Liga dos Campeões – 1/8 de final (1.ª mão)

13.02.2018 – Juventus – Tottenham – 2-2
13.02.2018 – Basel – Manchester City – 0-4
14.02.2018 – FC Porto – Liverpool – 0-5
21.02.2018 – Sevilla – Manchester United – 0-0
14.02.2018 – Real Madrid – Paris St.-Germain – 3-1
21.02.2018 – Shakthar Donestsk – Roma – 2-1
20.02.2018 – Chelsea – Barcelona – 1-1
20.02.2018 – Bayern – Beşiktaş – 5-0

Anúncios

21 Fevereiro, 2018 at 10:37 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 16ª Jornada

Pulsar-16

(“O Templário”, 15.02.2018)

Na ronda imediata a um inesperado desaire caseiro, o Mação volta a restabelecer distâncias, beneficiando do facto de, entre os cinco primeiros, ter sido o único a vencer! Num campeonato com bastantes “reviravoltas”, os maçaenses continuam em posição aparentemente confortável, quando se entra nas dez derradeiras jornadas, portanto, com a “meta” a começar a aproximar-se.

Destaques – Pela segunda semana consecutiva, o destaque maior vai para a U. Abrantina, que soma dois êxitos frente aos dois primeiros classificados; depois de vencer em Mação, voltou a triunfar, frente ao U. Tomar (2-1), numa partida, porém, de grande controvérsia, sem, com tal, se pretender retirar mérito à turma de Abrantes, que prossegue a sua caminhada, em busca de zona mais tranquila da classificação (ultrapassou o Amiense, subindo à 10.ª posição).

Não tendo assistido ao desafio, apenas é possível opinar com base nos ecos que vão chegando, que apontam para um conjunto de lances duvidosos, em que, em todos eles, a decisão foi penalizadora para os tomarenses: um suposto fora-de-jogo no segundo tento dos visitados; uma presumível grande penalidade não sancionada a favor dos nabantinos, para além de dois golos invalidados… convenhamos que se trata de uma conjugação adversa de reduzida probabilidade.

Para o U. Tomar fica, de novo, o amargo de mais uma derrota em terreno alheio (na condição de visitantes, em nove jogos, os unionistas ganharam apenas três, empataram três, perdendo outros três), voltando a denotar dificuldades em se impor, depois de uma fase em que evidenciara domínio avassalador, obtendo, de forma consecutiva, as tais três vitórias fora de casa, o que adia as perspectivas de recuperação pontual, agravando a dependência face aos resultados do guia.

Na 16.ª jornada, merecem igualmente realce os triunfos averbados “fora de portas” pelo Samora Correia (2-0 em Ferreira do Zêzere), e pelo Torres Novas, em Ourém, ante o At. Ouriense (2-1). Os samorenses parecem querer deixar para trás uma fase muito negativa, de cinco desaires consecutivos, tendo, enfim, voltado às vitórias, e logo no terreno da equipa-sensação do campeonato! Por seu lado, os torrejanos, que vinham também de três derrotas sucessivas, confirmaram a sua propensão para desfechos positivos fora de casa, ganhando pela quinta vez.

Surpresas – A principal surpresa sucedeu em Almeirim, onde o União local não conseguiu desfazer o nulo, na recepção ao “lanterna vermelha”, Empregados do Comércio, que vai procurando “fazer pela vida”, somando alguns pontos, pese embora insuficientes, vendo a “linha de água” cada vez mais distante. Assim, o U. Almeirim, que se projectava pudesse ser o principal beneficiado desta ronda, acaba por atrasar-se uma vez mais face ao comandante.

O outro clube do município, o Fazendense, não conseguiu melhor, empatando a dois golos na deslocação a Riachos, onde o Riachense visa o mesmo que os “Caixeiros”: ir amealhando pontos, de que tão carenciado está, mas, paralelamente, se vê em posição cada vez mais difícil. O grupo das Fazendas continua em boa posição na pauta classificativa (um excelente 2.º lugar), mas, agora, também com desvantagem alargada (sete pontos) em relação ao Mação.

Confirmações – Precisamente, os maçaenses, numa sempre difícil deslocação ao terreno da Moçarria, pareciam poder vacilar outra vez, com o Moçarriense a conservar o empate a um tento praticamente até final do encontro, acabando, contudo, por ceder, tendo o Mação chegado ao segundo golo, que lhe proporcionou um crucial triunfo, confirmando assim o favoritismo.

