Mundial 2022 – 1/8 de final


Melhores Marcadores:

  • 5 golos – Kylian Mbappé (França)
  • 3 golos – Álvaro Morata (Espanha), Bukayo Saka (Inglaterra), Cody Gakpo (Países Baixos), Enner Valencia (Equador), Lionel Messi (Argentina), Marcus Rashford (Inglaterra), Olivier Giroud (França) e Richarlison (Brasil)
  • 2 golos – Aleksandar Mitrović (Sérvia), Andrej Kramarić (Croácia), Breel Embolo (Suíça), Bruno Fernandes (Portugal), Cho Gue-sung (Coreia do Sul), Ferrán Torres (Espanha), Giorgian De Arrascaeta (Uruguai), Kai Havertz (Alemanha), Mehdi Taremi (Irão), Mohammed Kudus (Ghana), Niclas Füllkrug (Alemanha), Ritsu Dōan (Japão), Robert Lewandowski (Polónia), Salem Al-Dawsari (A. Saudita) e Vincent Aboubakar (Camarões)

5 Dezembro, 2022 at 10:10 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 11ª Jornada

(“O Templário”, 01.12.2022)

Ao fim de onze jornadas já não há equipas invictas: o último resistente, Samora Correia, não conseguiu evitar o desaire na deslocação ao Cartaxo; desfecho de que beneficiou o U. Tomar, para, ganhando em Ferreira do Zêzere, se isolar no comando da pauta classificativa, seguido de perto por Fazendense (apenas a dois pontos) e pelo grupo samorense, que baixou ao 3.º posto.

Destaques – O primeiro destaque vai, pois, para a turma do Cartaxo, a qual, a realizar boa campanha no seu reduto (onde conta, até agora, quatro vitórias e dois empates), conseguiu ser a primeira a derrotar o Samora Correia, por tangencial 3-2, numa partida em que cedo se colocou em vantagem (logo ao minuto 10), posição que recuperou no início da segunda parte, com o 2-1, acabando por se registar ainda mais dois tentos, um para cada lado, já em tempo de compensação: primeiro, os donos da casa a ampliar para 3-1, vindo os samorenses a fechar a contagem.

Pode ter sido verbalizado por todos que era “mais um jogo”, mas, efectivamente, era bastante mais que isso: o Ferreira do Zêzere-U. Tomar foi, para além de um tradicional “quase derby”, entre dois rivais vizinhos, um embate entre duas equipas com aspirações neste campeonato, com cariz mais determinante para os visitados, bastante atrasados na tabela, a que acresceu a assaz invulgar particularidade – que fez dele ainda mais especial – de, na formação ferreirense, oito (!) dos jogadores que integraram o “onze” inicial terem alinhado, em anos recentes, pelo União.

De facto, num jogo entre “velhos conhecidos” e, mais que isso, colegas e amigos, o Ferreira do Zêzere entrou em campo com os 2.º (David Vieira), 3.º (Fábio Vieira), 4.º (Filipe Cotovio), 5.º (Tiago Vieira) e 7.º (Chrystian Pedroso) jogadores com mais jogos ao serviço do emblema tomarense na última década – os outros dois são Nuno Rodrigues (1.º, presentemente a representar o Mação, depois de ter passado também por Ferreira), e Luís Alves (6.º, que, por razões de saúde, se viu forçado a suspender a prática do futebol) –, todos transferidos no início desta época.

Também Ricardo Simões, Caio Lucas e Miguel Abreu – assim como Ricardo Gerardo, que entrou no final do desafio – vestiram as cores rubro-negras em anos anteriores; inclusivamente, o treinador ferreirense, David Lourenço, foi também adjunto no U. Tomar. Do lado unionista, actuaram três antigos jogadores do Ferreira do Zêzere: Guilherme Camargo e José Charles (que, esta temporada, fizeram o “percurso inverso” aos cinco acima mencionados) e Henrique Matos.

Quanto ao jogo em si, foi um encontro sem casos, um exemplo, em que o “fair-play” imperou, com ascendente inicial dos donos da casa, tendo os visitantes conseguido, a partir de meio do primeiro tempo, repartir a iniciativa – então, com ambas as equipas a privilegiar as transições rápidas –, vindo os nabantinos a ser premiados com o que acabaria por ser o único golo da partida, logo aos 25 minutos, na sequência de um lance de bola parada, numa excelente finalização de Pedro Pires, celebrando da melhor forma o seu 100.º jogo com a camisola do U. Tomar.

Os ferreirenses podiam ter empatado à passagem da meia hora (bola no poste), mas o União teve também ocasião para ampliar a vantagem mesmo a fechar os primeiros 45 minutos. Na segunda parte, os visitados tentaram ir “atrás do prejuízo”, assenhoreando-se do domínio do jogo, com os tomarenses, submetidos a intensa (mas pouco eficaz) pressão, a mostrarem-se – tal como sucedera em Fátima – muito solidários (com a “agravante” de, por lesão, e consequente substituição dos dois laterais, um logo aos 27 e, outro, aos 55 minutos, terem sido forçados a “improvisar”).

