Grandes clássicos das competições europeias – (19) Bayern München – Arsenal

Bayern_München Arsenal

 Época Prova Ronda       1.ª Mão                2.ª mão
2000-01 LCE  Grupo Arsenal-Bayern   2-2   Bayern-Arsenal   1-0
2004-05 LCE   1/8  Bayern-Arsenal   3-1   Arsenal-Bayern   1-0
2012-13 LCE   1/8  Arsenal-Bayern   1-3   Bayern-Arsenal   0-2
2013-14 LCE   1/8  Arsenal-Bayern   0-2   Bayern-Arsenal   1-1
2015-16 LCE  Grupo Arsenal-Bayern   2-0   Bayern-Arsenal   5-1
2016-17 LCE   1/8  Bayern-Arsenal   5-1   Arsenal-Bayern   1-5

      Balanço global                J    V    E    D   GM   GS
Bayern München - Arsenal           12    7    2    3   27 - 13

Num confronto que apenas se iniciou já no século XXI, o Bayern tem sido um “carrasco” das aspirações do Arsenal, repetidamente travado pelos bávaros nos 1/8 de final da Liga dos Campeões (já por quatro vezes, três delas num período de apenas cinco anos, entre 2012 e 2017), em geral com o desfecho da eliminatória a ficar praticamente definido logo na 1.ª mão (o que, por outro lado, terá proporcionado ao Arsenal um triunfo em Munique, em 2012-13).

Em 2015-16, época em que ambos os clubes se apuraram na fase de grupos, o Arsenal seria também afastado, igualmente nos 1/8 de final, dessa feita pelo Barcelona (com um “score” de 1-5).

Para a história fica ainda um humilhante registo de três jogos consecutivos (precisamente os mais recentes) em que a turma germânica goleou a formação inglesa, sempre pela mesma marca de 5-1 (o último deles em pleno “Emirates”, em Londres)!

Após os embates com o Arsenal, o Bayern sagrar-se-ia vencedor da Liga dos Campeões nas épocas de 2000-01 e 2012-13 (os seus 4.º e 5.º títulos de Campeão Europeu).

Quanto aos londrinos, para além da Final da Liga dos Campeões de 2005-06 (perdida ante o Barcelona) e das meias-finais alcançadas em 2008-09, quedaram-se pelos 1/4 de final da competição em 2000-01, 2003-04, 2007-08 e 2009-10 – a que se seguiu uma incrível série de sete eliminações consecutivas nos 1/8 de final, entre 2011 e 2017!

23 Outubro, 2019 at 7:00 pm Deixe um comentário

Liga dos Campeões – 3ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo A
Brugge – Paris St.-Germain – 0-5
Galatasaray – Real Madrid – 0-1