Por fim, o Cartaxo obteve aquela que é, apenas, a sua terceira vitória em casa, impondo-se por 2-0 ao Amiense, que, deste modo, volta a cair em posição nada confortável da classificação (11.º lugar), em função da evolução que se vai observando no Nacional, numa disputa que envolve também o At. Ouriense, Samora Correia e U. Abrantina, em busca de uma posição que garanta o afastar de aflições maiores, que possam vir a decorrer de despromoções ao Distrital.

II Divisão Distrital – A Norte, o guia, Tramagal, mantém-se seguro, ganhando ao Caxarias (1-0), destacando-se o triunfo do Rio Maior na Atalaia (também por 1-0), assim como a goleada do Pego (6-2, face ao At. Pernes), com os pegachos a recuperar, a seis pontos do 3.º lugar.

A Sul, a nota de principal realce vai para o U. Santarém, que conseguiu quebrar a invencibilidade do líder, Glória do Ribatejo (agora igualado pelo Marinhais), ganhando por 2-1, dando um passo crucial na aproximação ao 3.º lugar, só a um escasso ponto, beneficiando ainda de ter um jogo a menos (aproveitando, da melhor forma, o nulo no Vale da Pedra-Benavente).

Campeonato de Portugal – Enquanto o Fátima prossegue, paulatinamente, a sua recuperação, ganhando por 1-0 ao 1.º Dezembro, ascendendo ao 9.º posto, a surpresa da 20.ª jornada foi protagonizada pelo Alcanenense, que – depois de seis desaires sucessivos –, aproveitou a visita ao Sorraia, para triunfar por inesperada marca de 3-0, o que, no imediato, se traduz no “arrastar” do Coruchense (que até vinha numa sucessão de resultados positivos) também para a zona abaixo da “linha de água” (11.º lugar), pese embora em igualdade pontual com Sintrense e Pêro Pinheiro, trio de que o conjunto de Alcanena (13.º) regista agora dois pontos de desvantagem.

Antevisão – No escalão principal, as próximas duas rondas poderão revelar-se determinantes, destacando-se, no imediato, o Mação-Cartaxo, em que o comandante terá de manter o foco, para evitar ser surpreendido, enquanto o U. Tomar recebe o Moçarriense, assumindo o favoritismo. De interesse será também o Fazendense-Ferreira do Zêzere, tendo o U. Almeirim uma difícil saída, até Amiais de Baixo, para defrontar um intranquilo Amiense.

Na II Divisão, a Norte, realce para o embate entre o duo que reparte o 2.º lugar, Rio Maior-Aldeiense, com Caxarias-U. Atalaiense na expectativa de poder tirar dividendos desta ronda. A Sul, para além do “derby” Glória do Ribatejo-Salvaterrense, as atenções estarão também orientadas para o Benavente-Marinhais, partida em que se cruzam os 3.º e 2.º classificados.

No Nacional, Coruchense e Alcanenense terão também confrontos da maior relevância para a definição do seu futuro próximo: o conjunto do Sorraia desloca-se a Pêro Pinheiro, cabendo à equipa de Alcanena receber o Sintrense, precisamente o último posicionado acima da “linha de água”. O Fátima viaja até V. F. Xira, onde terá, no actual 2.º classificado, bem difícil obstáculo.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 15 de Fevereiro de 2018)

18 Fevereiro, 2018 at 12:00 pm Deixe um comentário

Roger Federer n.º 1 do ranking ATP

Federer-n1-Roterdão2018

5 anos e 3 meses depois, com 36 anos e meio de idade, Roger Federer volta a ser o n.º 1 do Ranking ATP, posição que conquistou pela primeira vez há já 14 anos, voltando a somar semanas às 302 que já passou como líder mundial, 237 delas consecutivamente, entre Fevereiro de 2004 e Agosto de 2008! Fenomenal, o melhor desportista do mundo de todos os tempos!

Ao garantir a presença nas meias-finais do Torneio de Roterdão, batendo nos 1/4 de final, o holandês Robin Haase, Federer somou os pontos que lhe permitem superar a marca do até agora n.º 1 do ranking, o espanhol Rafael Nadal (9.760 pontos), atingindo, para já, os 9.785 pontos.

Esta será a quarta passagem do suíço pela liderança do ranking profissional de ténis, onde se estreou a 02.02.2004, permanecendo nessa posição até 18.08.2008, ao longo de 237 semanas. Depois, voltaria ainda a assumir essa condição entre 06.07.2009 e 07.06.2010 (48 semanas); e entre 9 de Julho e 4 de Novembro de 2012 (17 semanas).

É o seguinte o “top 10” dos n.º 1 do ranking que mais semanas mantiveram essa liderança:

1.º Roger Federer – Suíça – 302 semanas (237 semanas consecutivas)
2.º Pete Sampras – EUA – 286 semanas (102 semanas consecutivas)
3.º Ivan Lendl – R. Checa – 270 semanas (157 semanas consecutivas)
4.º Jimmy Connors – EUA – 268 semanas (160 semanas consecutivas)
5.º Novak Djokovic – Sérvia – 223 semanas (122 semanas consecutivas)
6.º John McEnroe – EUA – 170 semanas (58 semanas consecutivas)
7.º Rafael Nadal – Espanha – 167 semanas (56 semanas consecutivas)
8.º Björn Borg – Suécia – 109 semanas (46 semanas consecutivas)
9.º Andre Agassi – EUA – 101 semanas (52 semanas consecutivas)
10.º Lleyton Hewitt – Austrália – 80 semanas (75 semanas consecutivas)

Actualização, a 18.02.2018 – Tendo vencido o Torneio de Roterdão, ao ganhar na final, frente ao búlgaro Grigor Dimitrov, por duplo 6-2, Roger Federer passa a somar 10.105 pontos no ranking ATP.

16 Fevereiro, 2018 at 10:20 pm Deixe um comentário

Liga Europa – 1/16 de final (1.ª mão)

B. Dortmund – Atalanta – 3-2
Nice – Lokomotiv Moskva – 2-3
København – At. Madrid – 1-4
Spartak Moskva – Athletic Bilbao – 1-3
AEK – D. Kyiv – 1-1
Celtic – Zenit – 1-0
Napoli – RB Leipzig – 1-3
Crvena Zvezda – CSKA Moskva – 0-0
Lyon – Villarreal – 3-1
Real Sociedad – Salzburg – 2-2
Partizan – Viktoria Plzeň – 1-1
FCSB – Lazio – 1-0
Ludogorets – AC Milan – 0-3
Astana – Sporting – 1-3
Östersunds – Arsenal – 0-3
Olympique Marseille – Sp. Braga – 3-0

15 Fevereiro, 2018 at 11:02 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 15ª Jornada

Pulsar-15

(“O Templário”, 08.02.2018)

Temos campeonato! A surpreendente derrota do Mação, no seu terreno, ante a U. Abrantina, constitui mais um alerta de que, necessariamente, serão prematuras quaisquer análises “definitivas”, quando a prova apenas agora dá os primeiros passos na sua segunda metade. Sem que tal traduza que o guia venha a claudicar, voltámos a ter quatro clubes na disputa do título…

Destaques – Não seria de prever que o líder, depois de, na viragem da primeira para a segunda volta, ter suplantado “com distinção” uma dupla jornada em campo alheio (frente a opositores tão difíceis como se têm revelado esta temporada o At. Ouriense e o Ferreira do Zêzere) – a que acresceu ainda a “cereja” da imponente goleada frente ao Samora Correia, no jogo da Taça (num total de 14 golos apontados nestes três desafios) –, viesse a vacilar no seu próprio reduto, perdendo (0-1) ante um adversário (U. Abrantina) que continua a lutar tenazmente para procurar escapar aos lugares da cauda da tabela… mas foi o que sucedeu, com os maçaenses, desta feita, em situação de desvantagem no marcador desde cedo, incapazes de marcar um único tento!

A realçar nesta jornada, também o categórico triunfo do U. Almeirim, impondo-se por 3-0 no Cartaxo, que, afinal, volta a ceder no seu ambiente (quarto desaire caseiro em sete jogos!) – tendo de voltar a preocupar-se mais com os seus perseguidores, do que ambicionar os “grandes feitos” que prometia para esta época –, numa confirmação cabal de que os almeirinenses se mantêm bem “vivos”, pese embora ocupem o 4.º posto da tabela, a seis pontos do comandante.

