Chelsea na Final da Liga dos Campeões

30 Abril, 2008 at 10:10 pm Deixe um comentário

À terceira foi de vez! O Chelsea conseguiu finalmente afastar o fantasma Liverpool, ao mesmo tempo que ultrapassou a síndrome das 1/2 Finais perdidas (3 nas 4 anteriores edições da Liga dos Campeões).

Entrando em campo com uma atitude determinada, assumindo o risco – não obstante o empate da 1ª mão, que lhe conferia vantagem na eliminatória – o Chelsea cedo dilataria essa vantagem, inaugurando o marcador graças a um magnífico golo de Drogba, num potente remate, fazendo a bola “passar pelo buraco da agulha”, entre o guarda-redes e o primeiro poste.

Não obstante, numa segunda parte em que o Liverpool “saiu a jogar”, o fantasma chegou a pairar ao longo desse período complementar, em particular a partir do momento em que Fernando Torres – numa excelente desmarcação, com uma execução perfeita, desviando a bola do alcance de Petr Cech, tornando inútil a saída do guarda-redes da baliza – igualou o jogo e a eliminatória.

No derradeiro quarto de hora do tempo regulamentar, o receio de perder apoderou-se de ambas as equipas, como que tolhendo as suas iniciativas, crescentemente avessas ao risco. Uma vez mais o prolongamento perfilava-se como uma inevitabilidade.

Logo a abrir o prolongamento, o Liverpool provocaria dois fortes sustos, criando muito perigo junto à baliza da equipa londrina.

Para, de imediato (tudo isto num espaço de 6 minutos), primeiro Drogba a aparecer isolado frente a Reina, com Carragher a surgir a fazer o desarme no último instante; logo de seguida, Essien, com um potente remate, a colocar a bola no fundo da baliza, para – numa muito polémica decisão – o árbitro (o italiano Roberto Rossetti) não validar o golo, por fora de jogo posicional de Drogba, alegadamente por ocultar parcialmente a visibilidade ao guarda-redes adversário; e, a culminar a sequência, em nova ofensiva do Chelsea, ser assinalada grande penalidade a seu favor, que Lampard converteria então no segundo golo.

E, praticamente a fechar uma electrizante primeira parte do prolongamento, Drogba, fulgurante, entrando de rompante, marcava o terceiro tento para o Chelsea.

Quando tudo parecia resolvido, a 3 minutos do termo da partida, em mais um forte remate de fora da área – num lance em que Cech não foi feliz -, Babel reduzia para 3-2. Não haveria tempo para mais…

Numa inédita Final inglesa, Chelsea e Manchester United – em acesa disputa pelo título nacional – acabam de marcar também encontro no cume do futebol continental, a 21 de Maio, em Moscovo, com seis portugueses (Ricardo Carvalho, Paulo Ferreira, Hilário, Cristiano Ronaldo, Nani e Carlos Queirós) à conquista do ceptro de Campeão da Europa de clubes.

Entry filed under: Desporto. Tags: , .

Resposta a comentários em vídeo EXPO’98 (I)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Abril 2008
S T Q Q S S D
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.


%d bloggers like this: