Liga dos Campeões – 1/2 Finais (1ª mão)

Bayern – Real Madrid – 1-2
Liverpool – Roma – 5-2

Anúncios

25 Abril, 2018 at 9:38 pm Deixe um comentário

Mendes Godinho

Mendes Godinho
Em contagem decrescente…

24 Abril, 2018 at 1:50 pm Deixe um comentário

Mendes Godinho – Uma História de Empreendimento Empresarial Familiar

MG
Em breve…

22 Abril, 2018 at 11:20 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 23ª Jornada

Pulsar-23

(“O Templário”, 19.04.2018)

Ainda com três rondas por disputar, praticamente tudo ficou já definido: atestando a sua grande eficácia nos jogos em terreno alheio – e beneficiando dos desaires dos principais concorrentes –, o Mação confirmou matematicamente a conquista do título de Campeão Distrital da I Divisão; por seu lado, em função da despromoção de Coruchense e Alcanenense ao Distrital, serão quatro os clubes a despromover ao escalão secundário, ao qual regressam Moçarriense e Empregados do Comércio, tendo Riachense e U. Abrantina destino similar “anunciado”.

Destaques – O principal destaque da 23.ª jornada vai para mais uma goleada imposta pelo Mação, vencendo no reduto do Samora Correia por categórica marca de 4-0. Com extrema eficácia, não vacilando, os maçaenses conseguiram contrariar da melhor forma a iniciativa adversária, somando o nono triunfo em doze partidas fora de casa (apenas empataram na Ribeira de Santarém e em Tomar, tendo sido desfeiteados uma única vez, nas Fazendas de Almeirim)!

Este foi o factor-chave para o êxito do clube de Mação, que se sagra, pela primeira vez no seu historial, Campeão Distrital do escalão principal, garantindo, paralelamente, a promoção ao Campeonato de Portugal, prova em que se estreará na próxima época. Com uma campanha em que se superiorizou a praticamente todos os adversários mais cotados (o U. Tomar é, até agora, o único clube que, nos dois encontros disputados na prova, não foi derrotado pelos maçaenses), o novo Campeão conseguiu, desde cedo, desequilibrar a seu favor um campeonato extremamente equilibrado, dispondo de uma diferença pontual face aos 2.º classificados idêntica àquela que separa o trio que reparte tal posição do 10.º lugar; números que atestam a justiça da conquista alcançada, premiando a regularidade do grupo comandado por João Vitorino.

A culminar um campeonato muito bom, o Torres Novas saiu vencedor do principal “clássico” do Distrito, batendo o U. Tomar por 2-1. Numa partida em que os tomarenses dominaram em largo período, voltando a ser ineficazes na concretização, acabariam por ter a infelicidade de sofrer um primeiro golo “contra a corrente” do jogo, vendo acrescidas as já naturais dificuldades do jogo, em terreno alheio, perante um opositor credenciado. Nunca se entregando, mesmo já depois de ter sofrido um segundo tento, os unionistas reduziriam ainda para a diferença tangencial, forçando nos minutos finais, não tendo, contudo, conseguido evitar a derrota.

U. Tomar, Fazendense e Torres Novas partilham agora a 2.ª posição, um ponto apenas acima do Ferreira do Zêzere, numa disputa que constitui agora o maior aliciante, até final da competição.

Confirmações – Tiveram desfechos expectáveis os jogos: Ferreira Zêzere-Cartaxo (1-1), com os cartaxeiros a vincar a sua maior propensão para resultados positivos fora de casa (onde averbaram 17 dos 31 pontos de que dispõem); At. Ouriense-Moçarriense (4-2), a libertar definitivamente a turma de Ourém de maiores preocupações, ao mesmo tempo que sentencia a descida da formação da Moçarria; Riachense-U. Almeirim (0-1), com a equipa favorita a apontar o tento da vitória já em período de compensação; e Empregados do Comércio-U. Abrantina (1-1), confirmando-se também a despromoção dos “Caixeiros”.

