O Pulsar do Campeonato – 22ª Jornada

Pulsar-22

(“O Templário”, 29.03.2018)

Numa jornada caracterizada por determinantes reviravoltas no marcador, nas suas duas principais partidas, o desfecho final acabou por ser deveras favorável às aspirações dos maçaenses, que, tendo ampliado para oito pontos a sua vantagem face aos mais directos perseguidores (agora, de novo, o par formado por U. Tomar e Fazendense) – quando subsistem apenas quatro rondas por disputar –, podem começar a encomendar as faixas de Campeão!

Destaques – Com os dois primeiros classificados a enfrentarem bem difíceis obstáculos, recebendo o Mação a sua “besta negra”, Torres Novas – que, nos dez últimos anos, ali vencera por sete ocasiões, face a um único triunfo dos donos da casa (!) –, enquanto o Fazendense visitava o U. Almeirim, num sempre renhido “derby”, a evolução dos marcadores nos dois campos chegou a prometer um forte animar do interesse do campeonato, para a sua recta final.

De facto, ao intervalo, com os maçaenses a perder por 1-2 (depois de, ainda antes dos cinco minutos terem começado por inaugurar o marcador), enquanto, por seu lado, o Fazendense registava vantagem (1-0), a diferença pontual entre ambos os clubes passava então – virtualmente – a reduzir-se a uma expressão mínima, de apenas dois pontos (e isto tendo ainda em consideração que terão de defrontar-se, na antepenúltima jornada da prova).

Todavia, numa praticamente definitiva afirmação de força, o líder operaria uma notável reviravolta, apontando mais três tentos, para fixar o resultado final num convincente triunfo por 4-2, conseguindo assim voltar a derrotar os torrejanos, no momento mais oportuno para tal, catapultando-se para a glória da conquista de um inédito título de Campeão Distrital, que poderá até – em caso de conjugação favorável de resultados – vir a confirmar já na próxima jornada.

Ao invés, e em paralelo às duas reviravoltas no marcador registadas em Mação, também em Almeirim o União local acabaria por inverter a tendência do resultado, a seu favor, consumando a vitória com um golo obtido já ao “cair do pano”. Colocando enfim termo a uma incrível sucessão de cinco desaires consecutivos no campeonato, o U. Almeirim dava, simultaneamente, uma “machadada final” nas aspirações do seu grande rival, do município almeirinense.

Nesta ronda, realce particular ainda para uma crucial vitória (1-0) do Amiense sobre o Samora Correia, mercê também de um solitário tento apontado no final do desafio, a permitir à turma de Amiais de Baixo distanciar-se da zona perigosa, ao mesmo tempo que impede os samorenses de estabelecer um novo “record” isolado de triunfos consecutivos no presente campeonato – que, assim, repartem com o Mação, tendo visto interrompida a sua magnífica série de seis triunfos.

Confirmações – Nos restantes quatro jogos desta 22.ª jornada, não haverá surpresas a assinalar, sendo, não obstante, de mencionar mais um resultado muito positivo da equipa de Ferreira do Zêzere, a impor-se no difícil terreno da Moçarria (1-0), retomando assim a 4.ª posição, de forma isolada, somente a escassos dois pontos do duo que partilha o 2.º posto; uma fantástica campanha do grupo liderado por Eduardo Fortes, a melhor de sempre da história do clube!

Em Abrantes, a U. Abrantina mostrou acreditar ainda na possibilidade de escapar ao destino que parece antecipar-se, não abdicando porém, continuando a porfiar, tendo vencido o At. Ouriense por 2-1. A sua tarefa até final continua, não obstante, a afigurar-se bem árdua, dado dispor de apenas mais um encontro no seu reduto (com o Cartaxo), tendo duas deslocações ao município de Santarém, para defrontar os dois últimos classificados, para além da viagem a Almeirim.

O Cartaxo, recebendo e batendo o Riachense, também pela margem mínima (1-0), parece afastar-se definitivamente da zona de risco da pauta classificativa (isto, no pressuposto de que o Fátima venha a confirmar a manutenção no Nacional), ao contrário da formação dos Riachos, que terá pela frente uma titânica luta com os abrantinos, por um 11.º lugar, que, nesta altura, não se sabe ainda se será “premiado” ou se acabará por vir a ser um ingrato posto de despromoção.

