O Pulsar do Campeonato – 2ª Jornada

pulsar-2

(“O Templário”, 22.09.2016)

O que faz do futebol um jogo tão aliciante é (também) a sua frequente falta de lógica, com as equipas favoritas a serem superadas por outras teoricamente menos apetrechadas. O campeonato será tão mais interessante quanto mais tempo se mantiver o equilíbrio, nomeadamente a nível da disputa pelos lugares de topo da classificação.

Pois, se foram enriquecedores para a competição os triunfos do Samora Correia (em Riachos) e do Pego (frente ao Fazendense) – e, em certa medida, também a vitória do Mação, pese embora contrária aos interesses dos tomarenses –, já não será tão aprazível a forma como o Coruchense parece começar a impor-se, logo nesta fase de arranque da prova. Mas o campeonato é longo, e a “procissão ainda vai no adro”.

Isto, sem esquecer também que, por agora, o grupo do Sorraia partilha a liderança precisamente com o Pego e Samora Correia, os três clubes que conseguiram vencer os dois jogos já disputados, com a curiosidade de nenhum deles integrar este escalão na época anterior.

Destaques – O principal destaque da 2.ª ronda vai para a inesperada vitória do Samora Correia em Riachos, ante o favorito Riachense, por 2-1, a atrasar desde já um candidato, a parecer repetir a pecha que tanto o penalizou na temporada passada, por via da perda de pontos no seu terreno. Por seu lado, os samorenses, recém-chegados do escalão secundário, iniciam esta época sob os melhores auspícios, porventura a pensar em projectar-se para maiores aspirações que aquelas que, à partida, lhe seriam atribuídas.

Na mesma linha, para já totalmente vitorioso, segue o Pego, que, depois de ter começado por surpreender, ganhando em Ourém, bisou a surpresa, impondo-se ao favorito Fazendense (1-0), não obstante ter actuado no seu terreno. Os pegachos começam a amealhar pontos que lhes possibilitem resguardo em tempos menos férteis…

Realce ainda para o desfecho do desafio entre Mação e União de Tomar, com os maçaenses a vencerem por 2-1. Ao invés do que sucedera na jornada inicial, o União entraria, desta feita, praticamente a perder, tendo sofrido o primeiro tento ainda antes de decorridos dois minutos. Não abdicando de ir em busca dos pontos em disputa, os unionistas chegariam ao empate, ainda no primeiro tempo… mas mal teriam tempo para festejar, porque, de imediato, seriam sancionados com uma grande penalidade, de que resultou o golo do triunfo dos visitados. Na segunda metade – e procurando tirar partido da inovação introduzida neste campeonato, que permite até cinco substituições –, Lino Freitas faria, logo ao intervalo três alterações no “onze”; porém, à medida que o tempo ia decorrendo, o Mação ia-se fechando mais, com os tomarenses, paralelamente, a perder discernimento, não tendo conseguido evitar o primeiro desaire.

Confirmações – Para além do triunfo do Coruchense face ao Amiense, por convincente marca de 3-0 (ampliando o seu “score” global para 9-0, em apenas dois jogos), tiveram também resultados expectáveis o Cartaxo-At. Ouriense (1-0), e, pese embora algum favoritismo que seria atribuído aos almeirinenses, o nulo entre U. Almeirim e Torres Novas (curiosamente, o precedente e o próximo oponentes do União de Tomar).

Surpresa – Para além da maior surpresa – que se constitui paralelamente no principal destaque desta ronda (a vitória do Samora Correia em Riachos) –, não seria talvez previsível que, depois de terem sido “cilindrados” na partida inicial, no seu próprio terreno, os Empregados do Comércio tivessem reacção tão positiva, indo vencer ao campo do Campeão da II Divisão, Benavente (e por 2-0), o que coloca desde já os benaventenses, a par do At. Ouriense, na desconfortável posição de “lanterna vermelha”, únicas duas equipas que perderam os dois jogos.

Campeonato de Portugal Prio – À 4.ª jornada, o Fátima manteve a sua carreira triunfal, somando terceira vitória em outros tantos encontros disputados, “esmagando” uma exaurida equipa da Naval, por contundente 8-0 (passando o “score” geral da turma da Figueira da Foz, que acumula já quatro desaires, para arrepiante 0-18); os fatimenses, recém-promovidos do Distrital seguem num excelente 2.º posto, apenas superados pelo Sertanense (já com quatro vitórias). Quanto ao Alcanenense, recebendo uma equipa despromovida da II Liga, Mafra, não evitou ser desfeiteado, em casa, por 1-2, repartindo agora o 3.º lugar precisamente com este adversário (o qual, contudo, regista um jogo em atraso) e com o surpreendente Gafetense, numa série com liderança destacada (somando igualmente quatro triunfos) pelo Praiense.

