O Pulsar do Campeonato – 8ª Jornada

Pulsar-08

(“O Templário”, 23.11.2017)

No jogo grande da 8.ª ronda do Distrital da I Divisão, o Mação, recebendo o União de Tomar, somou segundo empate sucessivo; não obstante, beneficiou da derrota do Torres Novas para ampliar a sua vantagem na liderança, agora de quatro pontos, face a torrejanos e a uma equipa do Fazendense que tem vindo a subir na tabela, a par dos maçaenses a única que mantém a invencibilidade na prova, num campeonato que promete ainda muita animação.

Destaques – O principal realce vai precisamente para o triunfo do Fazendense no Cartaxo (2-1), no que traduz o terceiro desaire caseiro dos cartaxeiros em outros tantos jogos disputados! Por seu lado, a turma de Fazendas de Almeirim, com um desempenho muito regular, até agora similar em casa e fora do seu reduto (2 vitórias e 2 empates), aproximou-se do topo, ascendendo ao 2.º lugar, curiosamente com o mesmo número de golos marcados e sofridos que o líder.

Outro grande destaque vai para mais uma vitória (1-0) – a quarta consecutiva, na que será a melhor série de sempre do clube no principal escalão – do Ferreira do Zêzere, desta feita em Abrantes, ante a U. Abrantina (que vinha de um triunfo em Riachos), o que lhe possibilitou ascender a uma magnífica 6.ª posição na pauta classificativa, somente a três pontos do 2.º posto!

Merece ainda um sublinhado particular a goleada (6-0) imposta pelo At. Ouriense, na recepção aos Empregados do Comércio, uma equipa que vinha de um empate frente ao comandante, mas que tem alternado bons resultados com outros menos conseguidos. Confirmou-se a tendência de anos anteriores, com os Caixeiros a sofrerem a quarta goleada em Ourém em quatro jogos.

Confirmações – Nas outras quatro partidas, os desfechos verificados podem enquadrar-se dentro do que seria expectável.

Desde logo, em Mação, frente ao líder, o U. Tomar uma vez mais demonstrou não ser inferior a qualquer adversário neste campeonato. Contudo, tal continua a não ser patente na tabela, tendo os unionistas baixado agora a um modesto 8.º lugar (a par do Amiense), somando apenas metade dos pontos até agora em disputa. Num desafio que podia marcar o relançar dos tomarenses no campeonato – que continuam sem vitórias em terreno alheio, após quatro jogos –, o melhor que foi possível foi o empate, alcançado já na fase final do encontro, apesar de ter havido ainda possibilidade para chegar ao triunfo, no 6.º minuto do tempo de compensação…

Por agora, uma igualdade (1-1) que serviu bem melhor os interesses dos maçaenses, que não só mantêm distâncias, como, inclusivamente, ampliaram a vantagem face aos rivais mais próximos (Torres Novas e Samora Correia foram ambos derrotados). Mas o campeonato é longo e o pelotão de perseguidores é vasto, com nada menos de oito clubes (do 2.º ao 9.º classificado) concentrados num intervalo de apenas quatro pontos!

Em Almeirim, o União local regressou às vitórias, batendo o Samora Correia por 2-0, subindo assim ao 4.º posto, somente um ponto abaixo do duo que reparte a 2.ª posição, tendo ultrapassado, precisamente, os samorenses, que caíram dois lugares, para 5.º.

O Amiense, recebendo o Torres Novas, conseguiu enfim pôr cobro a um ciclo de quatro derrotas consecutivas, ganhando também por 2-0, igualando o União de Tomar na classificação.

Por fim, na Moçarria, os donos da casa alcançaram o primeiro triunfo no campeonato (2-1), agravando ainda mais a já delicada situação do Riachense, “lanterna vermelha”, agora a cinco pontos da “linha de água”, acima da qual se posicionou o seu opositor desta jornada. Se excluirmos o Cartaxo desta disputa, poderá começar a antever-se que a luta pela manutenção será, pelo campeonato adiante, o “dia-a-dia” do quarteto actualmente na cauda da tabela, incluindo, para além de Moçarriense e Riachense, também os Caixeiros e a U. Abrantina.

