Q S S D
« Maio   Jul »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.