Antevisão – Na próxima jornada do Distrital da I Divisão, destaca-se o clássico União de Tomar-Torres Novas, que coloca frente a frente os dois clubes com maior historial do Distrito, esperando-se que os unionistas possam confirmar a sua condição de favoritos neste confronto.

Também particularmente aliciante se afigura o desafio entre Fazendense e Cartaxo, duas das equipas tradicionalmente de topo neste escalão. De interesse será igualmente o Samora Correia-U. Almeirim.

Os principais candidatos à disputa do título têm saídas de grau de dificuldade similar, nas quais reúnem favoritismo, mas em que um imprevisto pode “estar à espreita”: o Coruchense desloca-se a Ourém, enquanto o Riachense visita a Ribeira de Santarém, restando saber qual a “cara” com que se apresentarão os “Caixeiros” (a da primeira jornada, ou a da segunda?).

O Campeonato de Portugal terá, no próximo fim-de-semana, uma breve pausa, para disputa da 2.ª eliminatória da Taça de Portugal, com as duas equipas do Distrito que se mantêm em prova a defrontarem dois clubes repescados, após terem sido derrotados na ronda inaugural, pelo que assumirão a condição de favoritas: o Fátima recebe o Pampilhosa (penúltimo na sua série do Nacional), enquanto o Alcanenense é visitado pelo Sendim, de Miranda do Douro, a militar no Distrital de Bragança (que fora goleado por 1-8 pela A. D. Oliveirense na eliminatória anterior).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 22 de Setembro de 2016)

25 Setembro, 2016 at 11:00 am Deixe o seu comentário

O Pulsar do Campeonato – 1ª Jornada

(“O Templário”, 15.09.2016)

A ronda inaugural do Campeonato Distrital da I Divisão da Associação de Futebol de Santarém parece ter vir confirmado, desde logo, o favoritismo atribuído às equipas do Coruchense e do Riachense, tendo obtido categóricos triunfos, em ambos os casos em terreno alheio.

De facto, não sendo previsível que a edição deste ano da prova tenha um clube tão dominador como foi, na época passada, o Fátima (um Campeão “pré-anunciado”), o Coruchense – recém-despromovido do Campeonato de Portugal – perfila-se, à partida, como principal favorito, em função da forma como se reforçou, tendo recrutado o anterior técnico do Cartaxo, André Luís, o qual se fez acompanhar de cerca de metade dos seus habituais titulares no conjunto vice-campeão, para além do regresso de Joel (ex-Fazendense), entre outras contratações.

Numa disputa pelo título que se espera seja muito mais aberta que a do ano passado, o Riachense, também pela forma activa como marcou presença no período de “defeso”, será possivelmente o principal concorrente da turma do Sorraia, tendo iniciado também a prova da melhor forma, impondo-se no “derby” municipal.

Destaques – O principal destaque da jornada vai, necessariamente, para a soberba goleada aplicada pelo Coruchense na deslocação à Ribeira de Santarém, ganhando por 6-0 aos Empregados do Comércio. Um desfecho que, mais adiante se poderá aquilatar melhor, traduzirá, ou uma inequívoca superioridade da formação de Coruche, ou uma grande debilidade da equipa da casa… ou, eventualmente, um misto de ambas as situações. Para já, os “Caixeiros”, prestes a completar o centenário de existência (em 2017), que apenas na derradeira ronda do campeonato anterior haviam conseguido assegurado a manutenção, parecem necessitar melhorar bastante o seu desempenho, dada a fragilidade defensiva evidenciada.

Mas se começa por ser impressionante esta entrada em competição do Coruchense, possivelmente, mais relevante terá sido a vitória obtida pelo Riachense, em Torres Novas, por 2-0, repetindo aliás o triunfo alcançado já nas duas partidas que havia disputado no campeonato anterior com a equipa da sede do município, um histórico do futebol distrital, porventura em fase menos positiva. Em qualquer dos casos, um início bem afirmativo do “onze” dos Riachos.