II Divisão Distrital – Na série mais a Norte, o principal realce vai para o Tramagal, goleando o Espinheirense por 3-0, somando o quarto triunfo sucessivo, tendo-se isolado na liderança, com o pleno de pontos, beneficiando ainda do empate do Aldeiense (2-2) com o Rio Maior.

A Sul, já na 6.ª jornada, o Benavente foi vencer a Salvaterra (2-0), mantendo o comando, três pontos acima do Glória do Ribatejo (que goleou também por 3-0 o Benfica do Ribatejo), equipa que regista um jogo a menos. De assinalar ainda a vitória (3-1) obtida pelo Barrosense em Santarém, ante o União local, mantendo assim a 3.ª posição nesta série.

Antevisão – Na I Divisão Distrital, a 9.ª jornada “promete”, em especial com duas partidas em que se defrontarão os actuais quatro primeiros classificados!

O guia, Mação, terá mais um sério teste, visitando Torres Novas, para defrontar um dos seus mais próximos rivais na tabela, não sendo todavia expectável que possa vir a ver quebrada a sua invencibilidade na prova. Por outro lado, destaque também para o “derby” Fazendense-U. Almeirim, respectivamente no 2.º e 4.º lugar, separados por apenas um ponto, um desafio que poderá dar também indicações sobre as aspirações futuras de cada uma destas formações.

O União de Tomar terá nova oportunidade para, na deslocação à Ribeira de Santarém, frente aos Empregados do Comércio, procurar chegar ao primeiro triunfo “fora de portas”.

Na II Divisão, a Norte, o Tramagal tem outro encontro de grau de dificuldade elevado, recebendo a U. Atalaiense, enquanto o Aldeiense visita Caxarias. A Sul, o “jogo grande” é, justamente, o que coloca frente-a-frente os dois primeiros: Benavente-Glória do Ribatejo.

No Campeonato de Portugal, de regresso após a pausa para disputa da Taça de Portugal (já sem representantes do Distrito), teremos, agora sim, o aliciante confronto entre Coruchense-Fátima, enquanto o Alcanenense recebe o Lusitânia (Açores), na expectativa de poder voltar às vitórias.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 23 de Novembro de 2017)

Anúncios

26 Novembro, 2017 at 12:00 pm Deixe um comentário

Pedro Rolo Duarte (1964-2017)

Passaram quase dez anos, mas, hoje, nestas infelizes circunstâncias – em que levei como que um enorme “soco no estômago”, um forte abalo, um sentimento de profunda injustiça, pela triste e inesperada notícia – é inevitável recordar Pedro Rolo Duarte e, em particular, o momento que com ele tive o privilégio de partilhar.

Meu contemporâneo no Liceu Camões – dois anos mais à frente -, o nome de Pedro Rolo Duarte cedo emergeria no panorama do jornalismo e da cultura em Portugal, tornando-se numa das suas figuras mais mediáticas.

Lembro, agora com acrescida nostalgia, a cordialidade com que, em Janeiro de 2008, me convidou a participar no seu programa na rádio (Antena 1), numa “conversa”, falando sobre blogues, o que, muito me honrou, e constituiu, necessariamente, uma experiência marcante.

Na altura, confesso que o meu primeiro pensamento foi: O que vou eu lá dizer? O que posso ter de interessante a contar para a audiência do programa?

Com o início da conversa, o Pedro, mestre da arte radiofónica da entrevista (tal como da entrevista escrita), de imediato me conseguiu serenar, fazendo com que a conversa fluisse, de tal forma que nem dei conta do tempo a passar.

No final, o sentir de que tinha estado perante um profissional notável, capaz de, semana após semana, conversando com o mais variado leque de pessoas, de distintas áreas e interesses, construir um programa de agrado geral.

Este foi apenas um pequeno episódio, que, naturalmente, evoco com particular gosto pessoal.