1º Paris St.-Germain, 9; 2º Real Madrid, 4; 3º Brugge, 2; 4º Galatasaray, 1

Grupo B
Olympiakos – Bayern – 2-3
Tottenham – Crvena Zvezda – 5-0

1º Bayern, 9; 2º Tottenham, 4; 3º Crvena Zvezda, 3; 4º Olympiakos, 1

Grupo C
Shakhtar Donetsk – D. Zagreb – 2-2
Manchester City – Atalanta – 5-1

1º Manchester City, 9; 2º D. Zagreb e Shakhtar Donetsk, 4; 4º Atalanta, 0

Grupo D
At. Madrid – Bayer Leverkusen – 1-0
Juventus – Lokomotiv Moskva – 2-1

1º Juventus e At. Madrid, 7; 3º Lokomotiv Moskva, 3; 4º Bayer Leverkusen, 0

Grupo E
RB Salzburg – Napoli –
Genk – Liverpool –

1º Napoli, 4; 2º RB Salzburg e Liverpool, 3; 4º Genk, 1

Grupo F
Inter – B. Dortmund –
Slavia Praha – Barcelona –

1º B. Dortmund e Barcelona, 4; 3º Inter e Slavia Praha, 1

Grupo G
RB Leipzig – Zenit –
Benfica – Lyon –

1º Zenit e Lyon, 4; 3º RB Leipzig, 3; 4º Benfica, 0

Grupo H
Ajax – Chelsea –
Lille – Valencia –

1º Ajax, 6; 2º Chelsea e Valencia, 3; 4º Lille, 0

22 Outubro, 2019 at 9:54 pm Deixe um comentário

Grandes clássicos das competições europeias – (20) Juventus – Olympiakos

Juventus Olympiakos

 Época Prova Ronda       1.ª Mão                2.ª mão
1967-68 TCE 1ª el. Olymp.-Juventus  0-0   Juventus-Olymp.  2-0
1998-99 LCE   1/4  Juventus-Olymp.  2-1   Olymp.-Juventus  1-1
1999-00 UEFA  1/16 Olymp.-Juventus  1-3   Juventus-Olymp.  1-2
2003-04 LCE  Grupo Olymp.-Juventus  1-2   Juventus-Olymp.  7-0
2014-15 LCE  Grupo Olymp.-Juventus  1-0   Juventus-Olymp.  3-2
2017-18 LCE  Grupo Juventus-Olymp.  2-0   Olymp.-Juventus  0-2

      Balanço global                J    V    E    D   GM   GS
Juventus - Olympiakos              12    8    2    2   25 -  9

Juventus e Olympiakos são dois dos clubes com maior número de participações em competições europeias, respectivamente 56 e 54, nos 65 anos de disputa destas provas, o que justifica a frequência do respectivo confronto directo, mesmo que a equipa grega não atinja, geralmente, fases adiantadas dos torneios (no seu longo historial não conseguiu melhor que as presenças nos 1/4 de final da Taça das Taças, em 1992-93, e da Liga dos Campeões, em 1998-99).

Deste modo – numa relação de forças desequilibrada como esta se tem revelado -, a vitória (2-1) averbada pelo Olympiakos em Palermo, no final de 1999, não deixa de ser um dos seus mais marcantes triunfos, pese embora tenha sido obtida na sequência de um desaire caseiro (1-3) na 1.ª mão, que, praticamente, sentenciou o desfecho dessa eliminatória da Taça UEFA.

Em épocas mais recentes, os confrontos entre ambos os clubes têm sido em fases de grupos da Liga dos Campeões, com destaque para a goleada (7-0) imposta pela Juventus na temporada de 2003-04.

Nos anos em que se cruzou com o Olympiakos, o melhor que a turma italiana conseguiu foi atingir a Final desta prova em 2015 (que viria a perder para o Barcelona).

22 Outubro, 2019 at 7:00 pm Deixe um comentário

Mundial de Râguebi – 1/4 de final

20.10.2019 – Japão – África do Sul – 3-26
19.10.2019 – N. Zelândia – Irlanda – 46-14
19.10.2019 – Inglaterra – Austrália – 40-16
20.10.2019 – País Gales – França – 20-19

Nas meias-finais teremos os seguintes jogos:

26.10.2019 – Inglaterra – N. Zelândia
27.10.2019 – País Gales – África do Sul

20 Outubro, 2019 at 1:20 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 5ª Jornada

O pulsar do campeonato - 2019-20 - 5jornada

(“O Templário”, 17.10.2019)

Após mais um cabal triunfo em Coruche, ante o Coruchense – que, até agora, partilhava com os almeirinenses o pleno de vitórias –, e tendo o U. Almeirim entretanto batido já (isto apenas nas cinco rondas iniciais da prova) três dos quatro clubes que o perseguem de mais próximo na tabela – num campeonato que ameaça “partir-se”, com diferenças substanciais entre os primeiros sete e os últimos sete classificados (cinco pontos separam já o 7.º do 10.º) –, é com propriedade que se pode começar a colocar a interrogação: quem conseguirá parar o líder?

Destaques – Naturalmente, o maior destaque da 5.ª jornada foi a convincente vitória do U. Almeirim no reduto do Coruchense. Tendo, ainda relativamente cedo, chegado a confortável vantagem de 2-0, os almeirinenses não teriam especiais dificuldades em gerir a partida, fixando o marcador final em 3-1, anotando-se o primeiro tento sofrido, quando a contagem de golos marcados soma já 16. Mais importante, isolou-se – agora sim, já com o calendário em dia – na liderança da prova, pese embora mantenha um quarteto de perseguidores, apenas a três pontos.

Quem prossegue também um percurso muito positivo é o recém-promovido Abrantes e Benfica, vencedor, não obstante por tangencial 1-0, na recepção ao Amiense, integrando, por agora, tal quarteto, prometendo continuar a intrometer-se na disputa dos lugares cimeiros.