Confirmações – Esperando-se que a disputa pelos lugares de topo da tabela possa alargar-se a outros concorrentes, Fazendense e União de Tomar começaram por confirmar, perante adversários valorosos, que estão preparados para manter o habitual alto nível de desempenho (2.º e 3.º lugar para os tomarenses, nas duas temporadas anteriores; 5.º, 4.º e 3.º posto para a formação das Fazendas, de 2013 a 2015, tendo o pior registo do ano passado sido compensado com a conquista da Taça do Ribatejo).

O Fazendense, recebendo o Mação – clube que se pauta por extrema regularidade competitiva, classificando-se sempre entre a 4.ª e a 7.ª posição, um permanente candidato aos lugares cimeiros – venceu, também por 2-0.

Quanto ao União de Tomar, defrontando um também reforçado U. Almeirim, ambicionando igualmente melhorar bastante o 7.º posto averbado no ano anterior, começou por ter a felicidade de marcar o tento que lhe proporcionaria a vitória, logo aos três minutos. Depois, no decurso do primeiro tempo, criaria mais um conjunto de oportunidades, que, contudo, não conseguiria concretizar. Na etapa complementar, apostando sobretudo em preservar a vantagem, permitiria aos almeirinenses criar mais perigo. Em síntese, um promissor começo para os nabantinos.

Situando-se, em princípio, noutro patamar – em busca de uma posição tranquila na tabela –, noutro “derby”, do município de Benavente, entre dois clubes recém-promovidos, o Samora Correia bateu o Benavente por 1-0.

Surpresas – Num confronto entre duas equipas que terão aspirações similares, visando também garantir, o mais cedo possível, uma posição de tranquilidade no que respeita à permanência, registou-se a maior surpresa desta primeira ronda, com o Pego (outro recém-promovido) a ir vencer a Ourém, o At. Ouriense por 2-1.

Menos surpreendente, embora talvez não linearmente expectável, terá sido a vitória do Amiense na recepção ao Cartaxo, por 1-0, com os cartaxeiros, depois da brilhante temporada do ano passado, a necessitarem tempo para reorganizar a sua equipa, que vinha sendo trabalhada há alguns anos, desde os escalões de formação.

Campeonato de Portugal Prio – Já na sua 3.ª jornada desta prova de índole nacional, o Fátima – que vencera as duas primeiras partidas – viu o seu encontro com o Sp. Ideal (Açores) ser adiada; por seu lado, o Alcanenense, jogando também nos Açores, ante o histórico Lusitânia, obteve excelente triunfo por 3-0, somando seis pontos, posicionando-se no 2.º posto.

Antevisão – Na próxima ronda do Distrital da I Divisão, o desafio de maior cartaz será o Mação-U. Tomar, uma saída de elevado grau de dificuldade para os unionistas, que, não obstante, aí venceram por uma vez, tendo ainda registado três empates, nos últimos seis anos.

Nos encontros Coruchense-Amiense, Riachense-Samora Correia e Cartaxo-At. Ouriense, seria grande a surpresa se não vencessem os clubes visitados.

Outras partidas de interesse, teoricamente de maior equilíbrio, serão o U. Almeirim-Torres Novas, o Pego-Fazendense (com algum favoritismo a pender para os visitantes) e o Benavente-Empregados do Comércio, que poderá dar uma melhor ideia da efectiva valia destes conjuntos.

No Nacional, o Fátima, recebendo uma depauperada equipa da Naval, parece ser amplamente favorito, enquanto o Alcanenense terá um teste difícil, com a visita do Mafra

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 15 de Setembro de 2016)

18 Setembro, 2016 at 11:00 am Deixe o seu comentário

Liga Europa – 1ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo H
Konyaspor – Shakthar Donetsk – 0-1
Sp. Braga – Gent – 1-1

1º Shakthar Donetsk, 3; 2º Gent e Sp. Braga, 1; 4º Konyaspor, 0

Tal como sucedera com Benfica, FC Porto e Sporting, também o Sp. Braga não conseguiu ir além de um eventualmente comprometedor empate caseiro, no caso, tendo reagido à desvantagem inicial com que cedo se confrontou.

