Liga dos Campeões – 5ª Jornada (Beşiktaş – Benfica)

At. MadridBeşiktaş – Fabri Ramírez, Gökhan Gönül (45m – Cenk Tosun), Marcelo, Duško Tošić (60m – Atinc Nukan), Andreas Beck, Ricardo Quaresma, Tolgay Arslan (45m – Gokhan Inler), Atiba Hutchinson, Adriano, Oğuzhan Özyakup e Vincent Aboubakar

BenficaBenfica – Ederson Moraes, Nélson Semedo, Luisão, Victor Lindelöf, Eliseu, Eduardo Salvio, Pizzi, Ljubomir Fejsa, Franco Cervi (64m – Rafa Silva), Gonçalo Guedes (75m – Andreas Samaris) e Kostas Mitroglou (86m – Raúl Jiménez)

0-1 – Gonçalo Guedes – 10m
0-2 – Nélson Semedo – 25m
0-3 – Ljubomir Fejsa – 31m
1-3 – Cenk Tosun – 58m
2-3 – Ricardo Quaresma (pen.) – 83m
3-3 – Vincent Aboubakar – 89m

Cartões amarelos – Tolgay Arslan (29m) e Vincent Aboubakar (90m); Pizzi (34m) e Luisão (77m)

Árbitro – Damir Skomina (Eslovénia)

É tradicional do jargão futebolístico a célebre referência ao facto de os jogos terem duas partes distintas. Uma máxima que foi levada ao extremo neste encontro.

Que, desde cedo, pareceu oferecer ao Benfica inesperadas facilidades, quando, no curto intervalo de apenas cerca de 20 minutos, e apenas com pouco mais de meia hora decorrida de jogo, na sequência de uma exibição avassaladora, na sua ofensiva, chegou a uma confortável… e que se esperava absolutamente tranquila e definitiva vantagem de 3-0 (tendo ainda desperdiçado outra soberana ocasião de golo, com um remate ao poste), tendo o terceiro golo surgido na sequência de um absolutamente incrível lance: um primeiro cabeceamento de Mitroglou à trave, na recarga o grego a cabecear outra vez à trave, na segunda recarga, Salvio, também de cabeça, a acertar no poste, até que, enfim, na terceira recarga, Fejsa rematou para o fundo da baliza.

Um lance bem ilustrativo da apatia até então revelada pelo conjunto turco, a deixar que os jogadores do Benfica ganhassem todos os lances de antecipação.

Para o segundo tempo, perante a imagem que ambas as equipas haviam transmitido na metade inicial, a expectativa seria a de que o resultado se viesse ainda a avolumar a favor da formação portuguesa, convertendo-se numa goleada histórica…

Um engano crasso. Depois de cerca de uma hora em que controlou por completo o jogo, a equipa portuguesa, como que assustada, desunir-se-ia logo após ter sofrido o primeiro golo, não conseguindo suster a reacção da formação turca, impulsionada pelo seu público, com uma deliberada aposta no ataque, após a entrada em campo de Tosun (substituindo o lateral direito) e de Inler, logo no recomeço do desafio.

Infelizmente, Mitroglou acabara de desperdiçar, escassos momentos antes, o que seria o quarto tento benfiquista, isolado face ao guarda-redes, mas a rematar ligeiramente ao lado.

Ao invés, o Benfica, recuando no terreno, incapaz de construir jogo – ou, sequer, de concretizar um único lance de contra-ataque -, viria ainda, a um quarto de hora do final, com a substituição de Gonçalo Guedes por Andreas Samaris, a transmitir às duas equipas um mesmo sinal, pese embora de duplo sentido: para os portugueses, que era tempo de defender, paradoxalmente, na zona do campo onde tem revelado maiores dificuldades; para o Besiktas, um verdadeiro convite ao derradeiro “assalto”, instalando-se de forma permanente nas imediações da grande área contrária.

E, quando Ricardo Quaresma, na conversão de uma grande penalidade- resultante de um erro capital da defesa, com Lindelöf a abordar o lance com os braços abertos, não evitando o contacto com a bola -, já dentro dos dez minutos finais da partida, reduziu para a desvantagem mínima, desde logo se receou o pior… que acabaria por vir a confirmar-se praticamente no derradeiro minuto.