Noutro pólo de interesse do campeonato, o da luta pela manutenção, o Riachense deu um preocupante passo atrás, não tendo conseguido dar sequência à vitória obtida no Pego, tendo sido desfeiteado, nos Riachos, pelo Moçarriense, por 2-1, com a turma da Moçarria a somar três importantes pontos, frente a um rival directo.

Surpresa – A surpresa da ronda foi o empate da Glória do Ribatejo em Torres Novas, a uma bola, depois de os forasteiros se terem inclusivamente colocado em vantagem. Apesar do maior domínio dos torrejanos, não tiveram a serenidade para, em superioridade numérica durante toda a segunda parte, conseguir completar a reviravolta no marcador.

Confirmações – Nos restantes quatro desafios, os resultados seguiram a lógica, tendo as equipas visitadas triunfado, de acordo com as expectativas.

Em Tomar, o União, recebendo o Samora Correia, conseguiu rectificar não só o resultado negativo da semana anterior, como, paralelamente, o desaire sofrido na época passada ante este mesmo adversário.

À semelhança do que vem acontecendo – num encontro também com alguns pontos de contacto com o realizado pelos tomarenses em Rio Maior –, os unionistas, assumindo, de início a fim, a iniciativa do jogo, praticamente de “sentido único” (pese embora um par de ocasiões de grande perigo provocadas pelos samorenses em lances de contra-ataque), denotando ansiedade, tiveram grande dificuldade em abrir o marcador, o que apenas conseguiriam já na segunda metade. Só então a equipa conseguiu enfim a tranquilidade necessária para explanar o seu superior potencial.

Destacam-se no emblema tomarense, Tiago Vieira, já com cinco golos marcados neste campeonato, sendo que Wemerson Silva segue com três tentos apontados.

O Cartaxo ganhou com naturalidade (2-0) ao Ferreira do Zêzere, com os ferreirenses, por agora, com um calendário de elevado grau de dificuldade (visitaram já três dos cinco primeiros), a não irem além de um único ponto angariado (empate caseiro com o Amiense).

Tal como o Abrantes e Benfica, também o Fazendense vem fazendo uma prova de bom nível (com um único senão, do deslize caseiro ante o Rio Maior logo na estreia), tendo vencido, também por 2-0, o “lanterna vermelha” Pego, que subsiste como único concorrente ainda sem ter conseguido pontuar.

Por fim, em Mação – por inversão da ordem das jornadas, relativamente aos jogos com o Rio Maior –, os maçaenses obtiveram também um triunfo tranquilo, por 3-1, continuando no encalce do grupo da frente.

II Divisão Distrital – Na jornada de estreia do escalão secundário – com a particularidade de integrar, esta temporada, quatro equipas “B” (para além do precursor U. Tomar, também o Abrantes e Benfica, Ferreira do Zêzere e Fazendense) –, as notas de principal realce vão para as goleadas aplicadas pelo Alcanenense (9-0 ao Ferreira do Zêzere B), Benavente (5-0 ao Salvaterrense), Tramagal (4-0 ao Aldeiense), Ortiga (3-0 ao Alferrarede) e Forense (3-0 no Porto Alto). Para além do Forense, só o U. Tomar “B” venceu em terreno alheio, à U. Atalaiense (3-1).

Campeonato de Portugal – A sétima jornada foi amplamente positiva para os clubes representantes do Distrito, tendo registado, ambos, vitórias fora de casa. O Fátima, em Ponta Delgada, ante o Sp. Ideal, por 2-1; o U. Santarém, em Condeixa, mercê de um solitário golo.

Tal proporciona, no imediato, o “respirar melhor”, com os fatimenses (nove pontos) a ascender ao 7.º posto (partilhado com o Anadia), enquanto os escalabitanos (oito pontos) integram o grupo que se posiciona entre o 9.º e 11.º lugares, embora apenas dois pontos acima da “linha de água”.

Antevisão – Na I Divisão, as atenções estarão focadas, em especial, em quatro campos: em Monsanto, o Amiense (este ano de “casa às costas”) terá a visita do Cartaxo, num compromisso que se antevê difícil para ambos; em Ferreira do Zêzere, os ferreirenses continuam com tarefa árdua, recebendo o Coruchense, que pretenderá deixar para trás o desaire sofrido ante os almeirinenses; Mação e U. Tomar retomam os repartidos duelos de há dois anos (época em que se defrontaram por quatro ocasiões, no campeonato e na Taça do Ribatejo, tendo cada um eles conquistado um dos troféus em disputa); o U. Almeirim defronta o Torres Novas, com os torrejanos a procurarem ser os primeiros a travar o comandante, o que não se afigura fácil.