Sendo quatro os clubes a despromover à II Divisão, U. Abrantina e Riachense – respectivamente a sete e a oito pontos do Amiense –, parecem não ter já possibilidade de evitar também a descida, no que constituirá um sério revés para o vice-campeão distrital da época passada…

Supresa – A grande surpresa da jornada foi protagonizada precisamente pelo Amiense, que conseguiu quebrar a invencibilidade caseira do Fazendense, indo vencer às Fazendas de Almeirim por 2-1, o que lhe deverá ter proporcionado colocar-se a salvo de maiores aflições. Um excelente trabalho de Jorge Peralta, somando terceira vitória nas últimas quatro jornadas.

II Divisão Distrital – Na série a Norte, na sua derradeira ronda, sucedeu o inesperado: o jogo decisivo, entre Alferrarede e U. Atalaiense, não se disputou, por falta de policiamento… Em função da vitória do Pego face ao Aldeiense (2-1), os pegachos ascenderam, à condição, ao ambicionado 3.º lugar, que proporcionará o apuramento para a fase final. Porém, ficam pendentes da deliberação que vier a ser adoptada: caso o Alferrarede venha a ser sancionado administrativamente com derrota, o clube da Atalaia retomará o 3.º posto; caso o jogo venha a ser “repetido”, o Pego apenas perderá o 3.º lugar se a U. Atalaiense vencer tal desafio.

A Sul, na penúltima ronda, o U. Santarém aproveitou a folga do Marinhais – e o empate (1-1) do Glória do Ribatejo em Pontével –, para, ganhando no terreno do Vale da Pedra (4-1) ascender ao comando isolado da série. Os três primeiros estavam já apurados para a fase final.

Campeonato de Portugal – A penúltima jornada da competição traçou também o destino do Coruchense, que, não tendo conseguido melhor que a igualdade (2-2) na recepção ao Lusitânia, mantém um agora já irreparável atraso de três pontos em relação ao 1.º de Dezembro (mercê do empate alcançado pela equipa sintrense em Alcanena, a uma bola), vendo assim consumar-se a despromoção ao Distrital, escalão a que volta a baixar, depois dos títulos aí alcançados nas temporadas de 2014-15 e 2015-17, não conseguindo, portanto, fixar-se no Nacional. Em dia de empates, o Fátima não destoou, registando igual desfecho (1-1) ante o Loures.

Antevisão – Na I Divisão Distrital, noutras circunstâncias, o Mação-Fazendense seria um desafio de grande cartaz; assim, será o jogo de consagração dos maçaenses junto do seu público, com os visitantes a procurar juntar-se ao U. Tomar, como únicas equipas a conseguir manter a invencibilidade perante o novo Campeão. Noutro encontro entre duas das equipas mais credenciadas da prova, o U. Tomar recebe o Samora Correia. Também na disputa pelo 2.º lugar, o Torres Novas parece ter a tarefa mais facilitada, recebendo o Empregados Comércio, enquanto o Ferreira Zêzere enfrenta difícil saída até Almeirim. No Amiense-Riachense, qualquer outro resultado que não a vitória do conjunto de Riachos traduzir-se-á na confirmação da sua descida.

No escalão secundário, faltando disputar apenas a derradeira jornada da Série Sul, o “jogo grande” será o U. Santarém-Marinhais, em que se decide o outro vencedor de Série (o Rio Maior venceu a Série Norte), bastando aos escalabitanos o empate para confirmar o 1.º lugar.

No Campeonato de Portugal, atingindo-se também a última ronda, já sem nada para decidir no que respeita aos clubes do Distrito, o Fátima desloca-se a Ponte de Sôr; o Coruchense visita Torres Vedras; enquanto o Alcanenense vai de viagem até Vila Franca de Xira.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 19 de Abril de 2018)

22 Abril, 2018 at 11:00 am Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – Taça do Ribatejo – 1/2 finais (2ª mão)

Pulsar-TRibatejo-1-2-2

(“O Templário”, 12.04.2018)

União de Tomar (no que constitui uma estreia absoluta no seu longo e rico historial) e Mação (que bisa a presença da época passada, na qual se sagrou vencedor do troféu), confirmando o favoritismo que lhes era creditado, garantiram o apuramento para a Final da Taça do Ribatejo, a disputar no Entroncamento, no próximo dia 13 de Maio, noutro embate entre os dois clubes que, nesta temporada, mais têm vincado também a disputa da supremacia no campeonato.