Repetia-se o “filme” que fora já “exibido” no Estádio da Luz, com o Benfica a deixar escapar duas vitórias que parecia ter “na mão”, o que poderá ter custos elevadíssimos.

Passando de uma posição em que chegou a ter, durante largo período, o apuramento “garantido”, ao ceder a igualdade, o Benfica – não obstante continue a depender de si próprio – enfrenta agora uma partida final, quase que “a eliminar”, ante o Napoli, caso o Besiktas vença na Ucrânia. O cenário será bem mais favorável caso a formação turca não consiga vencer, o que, desde logo, qualificará portugueses e italianos para os 1/8 de final da Liga dos Campeões.

23 Novembro, 2016 at 8:37 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – Taça do Ribatejo – 2ª Jornada

pulsar-tacaribatejo-2

(“O Templário”, 17.11.2016)

Numa breve pausa nos campeonatos distritais, disputou-se no passado fim-de-semana a 2.ª ronda da fase de grupos da Taça do Ribatejo, proporcionando desde já o apuramento de metade dos clubes que avançarão para os 1/8 de final da Taça do Ribatejo, tendo todos eles vencido as duas partidas já realizadas na presente edição da prova: os primodivisionários U. Tomar, Pego, U. Almeirim, Cartaxo e Coruchense, e três equipas do escalão secundário: U. Abrantina, Glória do Ribatejo e Moçarriense.

Destaques – O principal destaque desta jornada vai para a estrondosa goleada – por números que “já não se usam” –, com que o At. Ouriense “brindou” o Alferrarede, ao ganhar por rotunda marca de 10-0!

Nos dois únicos confrontos entre equipas da I Divisão Distrital, realce para o triunfo do Benavente na Ribeira de Santarém, frente aos Empregados do Comércio, por 3-2 – numa partida que colocava frente a frente os dois últimos classificados do campeonato –, assim contribuindo para o agravar da crise dos “Caixeiros”, agora com uma série de cinco desaires sucessivos; por seu lado, na “repetição” do encontro entre Fazendense e Samora Correia, depois de terem defrontado na semana anterior, em jogo do campeonato (com vitória do grupo das Fazendas por 3-1), não foram, desta feita, além do nulo, um desfecho que deixa tudo em aberto quanto ao apuramento, a decidir apenas na derradeira ronda.

Por seu lado, nos encontros entre conjuntos da II Divisão, realce para a vitória da U. Abrantina em Caxarias (2-0), reafirmando o seu potencial, assim como para o triunfo da Glória do Ribatejo no Porto Alto (3-1), e, ainda, do Moçarriense, em Santarém, frente ao União local (2-1), num “derby” do município escalabitano.

Confirmações – Nos desafios entre equipas de escalão diferente, os grupos da I Divisão confirmaram o seu favoritismo, com menção especial às goleadas averbadas pelo Torres Novas (5-0 ao Tramagal, num clássico, entre dois clubes históricos do Distrito), Coruchense (5-0, frente ao Barrosense), Mação (4-0 ao U. Atalaiense), Amiense (4-1 na recepção ao Rio Maior), Pego (3-0, no terreno do Aldeiense) e Riachense (3-0, no campo do Espinheirense, ainda assim um desfecho não tão desequilibrado como se poderia esperar, da parte do líder do campeonato).

Mais dificuldades experimentaram os restantes três clubes, que não foram além de sofridas vitórias tangenciais: o União de Tomar, numa curta deslocação a Ferreira do Zêzere, mercê de um solitário tento apontado por Pelé, já no quarto de hora final do jogo, numa partida em que aproveitou para rodar alguns elementos menos utilizados; o U. Almeirim “viu-se e desejou-se” para levar de vencida o Benfica do Ribatejo, ganhando “in-extremis”, por 3-2; por fim, o Cartaxo venceu no terreno do líder da Zona Sul da II Divisão Distrital, Marinhais, por 2-1.

No jogo sobrante, entre duas equipas dessa mesma série, curiosamente igualadas na classificação, o Vale da Pedra impôs-se por clara margem de 3-0 frente ao Forense.

Para além dos oito clubes já apurados, existem outros em posição bastante vantajosa para garantir a qualificação, na ronda final, a disputar apenas a 22 de Janeiro de 2017, nomeadamente: Amiense (visita o Aldeiense), Mação (recebe o At. Ouriense, e, desde que não perca, pode até deixar de fora a formação de Ourém, pese embora a goleada de 10-0 agora obtida…), Riachense (recebe o Tramagal) e U. Santarém (recebe o Vale da Pedra).