Na Divisão secundária, apenas na sua 2.ª jornada, o U. Tomar “B” é anfitrião do Alcanenense, um dos principais candidatos à subida; destaca-se ainda o Forense-Marinhais, sendo estes os dois únicos confrontos agendados entre clubes vitoriosos na ronda inaugural.

O Campeonato de Portugal sofre nova interrupção, para disputa da 3.ª eliminatória (1/32 de final) da Taça de Portugal, na qual o Fátima – último “sobrevivente” do Distrito – voltará a defrontar (tal como sucedera na 1.ª eliminatória, numa singular particularidade da estruturação do formato da competição) o Marinhense, na Marinha Grande (depois de aí ter vencido, então, no desempate da marca de grande penalidade, após o nulo no final do tempo regulamentar e do prolongamento).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 17 de Outubro de 2019)

20 Outubro, 2019 at 11:00 am Deixe um comentário

Eleições Legislativas 2019 – Resultados finais

Eleições 2019 - Resultados finaisEleições
(via MAI – clicar na imagem para ampliar)

17 Outubro, 2019 at 11:49 am Deixe um comentário

Ucrânia – Portugal (Europeu 2020 – Qualif.)

Ucrânia Ucrânia – Andriy Pyatov, Oleksandr Karavaev, Serhiy Kryvtsov, Mykola Matviyenko, Vitaliy Mykolenko (90m – Igor Plastun), Taras Stepanenko, Andriy Yarmolenko, Oleksandr Zinchenko, Ruslan Malinovskyi, Marlos (63m – Yevhen Konoplyanka) e Roman Yaremchuk (73m – Viktor Kovalenko)

Portugal Portugal – Rui Patrício, Nélson Semedo, Pepe, Rúben Dias, Raphaël Guerreiro, João Moutinho (56m – Bruno Fernandes), Danilo Pereira, João Mário (68m – Bruma), Cristiano Ronaldo, Bernardo Silva e Gonçalo Guedes (45m – João Félix)

1-0 – Roman Yaremchuk – 6m
2-0 – Andriy Yarmolenko – 27m
2-1 – Cristiano Ronaldo (pen.) – 72m

Cartões amarelos – Taras Stepanenko (25m), Andriy Yarmolenko (47m), Oleksandr Zinchenko (90m) e Viktor Kovalenko (90m); Pepe (26m) e Rúben Dias (64m)

Cartão vermelho – Taras Stepanenko (72m)

Árbitro – Anthony Taylor (Inglaterra)

À, partida este desafio – pese embora poder deixar as contas do apuramento praticamente definidas, não sendo, contudo, expectável que Portugal pudesse garantir desde já a qualificação (o que implicaria a necessidade de a Sérvia sair derrotada da Lituânia) – mais não decidia que o vencedor do grupo, sendo que, em paralelo, à Ucrània, sim, bastava o empate para confirmar o apuramento para a fase final.

As ideias tácticas que Fernando Santos tinha delineado para abordar este encontro (um 4-3-3 que não se mostrou operacional) rapidamente seriam colocadas em causa, com o primeiro golo – apontado na sequência de um pontapé de canto, com Rui Patrício ainda a deter o cabeceamento de Kryvtsov, mas não conseguindo já evitar a recarga de Yaremchuk -, quando estavam apenas decorridos os cinco minutos iniciais, o que, desde muito cedo, proporcionava aos ucranianos uma confortável posição, a de poder gerir o jogo, sem necessidade de arriscar, limitando-se a procurar explorar o erro.

Com o decorrer do tempo, a Ucrânia – também com bons executantes e bem organizada no terreno – demonstrava grande tranquilidade e acerto nas suas movimentações, pressionando Portugal logo à saída do meio-campo contrário, não dando espaço a que os portugueses pudessem explanar a criatividade do seu trio dianteiro.

Se as coisas já estavam difíceis, pior ficariam, ainda antes da meia-hora de jogo, com o segundo golo da selecção da casa, a aproveitar a desconcentração e passividade da defesa lusa.