Por fim, em Tomar, o União cumpriu, ganhando por tranquila marca de 3-0 aos Empregados do Comércio, numa partida que apenas no início da segunda metade pareceu poder eventualmente vir a oferecer algum risco (com os “Caixeiros” a procurar reduzir a desvantagem, já então de dois golos), mas em que prevaleceu sempre a ideia de que, caso necessário, os unionistas poderiam forçar o ritmo e dilatar o marcador, para o que, aliás, beneficiaram de outras ocasiões.

II Divisão Distrital – Na série a Norte, após dois particularmente empolgantes desafios, com duas igualdades (4-4 no U. Atalaiense-Pego e 3-3 no Aldeiense-Espinheirense), são ainda quatro os candidatos (U. Atalaiense, Aldeiense, Pego e Caxarias – separados por um único ponto) à última vaga de apuramento para a fase final, a decidir na próxima e derradeira ronda, com a turma da Atalaia a depender exclusivamente de si, “bastando-lhe” ganhar em Alferrarede.

A Sul, Marinhais, U. Santarém e Glória do Ribatejo venceram os respectivos compromissos, com os escalabitanos a garantir já (tal como, antes, o Marinhais) a participação na fase de apuramento de Campeão, na qual o Glória deverá marcar certamente presença também, em detrimento do Benavente (que regista agora um atraso de cinco pontos, a duas jornadas do fim, para além de a turma do município de Salvaterra beneficiar ainda de um jogo em atraso).

Campeonato de Portugal – No confronto entre dois clubes do Distrito, o Fátima, vencendo categoricamente (3-0) o Coruchense, parece ter-se colocado a salvo de maiores “percalços”, subindo ao 7.º lugar, tendo ampliado a sua “margem de segurança” para seis pontos. Ao contrário, ficou mais comprometida a posição do grupo do Sorraia, 12.º classificado, quatro pontos abaixo da “linha de água”, a quatro jornadas do fim. Pior, o Alcanenense, batido por 1-3 nos Açores, pelo Lusitânia, é 13.º, já a provavelmente irrecuperáveis nove pontos da “salvação”.

Antevisão – Em fim-de-semana de Páscoa, os campeonatos distritais entram em pausa, para disputa das meias-finais da Taça do Ribatejo, com a 1.ª mão agendada para Sexta-feira Santa, com os seguintes desafios: U. Santarém-U. Tomar e Mação-Empregados do Comércio.

Em Santarém, num encontro entre as equipas com ataques mais realizadores dos dois escalões, os tomarenses estarão de sobreaviso, sendo também importante dar continuidade à impressionante série de 27 jogos consecutivos (todos os realizados na presente época) sempre a marcar! Em Mação, os extremos cruzam-se, com o líder do campeonato a receber o “lanterna vermelha”, não devendo esquecer-se que os jogos de Taça têm características especiais…

No Campeonato de Portugal, o Fátima desloca-se a Sintra, para defrontar o Sintrense (10.º classificado), podendo um resultado positivo representar também um auxílio importante ao Coruchense, que recebe o já despromovido Eléctrico de Ponte de Sôr. Por seu lado, o Alcanenense, visitado pelo Torreense, joga aqueles que serão os seus “últimos cartuchos”…

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 29 de Março de 2018)

Anúncios

31 Março, 2018 at 11:00 am Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 21ª Jornada

Pulsar-21

(“O Templário”, 22.03.2018)

Ao conseguir o seu objectivo prioritário – o de não perder em Tomar –, o Mação terá afastado o União da luta pelo título, mas, paralelamente, poderá vir porventura a sofrer maior ameaça por parte do Fazendense, agora o seu único competidor em tal disputa, a cinco pontos, a cinco jornadas do fim, estando agendado o crucial embate entre ambos para a antepenúltima ronda…

Destaques – No desafio do “tudo ou nada” para o U. Tomar, os tomarenses acabariam por estar muito perto da possibilidade de sonhar ainda com o “tudo”…

Recebendo o líder, em relação ao qual registavam um atraso de oito pontos, aos unionistas apenas a vitória interessava pelo que, desde início – como tem sido seu apanágio em praticamente todos os encontros deste campeonato –, assumiram a iniciativa do jogo, de forma personalizada, com o sentimento de nada ficar a dever perante este seu credenciado opositor.