Surpresa – Para além dos dois destaques anteriores – em que, obviamente, o êxito da turma de Abrantes constituiu a maior surpresa da ronda –, houve também surpresa, quanto mais não seja em função dos números, na vitória do Ferreira do Zêzere em Torres Novas, goleando por expressiva marca de 4-0. Até onde poderá chegar este fantástico grupo ferreirense, é a questão que se pode colocar, numa altura em que consolidou a sua 5.ª posição (somente a quatro pontos do 2.º lugar…), a mesma distância que o separa do 6.º classificado, precisamente os torrejanos.

Confirmações – Nas outras quatro partidas, confirmaram-se as tendências que os diversos clubes envolvidos vêm demonstrando no seu percurso nesta edição da I Divisão Distrital.

Desde logo, com o U. Tomar a receber e a vencer o At. Ouriense, por magro e algo sofrido 2-1. Depois de uma forte entrada, inaugurando o marcador ainda antes do quarto de hora e chegando ao 2-0 com pouco mais de vinte minutos, os unionistas adoptaram uma toada que incidiu preferencialmente no controlo do jogo, sempre à espreita de poder aplicar o “contra-golpe” que sentenciasse o desfecho do encontro. Contudo, o tal terceiro golo acabaria por não surgir, e, ao invés, tendo o adversário conseguido reduzir para a diferença tangencial já na fase terminal do jogo, os derradeiros dez minutos fizeram pairar alguma incerteza no resultado final, não obstante os tomarenses tenham, nesse período, sido muito seguros na gestão do tempo, não concedendo oportunidades a um sempre difícil rival. Assim, tendo prontamente restabelecido a diferença face ao líder, nos cinco pontos, voltam a ter todo o direito a continuar a “sonhar”…

Na Ribeira de Santarém, o outro vice-líder, Fazendense, experimentou também dificuldades – tendo chegado a consentir a igualdade aos “Caixeiros” –, mas conseguiu o mais importante para as suas cores, averbando os três pontos em disputa, ganhando por igual marca de 2-1, segurando a sua sensacional (por inesperada) posição na pauta classificativa.

O Samora Correia conseguiu, enfim, interromper a terrível série negativa de cinco derrotas sucessivas no campeonato, tendo, já na parte final do desafio, evitado novo desaire, acabando por empatar (2-2) frente ao “aflito” Riachense – que, não só mantém a penúltima posição, como inclusivamente, em função dos triunfos registados por Amiense e U. Abrantina, se vê mais distanciado de lugares que possam proporcionar maior tranquilidade, numa altura em que as notícias que vão chegando do Nacional não são nada animadoras…

Por fim, havia sido já disputado na semana anterior o Amiense-Moçarriense, com a turma de Amiais de Baixo (ganhando 1-0) a encerrar a mais prolongada série sem vitórias no campeonato (seis jogos), já antes registada pela U. Abrantina e, actualmente em curso, pelo Samora Correia.

II Divisão Distrital – As duas “cimeiras de líderes”, a Norte e a Sul, saldaram-se por dois empates: 1-1 no Rio Maior-Tramagal; 0-0 no “derby” Glória-Marinhais. Disso se aproveitaram o Aldeiense, a colar-se ao Rio Maior no 2.º posto, e a U. Atalaiense, apenas um ponto abaixo. Destaque ainda para a soberba goleada (8-1) imposta pelo Pego na visita a Alferrarede.

A Sul, o Benavente (3.º classificado) não conseguiu desfazer o nulo ante o Porto Alto, tendo agora mais presente a ameaça do U. Santarém, somente a três pontos (e com um jogo a menos)

Campeonato de Portugal – Os resultados positivos obtidos pelo Coruchense (empate a zero, face ao 3.º classificado, Praiense) e pelo Fátima (vitória 1-0 nas Caldas, ante o semi-finalista da Taça de Portugal) contrastam com o péssimo desfecho do Alcanenense, batido (1-2) no seu terreno pelo “lanterna vermelha”, Guadalupe, ampliando para seis derrotas o terrível ciclo que subsiste em curso e que, a não ser rapidamente revertido, poderá ter reflexos irremediáveis.

Com os grupos do Sorraia e Fátima a ocuparem os últimos lugares (9.º e 10.º) acima da “linha de água”, o conjunto de Alcanena (13.º) dista agora já sete pontos do 8.º classificado (Caldas), começando a ser forte a ameaça de que não seja possível a manutenção dos três clubes.