O técnico português teve de alterar a estratégia, colocando em campo, primeiro, João Félix, e, pouco depois, Bruno Fernandes e Bruma, com Portugal a assumir o risco, jogando mais com o coração do que com a cabeça, tendo Danilo Pereira, Bernardo Silva e Cristiano Ronaldo obrigado Pyatov a atentas intervenções. É claro que, expondo-se mais, a equipa nacional concedeu espaços ao adversário, que poderia mesmo ter ampliado a marca.

Numa iniciativa de Bruma, a rematar, com a bola a ser interceptada com o braço por Stepanenko, surgiu a grande penalidade (e expulsão do ucraniano), com Portugal a reduzir para a desvantagem mínima, no golo n.º 700 da carreira de Cristiano Ronaldo.

Nos minutos imediatos, a selecção portuguesa voltou a criar perigo junto da área contrária (com mais dois remates de Ronaldo), mas o resultado não se alteraria, muito graças ao inspirado guardião ucraniano. Denotando alguma ansiedade e precipitação, não conseguiria, porém, aproveitar os cerca de vinte minutos que jogou em vantagem numérica, Só já em período de compensação Ronaldo voltaria a solicitar a intervenção de Pyatov; e, prestes a finalizar, num potente remate de fora da área, de Danilo Pereira, a bola embateria, com estrondo, no ferro da baliza, negando-se assim o empate.

No final de uma partida na qual, tendo dado demasiado “avanço” ao opositor, a qualidade técnica dos seus elementos poderia, ainda assim, com mais serenidade, ter evitado a derrota (tal foi a quantidade de tentativas de remate), a selecção nacional vê as contas complicarem-se, na medida em que fica agora sem margem de erro, necessitando vencer os seus dois últimos jogos para não ficar dependente de terceiros (jogo entre a Sérvia e a Ucrânia, sendo que os ucranianos têm, desde já, garantido o 1.º lugar do grupo).

GRUPO B           Jg     V     E     D       G       Pt
1º Ucrânia         7     6     1     -    15 -  2    19
2º Portugal        6     3     2     1    14 -  6    11
3º Sérvia          6     3     1     2    12 - 13    10
4º Luxemburgo      6     1     1     4     5 - 11     4
5º Lituânia        7     -     1     6     5 - 19     1

8ª jornada

14.10.2019 – Lituânia – Sérvia – 1-2
14.10.2019 – Ucrânia – Portugal – 2-1
(mais…)

14 Outubro, 2019 at 9:38 pm Deixe um comentário

Prémio Nobel da Economia – 2019

O prémio Nobel da Economia 2019 foi hoje atribuído a Abhijit Banerjee (EUA), Esther Duflo (França) e Michael Kremer (EUA), pela sua “abordagem experimental para aliviar a pobreza global”.

14 Outubro, 2019 at 12:53 pm Deixe um comentário

Mundial de Râguebi – 5.ª Jornada

Grupo A
20.09.19 – Japão – Rússia – 30-10
22.09.19 – Irlanda – Escócia – 27-3
24.09.19 – Rússia – Samoa – 9-34
28.09.19 – Japão – Irlanda – 19-12
30.09.19 – Escócia – Samoa – 34-0
03.10.19 – Irlanda – Rússia – 35-0
05.10.19 – Japão – Samoa – 38-19
09.10.19 – Escócia – Rússia – 61-0
12.10.19 – Irlanda – Samoa – 47-5
13.10.19 – Japão – Escócia – 28-21

1º Japão, 19; 2º Irlanda, 16; 3º Escócia, 11; 4º Samoa, 5; 5º Rússia, 0

Grupo B
21.09.19 – N. Zelândia – África Sul – 23-13
22.09.19 – Itália – Namíbia – 47-22
26.09.19 – Itália – Canadá – 48-7
28.09.19 – África Sul – Namíbia – 57-3
02.10.19 – N. Zelândia – Canadá – 63-0
04.10.19 – África Sul – Itália – 49-3
06.10.19 – N. Zelândia – Namíbia – 71-9
08.10.19 – África Sul – Canadá – 66-7
12.10.19 – N. Zelândia – Itália – Cancelado (devido ao tufão Hagibis)
13.10.19 – Namíbia – Canadá – Cancelado (devido ao tufão Hagibis)

1º N. Zelândia, 16; 2º África Sul, 15; 3º Itália, 12; 4º Namíbia, 2; 5º Canadá, 2