Da vasta carreira de “comunicador” de Pedro Rolo Duarte, na rádio, televisão, imprensa  e na escrita (do Independente à K; do Se7e ao DNa; da Visão ao i; do Falatório ao Central Parque; finalizando com o Hotel Babilónia), outros poderão falar com maior propriedade.

Aqui, e agora, recordo, já com saudade, o homem, pai, filho e irmão, que nos deixou cedo demais.

24 Novembro, 2017 at 11:57 pm Deixe um comentário

Liga Europa – 5ª Jornada – Resultados e Classificações

Ainda com uma jornada por disputar, garantiram já o apuramento para os 1/16 de final as equipas do Villarreal, D. Kyiv, Partizan, Sp. Braga, AC Milan, Atalanta, Lyon, FCSB, Viktoria Plzeň, Arsenal, Salzburg, Östersunds, Lazio, Nice, Zenit e Real Sociedad.

Grupo C
Ludogorets – Başakşehir – 1-2
Sp. Braga – Hoffenheim – 3-1

1º Sp. Braga, 10; 2º Ludogorets, 8; 3º Başakşehir, 5; 4º Hoffenheim, 4

Grupo I
Salzburg – V. Guimarães – 3-0
Konyaspor – Olympique Marseille – 1-1

1º Salzburg, 11; 2º Marseille, 7; 3º Konyaspor, 5; 4º V. Guimarães, 4

(mais…)

23 Novembro, 2017 at 10:33 pm Deixe um comentário

Liga dos Campeões – 5ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo A
Basel – Manchester United – 1-0
CSKA Moskva – Benfica – 2-0

1º Manchester United, 12; 2º Basel e CSKA Moskva, 9; 4º Benfica, 0

Grupo B
Paris St.-Germain – Celtic – 7-1
Anderlecht – Bayern – 1-2

1º Paris St.-Germain, 15; 2º Bayern, 12; 3º Celtic, 3; 4º Anderlecht, 0

Grupo C
At. Madrid – Roma – 2-0
Qarabağ – Chelsea – 0-4

1º Chelsea, 10; 2º Roma, 8; 3º At. Madrid, 6; 4º Qarabağ, 2

Grupo D
Sporting – Olympiakos – 3-1
Juventus – Barcelona – 0-0

1º Barcelona, 11; 2º Juventus, 8; 3º Sporting, 7; 4º Olympiakos, 1

Grupo E
Sevilla – Liverpool – 3-3
Spartak Moskva – Maribor – 1-1

1º Liverpool, 9; 2º Sevilla, 8; 3º Spartak Moskva, 6; 4º Maribor, 2

Grupo F
Napoli – Shakthar Donetsk – 3-0
Manchester City – Feyenoord – 1-0

1º Manchester City, 15, 2º Shakthar Donetsk, 9; 3º Napoli, 6; 4º Feyenoord, 0

Grupo G
Beşiktaş – FC Porto – 1-1
Monaco – RB Leipzig – 1-4

1º Beşiktaş, 11; 2º FC Porto e RB Leipzig, 7; 4º Monaco, 2

Grupo H
B. Dortmund – Tottenham – 1-2
APOEL – Real Madrid – 0-6

1º Tottenham, 13; 2º Real Madrid, 10; 3º B. Dortmund e APOEL, 2

Paris St.-Germain, Bayern, Chelsea, Barcelona, Manchester City, Beşiktaş, Tottenham e Real Madrid garantiram já, ainda com uma ronda por disputar, o apuramento para os 1/8 de final da Liga dos Campeões.

Por seu lado, estão já virtualmente eliminados das competições europeias desta temporada, o Benfica, Qarabağ, Olympiakos, Maribor, Feyenoord e Monaco.

O FC Porto e o Sporting garantiram já, no pior dos cenários, a transição para a Liga Europa.