Destaque – Como que a atestar a velha máxima do futebol de que “não há dois jogos iguais” (ou haverá?…), o Mação rectificou – de forma radical – o surpreendente empate que concedera na 1.ª mão das meias-finais, no seu terreno, perante o “lanterna vermelha” do campeonato, indo vencer, à Ribeira de Santarém, os Empregados do Comércio, por retumbante goleada de 7-1!

Curiosamente, depois de, há cerca de um mês, ter goleado esta mesma equipa dos “Caixeiros” por 6-0 – e, de entretanto, ter repetido, no jogo da Taça, o empate a dois golos que registara na primeira volta do campeonato –, os maçaenses voltaram a triunfar por margem de seis tentos…

Afinal, o que parecia poder vir eventualmente a complicar-se acabaria por se tornar bem fácil, após o quebrar da resistência dos donos da casa, com dois golos averbados em curto espaço de tempo, à passagem da meia hora de jogo. A partir daí, o desfecho da eliminatória ficou praticamente definido, pelo que, na sequência do terceiro tento, logo a abrir a segunda parte, não surpreendeu o progressivo avolumar do marcador, perante um grupo que, não obstante, não abdicou da sua dignidade, acabando por chegar ao “ponto de honra”, a premiar a sua entrega.

Em suma, um apuramento “com distinção” para o Mação, com um expressivo “score” global de 9-3, pese embora, em termos de resultados, com balanço idêntico ao da outra eliminatória, tendo somado uma vitória e um empate.

Surpresa – Ao invés, o U. Tomar, que trouxera da capital do Distrito um promissor triunfo, veria, num ápice, complicar-se sobremaneira a sua tarefa, ao consentir, ainda não estavam completados três minutos, o golo dos forasteiros, que, no final do desafio, valeria uma ainda assim inesperada igualdade, atendendo ao actual estatuto das duas equipas, de diferente escalão. Curiosamente, em termos históricos, o confronto entre ambos os clubes passou a registar um absoluto equilíbrio: em 42 jogos disputados, 14 vitórias para cada lado e outros tantos empates!

Entrando praticamente a perder, de imediato se desvanecia a vantagem angariada, o que afectaria de forma determinante a evolução da partida. A partir desse instante, o U. Santarém, já em posição confortável, deixou de ter necessidade de arriscar, jogando de forma muito organizada, não dando espaços aos tomarenses, que, por seu lado, sob uma inclemente chuva, denotavam enorme dificuldade em construir jogo e criar perigo junto à zona defensiva contrária.

Cientes da necessidade de, pelo menos, igualar o marcador, para evitar a contingência do sempre ingrato desempate da marca de grande penalidade, os nabantinos abordaram o segundo tempo com uma atitude substancialmente melhorada, desde cedo começando a empurrar o adversário para a sua área, assumindo o risco – o que, por outro lado, lhes poderia ter sido fatal, caso os escalabitanos tivessem aproveitado um par de rápidos lances de contra-ataque, em que esteve iminente novo golo na baliza dos “rubro-negros”.

Mas, logo depois, os tomarenses acabariam por ver também premiada a sua iniciativa e persistência, obtendo o tão ansiado golo (uma vez mais por intermédio de Wemerson), que lhes possibilitava retomar a vantagem na eliminatória – dando, paralelamente, continuidade à magnífica série (“record”) de 29 jogos consecutivos sempre a marcar, em todos os desafios disputados nesta temporada (30, se contarmos também a última jornada da época passada).

