Liga dos Campeões – 3ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo A
Benfica – Manchester United –
CSKA Moskva – Basel –

1º Manchester United, 6; 2º Basel e CSKA Moskva, 3; 4º Benfica, 0

Grupo B
Bayern – Celtic –
Anderlecht – Paris St.-Germain –

1º Paris St.-Germain, 6; 2º Bayern e Celtic, 3; 4º Anderlecht, 0

Grupo C
Chelsea – Roma –
Qarabağ – At. Madrid –

1º Chelsea, 6; 2º Roma, 4; 3º At. Madrid, 1; 4º Qarabağ, 0

Grupo D
Barcelona – Olympiakos –
Juventus – Sporting –

1º Barcelona, 6; 2º Sporting e Juventus, 3; 4º Olympiakos, 0

Grupo E
Maribor – Liverpool – 0-7
Spartak Moskva – Sevilla – 5-1

1º Liverpool e Spartak Moskva, 5; 3º Sevilla, 4; 4º Maribor, 1

Grupo F
Feyenoord – Shakthar Donetsk – 1-2
Manchester City – Napoli – 2-1

1º Manchester City, 9, 2º Shakthar Donetsk, 6; 3º Napoli, 3; 4º Feyenoord, 0

Grupo G
RB Leipzig – FC Porto – 3-2
Monaco – Beşiktaş – 1-2

1º Beşiktaş, 9; 2º RB Leipzig, 4; 3º FC Porto, 3; 4º Monaco, 1

Grupo H
Real Madrid – Tottenham – 1-1
APOEL – B. Dortmund – 1-1

1º Real Madrid e Tottenham, 7; 3º B. Dortmund e APOEL, 1

 

Anúncios

17 Outubro, 2017 at 9:39 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 3ª Jornada

Pulsar-03

(“O Templário”, 12.10.2017)

Após a disputa da 3.ª jornada da I Divisão Distrital, registo para uma situação peculiar: a notória clivagem entre o pelotão dos oito primeiros classificados, compactados num intervalo de apenas três pontos, e o lote dos cinco últimos, que somaram derrotas em todos os três jogos já realizados, caso de que não existe memória recente, assumindo o Cartaxo – que, curiosamente, ainda não se estreou a jogar em casa – uma posição de charneira entre os dois grupos.

Destaques – O principal destaque desta ronda vai para a soberba goleada (5-0) imposta pelo Fazendense face a um irreconhecível Riachense, actual “lanterna vermelha”, culminando uma semana terrível, depois do desaire na Glória do Ribatejo, para a Taça do Ribatejo. Um desfecho que contribui para duas faces da mesma moeda: por um lado, coloca a turma das Fazendas de Almeirim como a mais realizadora da prova, a par do Samora Correia, ao mesmo tempo que implica que o conjunto de Riachos seja, por agora, o mais batido, em parceria com o Ferreira do Zêzere, acumulando cada uma das equipas já uma dezena de tentos sofridos!

E pegando precisamente por aí, pelos referidos “parceiros”, encontraram-se ambos em Samora Correia, com os samorenses a aplicar também “chapa” 5 aos ferreirenses (mas, neste caso, com o marcador final a cifrar-se num inusual 5-2), com a particularidade suplementar de o conjunto de Ferreira do Zêzere ter ainda desperdiçado duas grandes penalidades, que poderiam ter colorido o “placard” de forma ainda mais extraordinaria…

Assim, Fazendense, Samora Correia e U. Almeirim formam agora um trio de perseguição aos líderes, entretanto reduzido ao par constituído por Mação e Amiense, únicas equipas a somar por vitórias as três partidas realizadas. Neste âmbito merece também realce o triunfo averbado pelos almeirinenses na Ribeira de Santarém, batendo os Caixeiros por 2-0.

Para o desmembramento do anterior trio de comandantes, contribuiu um desconcertante At. Ouriense, que vem intervalando os severos desaires sofridos ante o Mação (0-4 para o campeonato, e 1-4, em casa, para a Taça do Ribatejo) com outros desfechos bem positivos, como foi agora o caso da vitória alcançada na deslocação a Torres Novas, impondo-se por categórica marca de 3-1.

Confirmações – Numa ronda sem surpresas a assinalar, o Amiense manteve a “folha limpa”, recebendo e batendo o Cartaxo, mercê de um solitário tento, o suficiente para continuar a liderar a prova. Como referido, este foi o terceiro desafio sucessivo que os cartaxeiros realizaram em terreno alheio, tendo, até ao momento, vencido um, empatado outro e perdido este.

O Mação confirmou o favoritismo, ganhando ao Moçarriense por 3-1, cotando-se, para já, com a entrada mais afirmativa neste arranque de época, comandando o campeonato, e tendo obtido uma notável vitória em Ourém, para a Taça (isto, depois de ter conquistado já a Supertaça).