Tal fase de ascendente duraria, contudo, apenas cerca de um quarto de hora, até os maçaenses conseguirem encaixar no jogo do adversário, equilibrando a contenda. Curiosamente, seria já nessa fase de grande equilíbrio que o U. Tomar viria a chegar ao golo, abrindo o marcador, uma vez mais por intermédio de Wemerson Silva, num lance com algumas semelhanças com o que resultara no tento apontado em Amiais de Baixo: um lançamento em profundidade, para as costas da defesa, o brasileiro a surgir desmarcado, muito rápido, a fazer a bola passar sobre o guardião contrário, anichando-se na baliza, sem apelo nem agravo.

Tal como há uma semana, o “mais difícil” estava feito. Mas, naturalmente, não se esperavam facilidades, dado que, assim, passava a competir ao Mação ir, necessariamente, em busca do golo. Até final do primeiro tempo, manteve-se a repartição do jogo entre os dois meios-campos, com os forasteiros a acabarem por ser felizes, vindo a restabelecer a igualdade (1-1), a dois minutos do termo da etapa inicial, beneficiando de uma “carambola” na defensiva tomarense.

Na metade complementar, a partida começou por ter uma tendência menos definida, pese embora fosse o U. Tomar a porfiar na tentativa de assumir novamente o domínio, que lhe pudesse proporcionar nova vantagem. Todavia, sensivelmente a partir da hora de jogo, com as alterações efectuadas no seu “onze”, o Mação, revelando, neste confronto em concreto, dispor de mais opções, denotou então maior fôlego, empurrando gradualmente os donos da casa para a sua zona defensiva, ameaçando em duas ou três ocasiões poder chegar outra vez ao golo.

Porém, já em tempo de compensação, ao minuto 93 – agora com os maçaenses visivelmente acomodados com o empate – sucedeu o que teria sido o instante capital deste embate: investida tomarense até à área contrária, um primeiro remate, que o guarda-redes teve dificuldade em suster, repelindo a bola para a sua frente, e, outra vez muito veloz e pleno de oportunidade, na recarga, Wemerson a surgir que nem um “furacão”, a pontapear para o fundo das redes!

Era o delírio no Municipal de Tomar… mas apenas por breves segundos, até toda a gente se aperceber que o lance tinha sido invalidado por alegado fora-de-jogo. Um equívoco de arbitragem (do árbitro assistente) que até poderia ser compreensível, dada a rapidez da jogada, mas que acaba por ser muito difícil de aceitar no contexto específico deste jogo – que poderia hipoteticamente originar um completo volte-face na tendência do campeonato –, por via da manifesta imprudência de terem sido designados precisamente os dois árbitros assistentes que tão flagrantemente tinham falhado já no jogo em Abrantes, em notório prejuízo do U. Tomar.

Com as restantes partidas desta 21.ª ronda naturalmente relegadas para segundo plano, perante a relevância do jogo de Tomar, realce para as vitórias (ambas por 2-0) do Fazendense sobre o Cartaxo (2-0), a possibilitar aos almeirinenses cimentar o 2.º lugar, apertando para cinco pontos a diferença face ao guia; e do Samora Correia ante o U. Almeirim, no sexto triunfo consecutivo dos visitados, ascendendo ao 5.º lugar, a dois pontos do 3.º, paralelamente o quinto desaire sucessivo (!) do grupo de Almeirim, à partida cotado como principal candidato ao título…

Confirmações – Nos outros jogos, triunfos expectáveis do Torres Novas face ao Amiense (1-0), com os torrejanos a igualarem o União no 3.º posto; do Ferreira do Zêzere, na recepção à U. Abrantina (2-1); e do Riachense (2-0) ante o Moçarriense. A equipa da Moçarria deverá acompanhar os Empregados do Comércio (empate 1-1 com o At. Ouriense) na despromoção ao escalão secundário, mas Amiense, Riachense e U. Abrantina continuam também em apuros, perante o cenário de terem de ser, eventualmente, quatro (ou cinco), os clubes a despromover.