Grupo C
21.09.19 – França – Argentina – 23-21
22.09.19 – Inglaterra – Tonga – 35-3
26.09.19 – Inglaterra – EUA – 45-7
28.09.19 – Argentina – Tonga – 28-12
02.10.19 – França – EUA – 33-9
05.10.19 – Inglaterra – Argentina – 39-10
06.10.19 – França – Tonga – 23-21
09.10.19 – Argentina – EUA – 47-17
12.10.19 – Inglaterra – França – Cancelado (devido ao tufão Hagibis)
13.10.19 – EUA – Tonga – 19-31

1º Inglaterra, 17; 2º França, 15; 3º Argentina, 11; 4º Tonga, 6; 5º EUA, 0

Grupo D
21.09.19 – Austrália – I. Fiji – 39-21
23.09.19 – P. Gales – Geórgia – 43-14
25.09.19 – I. Fiji – Uruguai – 27-30
29.09.19 – Austrália – P. Gales – 25-29
29.09.19 – Geórgia – Uruguai – 33-7
03.10.19 – Geórgia – I. Fiji – 10-45
05.10.19 – Austrália – Uruguai – 45-10
09.10.19 – P. Gales – I. Fiji – 29-17
11.10.19 – Austrália – Geórgia – 27-8
13.10.19 – P. Gales – Uruguai – 35-13

1º P. Gales, 19; 2º Austrália, 16; 3º I. Fiji, 7; 4º Geórgia, 5; 5º Uruguai, 4

Em função das classificações de cada grupo, fica assim delineado o alinhamento dos 1/4 de final:

20.10.19 – Japão – África do Sul
19.10.19 – N. Zelândia – Irlanda
19.10.19 – Inglaterra – Austrália
20.10.19 – País Gales – França

13 Outubro, 2019 at 1:43 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 4ª Jornada

O pulsar do campeonato - 2019-20 - 4jornada

(“O Templário”, 10.10.2019)

Numa jornada bastante atípica, em que apenas uma das oito equipas visitadas logrou vencer – tendo-se registado nada menos de cinco triunfos dos forasteiros –, precisamente a do U. Almeirim, os almeirinenses aproveitaram para, pelo menos à condição (dependendo do desfecho da partida em atraso entre Coruchense e Moçarriense), se isolarem na liderança. Tal é tanto mais relevante se atendermos a que foram já vencer a Abrantes e, também fora, o Amiense, para além de se terem claramente imposto no confronto ante um rival directo na contenda pelo 1.º lugar, Cartaxo.

Destaques – O grande realce desta ronda vai, pois, para a goleada (3-0) aplicada pelo U. Almeirim ao Cartaxo, sendo que os homens da casa “somam e seguem”, com o pleno de triunfos (quatro) e um score acumulado de 13-0.

O resultado – algo pesado para a forma como as duas equipas se apresentaram em campo – poderá, todavia, indiciar ilusórias facilidades, uma vez que até foram os cartaxeiros a começar por assumir a iniciativa do jogo. Depois de terem sofrido o primeiro tento, mesmo a findar o primeiro tempo, e tendo-se visto entretanto em inferioridade numérica, os visitantes não teriam já capacidade para inverter o rumo dos acontecimentos, vindo a consentir mais dois golos nos derradeiros dez minutos (o 3.º também já em período de compensação).

Outra nota de destaque foi o triunfo do Abrantes e Benfica em Tomar, ante o União, que seguia, até então, só com vitórias. Continuando a ser muito perdulários, denotando grandes dificuldades em materializar em golo os lances de ataque que criam, os unionistas viram-se surpreendidos por um bem organizado adversário, que inaugurou o marcador a meio da etapa inicial.

Continuando a porfiar, nunca abdicando de procurar alterar o resultado a seu favor, os tomarenses intensificaram, na metade complementar, a sua pressão, vindo a restabelecer a igualdade, na conversão de uma grande penalidade, à entrada dos dez minutos finais (isto, precisamente depois de os abrantinos terem acertado nos ferros da baliza). Indo, então, em busca do golo da vitória, a formação tomarense viria a ser duramente penalizada com novo golo sofrido, praticamente ao “cair do pano”, numa altura em que era já muito escassa a possibilidade de recuperação.

A salientar, ainda, o triunfo averbado pelo Fazendense em Mação, também por 2-1, com a turma das Fazendas de Almeirim a confirmar que pretende intrometer-se na disputa das posições cimeiras da pauta classificativa.