Campeonato de Portugal – Na abertura da segunda volta desta primeira fase da prova, defrontando em ambos os casos os anteriores líderes das respectivas séries, as equipas do Distrito alcançaram resultados bem positivos: melhor o do Fátima, batendo o Operário de Lagoa por 1-0, mantendo a 3.ª posição, podendo inclusivamente, em caso de vitória na partida que mantém em atraso, igualar o guia, outra vez o Sertanense; quanto ao Alcanenense, empatou a zero com o Praiense, tendo baixado ao 5.º posto, agora com a vantagem face à “linha de água” a reduzir-se a apenas quatro pontos.

Antevisão – No próximo fim-de-semana, regressam os campeonatos distritais e logo com um “escaldante” duelo entre os dois principais candidatos ao título, com o Riachense a receber o Coruchense, podendo, em caso de vitória, garantir desde já relevante vantagem pontual.

Num jogo entre duas equipas que parecem vir perdendo algum do “élan” inicial, o Samora Correia terá a visita do Mação. Também de interesse será o confronto entre Amiense e At. Ouriense, em ordem a avaliar até que ponto a revigorada formação de Ourém poderá contrariar o favoritismo do adversário.

Os Empregados do Comércio, recebendo o Fazendense, terão um desafio importantíssimo para o seu futuro na competição, necessitando pontuar para colocar termo ao terrível ciclo que vêm passando. Por fim, o União de Tomar viaja até Benavente, onde defrontará um oponente que, seguramente, vale mais do que a posição de “lanterna vermelha” pode deixar transparecer.

Na II Divisão Distrital, o realce vai para os seguintes encontros: Caxarias-Rio Maior e Espinheirense-U. Abrantina, a Norte; e um aliciante “derby” Glória do Ribatejo-Marinhais, para além do Moçarriense-Barrosense, na série mais a Sul.

Por seu lado, é agora a vez de ser o Campeonato de Portugal a sofrer uma breve interrupção, por razão da disputa dos 1/16 de final da Taça de Portugal (prova em que se subsistem a Sanjoanense, B. C. Branco, Torreense, Vilafranquense, Real, Oriental, Aljustrelense e Praiense), “folga” que o Fátima aproveitará para realizar a partida de acerto de calendário, com mais uma difícil deslocação aos Açores, para defrontar o Sp. Ideal (actual 6.º classificado).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 17 de Novembro de 2016)

20 Novembro, 2016 at 11:00 am Deixe um comentário

Portugal – Letónia (Mundial 2018 – Qualif.)

Portugal Portugal – Rui Patrício, João Cancelo, José Fonte, Bruno Alves, Raphaël Guerreiro, William Carvalho, Nani (65m – Ricardo Quaresma), João Mário (71m – Gelson Martins), André Gomes (87m – Renato Sanches), Cristiano Ronaldo e André Silva

Letónia Letónia – Andris Vaņins,Gints Freimanis,Vitālijs Jagodinskis, Kaspars Gorkšs, Vitālijs Maksimenko, Vladislavs Gabovs, Igors Tarasovs, Oļegs Laizāns, Glebs Kļuškins (79m – Aleksejs Višņakovs), Artjoms Rudņevs (87m – Vladislavs Gutkovskis) e Dāvis Ikaunieks (59m – Artūrs Zjuzins)

1-0 – Cristiano Ronaldo (pen.) – 28m
1-1 – Artūrs Zjuzins – 67m
2-1 – William Carvalho – 70m
3-1 – Cristiano Ronaldo – 85m
4-1 – Bruno Alves – 90m

Cartões amarelos – André Gomes (16m); Glebs Kļuškins (14m), Vitālijs Maksimenko (26m), Kaspars Gorkšs (53m) e Vladislavs Gabovs (76m)

Árbitro – Bobby Madden (Escócia)

Num daqueles casos em que o resultado foi melhor que a exibição, os Campeões Europeus obtiveram mais uma goleada (a terceira sucessiva), mas não evitaram passar por um pequeno susto.

Defrontando uma equipa bastante fechada na sua zona defensiva, a selecção nacional começou por experimentar bastantes dificuldades para conseguir ultrapassar esse bloqueio, apenas tendo chegado ao golo por via de uma grande penalidade.