II Divisão Distrital – Na série a Norte realce para o primeiro desaire do Tramagal, no Pego (3-2), a beneficiar ainda do facto de Aldeiense e U. Atalaiense se terem empatado (2-2), para se abeirar da 3.ª posição, agora só a um único ponto, com Espinheirense e Caxarias ainda a “sonhar”. A Sul, o Marinhais (triunfo seguro no Porto Alto, por 4-1) garantiu já o apuramento para a fase final; onde o U. Santarém deverá marcar também presença (goleou por inusitado 6-0 em Pontével!), com a última vaga a disputar entre Glória e Benavente, dispondo a formação do município de Salvaterra de todas as vantagens (mais dois pontos; e dois jogos a menos).

Campeonato de Portugal – O Alcanenense voltou a averbar o que seria um resultado positivo (nulo ante o líder, Mafra), mas que de pouco (ou nada) lhe deverá servir para as contas finais: é 13.º, agora já a nove pontos do 10.º lugar, a cinco jornadas do fim; o regresso ao Distrital é o caminho mais provável, praticamente sentenciado. Trajectória idêntica poderá seguir o Coruchense, derrotado em casa (0-1) pelo Sacavenense, sendo 12.º da tabela, já a quatro pontos da “linha de água”. Melhores notícias para o Fátima, que goleou nos Açores (4-1) o Guadalupe, mantendo a 9.ª posição, com uma margem de três pontos em relação à zona de despromoção.

Antevisão – No principal escalão, o campeonato prosseguirá com partidas de grande aliciante: o Mação recebe o Torres Novas (3.º), enquanto o seu concorrente mais directo, Fazendense, enfrenta o “mais difícil” de todos os seus adversários, no “derby”, no terreno do U. Almeirim. O U. Tomar, que necessita manter o foco, visando agora o 2.º lugar, terá a visita dos “Caixeiros”.

Na II Divisão, destaque para os confrontos U. Atalaiense-Pego e Aldeiense-Espinheirense, tendo em mira a última vaga de apuramento (na penúltima jornada da série Norte), enquanto, a Sul, U. Santarém (recebe o Porto Alto) e Glória (visitado pelo Forense) poderão, praticamente, “carimbar” também a qualificação, aproveitando ainda o facto de o Benavente folgar.

No Campeonato de Portugal, o Fátima recebe o Coruchense, num embate que poderá ditar a salvação de um e a condenação do outro, ou, ao invés, arrastar os dois para posição delicada, embora ainda não irreversível. Para o Alcanenense, a possibilidade de chegar ainda ao “milagre” passaria necessariamente por ganhar nos Açores (Angra do Heroísmo), ao Lusitânia.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 22 de Março de 2018)

25 Março, 2018 at 11:00 am Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 20ª Jornada

Pulsar-20

(“O Templário”, 15.03.2018)

Na semana imediata a ter empatado em Mação, o Amiense, vencendo o U. Tomar, dá um passo importante visando a tranquilidade, ao mesmo tempo que – num campeonato que tem sido uma espécie de carrossel de emoções – volta a colocar o título “nas mãos” dos maçaenses.

Mas, se é inegável que, à medida que a prova avança – e restam agora, por disputar, seis jornadas –, o tempo para recuperar atrasos é cada vez menor, não menos inegável é que os (ainda) três candidatos terão, até final, árduos compromissos a superar, numa recta final que se antecipa possa ser deveras aliciante: o líder, beneficiando do considerável avanço de que dispõe, terá, contudo, de defrontar ainda os seus cinco mais directos perseguidores (!), deslocando-se a Tomar (3.º), Samora Correia (6.º) e Riachos (12.º), recebendo o Fazendense (2.º), Torres Novas (4.º) e Ferreira Zêzere (5.º); por seu lado, o Fazendense visita Mação (1.º), Torres Novas (4.º) e Almeirim (7.º), recebendo o U. Tomar (3.º), Cartaxo (9.º) e Amiense (10.º); enquanto o U. Tomar apenas terá mais duas saídas, a Fazendas de Almeirim (2.º) e Torres Novas (4.º), jogando em casa com o Mação (1.º), Samora Correia (6.º), Riachense (12.º) e Emp. Comércio (14.º).

Destaques – O principal realce desta 20.ª ronda vai para o encontro disputado em Amiais de Baixo, onde o Amiense deu a melhor sequência ao resultado positivo que obtivera na semana passada no terreno no líder, vencendo, desta feita, o então vice-líder, U. Tomar, por 2-1.