Antevisão – Na I Divisão Distrital, cabe agora ao U. Tomar defrontar precisamente a equipa que bateu o líder, a U. Abrantina, numa bem difícil deslocação a Abrantes; por seu lado, o Mação também não deverá encontrar facilidades na visita à Moçarria, com o U. Almeirim (que recebe os Empregados do Comércio) em posição de poder “capitalizar” nesta próxima jornada.

No escalão secundário, a Norte, o Tramagal-Caxarias e o U. Atalaiense-Rio Maior serão jogos de especial interesse; enquanto, a Sul, teremos um aliciante U. Santarém-Glória do Ribatejo.

No Nacional, o confronto entre Coruchense e Alcanenense assume cariz determinante para os forasteiros, enquanto o Fátima receberá a visita do 1.º de Dezembro (actual 6.º classificado).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 8 de Fevereiro de 2018)

11 Fevereiro, 2018 at 12:00 pm Deixe um comentário

Portugal Campeão da Europa de Futsal

1024
Com uma vitória no prolongamento, por 3-2, sobre a Espanha, na Final da competição, a selecção de Portugal sagrou-se hoje Campeã da Europa de Futsal. Portugal acumula assim os dois títulos europeus: de futebol e de futsal.

A caminhada vitoriosa de Portugal nesta fase final do torneio, disputada na Eslovénia, teve início na fase de grupos, com dois triunfos, sobre a Roménia (4-1) e a Ucrânia (5-3), tendo prosseguido nos 1/4 de final (8-1 frente ao Azerbaijão) e nas 1/2 finais (3-2 à Rússia).

Palmarés da competição (vencedores):

  • Espanha – 6 (2001, 2005, 2007, 2010, 2012 e 2016)
  • Itália – 2 (2003 e 2014)
  • Rússia – 1 (1999)
  • Portugal – 1 (2018)

A Bola

10 Fevereiro, 2018 at 11:58 pm Deixe um comentário

Berlim – 10.315 dias com muro / 10.315 dias sem muro

5 Fevereiro, 2018 at 11:15 am Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – Taça do Ribatejo – 1/4 de final

Pulsar-TRibatejo - 1-4 final

(“O Templário”, 01.02.2018)

Os dois primeiros classificados do campeonato, Mação e União de Tomar, garantiram também o apuramento para as meias-finais da Taça do Ribatejo, parecendo “prometer” novo duelo, pela conquista deste troféu, sendo acompanhados por duas equipas escalabitanas, ambas qualificadas no desempate da marca de grande penalidade: o “lanterna vermelha” da I Divisão, Empregados do Comércio, e o agora único resistente do escalão secundário, U. Santarém.

Destaque – O destaque vai, uma vez mais, para nova goleada do Mação, batendo por inapelável 6-0 o Samora Correia. Começam a faltar palavras para caracterizar a campanha dos maçaenses, qual “rolo compressor”; depois de uma (curta) fase em que pareceu poder vacilar, com um ciclo de vitórias tangenciais (incluindo, por curiosidade, o triunfo por 1-0, precisamente sobre os samorenses), a par da inesperada perda de pontos na Ribeira de Santarém, o líder do campeonato voltou a mostrar-se amplamente dominador (com 14 golos nos últimos três jogos!).

Ao invés, necessariamente, algo terá de correr muito mal nas hostes de Samora – um grupo com bons valores, que se apresentava como candidato no arranque da época –, registando um terrível score de 2-20, nos seus últimos cinco desafios, os quais se saldaram, todos eles, por derrota.

Na partida do passado fim-de-semana, o Mação cedo sentenciou o desfecho da eliminatória, com dois tentos obtidos ainda na fase inicial do jogo, com o marcador a avolumar-se com alguma naturalidade, perante um opositor que, a partir daí, pouco mais tinha a defender que a sua dignidade, tendo procurado contrariar a adversidade e chegar, pelo menos, ao ponto de honra, que, contudo, não conseguiria alcançar.

Surpresas – A grande surpresa desta ronda foi a eliminação do Torres Novas, no seu reduto, ante o U. Santarém, clube que busca a promoção à divisão principal (posiciona-se, actualmente, no 4.º lugar da série Sul da II Divisão), não tendo os torrejanos conseguido melhor que a igualdade a uma bola, para acabarem por ser surpreendidos no desempate da marca de grande penalidade, cabendo agora aos escalabitanos o exclusivo da representação do seu escalão.