Até final, seria necessário sofrer ainda um pouco mais, de forma a – face a um oponente de valor, candidato ao título do escalão secundário e a afirmar-se na I Divisão – preservar o resultado (1-1) que proporciona ao U. Tomar, pela primeira vez no seu historial, o apuramento para a Final da Taça do Ribatejo, à 19.ª participação na prova! Começou já a fazer-se história…

Campeonato de Portugal – A duas jornadas do fim, começam a surgir as primeiras definições: o Mafra garantiu já o 1.º lugar na Série D e consequente apuramento para o “play-off” final; enquanto, da parte das equipas representativas do Distrito, o Fátima assegurou a manutenção, ao invés do Alcanenense, que viu consumar-se, matematicamente, a despromoção.

Após quatro triunfos consecutivos, bastou ao Fátima (7.º classificado) o nulo, na recepção ao Sacavenense, para ampliar para já inalcançáveis oito pontos a vantagem face ao primeiro clube abaixo da “linha de água”, curiosamente, a turma do Coruchense (11.º), goleada por 5-0 no jogo da consagração do líder, agora dois pontos abaixo do Sintrense (e a três do 1.º Dezembro), conservando, não obstante o desaire sofrido, algumas esperanças na permanência.

Uma situação a que o Alcanenense (13.º) já não poderá chegar, depois da derrota por 1-2 nas Caldas, dado o atraso de sete pontos que regista em relação ao Sintrense. Culminando uma temporada atípica, muito irregular, e pautada por uma terrível série de seis desaires, o clube de Alcanena regressa ao Distrital, após… seis épocas consecutivas nos Nacionais.

Antevisão – Depois da “festa da Taça”, regressam as emoções dos campeonatos. Na I Divisão, destaque para as difíceis saídas dos dois primeiros classificados: o Mação desloca-se a Samora Correia, equipa que viu quebrado, na ronda anterior, um excelente ciclo de seis triunfos; por seu lado, o U. Tomar visita Torres Novas, no reeditar do clássico mais repetido no futebol do Distrito: será a 90.ª vez que estes dois clubes rivais se cruzam em jogos de campeonato e taça!

De grande interesse, na luta pela manutenção – quando se sabe já, agora, que serão pelo menos três os clubes a despromover à II Divisão –, teremos as seguintes partidas: Empregados do Comércio-U. Abrantina e Riachense-U. Almeirim; para além do Fazendense-Amiense.

No escalão secundário, toda a dúvida assenta na série a Norte, com a terceira vaga de apuramento em disputa entre U. Atalaiense (favorito, “bastando-lhe” ganhar em Alferrarede), Aldeiense (desloca-se ao Pego), Pego e Caxarias (visita o terreno da Ortiga), com um único ponto a separá-los, à entrada da derradeira ronda. A Sul, tudo está já definido, com a qualificação para a fase final assegurada por Marinhais, U. Santarém e Glória do Ribatejo.

No Campeonato de Portugal, as atenções estarão focadas no Coruchense-Lusitânia (e no Sintrense-Mafra), cabendo ao Fátima receber o Loures, sendo que o Alcanenense poderá dar ainda uma “ajuda” (?) à formação do Sorraia, se ganhar em casa, frente ao 1.º de Dezembro.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 12 de Abril de 2018)

15 Abril, 2018 at 11:00 am Deixe um comentário

Liga dos Campeões – Sorteio das 1/2 Finais

Bayern – Real Madrid
Liverpool – Roma

Os jogos desta eliminatória serão disputados a 24 e 25 de Abril e a 1 e 2 de Maio de 2018.

13 Abril, 2018 at 12:52 pm Deixe um comentário

Liga Europa – Sorteio das 1/2 Finais

Marseille – Salzburg
Arsenal – At. Madrid

Os jogos desta eliminatória serão disputados a 26 de Abril e a 3 de Maio de 2018.

13 Abril, 2018 at 11:55 am Deixe um comentário

Liga Europa – 1/4 Final (2.ª mão)

                              2ª mão       1ª mão        Total
Marseille - RB Leipzig          5-2          0-1          5-3
CSKA Moskva - Arsenal           2-2          1-4          3-6
Sporting - At. Madrid           1-0          0-2          1-2
Salzburg - Lazio                4-1          2-4          6-5

Pese embora a boa exibição realizada, o Sporting não conseguiu recuperar a desvantagem trazida da 1.ª mão em Madrid.