Os tomarenses procuraram, desde início, assumir a iniciativa do jogo, que, não obstante, se revelou sempre repartido, com a turma da casa a mostrar-se aguerrida, nunca virando a cara à luta. Após ter conseguido o que parecia mais difícil – colocando-se em vantagem à beira do intervalo, com mais um golo de Wemerson, igualando assim Tiago Vieira na liderança dos melhores marcadores –, os unionistas acabariam por ser, uma vez mais, penalizados pela sua falta de eficácia (tiveram mais do que uma oportunidade para ampliar para 2-0…), vindo a sofrer o tento da igualdade a menos de dez minutos do termo do desafio. Até final, não lhes servindo o empate, procuraram, já algo precipitadamente, chegar de novo à posição de vencedores; porém, desta feita com alguma infelicidade, acabariam por vir a sofrer o tento da derrota já em tempo de compensação, aproveitando o Amiense da melhor forma o factor vento.

Em mais um desaire assaz penalizador para as ambições tomarenses, ainda duas outras palavras: uma, para enaltecer o brio evidenciado pelos visitados, pela forma empenhada como disputaram a partida, dignificando o historial do Amiense – que, tal como o do seu novo responsável técnico, Jorge Peralta –, justifica que o clube possa garantir o seu objectivo de manutenção, sem maiores sobressaltos; outra para assinalar a actuação do trio de arbitragem, liderado por João Mendes: não é frequente ser objecto de elogios dos treinadores de ambas as equipas…

Como querendo afirmar que a fase titubeante que vinha atravessando nas partidas em casa (com três jogos sucessivos em branco, perdendo com U. Abrantina e Cartaxo e empatando com o Amiense) terá sido já ultrapassada, o Mação não perdeu a oportunidade de golear, de forma bem categórica (6-0), o “lanterna vermelha”, Empregados do Comércio, voltando a beneficiar de uma confortável vantagem (sete pontos) face ao mais próximo concorrente, agora o Fazendense.

De facto, a turma das Fazendas conseguiu superar as dificuldades que lhe foram impostas na deslocação à Moçarria, acabando por triunfar por 2-1, aproveitando o deslize tomarense para ascender ao 2.º posto da pauta classificativa, um ponto acima dos unionistas.

Por fim, a devida menção a mais um magnífico resultado do Samora Correia (5.ª vitória consecutiva, tendo actualmente o melhor desempenho de todos os clubes, nesta segunda volta!), goleando por 4-0 no terreno do Cartaxo – que acumulou o 5.º desaire em dez jogos em casa.

Surpresas – Numa jornada com alguns resultados porventura menos expectáveis (quanto mais não seja pela diferença de golos verificada, como é o caso do jogo no Cartaxo), as duas principais surpresas terão sido a vitória (2-1) do Torres Novas em Almeirim, frente ao União local – que, parecendo ter “desligado” do campeonato, somou a quarta derrota sucessiva (num ciclo em que defrontou três dos quatro primeiros classificados) –, a par do importante triunfo averbado pelo Riachense em Abrantes, ante a U. Abrantina (2-0), possibilitando-lhe igualar este mesmo opositor na classificação, num desfecho que poderá, nas contas finais, vir a ter influência determinante, a nível da luta pela “sobrevivência” no principal escalão.

Confirmações – Nesta semana, para além da esperada vitória do líder frente ao último da tabela, poderá também classificar-se nesta secção a importante vitória (2-1) alcançada pelo At. Ouriense, na recepção ao Ferreira do Zêzere, com o factor casa a prevalecer.

II Divisão Distrital – Com a série mais a Norte de folga, a Sul, o guia, Marinhais, voltou a vencer, por tangencial 1-0, perante o Pontével, cabendo o destaque maior à goleada (4-1) do Glória do Ribatejo ante o Benavente, assim retomando uma posição entre os três primeiros, colocando os benaventenses, pelo menos para já, fora dos lugares de acesso à fase final. O U. Santarém goleou (6-0), com alguma naturalidade, o “lanterna vermelha”, Forense.