A outra equipa do município de Santarém, Empregados do Comércio, conseguiu igualmente surpreender, empatando a dois golos com o Ferreira do Zêzere – que vinha de um moralizador triunfo, na jornada anterior do campeonato, a consolidar o seu excelente desempenho nesta temporada –, tendo sido também mais feliz no desempate da marca de grande penalidade.

No próximo dia 6 de Fevereiro, veremos se o sorteio das meias-finais ditará um confronto entre os dois grupos da capital do Distrito – garantindo, desde logo, a representação do município na final –, ou se terão de enfrentar os actuais dois primeiros classificados do campeonato…

Confirmação – Num festivo ambiente de Taça, em que se salienta o desportivismo evidenciado pelos adeptos do Glória do Ribatejo, que afluíram em bom número à cidade de Tomar, o União confirmou o seu favoritismo, ganhando por 2-0, apurando-se assim – apenas pela segunda vez no seu historial, depois da época de 2002-03 – para as meias-finais da competição.

Perante um adversário competente, já com tradições na prova (semi-finalista por duas vezes consecutivas, em 2013-14 e 2014-15), motivado por praticamente um ano de invencibilidade – desde a eliminação nos 1/8 de final da edição precedente da competição (no início de Fevereiro do ano passado) –, os unionistas adoptaram uma toada de grande rigor, assumindo a iniciativa do jogo, em busca do golo, mas sempre sem descurar a segurança defensiva.

Num primeiro tempo praticamente de “sentido único”, os tomarenses inauguraram o marcador ainda antes dos vinte minutos de jogo, o que lhes conferiu maior tranquilidade. Porém, na segunda metade, a turma da Glória, nunca se entregando, lutando com todas as forças em ordem a tentar chegar ao empate, valorizou sobremaneira a vitória “rubro-negra”, numa tarde em que o forte vento dificultou a tarefa dos jogadores, na prática de um futebol mais apoiado. O tento da confirmação apenas chegaria a escassos minutos do final, novamente por Wemerson, a bisar na partida, em mais uma etapa superada na caminhada para a conquista deste tão ansiado troféu.

Campeonato de Portugal – Parece não haver maneira de as equipas do Distrito “acertarem o passo” no Nacional, vendo-se, a cada semana que passa, em posição cada vez mais aflitiva.

De facto, na 18.ª jornada, de positivo, apenas a assinalar o nulo que o Coruchense impôs ao até então líder, Vilafranquense (em função desse desfecho, a ceder novamente o comando ao Mafra). Quer o Fátima, quer o Alcanenense saíram derrotados, em partidas em que se esperaria mais: os fatimenses, actuando no seu reduto, foram desfeiteados pelo Torreense (5.º classificado) por 1-2; a formação de Alcanena perdeu por 0-1 em Pêro Pinheiro, trocando de posições precisamente com esse adversário, baixando ao 13.º lugar, sendo agora dois os clubes do Distrito abaixo da “linha de água”, situação na qual voltou a cair o Fátima. Preocupante…

Antevisão – Na retoma dos campeonatos distritais, na I Divisão – que teve já um jogo antecipado, disputado no passado fim-de-semana, com o Amiense, enfim, a regressar aos triunfos (1-0, na recepção ao Moçarriense) – o guia, Mação, perfila-se como favorito, sendo visitado pela “vizinha” U. Abrantina, enquanto o U. Tomar recebe um sempre difícil rival, At. Ouriense. Menção ainda ao Empregados do Comércio-Fazendense e Cartaxo-U. Almeirim.

Na II Divisão, a Norte, realce para o embate entre os dois primeiros da tabela, com o Rio Maior a receber o líder, Tramagal; na série mais a Sul, teremos um sempre apetecido “derby”, curiosamente, envolvendo também os dois primeiros, com o Marinhais a visitar o guia, Glória.

No Campeonato de Portugal, uma vez mais, não se antevêem grandes facilidades para os representantes do Distrito: o Coruchense viaja até aos Açores, para defrontar o Praiense, 3.º classificado, ainda com aspirações a alcançar um dos lugares que possam proporcionar a disputa da subida de divisão; o Fátima desloca-se às Caldas (actualmente na 6.ª posição); por fim, o Alcanenense está “proibido” de falhar na recepção ao “lanterna vermelha”, Guadalupe.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 1 de Fevereiro de 2018)

4 Fevereiro, 2018 at 12:00 pm Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Fevereiro 2018
S T Q Q S S D
« Jan    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.