Apenas muito raramente saindo do seu meio-campo, a Letónia provocaria, não obstante, uma situação de perigo, na sequência de um pontapé de canto, a obrigar o concentrado Rui Patrício a difícil intervenção.

Até final do primeiro tempo, mesmo em vantagem, a equipa portuguesa não encontraria facilidades, com os letões a não desarmarem a sua barreira defensiva.

No início do segundo tempo, Portugal parecia pretender reforçar a sua dinâmica ofensiva,mas sem sucesso. Ao invés, viria mesmo a ser surpreendido, com o tento do empate, que podia ter feito a equipa “tremer”, ao mesmo tempo que tinha o efeito de motivar ainda mais o adversário para procurar conservar tão precioso resultado.

Felizmente, a situação resolver-se-ia praticamente de imediato, com a obtenção do segundo golo, com a selecção nacional então a beneficiar já da acção de Ricardo Quaresma.

Até final, os letões acabariam por baixar a guarda, vindo ainda a sofrer mais dois tentos nos derradeiros cinco minutos da partida, ampliando a marca para um desfecho que apenas ilusoriamente parece espelhar inexistentes facilidades.

Em qualquer caso, Portugal prossegue a sua trajectória vitoriosa, à medida que vai ampliando a vantagem na diferença de golos face ao adversário directo (Suíça), continuando a depender de si próprio, mas numa caminhada que subsiste sem margem para erro.

GRUPO B        Jg   V   E   D     G    Pt
1º Suíça        4   4   -   -   9 - 3  12
2º Portugal     4   3   -   1  16 - 3   9
3º Hungria      4   2   1   1   8 - 3   7
4º I. Faroé     4   1   1   2   2 - 8   4
5º Letónia      4   1   -   3   2 - 8   3
6º Andorra      4   -   -   4   1 -13   -

4ª jornada

13.11.2016 – Hungria – Andorra – 4-0
13.11.2016 – Suíça – I. Faroé – 2-0
13.11.2016 – Portugal – Letónia – 4-1

(mais…)

13 Novembro, 2016 at 10:34 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 9ª Jornada

pulsar-9

(“O Templário”, 10.11.2016)

Na ronda imediata após ter ascendido ao comando do campeonato, o Riachense, enfrentando uma “prova de fogo”, deu cabal resposta, afirmando a sua liderança, goleando no terreno do Cartaxo, enquanto, por seu lado, o Coruchense, ainda a procurar recompor-se do desaire ante o União de Tomar, denotou inesperadas dificuldades para marcar um golo ao “lanterna vermelha”.

Em qualquer caso, em função do nulo registado em Tomar, na recepção ao Amiense, e da derrota do Samora Correia, os dois principais candidatos ao título ampliaram a vantagem sobre os seus mais directos perseguidores.

Destaques – O maior destaque desta jornada vai precisamente para o categórico triunfo averbado pela formação dos Riachos na deslocação ao Cartaxo, impondo-se por 5-3, depois de, inclusivamente, ter chegado a dispor de vantagem de 5-1. Uma exibição muito afirmativa, a demonstrar um potencial de alto nível, obtendo um resultado que não estará certamente ao alcance de mais nenhum concorrente. A confirmação de uma sólida candidatura ao título, curiosamente em contraponto a uma fase em que o seu principal rival nessa disputa parece atravessar fase menos exuberante. Por seu lado, o Cartaxo, compreensivelmente aquém do desempenho da época passada, vem revelando contudo inesperadas dificuldades para se afastar da zona perigosa da classificação.

Realce também para a vitória do Fazendense sobre o Samora Correia (3-1), com a formação samorense a sofrer a segunda derrota (ambas nos três últimos jogos), começando a baixar na tabela, ao invés do que sucede com o conjunto de Fazendas de Almeirim, que, sem grandes alardes, vai fazendo o seu percurso, subindo na classificação, aproximando-se dos lugares da frente (é agora 6.º classificado, a três pontos do duo formado por U. Tomar e Samora Correia).