22 Novembro, 2017 at 10:38 pm Deixe um comentário

Liga dos Campeões – 5ª Jornada (CSKA Moskva – Benfica)

CSKACSKA Moskva – Igor Akinfeev, Mário Fernandes, Vasili Berezutski, Viktor Vasin, Sergei Ignashevich, Georgi Shchennikov (50m – Kirill Nababkin), Vitinho (77m – Konstantin Kuchaev), Bibras Natcho, Aleksandr Golovin, Alan Dzagoev (84m – Astemir Gordyushenko) e Pontus Wernbloom

Benfica – Bruno Varela, André Almeida, Jardel, Luisão, Eliseu (83m – Andrija Živković), Ljubomir Fejsa, Filipe Augusto (57m – Raúl Jiménez), Eduardo Salvio, Pizzi, Diogo Gonçalves (45m – Franco Cervi) e Jonas

1-0 – Georgi Shchennikov – 13m
2-0 – Jardel (p.b.) – 56m

Cartões amarelos – Pontus Wernbloom (39m), Kirill Nababkin (70m) e Bibras Natcho (72m); Eliseu (31m) e Luisão (61m)

Árbitro – Deniz Aytekin (Alemanha)

Em boa verdade não sei se haveria ainda alguém realmente a “fazer contas” às ínfimas possibilidades de apuramento para os 1/8 de final (dependentes de goleadas nos dois últimos jogos), ou, sequer, à possibilidade de prosseguir nas competições europeias desta temporada, por via da transição para a Liga Europa. De facto, tal cenário (mesmo o menos irrealista) ficara praticamente comprometido com a vitória do CSKA em Basileia.

O que não se esperaria porventura – ou talvez sim… – é que o Benfica continuasse a dar tão fraca conta das suas capacidades na presente edição da Liga dos Campeões.

(Ainda) pior do que o acumular de cinco desaires em outros tantos jogos disputados, é a sensação de impotência, de “atirar a toalha ao chão”, que a atitude exibida pelo conjunto português denuncia.

Praticamente entrando a perder, o melhor que o Benfica alcançaria seria uma oportunidade de, de imediato, restabelecer a igualdade, poucos minutos volvidos após o golo inaugural da equipa russa (um tento “irregular”, validado pelo árbitro)… mas, afinal, um lance em que Jonas nem sequer conseguiria rematar à baliza.

À medida que o relógio ia avançando, a turma portuguesa ia dando sinais de cada vez maior conformismo, já sem esboçar a mínima tentativa de reacção.

Onze jogadores desinspirados em campo, muito longe de qualquer referência de colectivo, que rapidamente denotou descrer por completo da possibilidade de evitar mais um desaire, desta feita, perante um adversário que, em condições “normais”, deveria estar perfeitamente ao alcance do Benfica…

Resta um último jogo para tentar uma saída honrosa desta triste campanha europeia.

22 Novembro, 2017 at 7:55 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 7ª Jornada

Pulsar-07

(“O Templário”, 16.11.2017)

Caixeiros travam líder

À 7.ª jornada o líder, Mação, viu interrompida a sua senda triunfal, não tendo conseguido, pela primeira vez na prova, ir além do empate, na deslocação à Ribeira de Santarém, frente aos Empregados do Comércio. Numa ronda na qual nenhum dos cinco primeiros da tabela conseguiu vencer, tal resultou num reagrupamento do pelotão da frente, agora com um total de oito equipas enquadradas num intervalo de apenas seis pontos, entre o 2.º e o 9.º classificado.

Destaques – O grande destaque vai para os Caixeiros que, recebendo o Mação, tendo começado por sofrer um golo, tiveram a capacidade para operar a reviravolta no marcador, mantendo-se em vantagem até próximo do final da partida, com os maçaenses a conseguir ainda minimizar os danos, acabando por restabelecer a igualdade, a duas bolas.

Merece igualmente realce o triunfo averbado pelo Cartaxo na visita a Samora Correia, impondo-se por 3-1 no terreno do actual 3.º classificado. Depois de ter ganho já em Tomar, ante o União, e de ter empatado em Almeirim, os cartaxeiros confirmam a sua vocação para roubar pontos aos candidatos ao título, no seu próprio reduto. Um desempenho em flagrante contraste com os resultados registados em casa, em que, até agora, em dois jogos, contam dois desaires.