12 Abril, 2018 at 10:00 pm Deixe um comentário

Liga dos Campeões – 1/4 Final (2.ª mão)

                              2ª mão       1ª mão        Total
Roma - Barcelona                3-0          1-4          4-4
Bayern - Sevilla                0-0          2-1          2-1
Real Madrid - Juventus          1-3          3-0          4-3
Manchester City - Liverpool     1-2          0-3          1-5

Não só o Liverpool confirmou o apuramento, ganhando também em Manchester (revertendo uma situação de desvantagem no marcador logo desde os 2 minutos), como a grande surpresa foi protagonizada pela Roma, goleando o Barcelona e garantindo o apuramento para as meias-finais!

Depois das emoções de terça-feira, em Manchester e em Roma, o “melhor” estava ainda guardado para os jogos de hoje, com a Juventus a protagonizar uma fantástica exibição e a conseguir uma épica “remontada”, chegando aos 3-0 em Madrid, que implicaria a necessidade de prolongamento… só que, aos 92 minutos e 25 segundos (a 35 segundos do final), deu-se um verdadeiro “golpe de teatro”, com uma grande penalidade a sancionar uma entrada imprudente de jogador da equipa italiana, soberanamente convertida por Cristiano Ronaldo, a “salvar” o Real Madrid!

11 Abril, 2018 at 9:43 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – Taça do Ribatejo – 1/2 finais (1ª mão)

Pulsar-TRibatejo-1-2

(“O Templário”, 05.04.2018)

Para uma inédita presença na Final da Taça do Ribatejo, foi o que o U. Tomar adquiriu, com o importante triunfo averbado na capital do Distrito. Por seu lado, o “quase Campeão” Mação enfrentou inesperadas dificuldades para evitar novo desaire, no seu reduto, ante o “lanterna vermelha” do campeonato, deixando tudo em aberto para a segunda mão da eliminatória.

Destaque – Na primeira mão das meias-finais da Taça do Ribatejo, destaca-se a vitória (2-1) alcançada pelo U. Tomar em Santarém, face ao União local.

Numa partida em que se enfrentavam as equipas com ataques mais realizadores dos dois escalões do futebol distrital, tal terá porventura justificado algumas cautelas com que ambas as formações abordaram este encontro, parecendo mais predispostas a tentar contrariar as iniciativas adversárias, procurando jogar pelo seguro, atendendo também a que se disputava apenas a primeira metade da eliminatória. Sem grandes ocasiões de perigo a registar, acabaria por não surpreender o nulo registado ao intervalo.

A feição do jogo viria a alterar-se bastante na etapa complementar, com o U. Tomar, mais afoito, a inaugurar o marcador à passagem dos dez minutos, por intermédio de Fábio Vieira. Então, o U. Santarém, reagindo bem, não se entregando, iria em busca do golo, acabando por ser premiado com o tento do empate, apenas cinco minutos volvidos.

Até final, pese embora as maiores credenciais da turma nabantina, o cariz do desafio continuou a ser o da repartição da iniciativa atacante, tendo os tomarenses voltado a colocar-se em vantagem, a cerca de dez minutos do termo da partida. Não obstante, os escalabitanos beneficiariam ainda de uma ocasião soberana para restabelecer a igualdade, desperdiçando contudo a grande penalidade de que dispuseram, já muito perto dos 90 minutos.

Surpresa – Uma enorme surpresa foi o que se verificou em Mação, com a formação da casa, pese embora tenho o título de Campeão “na mão”, a denotar, outra vez, desconcertante desempenho nos jogos no seu terreno. Efectivamente, depois de aí terem sido derrotados pela U. Abrantina e pelo Cartaxo (equipas que lutam ainda pela manutenção no principal escalão), os maçaenses apenas evitaram novo desaire, desta feita ante os Empregados do Comércio, no penúltimo dos seis minutos de tempo de compensação, ao apontar o golo que restabeleceria o empate (2-2), já depois de, por duas vezes, se terem visto em desvantagem no marcador.