O At. Ouriense, na recepção aos Empregados do Comércio, num desafio entre “aflitos”, rivais directos na fuga aos lugares da cauda da tabela, conseguiu superar a marca com que vencera este mesmo adversário nas duas últimas vezes que se tinham defrontado em Ourém (3-0), goleando, desta feita, por 4-0. Para a equipa da casa, um desfecho que poderá motivar o grupo para melhorar o respectivo desempenho, pese embora se mantenha em zona de risco; para os “Caixeiros”, um resultado a fazer ampliar os motivos de preocupação, agora que caiu no penúltimo lugar da pauta classificativa, portanto em posição de despromoção, tendo averbado somente duas vitórias nas nove partidas já disputadas, nas quais soma já sete derrotas (as quatro últimas de forma consecutiva).

Surpresas – Pese embora tenha confirmado a sua forte propensão para obter bons resultados em Mação (nos últimos sete jogos disputados em Mação, o Torres Novas vencera por cinco vezes), a principal surpresa da jornada foi o triunfo dos torrejanos frente aos maçaenses, por 2-0, permitindo ao Torres Novas começar a “respirar” melhor, tendo subido ao 11.º posto. Ao invés, o Mação confirma uma fase negativa, sofrendo a sua terceira derrota sucessiva, o que lhe custa distar já, precisamente, nove pontos do líder, tendo baixado entretanto à 7.ª posição.

A outra “meia-surpresa” aconteceu no Pego, com a vitória dos visitados sobre o U. Almeirim (1-0), com os pegachos a confirmar que, no seu reduto, constituirão um adversário difícil de bater, enquanto os almeirinenses começam a desiludir, em relação às expectativas que haviam sido criadas no início da temporada, curiosamente partilhando agora com o adversário desta jornada o 8.º e 9.º lugares.

Confirmações – O Coruchense confirmou – não sem dificuldade – o natural favoritismo que lhe era atribuído, recebendo e batendo o Benavente, mercê de um tangencial 1-0.

Por fim, em Tomar, União e Amiense “encaixaram”, numa partida sem grandes ocasiões de golo, não tendo os unionistas – tal como sucedera ante o Samora Correia – conseguido desfazer o nulo, que acaba por se ajustar ao desempenho das duas equipas, o que proporciona ao conjunto de Amiais de Baixo manter o 3.º lugar, com o União de Tomar agora em 4.º, ampliando, não obstante, a fantástica série de inviolabilidade das suas redes em jogos para o campeonato em casa, já com 12 encontros sem consentir qualquer golo, datando o(s) último(s) tentos sofridos de 20 de Dezembro do ano passado, há quase 11 meses!

II Divisão Distrital – No distrital da II Divisão, tivemos, na série A, uma jornada de goleadas: 8-1 no U. Abrantina-Aldeiense; 5-0 no Rio Maior-Espinheirense, e 1-4 no U. Atalaiense-Caxarias, excelente resultado da turma de Caxarias, que ocupa o 2.º posto, a dois pontos do líder, Ferreira do Zêzere. Na série B, destaca-se a derrota do U. Santarém em Benfica do Ribatejo (2-1); beneficiando de tal desfecho, e pese embora não tenha ido além do empate (1-1) na recepção ao Moçarriense, o Marinhais isolou-se no comando.

Campeonato de Portugal – Já a fechar a primeira volta da prova, o Fátima, agora com novo treinador, obteve excelente triunfo (1-0) na Sertã, face ao anterior líder, Sertanense. Por seu lado, o Alcanenense foi batido nas Caldas da Rainha, perdendo por 0-2. Ambos os clubes representativos do Distrito ocupam a 4.ª posição nas respectivas séries.

Antevisão – No próximo fim-de-semana, o Distrital sofre breve pausa, para disputa da 2.ª ronda da fase de Grupos da Taça do Ribatejo, em que se destacam os seguintes jogos: Fazendense-Samora Correia (que “bisam” o encontro da semana passada), o “derby” U. Santarém-Moçarriense, o Empregados do Comércio-Benavente e o Ferreira do Zêzere-União de Tomar.