Surpresa – A surpresa desta ronda registou-se nas Fazendas de Almeirim, onde o aguerrido grupo do Moçarriense foi arrancar um nulo, somando assim o seu terceiro empate (depois do União de Tomar e do Samora Correia, ambos em casa). Para o Fazendense, que mantém a invencibilidade, esta foi já a quarta igualdade cedida/averbada (terceira nos últimos quatro jogos), mantendo o 4.º posto na pauta classificativa, a seis pontos do comandante.

Outra “meia-surpresa” ocorreu nos Riachos, com a primeira vitória da U. Abrantina – colocando termo a um terrível ciclo de seis desaires sucessivos –, batendo o Riachense por 2-1. Ao invés, para a turma da casa, este desfecho vem confirmar que será necessário mudar bastante para poder evitar a ameaça da despromoção. Com uma campanha irreconhecível, o Riachense é agora o “lanterna vermelha”, com um único ponto obtido até à data!

Confirmações – O União de Tomar, evidenciando uma subida de forma nas últimas semanas, impôs-se categoricamente ao Amiense – que, depois de três triunfos nas três primeiras jornadas, somou a quarta derrota consecutiva –, ganhando por 3-0, sendo o principal beneficiado da jornada, ganhando pontos (2 ou 3) a todos os cinco clubes que seguem actualmente à sua frente na pauta classificativa. Um tento a abrir cada meio tempo selaram uma vitória tranquila dos unionistas, reforçada ainda com o terceiro golo.

Em Ferreira do Zêzere, a turma local prossegue a sua excelente recuperação, sob o comando técnico de Eduardo Fortes – após os três desaires na abertura do campeonato, somou agora o terceiro triunfo sucessivo –, batendo uma boa equipa do At. Ouriense por 2-0, posicionando-se a meio da tabela, nesta já altura já com uma vantagem de sete pontos face à “linha de água”!

Num dos principais desafios da ronda, em que se defrontavam o vice-líder, Torres Novas (que mantinha em curso um ciclo de três vitórias) e o 5.º classificado, U. Almeirim, curiosamente – tal como sucedera na semana anterior com os almeirinenses –, empatando de novo a um golo, os dois conjuntos “anularam-se” mutuamente, tendo, desta feita, a formação de Almeirim desperdiçado uma grande penalidade já mesmo no final do jogo. Assim, os torrejanos continuam a três pontos do guia, enquanto o U. Almeirim mantém um atraso de sete pontos.

II Divisão Distrital – Na série mais a Norte, apenas na sua 3.ª jornada, destaque para as goleadas do Espinheirense frente ao Alferrarede (6-1) e, sobretudo, por inesperada, do Rio Maior ante a U. Atalaiense (4-1). As equipas do Espinheirense, Aldeiense (vitória no terreno do Ortiga) e Tramagal (ganhando em Caxarias) partilham o comando, com o pleno de pontos.

A Sul, já na 5.ª ronda, numa série bastante equilibrada, o Benavente venceu o confronto com o U. Santarém (2-1), isolando-se na liderança, beneficiando da folga do Glória do Ribatejo, assim como do desaire caseiro do Barrosense ante o Marinhais (0-1).

Campeonato de Portugal – Já na sua 10.ª jornada, cumprindo-se portanto o primeiro terço da prova, o Fátima continua a ganhar, na recepção ao Guadalupe (3-1), tal como o Coruchense, com uma importante vitória na deslocação a Sacavém, frente ao Sacavenense (1-0). Ao invés, o Alcanenense, batido no terreno do líder, Mafra (0-2) – somando assim o quarto desaire consecutivo –, caiu, pela primeira vez, para os indesejados lugares abaixo da “linha de água”. Por agora, uma situação ainda não alarmante, dado o grande equilíbrio pontual registado entre os diversos clubes concorrentes, mas urge “arrepiar caminho”.