Os mesmos números (3-1) se verificaram no União de Tomar-U. Abrantina, numa réplica quase integral do encontro dos tomarenses ante o Ferreira do Zêzere, da jornada inaugural, marcando cedo, chegando a vantagem de dois golos, consentindo depois o tento de honra do adversário, antes de confirmar a vitória. Os nabantinos partilham assim o 6.º posto com Torres Novas e At. Ouriense, mantendo-se a três pontos dos guias.

Ao invés, na cauda da tabela, ainda sem pontuar, para além dos três recém-promovidos, Moçarriense, U. Abrantina e Ferreira do Zêzere, também os Empregados do Comércio parecem começar a ver-se novamente envolvidos na zona aflitiva da classificação, um sector que era até agora desconhecido do Riachense, a maior surpresa pela negativa nesta fase inicial da prova.

II Divisão Distrital – Esta época abrangendo um total de 21 clubes participantes, repartidos em duas séries (uma de dez equipas e outra com onze), o segundo escalão do futebol distrital teve o seu arranque no passado fim-de-semana, apenas na série mais a Sul (Série B), com destaque para as vitórias das duas formações do município de Benavente, ambas por 2-0: o recém-despromovido Benavente bateu o regressado Pontével; o Barrosense impôs-se ao Forense. Menção ainda para a reedição do “derby” Salvaterrense-Marinhais (três dias apenas após o jogo da Taça, que opôs ambos os grupos), desta feita saldando-se por uma igualdade a um golo.

Campeonato de Portugal – Na 6.ª jornada do Nacional, o grande destaque vai para a goleada aplicada pelo Alcanenense em Sintra, ante o Sintrense, ganhando por 5-1, o que lhe permite ascender ao lote de vice-líderes, a dois pontos do Mafra.

Por seu lado, Coruchense e Fátima, pese embora actuando nos respectivos terrenos, não conseguiram ir além do empate, um nulo no Coruchense-Pêro Pinheiro, e a duas boas, no Fátima-Vilafranquense, resultados que não são os ideais para as necessidades de ambos os clubes; a turma do Sorraia ocupa agora a 7.ª posição, somente dois pontos acima da “linha de água”, enquanto os fatimenses, tendo somado o segundo ponto, mantém a indesejada “lanterna vermelha”, cinco pontos abaixo do último lugar que dará direito à manutenção.

Antevisão – Os campeonatos voltam a sofrer nova paragem no próximo fim-de-semana, para disputa das Taças. Na Taça Ribatejo, na sua 2.ª jornada, o jogo de maior cartaz será, indubitavelmente, o Mação-U. Tomar, um sério teste para os unionistas. Realce ainda para as seguintes partidas: Empregados do Comércio-Samora Correia, U. Almeirim-Glória do Ribatejo, assim como para a curiosidade do reencontro de dois históricos, Torres Novas-Tramagal.

Na Taça de Portugal, já nos 1/32 de final, o Fátima tem um aliciante encontro com o Chaves, enquanto o Coruchense se desloca a Arouca, para defrontar uma equipa que disputava também, na época passada, a I Liga. Missões bem espinhosas para as equipas representantes do Distrito.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 12 de Outubro de 2017)

15 Outubro, 2017 at 11:00 am Deixe um comentário

Mundial 2018 – Qualificação – Zona Europeia

Mundial2018-Europa-a-dMundial2018-Europa-e-hMundial2018-Europa-i-2

10 Outubro, 2017 at 9:52 pm Deixe um comentário

Portugal – Suíça (Mundial 2018 – Qualif.)

Portugal Portugal – Rui Patrício, Cédric Soares, Pepe, José Fonte, Eliseu (68m – Antunes), William Carvalho, João Mário (90m – Danilo Pereira), João Moutinho, Bernardo Silva, Cristiano Ronaldo e André Silva (75m – André Gomes)

Suíça Suíça – Yann Sommer, Stephan Lichtsteiner, Fabian Schär, Johan Djourou, Ricardo Rodríguez, Remo Freuler (45m – Denis Zakaria), Blerim Džemaili (66m – Steven Zuber), Granit Xhaka, Xherdan Shaqiri, Haris Seferović e Admir Mehmedi (66m – Breel Embolo)

1-0 – Johan Djourou (p.b.) – 41m
2-0 – André Silva – 57m

Cartões amarelos – Eliseu (45m); Remo Freuler (27m) e Denis Zakaria (69m)

Árbitro – Cüneyt Çakır (Turquia)

Culminando duas excelentes campanhas, em paralelo, com o pleno de vitórias face aos restantes adversários do grupo – pese embora se tenha revelado de nível geral bastante fraco, sobretudo no que respeita à Hungria e à Letónia, muito aquém das expectativas -, Portugal e Suíça tinham encontro marcado para esta espécie de “final”, que ditaria qual dos dois garantiria o apuramento directo, em prejuízo do outro, forçado a “horas extraordinárias”, num sempre imprevisível “play-off”.