Foi o 5.º triunfo consecutivo do U. Tomar (quarto em seis jogos fora de casa), num notável ciclo; já o Ferreira do Zêzere mostrou valia para melhorar significativamente o modesto 10.º posto que passou a ocupar, mesmo que se avizinhem novos compromissos de elevado grau de dificuldade.

A última nota de realce vai para mais uma importante vitória (2-1) do Alcanenense, em Abrantes, a consolidar a 5.ª posição, ao mesmo tempo que contribui para o agudizar da “crise” do Abrantes e Benfica (cinco jogos sem ganhar), tendo caído para muito inesperado 13.º lugar.

Confirmações – Numa jornada sem particulares surpresas a assinalar, seriam de alguma forma expectáveis os resultados dos outros cinco jogos. O agora vice-líder, Fazendense, ganhou, com naturalidade, por 3-0, face ao último classificado, Entroncamento; tendo o Mação (já 7.º) batido o Benavente, por 2-1, após ter operado reviravolta no marcador, depois de ter “entrado a perder”.

O Torres Novas, a protagonizar muito boa recuperação – tendo igualado pontualmente o Ferreira do Zêzere, partilhando a 10.ª posição –, superiorizou-se ao Águias de Alpiarça, também mercê de solitário golo, já na parte final do desafio. Por seu lado, o Salvaterrense impôs ao Fátima (penúltimo classificado) quarto desaire sucessivo, ganhando por 2-0.

Por fim, At. Ouriense (6.º) e Amiense (4.º) neutralizaram-se, empatando a uma bola, sendo que os homens de Ourém apenas no derradeiro minuto marcaram o tento que evitou a derrota.

II Divisão Distrital – Na 8.ª jornada esteve particularmente em evidência o Vasco da Gama, ganhando por 2-0 no Tramagal, ascendendo ao 2.º lugar da série B, a par do Pego (que folgou), mas, ambos, já a oito pontos do Riachense, que “soma e segue” (2-0 em Alferrarede, contando agora sete triunfos e um único empate cedido).

Mais a Sul, o Moçarriense (2-1, frente ao Porto Alto) continua a liderar, com dois escassos pontos de vantagem em relação a Forense (2-0 ao Rebocho) e Espinheirense (ganhando por 2-1, no Paço dos Negros), e três face ao Marinhais (que bateu o U. Almeirim por inequívoca marca de 3-0).

Campeonato de Portugal – Esta foi uma ronda positiva, com vitórias categóricas do Coruchense (4-0, na recepção ao Alcains) e do U. Santarém (3-0, também no seu terreno, ao União da Serra). Já o Rio Maior não evitou novo desaire (0-2) caseiro, ante o agora guia isolado, 1.º Dezembro.

Os escalabitanos repartem o 5.º lugar com o B. C. Branco, somente a um ponto do trio de vice-líderes, formado por Sintrense, Pêro Pinheiro e Mortágua… e apenas a três do comandante!

O conjunto do Sorraia continua a ser 10.º classificado, mas reduziu para dois pontos o atraso face à “linha de água” (Sertanense, 8.º, em igualdade pontual com o 9.º, União da Serra). Por seu lado, o Rio Maior subsiste a onze distantes pontos dessa zona delimitadora.

Antevisão – A 12.ª jornada oferece-nos o que poderá ser o “jogo-grande” deste campeonato, entre aqueles que se perfilam, porventura, como os dois principais favoritos ao título, chegando a este confronto posicionados já nos dois lugares de topo da tabela: U. Tomar e Fazendense.

De grande interesse será também o desafio Samora Correia-Ferreira do Zêzere, tal como o Fátima-Mação. Alcanenense e Amiense serão favoritos, na recepção a Torres Novas e Salvaterrense.

O escalão secundário tem jornada dupla, com a 9.ª ronda agendada para o feriado de 1 de Dezembro, na qual pontificavam as partidas Moçarriense-Forense, Espinheirense-Marinhais, Riachense-Caxarias e Pego-Tramagal. Já no Domingo (10.ª), realce para o Vilarense-Riachense.

Também na 10.ª jornada do Campeonato de Portugal, com as três equipas do Distrito a viajar, o U. Santarém visita Mortágua (4.º), o Coruchense vai à Sertã, e o Rio Maior à Marinha Grande.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 1 de Dezembro de 2022)

4 Dezembro, 2022 at 11:00 am Deixe um comentário

Mundial 2022 – 1/8 de final

2 Dezembro, 2022 at 10:05 pm Deixe um comentário

Mundial 2022 – Resultados e Classificações – 3ª jornada

GRUPO A        Jg  V  E  D   G  Pt  Qatar-Equador.........0-2
P. Baixos  Países Baixos  3  2  1  -  5-1  7  Senegal-Países Baixos.0-2
Senegal    Senegal  3  2  -  1  5-4  6  Qatar-Senegal.........1-3
Equador    Equador  3  1  1  1  4-3  4  Países Baixos-Equador.1-1
Qatar      Qatar  3  -  -  3  1-7  -  Países Baixos-Qatar...2-0
                                    Equador-Senegal.......1-2