No Campeonato de Portugal, depois de ganhar no terreno do anterior líder, o Fátima recebe agora, a abrir a segunda volta, o novo guia, Operário de Lagoa (Açores); por coincidência, também ao Alcanenense caberá receber o comandante da sua série, o Praiense, igualmente dos Açores.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 10 de Novembro de 2016)

13 Novembro, 2016 at 11:00 am Deixe um comentário

Leonard Cohen (1934-2016)

11 Novembro, 2016 at 11:54 am Deixe um comentário

Eleições Presidenciais EUA – Resultados


Click the map to create your own at 270toWin.com
     Estado         H. Clinton  D. Trump   Grandes Eleitores
Resultados apurados (provisórios)
  Alabama               34,6      62,9       -     9      Donald Trump
  Alaska                37,6      53,0       -     3      Donald Trump
  Arizona               45,3      49,6       -    11      Donald Trump
  Arkansas              33,8      60,4       -     6      Donald Trump
  California            61,5      33,2      55     -  Hillary Clinton
  Colorado              46,9      44,8       9     -  Hillary Clinton
  Connecticut           53,9      41,7       7     -  Hillary Clinton
  Delaware              53,4      41,9       3     -  Hillary Clinton
  District Columbia     92,8       4,1       3     -  Hillary Clinton
  Florida               47,8      49,1       -    29      Donald Trump  
  Georgia               45,6      51,3       -    16      Donald Trump
  Hawaii                62,2      30,0       4     -  Hillary Clinton
  Idaho                 27,6      59,2       -     4      Donald Trump
  Illinois              55,4      39,4      20     -  Hillary Clinton
  Indiana               37,9      57,2       -    11      Donald Trump
  Iowa                  42,2      51,8       -     6      Donald Trump
  Kansas                36,2      57,2       -     6      Donald Trump
  Kentucky              32,7      62,5       -     8      Donald Trump
  Louisiana             38,4      58,1       -     8      Donald Trump
  Maine                 47,8      45,1       3     1  Hillary Clinton
  Maryland              60,5      35,3      10     -  Hillary Clinton
  Massachusetts         60,8      33,5      11     -  Hillary Clinton
  Michigan              47,3      47,6       -    16      Donald Trump
  Minnesota             46,8      45,4      10     -  Hillary Clinton
  Mississippi           39,8      58,3       -     6      Donald Trump
  Missouri              38,0      57,1       -    10      Donald Trump
  Montana               36,0      56,5       -     3      Donald Trump
  Nebraska              34,0      60,3       -     5      Donald Trump
  Nevada                47,9      45,5       6     -  Hillary Clinton
  New Hampshire         47,5      47,3       4     -  Hillary Clinton
  New Jersey            54,8      42,0      14     -  Hillary Clinton
  New Mexico            48,3      40,0       5     -  Hillary Clinton
  New York              58,8      37,5      29     -  Hillary Clinton
  North Carolina        46,7      50,5       -    15      Donald Trump
  North Dakota          27,8      64,1       -     3      Donald Trump
  Ohio                  43,5      52,1       -    18      Donald Trump
  Oklahoma              28,9      65,3       -     7      Donald Trump
  Oregon                51,9      40,9       7     -  Hillary Clinton
  Pennsylvania          47,6      48,8       -    20      Donald Trump
  Rhode Island          54,9      40,3       4     -  Hillary Clinton
  South Carolina        40,8      54,9       -     9      Donald Trump
  South Dakota          31,7      61,5       -     3      Donald Trump
  Tennessee             34,9      61,1       -    11      Donald Trump
  Texas                 43,4      52,7       -    38      Donald Trump
  Utah                  27,8      46,8       -     6      Donald Trump
  Vermont               61,1      32,6       3     -  Hillary Clinton
  Virginia              49,9      45,0      13     -  Hillary Clinton
  Washington            56,3      37,8      12     -  Hillary Clinton
  West Virginia         26,5      68,7       -     5      Donald Trump
  Wisconsin             46,9      47,9       -    10      Donald Trump
  Wyoming               22,5      70,1       -     3      Donald Trump
    Total               47,7      47,5     232   306      Donald Trump

Nesta altura, Hillary Clinton soma um total de 59.796.778 votos, face a 59.590.299 votos de Donald Trump, registando portanto uma votação superior no voto popular, em termos globais, sendo penalizada pela perda de Estados tradicionalmente de tendência democrata, como são os casos da Pennsylvania, Michigan ou Wisconsin.

9 Novembro, 2016 at 11:57 pm Deixe um comentário

Donald Trump eleito Presidente dos EUA

donald-trumpConfirmando a tendência que se foi desenhando e consolidando ao longo da noite, vencendo a maior parte dos “Battle States”, Donald Trump garantiu a eleição como Presidente dos Estados Unidos da América, contrariando as expectativas que decorriam das sondagens, contando nesta altura (8h30 da manhã) com uma vantagem de 279 – 218 a nível de “Grandes Eleitores” – quando falta apenas definir o vencedor nos Estados do Arizona (11), Michigan (16), Minnesota (10) e New Hampshire (4).