Campeonato de Portugal – Tivemos, por fim, uma ronda (24.ª) com resultados positivos para as equipas do Distrito: o Fátima goleou (6-1) o Pêro Pinheiro, saindo da zona de despromoção, tendo ascendido à 9.ª posição (pese embora com um único ponto de vantagem sobre a “linha de água”); o Coruchense foi a Sintra obter o que poderá vir a revelar-se uma crucial vitória (2-1), estando agora somente a um ponto deste adversário, precisamente o último em posição de manutenção; quanto ao Alcanenense, o empate (1-1) em Ponte de Sôr, poderá ter sido “curto” para as suas necessidades, dado continuar a distantes sete pontos da zona de segurança.

Antevisão – Na I Divisão Distrital, terá chegado a hora do “tudo ou nada”: sem entrar em mais conjecturas sobre resultados futuros até final do campeonato (uma coisa de cada vez…), ao U. Tomar, no imediato, apenas resta uma opção: vencer o Mação, no próximo fim-de-semana, único desfecho que lhe permitirá continuar ainda a “sonhar”… e deixar também o Fazendense na expectativa, dependendo do resultado que conseguir averbar, na recepção ao Cartaxo.

No escalão secundário, destaque para os embates Pego-Tramagal e Aldeiense-U. Atalaiense, a Norte, e Pontével-U. Santarém e Barrosense-Glória do Ribatejo, a Sul.

No Campeonato de Portugal, o Fátima deverá procurar rentabilizar a deslocação aos Açores, ao terreno do “lanterna vermelha”, Guadalupe, esperando-se que o Coruchense possa também obter resultado positivo na recepção ao Sacavenense; o Alcanenense, tendo a visita do líder, Mafra, necessitará superar-se para conseguir os pontos de que tão carenciado se encontra…

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 15 de Março de 2018)

18 Março, 2018 at 12:00 pm Deixe um comentário

Liga Europa – Sorteio dos 1/4 de Final

RB Leipzig – Marseille
Arsenal – CSKA Moskva
At. Madrid – Sporting
Lazio – Salzburg

Os jogos desta eliminatória serão disputados a 5 e a 12 de Abril de 2018.

16 Março, 2018 at 1:11 pm Deixe um comentário

Liga dos Campeões – Sorteio dos 1/4 de Final

Barcelona – Roma
Sevilla – Bayern
Juventus – Real Madrid
Liverpool – Manchester City

De assinalar o duplo confronto italo-espanhol, assim como a “eliminatória inglesa”. Os jogos da primeira mão serão disputados a 3 e 4 de Abril de 2018. Por seu lado, as partidas da segunda mão estão agendadas para 10 e 11 de Abril.

16 Março, 2018 at 12:15 pm Deixe um comentário

Liga Europa – 1/8 Final (2.ª mão)

                              2ª mão       1ª mão        Total
D. Kyiv - Lazio                 0-2          2-2          2-4
Zenit - RB Leipzig              1-1          1-2          2-3
Lokomotiv Moskva - At. Madrid   1-5          0-3          1-8
Lyon - CSKA Moskva              2-3          1-0          3-3
Athletic Bilbao - Marseille     1-2          1-3          2-5
Viktoria Plzeň - Sporting       2-1 (a.p.)   0-2          2-3
Salzburg - B. Dortmund          0-0          2-1          2-1
Arsenal - AC Milan              3-1          2-0          5-1

Um clube da Alemanha, Áustria, Espanha, França, Inglaterra, Itália, Portugal e Rússia marcarão presença numa raramente bem repartida eliminatória dos 1/4 de final da Liga Europa – com a curiosidade de prosseguirem em prova as duas equipas da “Red Bull” (Leipzig e Salzburg).

Destacam-se as eliminações do AC Milan e B. Dortmund, para além do Lyon (surpreendido no seu próprio reduto, após ter vencido em Moscovo), cidade na qual será disputada a final da competição.

Por seu lado, entre os oito apurados, metade deles são clubes que haviam transitado da Liga dos Campeões: At. Madrid, CSKA Moskva, RB Leipzig e Sporting (conforme referido, apenas o B. Dortmund ficou afastado nesta eliminatória).