Mais, em três jogos disputados esta temporada entre o 1.º e o último classificado do campeonato, aos 6-0 com que o Mação “brindara” os “Caixeiros” ainda há menos de três semanas, contrapõem-se dois empates – curiosamente, quase a “papel químico”, ambos pela mesma marca, e, nas duas ocasiões, com o grupo da Ribeira de Santarém a deixar escapar o triunfo já ao expirar de cada um desses desafios.

Campeonato de Portugal – Enfim, os três clubes representantes do Distrito conseguiram, na 27.ª jornada, uma ronda “perfeita”, alcançando o pleno de vitórias, o que sucede pela primeira vez em toda a prova, quando ficam a faltar apenas três jogos para o final da competição!

De facto, o Fátima, deslocando-se a Sintra, ampliou para quatro a sua excelente série de triunfos consecutivos, ganhando ao Sintrense por 2-1, o que, não só praticamente liberta os fatimenses – agora já no 6.º posto, a par do Caldas, com vantagem de sete pontos face à zona de despromoção – de maiores preocupações (o que, paralelamente, deverá possibilitar também ao Cartaxo, At. Ouriense e, possivelmente, Amiense, “respirar de alívio”, no Distrital), como se traduz num importante auxílio às esperanças que as outras duas equipas ainda alimentam.

No que respeita ao Coruchense, recebeu o já despromovido Eléctrico de Ponte de Sôr, vencendo por igual marca tangencial (2-1), o que proporciona à turma do Sorraia subir ao 11.º lugar, ainda abaixo da “linha de água”, mas, agora, um único ponto atrás do Sintrense.

Já o Alcanenense, que bateu o Torreense (5.º classificado) por 2-0, mantém a 13.ª posição, ainda a seis pontos da formação sintrense, mas podendo continuar a acreditar num “milagre” (atendendo ainda a que, em caso de igualdade pontual, teria vantagem sobre aquele rival).

Antevisão – Neste fim-de-semana, os campeonatos distritais continuam a aguardar o desfecho das meias-finais da Taça do Ribatejo, de que se disputará a 2.ª mão.

Num sempre arriscado exercício de “futurologia”, pode especular-se que, no U. Tomar-U. Santarém, se as probabilidades de apuramento, à partida, seriam de 65/35%, poderão ter passado agora – na sequência dos desfechos da 1.ª mão –, talvez para 80/20%. Para poder contrariar esta tendência, o conjunto escalabitano teria forçosamente de ganhar: se o conseguisse fazer por margem de um golo, tal implicaria a necessidade de desempate da marca de grande penalidade, apurando-se no caso de vencer por vantagem superior; aos tomarenses, respeitando o adversário, caberá assumir o favoritismo, natural, de uma equipa que disputa os primeiros lugares da I Divisão, frente a um oponente do escalão secundário, procurando nova vitória, sabendo que o empate lhes assegurará a presença no Entroncamento, na sua estreia na grande “festa da Taça”.

Na eliminatória entre Mação e Empregados do Comércio, a decidir na Ribeira de Santarém, os actuais detentores do troféu eram, “no papel”, largamente favoritos (90/10%); as probabilidades terão descido agora para a ordem dos 60/40% (só a vitória de qualquer das equipas garantirá o apuramento, as quais serão forçadas à “lotaria dos penalties” em caso de novo empate).

No Campeonato de Portugal, o Fátima recebe o Sacavenense (4.º classificado), em partida que não se antevê fácil, mas que lhe poderá garantir matematicamente a manutenção, bastando, para tal, não fazer pior resultado que o Coruchense – equipa que, por seu lado, se desloca a Mafra, para defrontar o líder (já com presença assegurada no “play-off” final). Quanto ao Alcanenense, terá também uma difícil saída até às Caldas da Rainha, para defrontar o semi-finalista da Taça de Portugal, correndo o risco de poder ver consumada a sua despromoção, caso seja derrotado.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 5 de Abril de 2018)

8 Abril, 2018 at 11:00 am Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos Artigos mais recentes


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Maio 2018
S T Q Q S S D
« Abr    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.