(mais…)

15 Setembro, 2016 at 11:50 pm 1 comentário

Liga dos Campeões – 1ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo A
Paris St.-Germain – Arsenal – 1-1
Basel – Ludogorets – 1-1

1º Arsenal, Basel, Ludogorets e Paris St.-Germain, 1

Grupo B
D. Kyiv – Napoli – 1-2
Benfica – Beşiktaş – 1-1

1º Napoli, 3; 2º Benfica e Beşiktaş, 1; 4º D. Kyiv, 0

Grupo C
Barcelona – Celtic – 7-0
Manchester City – B. Mönchengladbach – 4-0

1º Barcelona e Manchester City, 3; 3º B. Mönchengladbach e Celtic, 0

Grupo D
Bayern – Rostov – 5-0
PSV Eindhoven – At. Madrid – 0-1

1º Bayern e At. Madrid, 3; 3º PSV Eindhoven e Rostov, 0

Grupo E
Bayer Leverkusen – CSKA Moskva – 2-2
Tottenham – Monaco – 1-2

1º Monaco, 3; 2º Bayer Leverkusen e CSKA Moskva, 1; 4º Tottenham, 0

Grupo F
Real Madrid – Sporting – 2-1
Legia Warsaw – B. Dortmund – 0-6

1º B. Dortmund e Real Madrid, 3; 3º Sporting e Legia Warsaw, 0

Grupo G
Brugge – Leicester – 0-3
FC Porto – København – 1-1

1º Leicester, 3; 2º FC Porto e København, 1;  4º Brugge, 0

3ºGrupo H
Lyon – D. Zagreb –  3-0
Juventus – Sevilla – 0-0

1º Lyon, 3; 2º Juventus e Sevilla, 1; 4º D. Zagreb, 0

Para além de resultados extremamente desnivelados, com grandes goleadas como os 7-0 do Barcelona ao Celtic, os 6-0 do B. Dortmund em Varsóvia, frente ao Legia, os 5-0 do Bayern-Rostov, ou mesmo os 4-0 do Manchester City ao B. Mönchengladbach, esta jornada inaugural fica também marcada pela forma como as equipas portuguesas deixaram escapar – todas elas – a vantagem de que chegaram a desfrutar, no caso do Benfica, sofrendo o empate já em período de compensação, tendo o Sporting perdido mesmo, consentindo dois tentos em curtíssimo espaço de tempo, o do empate aos 89 minutos, e o que consumou a reviravolta a favor do Real Madrid, também já para além do tempo regulamentar…

14 Setembro, 2016 at 9:48 pm Deixe o seu comentário

Liga dos Campeões – 1ª Jornada (Benfica – Beşiktaş)

BenficaBenfica – Ederson Moraes, Nélson Semedo, Lisandro López, Victor Lindelöf, Alex Grimaldo, André Horta, Ljubomir Fejsa (89m – Guillermo Celis), Eduardo Salvio, Franco Cervi (70m – Andreas Samaris), Pizzi e Gonçalo Guedes

At. MadridBeşiktaş – Tolga Zengin, Andreas Beck, Marcelo, Duško Tošić, Adriano (63m – Cenk Tosun), Gökhan Inler, Atiba Hutchinson, Ricardo Quaresma, Oğuzhan Özyakup (45m – Anderson Talisca), Caner Erkin e Vincent Aboubakar (81m – Olcay Şahan)

1-0 – Franco Cervi – 12m
1-1 – Anderson Talisca – 90m

Cartões amarelos – Andreas Samaris (78m) e Eduardo Salvio (87m); Caner Erkin (87m) e Andreas Beck (88m)

Árbitro – Milorad Mažić (Sérvia)

Iniciando esta fase de grupos da Liga dos Campeões, recebendo, teoricamente, o concorrente menos difícil, o Benfica acabaria por vir a ser penalizado, já em período de descontos, deixando escapar uma vitória que tão importante poderia vir a revelar-se nas contas finais.

Privada de uma série de elementos fulcrais, quer na defesa, mas, sobretudo, na dianteira (nomeadamente com as forçadas ausências de Jardel, Rafa, Jiménez, Mitroglou e Jonas), a equipa portuguesa teve de recorrer a Franco Cervi e Gonçalo Guedes como homens mais adiantados no terreno.

Não obstante, a boa exibição de Fejsa e André Horta, a pautar o jogo a meio-campo, proporcionaram ao Benfica um absoluto controlo das operações, com sucessivas recuperações de bola a originar investidas para o ataque, rapidamente premiadas com o golo, obtido logo aos 12 minutos, por Cervi, muito oportuno, a antecipar-se à defesa, na recarga a uma defesa incompleta de Zengin a um primeiro remate de Salvio, bem desmarcado por André Horta.