Surpresas – A grande surpresa da jornada foi protagonizada pelo Rio Maior – que, na semana anterior, denotara grande fragilidade, ante o U. Tomar –, indo vencer a Samora Correia por inesperado 3-2, somando preciosos pontos, que lhe poderão permitir estabilizar.

Também no Pego terá ocorrido relativa surpresa, com o Riachense a repetir o triunfo alcançado na última vez que ali se tinham defrontado, então na fase final de apuramento de Campeão e de promoção da II Divisão, da época passada, ganhando por 2-1.

Não terá sido propriamente uma surpresa, mas, atendendo em especial à forma como foi alcançado o desfecho final, talvez não se esperasse já que o Amiense deixasse escapar a vitória em Ferreira do Zêzere, depois de ter chegado a dispor de dois golos de vantagem, tendo, não obstante, permitido a recuperação ao adversário, que igualou a partida, a duas bolas.

Confirmações – O Coruchense prossegue – depois da tarde má na Taça de Portugal – um percurso de alguma tranquilidade, tendo somado terceira vitória em outros tantos desafios disputado, impondo-se por 4-2 no sempre difícil reduto da Glória do Ribatejo. Com um jogo em atraso, agendado para esta quarta-feira, no qual lhe cabe receber a visita do Moçarriense, o grupo do Sorraia integra, por agora, o lote de perseguidores do líder, a par de Cartaxo, U. Tomar e Abrantes e Benfica, todos a três pontos do U. Almeirim – mas trata-se, pois, de uma diferença que até poderá ter sido já entretanto anulada quando esta edição do jornal chegar aos leitores.

Por fim, na Moçarria, o desfecho de 2-2 estará em consonância com as expectativas, mas os torrejanos até poderiam ter alcançado melhor resultado, não fossem as vicissitudes do jogo, uma vez que se viram reduzido a dez elementos ainda na primeira parte, pese embora o Moçarriense também tivesse passado pela mesma situação já na parte final da partida.

Taça do Ribatejo – Terminada a fase de grupos da prova, Benavente, U. Atalaiense, Goleganense, Espinheirense, Pontével, Alcanenense, Marinhais, Porto Alto, Ortiga e Entroncamento avançam para a fase a eliminar. Uma nota de curiosidade para a invulgar profusão de golos registada nos jogos do Forense: um total de 25 golos em três jogos, com 12 golos marcados e 13 sofridos!…

Campeonato de Portugal – Pese embora actuassem nos respectivos terrenos, Fátima e U. Santarém não evitaram a derrota, confirmando-se as dificuldades já expectáveis: os fatimenses perderam 0-2 ante o Sertanense; os escalabitanos, por tangencial 2-3, frente ao B. C. Branco.

Os dois representantes do Distrito caíram já para posições preocupantes: o Fátima, com 6 pontos em outras tantas jornadas disputadas, ocupa o 11.º posto, um ponto acima da “linha de água”; o U. Santarém, um ponto abaixo, integra um quinteto, entre o 12.º e 16.º lugares.

Antevisão – Na I Divisão Distrital, imediatamente depois do U. Almeirim-Cartaxo, o líder não tem descanso, deslocando-se a Coruche, para defrontar o Coruchense, no que poderá traduzir um aliciante novo confronto entre guias.

O embate entre Abrantes e Benfica-Amiense será outro ponto de interesse da 5.ª jornada, enquanto o U. Tomar volta a jogar em casa, recebendo o Samora Correia, visando rectificar o resultado do último jogo. O Cartaxo assume natural favoritismo na recepção ao Ferreira do Zêzere.

Tem início no fim-de-semana o Distrital da II Divisão, destacando-se as seguintes partidas: Entroncamento-Caxarias, com a estreia do novo clube da cidade ferroviária, U. Atalaiense-U. Tomar “B”, Alcanenense-Ferreira do Zêzere “B” e Pontével-Espinheirense.

No Campeonato de Portugal, o Fátima desloca-se aos Açores (Ponta Delgada), para defrontar o Sp. Ideal, esperando pontuar; enquanto o U. Santarém viaja até Condeixa, onde encontrará um dos seus actuais parceiros na tabela.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 10 de Outubro de 2019)

13 Outubro, 2019 at 11:00 am Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Outubro 2019
S T Q Q S S D
« Set    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.