Antevisão – Na I Divisão Distrital, o jogo grande da jornada será, indubitavelmente, o que opõe o líder, Mação, ao União de Tomar, num desafio que poderá vir a revestir-se de contornos determinantes para o futuro da competição. Para os unionistas, será mais uma etapa na linha do objectivo de vencer jogo a jogo, o que a concretizar-se, animaria sobremaneira o campeonato.

Merecem igualmente destaque os embates entre U. Almeirim-Samora Correia (no qual se cruzam outros dois candidatos ao título), assim como o Amiense-Torres Novas, envolvendo dois clubes históricos do Distrito. Será também de especial interesse o Cartaxo-Fazendense.

Na II Divisão, a Norte, cruzam-se dois dos actuais líderes, no Tramagal-Espinheirense, enquanto o outro comandante, Aldeiense, terá um sério desafio, na recepção ao também candidato Rio Maior. A Sul, o Benavente é favorito na visita a Salvaterra, sendo de salientar ainda o Glória do Ribatejo-Benfica do Ribatejo, assim como o U. Santarém-Barrosense.

No Campeonato de Portugal, teremos um aliciante confronto entre Coruchense-Fátima, cabendo ao Alcanenense receber o Lusitânia dos Açores, esperando-se que possa retomar os triunfos, invertendo a tendência das últimas jornadas.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 16 de Novembro de 2017)

19 Novembro, 2017 at 12:00 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 6ª Jornada

Pulsar-06

(“O Templário”, 09.11.2017)

Para além da nota que se vem tornando rotineira, relativa ao pleno de triunfos do Mação, ampliando já para seis a sua série de êxitos neste arranque de campeonato, merece também especial menção a excelente campanha que o Torres Novas vem realizando, em tão cerrada quão inesperada perseguição ao líder, somente a três pontos. Ao invés, U. Almeirim e U. Tomar, que, à partida, se perfilaram como candidatos, “anularam-se” mutuamente.

Destaques – O principal realce vai, necessariamente, para mais uma vitória do Mação, na muito difícil deslocação a Amiais de Baixo, frente ao Amiense, onde um solitário tento bastou para garantir os três pontos que, por agora, colocam os maçaenses cada vez mais na rota do título.

Por seu lado, também o triunfo do Torres Novas no Cartaxo (2-0) – confirmando uma tendência que se vem consolidando, tendo esta sido já a quarta vitória consecutiva dos torrejanos naquele terreno, nas últimas quatro temporadas – se apresenta, no contexto presente, como uma notável façanha, com o conjunto “verde e amarelo” a superar todas as expectativas.

Surpresa – Uma “meia-surpresa” voltou a suceder na Moçarria, onde o também candidato Samora Correia não conseguiu desfecho melhor que o registado pelo União de Tomar, uma igualdade a um golo, confirmando-se que o Moçarriense, no seu reduto, não será “presa fácil”.

Confirmações – Em Almeirim, num desafio que se afigurava como determinante para as aspirações dos dois clubes, o União local e o União de Tomar, empatando também a uma bola, poderão ter comprometido a possibilidade de continuar a ambicionar atingir o lugar mais alto do pódio, dado distarem agora, respectivamente, sete e dez pontos, do líder. Pese embora estarmos ainda no primeiro quarto do campeonato, as distâncias pontuais começam a ser significativas…

Numa partida muito repartida, desde cedo dando indícios de poder estar calhada para o empate, os tomarenses entraram melhor no jogo, criando alguns lances de perigo na zona defensiva dos visitados, para, no período final do primeiro tempo serem os almeirinenses a começar a “subir” no terreno, pressionando mais e empurrando os nabantinos para a sua área.

Na segunda metade, a toada de equilíbrio manteve-se, depois de um início mais exuberante dos donos da casa, mas, gradualmente, o U. Tomar, aproveitando lances rápidos, começou a ameaçar a baliza contrária, vindo mesmo a chegar ao golo… num lance que o árbitro, entretanto, interrompera, para sancionar a equipa de Almeirim com uma grande penalidade, que, todavia, os tomarenses desperdiçariam, permitindo a defesa ao guardião contrário.