Esta vantagem alcançada ainda numa fase inicial do encontro tranquilizou e motivou os jogadores benfiquistas, que beneficiariam então da possibilidade de procurar explorar rápidos lances de contra-ataque, em situações de superioridade numérica que, caso tivessem sido mais bem aproveitadas, poderiam ter possibilitado o ampliar da vantagem… e o consolidar do triunfo.

Para a segunda parte, a equipa turca fez entrar em campo o emprestado Anderson Talisca, a par de alterações tácticas de posicionamento, com Quaresma mais activo. Subindo gradualmente de rendimento, o Beşiktaş começaria a ameaçar, forçando Ederson Moraes a excelentes intervenções, a negar o tento do empate.

Ao invés, o sinal dado pelo Benfica era, nesta fase final, o de procurar a contenção, com a entrada de Andreas Samaris para reforço do meio-campo defensivo. Ainda assim, poderia ter “matado” o jogo, caso Gonçalo Guedes tivesse materializado em golo uma soberana oportunidade de que dispôs, isolado face ao guardião contrário, mas permitindo-lhe uma defesa “in-extremis”, com os pés.

Já numa fase em que geria as substituições (Fejsa saíra aos 89 minutos, por troca com Celis, e José Gomes preparava-se para entrar, em cima do minuto 90) – a culminar uma prestação algo desequilibrada do Benfica, entre as duas partes do jogo -, uma falta cometida próxima da área daria o melhor pretexto para Talisca se “vingar”, não perdoando, rematando sem apelo, na cobrança do livre, convertendo-o em golo, que retirava os tais dois pontos de uma vitória que parecia adquirida…

13 Setembro, 2016 at 9:40 pm Deixe o seu comentário

Suíça – Portugal (Mundial 2018 – Qualif.)

Suíça Suíça – Yann Sommer, Stephan Lichtsteiner (70m – Silvan Widmer), Fabian Schär, Johan Djourou, Ricardo Rodríguez, Valon Behrami, Granit Xhaka, Blerim Džemaili (89m – Gelson Fernandes), Breel Embolo, Admir Mehmedi e Haris Seferović (78m – Eren Derdiyok)

Portugal Portugal – Rui Patrício, Cédric Soares, Pepe, José Fonte, Raphaël Guerreiro, William Carvalho (45m – João Mário), Bernardo Silva, Adrien Silva, João Moutinho (68m – Ricardo Quaresma), Nani e Éder (45m – André Silva)

1-0 – Breel Embolo – 23m
2-0 – Admir Mehmedi – 30m

Cartões amarelos – Admir Mehmedi (41m) e Granit Xhaka (70m)

Cartão vermelho – Granit Xhaka (90m)

Árbitro – Antonio Mateu Lahoz (Espanha)

No regresso à competição oficial, agora aureolada com o magno estatuto de Campeã da Europa, a selecção nacional começou por ter – neste jogo de arranque para a qualificação para o Campeonato do Mundo de 2018 – uma bastante boa entrada em jogo, com uns 20 minutos iniciais de bom nível, com forte intensidade, dominando, assumindo a iniciativa, tendo Éder e Bernardo Silva estado perto de inaugurar o marcador.

Porém, no curto espaço de apenas sete minutos, dois erros defensivos, decorrentes de falhas de concentração – com a equipa, aparentemente, preocupada em não jogar “feio” (o que poderia ter sido eficaz na salvaguarda da sua baliza) – proporcionaram à Suíça uma vantagem que, desde logo, se percebeu que muito dificilmente poderia ser anulada, até por algum natural desânimo que, no imediato, e até final do primeiro tempo, não deixaria de se apoderar do grupo.

Primeiro, num livre apontado por Ricardo Rodríguez, com Rui Patrício a defender para a frente, sem que Cédric tivesse pronta reacção, que pudesse ter impedido a recarga de Breel Embolo. Pouco depois, uma estanha apatia e passividade de William Carvalho e João Moutinho proporcionaram uma arrancada de Admir Mehmedi, sem oposição, triangulando com Haris Seferović, com tempo para tudo, com o mesmo Mehmedi a ir concretizar o lance em golo.

Ao intervalo, Fernando Santos ainda procuraria inverter o rumo dos acontecimentos, injectando moral nos seus jogadores, e procurando transmitir sinais de inconformismo, traduzidos na entrada de João Mário e André Silva. Tal permitiria que Portugal pudesse voltar a assumir o controlo do jogo, perante uma equipa suíça, naturalmente, agora mais na expectativa, que foi recuando, em busca de preservar a preciosa vantagem adquirida.