15 Março, 2018 at 10:59 pm Deixe um comentário

Liga dos Campeões – 1/8 Final (2.ª mão)

                              2ª mão       1ª mão        Total
Tottenham - Juventus            1-2          2-2          3-4
Manchester City - Basel         1-2          4-0          5-2
Liverpool - FC Porto            0-0          5-0          5-0
Manchester United - Sevilla     1-2          0-0          1-2
Paris St.-Germain - Real Madrid 1-2          1-3          2-5
Roma - Shakthar Donestsk        1-0          1-2          2-2
Barcelona - Chelsea             3-0          1-1          4-1
Beşiktaş - Bayern               1-3          0-5          1-8

Três equipas espanholas (com a “novidade” Sevilla), duas inglesas e duas italianas e uma alemã compõem o lote de apurados para os 1/4 de final da Liga dos Campeões.

Para além da eliminação do FC Porto, destaque para o afastamento de três clubes ingleses, assim como, em especial, para novo inêxito do Paris St.-Germain, a não conseguir rentabilizar os enormes investimentos que vem fazendo nos últimos anos.

Ficaram também pelo caminho os dois treinadores portugueses, José Mourinho (não tendo possibilidade de repetir o sucesso da temporada passada, na Liga Europa, com o Manchester United) e Paulo Fonseca (com o Shakthar a ser superado pela Roma).

14 Março, 2018 at 10:38 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 19ª Jornada

Pulsar-19

(“O Templário”, 08.03.2018)

O U. Almeirim pode estar (como está) fora da luta pelo título, mas tal não invalida que, conjuntamente com o U. Tomar, tenha proporcionado o porventura mais empolgante jogo deste campeonato, repleto de golos e com uma sensacional reviravolta no marcador! Enquanto isso, o líder tarda em conseguir dar a “estocada final” na prova, continuando a esbanjar pontos em casa, o que, mais adiante se verá, se poderá eventualmente vir ou não a ter implicações irreversíveis.

Destaques – Num desafio entre duas equipas – das melhores desta competição – que tinham sofrido um forte “desencanto” na jornada anterior, com o U. Almeirim a ficar definitivamente arredado do 1.º lugar, enquanto para o U. Tomar tal objectivo parecia ter passado a não ser mais que uma quimera, a verdade é que os almeirinenses, talvez agora libertos dessa pressão, surpreendendo, ganhavam já por 2-0 em Tomar, apenas com onze minutos de jogo!

Qualquer outra formação poderia, não dar-se imediatamente por vencida, mas ter sofrido tal abalo que a crença na vitória tivesse ficado assaz comprometida. Mas não… depois de uma fase inicial (talvez até à meia hora) de domínio dos forasteiros, os nabantinos apelaram ao sentimento de orgulho-próprio e foram em busca da felicidade. Que começaria a chegar, precisamente ao findar da primeira parte, com o golo que possibilitou reduzir para a desvantagem mínima, um ponto de viragem essencial no destino deste encontro.

Na segunda metade, tudo seria diferente: continuando a porfiar, rapidamente tendo conseguido restabelecer a igualdade a duas bolas, os tomarenses beneficiaram do facto de os adversários terem ficado reduzido a dez elementos, para consumar uma fantástica “cavalgada”, até chegar aos 4-2, com mais um “hat-trick” de Wemerson Silva. Mas, então, seria a vez dos homens de Almeirim, não virando a cara à luta, voltarem a entrar no jogo, com o terceiro golo de Persi Mamede. Numa partida de tirar o fôlego, os “rubro-negros” tiveram de sofrer até ao último segundo, para segurar a preciosa vantagem de 4-3… que os volta a recolocar na luta pelo título!

Uma coisa é certa: nesta época, até agora, o União de Tomar nada fica a dever, perante qualquer adversário, em termos de enfrentar cada jogo, assumindo sempre a responsabilidade de lutar pela conquista dos três pontos, não tendo demonstrado ser inferior a qualquer dos rivais.

Começam a faltar palavras encomiásticas para qualificar a brilhante campanha que o Ferreira do Zêzere vem protagonizando neste campeonato, desta feita, ganhando (3-1) na Ribeira de Santarém, frente aos Empregados do Comércio, ascendendo ao 4.º posto, a dois pontos do pódio, com o segundo ataque mais concretizador (41 golos) de entre todos os concorrentes!