Mas o golo – este a contar – chegaria mesmo, pouco depois, com o capitão Nuno Rodrigues a dar vantagem aos tomarenses. Até final, o U. Tomar controlaria o jogo, não consentindo ocasiões de perigo ao adversário, até que, no 94.º e derradeiro, um potente e colocado remate de fora da área restabeleceria a igualdade, um desfecho que acaba por se aceitar, mas que, simultaneamente, exemplifica a falta de felicidade que os nabantinos vêm registando nesta fase. Com os três pontos “no bolso”, o que lhes permitiria relançar a prova, viram todo o esforço despendido esfumar-se num lance fortuito, mesmo ao “cair do pano”…

Em Ourém, o At. Ouriense, também com desempenho bastante positivo nesta fase da prova, impôs uma goleada ao Riachense (5-2), contribuindo, paralelamente, para o agravar da crise de resultados do conjunto dos Riachos, que continua com um único ponto averbado, mantendo a delicada penúltima posição, vendo alguns dos seus competidores começar a distanciar-se.

Em Ferreira do Zêzere, a formação local, com uma categórica vitória, por 3-0, frente a um “adversário directo”, na recepção aos Empregados do Comércio, confirmou o favoritismo que lhe era atribuído, o que lhe permite ir amealhando preciosos pontos e galgar posições na tabela, afastando-se da zona perigosa, visando atingir a tranquilidade o mais cedo possível.

Por fim, a U. Abrantina, mesmo actuando no seu reduto, não foi capaz de evitar mais um desaire, o sexto em outros tantos jogos, perdendo ante o Fazendense (1-3), começando a tardar o marcar de pontos, de que tão carenciada começa já a estar.

II Divisão Distrital – No passado fim-de-semana apenas se jogou na série mais a Sul, com o Benavente a não conseguir desfazer o nulo em Marinhais, o que possibilitou ao Glória do Ribatejo (vencedor do “derby” em Salvaterra, por 2-1) passar a partilhar a liderança.

Campeonato de Portugal – Na 9.ª jornada, desfechos diametralmente opostos: por um lado, a retumbante goleada alcançada pelo Fátima em Pêro Pinheiro, ganhando por 6-1 ao agora novo “lanterna vermelha”, parecendo, enfim, ter começado a encarrilar; ao invés, as derrotas caseiras de Alcanenense e Coruchense, mais penalizadora a da turma de Alcanena, ante o Eléctrico de Ponte de Sôr (0-1), tendo o grupo de Sorraia sido batido pelo Sintrense, pela mesma marca – o que resultou na queda de ambos para as posições imediatamente acima da “linha de água”.

Antevisão – Na I Divisão Distrital, o guia, Mação, desloca-se à Ribeira de Santarém, para defrontar os Empregados do Comércio, sendo amplamente favorito; não obstante, a surpresa poderá estar eventualmente à espreita, uma vez que os Caixeiros já demonstraram que, no seu reduto, não serão adversário fácil… O Torres Novas recebe o U. Almeirim, em jogo de tripla, enquanto os dois últimos (Riachense-U.Abrantina) se cruzam. Por seu lado, o U. Tomar terá a visita do Amiense.

Na II Divisão, a Norte, realce para o Rio Maior-U. Atalaiense, enquanto, a Sul, se destacam o Benavente-U. Santarém e o Barrosense-Marinhais, com o Glória do Ribatejo a folgar.

No Nacional, o Alcanenense tem uma difícil deslocação ao terreno do líder, Mafra, enquanto o Coruchense viaja até Sacavém; por seu lado, o Fátima recebe o penúltimo classificado, Guadalupe, esperando-se que possa continuar a somar vitórias.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 9 de Novembro de 2017)

12 Novembro, 2017 at 12:00 pm Deixe um comentário

12

12

Quando os meses se transformam em anos… E isso é muito bom!

5 Novembro, 2017 at 7:53 pm Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos Artigos mais recentes


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Dezembro 2017
S T Q Q S S D
« Nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.