A selecção suíça, com a vantagem teórica de poder jogar com dois resultados – apenas a derrota não servia as suas aspirações – apresentou-se muito coesa, com um forte sentido de colectivo, bem posicionada, jogando “olhos nos olhos” com os portugueses, mas, efectivamente, sem criar especial perigo.

Por seu lado, a equipa lusa, ambicionando a vitória, sabia que teria de ser paciente e não conceder qualquer espécie de facilidades ao oponente. Assim, com o jogo muito equilibrado a meio-campo, o primeiro lance de maior “frisson” surgiria já próximo dos 40 minutos, num remate de Bernardo Silva, a que o guardião suíço deu a melhor resposta para as suas cores.

Quando se esperava que o intervalo chegasse com o nulo no marcador, Portugal viria então a ser feliz: na sequência de um centro de Eliseu, João Mário atrapalhou Sommer e Djorou, tendo o guarda-redes desviado a bola contra o defesa, que, involuntariamente, fez auto-golo.

À saída para o descanso os papéis invertiam-se: era Portugal que passava a estar “qualificado”, cabendo aos suíços ir em busca do prejuízo.

Mas, contrariamente ao que sucedera há três dias em Andorra, desta feita o segundo tento surgiria cedo, ainda antes do quarto de hora da segunda metade, com André Silva, muito oportuno, a finalizar um lance criado por João Moutinho e Bernardo Silva.

Desde logo se sentiu que o apuramento já não nos escaparia. A equipa portuguesa, muito segura e confiante, controlou o jogo a seu bel-prazer, anulando qualquer veleidade que os suíços pudessem ter.

Ao invés, na parte final do desafio, seria inclusivamente Portugal a dispor de oportunidades para ampliar a marca, com Cristiano Ronaldo, isolado frente a Sommer, a permitir a defesa (80 minutos), e, já em período de compensação, Bernardo Silva, a perder o “timing” de uma assistência para Ronaldo, que, provavelmente, teria resultado em mais um golo, que lhe teria proporcionado igualar o polaco Lewandowski como melhor goleador desta fase de qualificação europeia para o Mundial.

Portugal, superior no momento decisivo, cumpria o seu destino: privilegiando o “jogar bem”, em detrimento do “jogar bonito”, completava uma série perfeita de nove vitórias, garantindo assim a 10.ª presença consecutiva em fases finais de grandes competições internacionais, desde 2000 (cinco Campeonatos da Europa e cinco Campeonatos do Mundo)!

GRUPO B        Jg   V   E   D     G    Pt
1º Portugal    10   9   -   1  32 - 4  27
2º Suíça       10   9   -   1  23 - 7  27
3º Hungria     10   4   1   5  14 -14  13
4º I. Faroé    10   2   3   5   4 -16   9
5º Letónia     10   2   1   7   7 -18   7
6º Andorra     10   1   1   8   2 -23   4

10ª jornada

10.10.2017 – Hungria – I. Faroé – 1-0
10.10.2017 – Letónia – Andorra – 4-0
10.10.2017 – Portugal – Suíça – 2-0

(mais…)

10 Outubro, 2017 at 9:35 pm Deixe um comentário

Prémio Nobel da Economia – 2017

O prémio Nobel da Economia 2017 foi hoje atribuído a Richard H. Thaler (EUA), pelos “seus contributos para a economia comportamental”.

9 Outubro, 2017 at 2:17 pm Deixe um comentário

Andorra – Portugal (Mundial 2018 – Qualif.)

Andorra Andorra – Josep Antoni Gomes, Jesús “Chus” Rubio, Ildefons Lima, Max Llovera, Moisès San Nicolas, Victor Rodríguez (87m – Juli Sánchez), Marc Rebés, Marc Vales, Ludovic Clemente (79m – Alex Martínez), Márcio Vieira (90m – Sergi Moreno) e Jordi Aláez

Portugal Portugal – Rui Patrício, Nélson Semedo, Pepe, Luís Neto, Eliseu, Danilo, Gelson Martins (45m – Cristiano Ronaldo), João Mário, Ricardo Quaresma (79m – William Carvalho), Bernardo Silva e André Silva (90m – Gonçalo Guedes)

0-1 – Cristiano Ronaldo – 63m
0-2 – André Silva – 86m

Cartões amarelos – Jordi Aláez (37m), Moisès San Nicolas (57m), Victor Rodríguez (75m) e Sergi Moreno (90m)

Árbitro – Miroslav Zelinka  (R. Checa)

Não foi um bom jogo esta última etapa da selecção portuguesa, a caminho da “final” com a Suíça, mas, pode dizer-se “missão cumprida” na tarefa – que se confirmou ser imprescindível – de, após o “passo em falso” na estreia desta fase de qualificação, vencer todas as partidas, em ordem a continuar a depender exclusivamente de si própria.