Click the map to create your own at 270toWin.com

Foi a seguinte a repartição de triunfos por Estado:

  • Donald Trump  – 279 “Grandes Eleitores” / 28 Estados: Alabama (9), Alaska (3), Arkansas (6), Florida (29), Georgia (16), Idaho (4), Indiana (11), Iowa (6), Kansas (6), Kentucky (8), Louisiana (8), Mississippi (6), Missouri (10), Montana (3), Nebraska (5), North Carolina (15), North Dakota (3), Ohio (18), Oklahoma (7), Pennsylvania (20), South Carolina (9), South Dakota (3), Tennessee (11), Texas (38), Utah (6), West Virginia (5), Wisconsin (10) e Wyoming (3), tendo ainda direito a 1 dos “Grandes Eleitores” do Maine. Se se confirmarem as projectadas vitórias também no Arizona (11) e no Michigan (16), atingirá um total de 306 “Grandes Eleitores”.
  • Hillary Clinton – 218 “Grandes Eleitores” / 18 Estados: California (55), Colorado (9), Connecticut (7), Delaware (3), Hawaii (4), Illinois (20), Maine (3), Maryland (10), Massachussetts (11), Nevada (6), New Jersey (14), New Mexico (5), New York (29), Oregon (7), Rhode Island (4), Vermont (3), Virgínia (13) e Washington (12); para além do District of Columbia (3). Se se confirmarem as projectadas vitórias também no Minnesota (10) e no New Hampshire (4), atingirá um total de 232 “Grandes Eleitores”

As vitórias de Trump na Florida, Ohio e, ainda, na Pennsylvania, Wisconsin (e, previsivelmente, no Michigan) – por inesperadas -, foram determinantes para este desfecho.

Em termos globais, Donald Trump soma, nesta altura, um total de 57.992.701 votos (47,8%), contra 57.421.153 votos (47,4%) de Hillary Clinton.

9 Novembro, 2016 at 8:43 am Deixe um comentário

Donald Trump quase vencedor


Click the map to create your own at 270toWin.com

 

Às 6 da manhã, Donald Trump garantiu já 248 “Grandes Eleitores” – contra apenas 215 de Hillary Clinton -, podendo projectar-se que chegará aos 305 (233 para Hillary Clinton.

Tendo confirmado as vitórias em Estados cruciais como a Florida (29) e Ohio (18), devendo confirmar o triunfo também no Arizona (11), o grande ponto de viragem centra-se na Pennsylvania (20), no Michigan (16) e no Wisconsin (10), três Estados em que se projectava o triunfo de Hillary Clinton (que, ainda assim, se espera possa vencer no Minnesota (10), Maine (4) e New Hampshire (4).

Para que Trump confirme a vitória, bastar-lhe-á vencer na Pennsylvania, onde, nesta altura, com 98% dos votos contados, lidera com 48,7% face a 47,8% de Hillary Clinton; ou, alternativamente, no Michigan (com 85% dos votos contados, Trump lidera com 48,4%, face a 46,4%.

9 Novembro, 2016 at 7:15 am Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos Artigos mais recentes


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Dezembro 2016
M T W T F S S
« Nov    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

  • RT @2010MisterChip: Más supervivientes en comp. europeas (UCL+UEL): 🇪🇸🇪🇸🇪🇸🇪🇸🇪🇸🇪🇸🇪🇸 🇩🇪🇩🇪🇩🇪🇩🇪🇩🇪 🇬🇧🇬🇧🇬🇧🇬🇧🇬🇧 🇮🇹🇮🇹🇮🇹🇮🇹 🇫🇷🇫🇷🇫🇷🇫🇷 🇧🇪🇧🇪🇧🇪 🇷🇺🇷🇺🇷🇺… 4 hours ago
  • RT @guardian: John Glenn, first US astronaut to orbit Earth, dies aged 95 trib.al/q8i3LJ3 7 hours ago
  • RT @B24pt: Chapecoense acrescenta duas estrelas ao emblema como homenagem às vítimas e para assinalar a conquista da Taça Sul-Americana. ht… 8 hours ago

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.