Surpresa – Pelo terceiro jogo sucessivo no seu reduto, de forma absolutamente inesperada, o Mação volta a desperdiçar pontos: depois das derrotas ante a U. Abrantina e o Cartaxo, agora, um empate a zero ante o “aflito” Amiense; são oito pontos perdidos, que permitem que o campeonato continue bem vivo. A turma maçaense parece denotar que o seu futebol, apoiado em contra-ataques rápidos, é extremamente eficaz perante adversários da sua igualha, mas, paralelamente, vem revelando grandes dificuldades em superar os opositores teoricamente menos fortes, não conseguindo finalizar os vários “match-points” que vai tendo a nível da definição do campeonato. Por curiosidade, quando parecia que teriam de ser os competidores a “esperar” pelos resultados do líder, ao invés, é o Mação que, nas últimas oito jornadas, sempre tem “imitado” o desfecho que o U. Tomar registara na ronda imediatamente precedente!…

Confirmações – Nos restantes encontros da 19.ª jornada, os resultados confirmaram a tendência que seria expectável: Triunfos do Torres Novas (2-0, ante o bastante irregular Cartaxo), do Fazendense (por magro 1-0, na recepção à U. Abrantina) e do Samora Correia (também por inesperada marca tangencial, de 3-2, frente ao Moçarriense, no que, não obstante, constitui a quarta vitória consecutiva dos samorenses!) e igualdade a um golo entre Riachense e At. Ouriense – desfechos que, conjugados com a evolução do Nacional, parecem comprometer cada vez mais as aspirações à manutenção, por parte da U. Abrantina (agora a seis pontos da turma de Ourém), Riachense (já com nove pontos de atraso face ao 9.º classificado) e Moçarriense.

II Divisão Distrital – A Norte, o Rio Maior (batendo o Alferrarede por 5-3) e o Tramagal (ganhando por 2-1 ao Aldeiense), ampliando para nove pontos a sua vantagem sobre o duo que partilha a 3.ª posição (U. Atalaiense e Aldeiense) garantiram, desde já, ainda com três jornadas por disputar, a presença na fase de apuramento de Campeão e de promoção. Para a vaga restante, surge, vindo de trás, o Pego (vencedor por 3-0, em Caxarias), somente a três pontos do 3.º lugar.

A Sul, o Marinhais superou com distinção o primeiro teste como líder, goleando por 4-0 na deslocação ao terreno do “lanterna vermelha”, Forense. Igualmente bem está o U. Santarém (2.º), que foi vencer à Barrosa, por 2-0. Com o adiamento do Benfica do Ribatejo-Glória do Ribatejo, por falta de policiamento, a turma da Glória, que liderou durante larga fase da prova, vê-se relegada para o 4.º posto, a um ponto do Benavente, embora com dois jogos a menos.

Campeonato de Portugal – Alcanena e Fátima “empataram-se” mutuamente (1-1), enquanto o Coruchense não evitou novo desaire (0-1, em Loures), o que resultou na delicada situação de todos os três clubes representantes do Distrito se encontrarem agora abaixo da “linha de água”… Se, para o Fátima e Coruchense (talvez mais o primeiro, pela evolução que vem tendo), as distâncias de dois e três pontos para o 10.º lugar (três e quatro pontos para o 9.º) poderão ser ainda recuperáveis, o atraso do conjunto de Alcanena, já a sete pontos de tal linha divisória começa a parecer “irrevogável”, quando restam sete jornadas neste disputado campeonato.

Antevisão – Na I Divisão Distrital, o Mação volta a ter ocasião soberana para consolidar a sua candidatura ao título, recebendo o “lanterna vermelha”, já praticamente sentenciado, Empregados do Comércio, ao passo que o vice-líder, U. Tomar tem mais uma difícil saída, a Amiais de Baixo; o Fazendense visita outro grupo muito carenciado de pontos, Moçarriense.

No escalão secundário, haverá folga a Norte, apenas se disputando a jornada (18.ª) da série a Sul, destacando-se o Glória do Ribatejo-Benavente, que poderá ser determinante na definição dos apurados para a fase final, sem que o guia, Marinhais, possa descansar ante o Pontével.

No Nacional, teremos uma ronda de confrontos de extrema importância: o Fátima, recebendo o 10.º classificado, Pêro Pinheiro; enquanto o Coruchense visita o 9.º, Sintrense; cabendo ao Alcanenense deslocar-se a Ponte de Sôr, onde encontra o penúltimo classificado, Eléctrico.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 8 de Março de 2018)

11 Março, 2018 at 12:00 pm Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos Artigos mais recentes


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Abril 2018
S T Q Q S S D
« Mar    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.