Pese embora a imperiosa necessidade de vencer – caso tal não sucedesse, esvaziar-se-ia de conteúdo o derradeiro encontro, ante a Suíça, dado que tudo teria ficado já antecipadamente definido, a favor dos suíços – a realidade competitiva sobrepôs-se e Fernando Santos optou mesmo por preservar alguns dos titulares, poupando-os ao esforço e a eventuais “cartões amarelos”, que os poderiam afastar do prélio decisivo.

Num campo de dimensões reduzidas e com relvado sintético, a equipa portuguesa denotou muita dificuldade em contornar a barreira defensiva andorrana, muito compacta, preenchendo todos os espaços, não tendo conseguido impor a velocidade necessária para poder fazer desequilibrar a organização contrária.

No final do primeiro tempo podia dizer-se que se “alugava meio terreno”, mas as ocasiões de perigo junto da área de Andorra rarearam, destacando-se a tentativa de Quaresma, aos 26 minutos, e um remate de meia distância de Pepe, aos 40 minutos.

Com o nulo teimosamente a manter-se – nula altura em que, paralelamente, na Suíça, os nossos mais directos rivais tinham decidido já, em seu proveito, a contenda face aos húngaros -, Cristiano Ronaldo seria chamado a entrar em acção para o segundo tempo.

E, não obstante a toada do jogo não se tivesse alterado substancialmente, bastaria pouco mais de um quarto de hora para que, numa sobra de bola, Cristiano Ronaldo, muito eficaz, não perdoasse, apontando o seu 15.º tento nesta fase de qualificação, desbloqueando assim o problema que se vinha perfilando.

Inaugurado o marcador, Portugal beneficiaria então, na fase final da partida, de mais espaço, proporcionado também pela fadiga que se ia acumulando nos jogadores da casa, acabando por obter o golo da tranquilidade já bem próximo do termo do encontro.

Confirmava-se a “final”, com a Suíça, “pré-agendada” há mais de um ano…

GRUPO B        Jg   V   E   D     G    Pt
1º Suíça        9   9   -   -  23 - 5  27
2º Portugal     9   8   -   1  30 - 4  24
3º Hungria      9   3   1   5  13 -14  10
4º I. Faroé     9   2   3   4   4 -15   9
5º Letónia      9   1   1   7   3 -18   4
6º Andorra      9   1   1   7   2 -19   4

9ª jornada

07.10.2017 – I. Faroé – Letónia – 0-0
07.10.2017 – Andorra – Portugal – 0-2
07.10.2017 – Suíça – Hungria – 5-2

(mais…)

7 Outubro, 2017 at 9:34 pm Deixe um comentário

Prémio Nobel da Paz – 2017

O prémio Nobel da Paz 2017 foi hoje atribuído à Campanha Internacional para Abolição de Armas Nucleares, pelo trabalho desenvolvido para chamar a atenção para as consequências humanitárias catastróficas do uso de armas nucleares e pelos esforços inovadores para alcançar um acordo de proibição de tais armas.

6 Outubro, 2017 at 3:25 pm Deixe um comentário

Prémio Nobel da Literatura – 2017

O prémio Nobel da Literatura 2017 foi hoje atribuído a Kazuo Ishiguro (Inglaterra, nascido no Japão), pelos seus “romances de grande força emocional, que revelam o abismo da nossa ilusória sensação de conforto em relação ao mundo”.

Ishiguro é autor dos seguintes livros:

  • As Colinas de Nagasaki (1982)
  • Os Despojos do Dia (1989)
  • Os Inconsolados (1995)
  • Quando Éramos Órfãos (2000)
  • Nunca me Deixes (2005)
  • Nocturnos (2009)
  • O Gigante Enterrado (2015)

5 Outubro, 2017 at 5:46 pm Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Outubro 2017
S T Q Q S S D
« Set    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

  • RT @2010MisterChip: Los equipos ingleses en la Champions League 2017-18: 10 victorias 3 empates 0 derrotas 40 goles a favor 8 goles en cont… 1 hour ago
  • RT @fcancio: melhor intervencao d marcelo desde q foi eleito e das melhores d um pr d q m lembro. tirando o inicio q m pareceu um pouco for… 2 hours ago
  • RT @Vega9000: Este discurso do Marcelo foi de antologia. Que carga de porrada monumental. 2 hours ago

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.