Mas, na verdade, tal superioridade teórica não teria, no imediato, concretização em soberanas oportunidades e, ainda menos, se materializaria em golo. Seria já com Quaresma em campo, para os derradeiros vinte minutos, que tais ocasiões viriam então a surgir, especialmente num lance em que Nani não conseguiria dar a melhor sequência a centro de Quaresma, cabeceando a bola… mas na direcção do poste.

Um arranque em falso, perante o adversário directo na disputa pelo apuramento, sendo que apenas o 1.º classificado do grupo garantirá directamente a presença na fase final do Mundial, o que – não obstante estarmos ainda numa fase muito prematura deste torneio – quase requer necessariamente uma vitória no jogo de retribuição, quando recebermos em Portugal a visita da formação suíça.

Com o desempate final a operar-se com base na diferença global de golos, será importante começar, desde já, no próximo encontro, com Andorra, a recuperar o atraso… esperando, paralelamente, por uma “escorregadela” suíça na Hungria.

GRUPO B        Jg   V   E   D     G    Pt
1º Suíça        1   1   -   -   2 - 0   3
2º Letónia      1   1   -   -   1 - 0   3
3º Hungria      1   -   1   -   0 - 0   1
4º I. Faroé     1   -   1   -   0 - 0   1
5º Andorra      1   -   -   1   0 - 1   -
6º Portugal     1   -   -   1   0 - 2   -

1ª jornada

06.09.2016 – Andorra – Letónia – 0-1
06.09.2016 – I. Faroé – Hungria – 0-0
06.09.2016 – Suíça – Portugal – 2-0

6 Setembro, 2016 at 9:42 pm Deixe o seu comentário

Liga Europa – 2016-17 – Sorteio da Fase de Grupos

Grupo A          Grupo B          Grupo C          Grupo D
Man. United      Olympiakos       Anderlecht       Zenit
Fenerbahçe       APOEL            St.-Étienne      AZ Alkmaar
Feyenoord        Young Boys       Mainz            M. Tel-Aviv
Zorya            Astana           Qäbälä           Dundalk

Grupo E          Grupo F          Grupo G          Grupo H
V. Plzeň         Athletic Bilbao  Ajax             Shakthar
Roma             Genk             Standard Liège   Sp. Braga
Austria Wien     Rapid Wien       Celta            Gent
Astra Giurgiu    Sassuolo         Panathinaikos    Konyaspor

Grupo I          Grupo J          Grupo K          Grupo L
Schalke 04       Fiorentina       Inter            Villarreal
Salzburg         PAOK             Sparta Praha     Steaua
Krasnodar        Slovan Liberec   Southampton      Zurich
Nice             Qarabağ          H. Beer-Sheva    Osmanlıspor

A primeira jornada disputa-se já no próximo dia 15 de Setembro, estando agendado para 8 de Dezembro o termo desta fase de Grupos.

A Final da Liga Europa será disputada em Solna (Estocolmo), na Suécia, a 24 de Maio de 2017.

26 Agosto, 2016 at 12:41 pm Deixe o seu comentário

Liga dos Campeões – 2016-17 – Sorteio da Fase de Grupos

Grupo A         Grupo B         Grupo C         Grupo D
P. St.-Germain  Benfica         Barcelona       Bayern
Arsenal         Napoli          Man. City       At. Madrid
Basel           D. Kyiv         B. M'gladbach   PSV
Ludogorets      Beşiktaş        Celtic          Rostov

Grupo E         Grupo F         Grupo G         Grupo H
CSKA Moskva     Real Madrid     Leicester       Juventus
B. Leverkusen   B. Dortmund     FC Porto        Sevilla
Tottenham       Sporting        Brugges         Lyon
Monaco          Legia Warsaw    København       D. Zegreb

A primeira jornada disputa-se já nos próximos dias 13 e 14 de Setembro, estando agendado para 6 e 7 de Dezembro o termo desta fase de Grupos.

A Final da Liga dos Campeões desta temporada disputa-se no “Millennium Stadium”, em Cardiff, no País de Gales, a 3 de Junho de 2017.

25 Agosto, 2016 at 5:54 pm Deixe o seu comentário

Artigos mais antigos


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Setembro 2016
M T W T F S S
« Aug    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.