GRUPO B        Jg  V  E  D   G  Pt  Inglaterra-Irão.......6-2
Inglaterra Inglaterra  3  2  1  -  9-2  7  EUA-País Gales........1-1
EUA        EUA  3  1  2  -  2-1  5  Inglaterra-EUA........0-0
Irão       Irão  3  1  -  2  4-7  3  País Gales-Irão.......0-2
País Gales País de Gales  3  -  1  2  1-6  1  País Gales-Inglaterra.0-3
                                    Irão-EUA..............0-1

GRUPO C        Jg  V  E  D   G  Pt  Argentina-A. Saudita..1-2
Argentina  Argentina  3  2  -  1  5-2  6  México-Polónia........0-0
Polónia    Polónia  3  1  1  1  2-2  4  Argentina-México......2-0
México     México  3  1  1  1  2-3  4  Polónia-A. Saudita....2-0
A. Saudita A. Saudita  3  1  -  2  3-5  3  Polónia-Argentina.....0-2
                                    A. Saudita-México.....1-2

GRUPO D        Jg  V  E  D   G  Pt  França-Austrália......4-1
França     França  3  2  -  1  6-3  6  Dinamarca-Tunísia.....0-0
Austrália  Austrália  3  2  -  1  3-4  6  França-Dinamarca......2-1
Tunísia    Tunísia  3  1  1  1  1-1  4  Tunísia-Austrália.....0-1
Dinamarca  Dinamarca  3  -  1  2  1-3  1  Tunísia-França........1-0
                                    Austrália-Dinamarca...1-0

GRUPO E        Jg  V  E  D   G  Pt  Espanha-Costa Rica....7-0
Japão      Japão  3  2  -  1  4-3  6  Alemanha-Japão........1-2
Espanha    Espanha  3  1  1  1  9-3  4  Espanha-Alemanha......1-1
Alemanha   Alemanha  3  1  1  1  6-5  4  Japão-Costa Rica......0-1
Costa Rica Costa Rica  3  1  -  2  3-11 3  Japão-Espanha.........2-1
                                    Costa Rica-Alemanha...2-4

GRUPO F        Jg  V  E  D   G  Pt  Bélgica-Canadá........1-0
Marrocos   Marrocos  3  2  1  -  4-1  7  Marrocos-Croácia......0-0
Croácia    Croácia  3  1  2  -  4-1  5  Bélgica-Marrocos......0-2
Bélgica    Bélgica  3  1  1  1  1-2  4  Croácia-Canadá........4-1
Canadá     Canadá  3  -  -  3  2-7  -  Croácia-Bélgica.......0-0
                                    Canadá-Marrocos.......1-2

GRUPO G        Jg  V  E  D   G  Pt  Brasil-Sérvia.........2-0
Brasil     Brasil  3  2  -  1  3-1  6  Suíça-Camarões........1-0
Suíça      Suíça  3  2  -  1  4-3  6  Brasil-Suíça..........1-0
Camarões   Camarões  3  1  1  1  4-4  4  Camarões-Sérvia.......3-3
Sérvia     Sérvia  3  -  1  2  5-8  1  Camarões-Brasil.......1-0
                                    Sérvia-Suíça..........2-3

GRUPO H        Jg  V  E  D   G  Pt  Portugal-Ghana........3-2
Portugal   Portugal  3  2  -  1  6-4  6  Uruguai-Coreia Sul....0-0
Coreia Sul Coreia do Sul  3  1  1  1  4-4  4  Portugal-Uruguai......2-0
Uruguai    Uruguai  3  1  1  1  2-2  4  Coreia Sul-Ghana......2-3
Ghana      Ghana  3  1  -  2  5-7  3  Coreia Sul-Portugal...2-1
                                    Ghana-Uruguai.........0-2

Melhores Marcadores:

  • 3 golos – Álvaro Morata (Espanha), Cody Gakpo (Países Baixos), Enner Valencia (Equador), Kylian Mbappé (França) e Marcus Rashford (Inglaterra)
  • 2 golos – Aleksandar Mitrović (Sérvia), Andrej Kramarić (Croácia), Breel Embolo (Suíça), Bruno Fernandes (Portugal), Bukayo Saka (Inglaterra), Cho Gue-sung (Coreia do Sul), Ferrán Torres (Espanha), Giorgian De Arrascaeta (Uruguai), Kai Havertz (Alemanha), Lionel Messi (Argentina), Mehdi Taremi (Irão), Mohammed Kudus (Ghana), Niclas Füllkrug (Alemanha), Olivier Giroud (França), Richarlison (Brasil), Ritsu Dōan (Japão), Salem Al-Dawsari (A. Saudita) e Vincent Aboubakar (Camarões)

2 Dezembro, 2022 at 10:03 pm Deixe um comentário

Mundial 2022 – Coreia do Sul – Portugal

Coreia do Sul Portugal 2-1

Coreia do Sul Kim Seung-Gyu, Kim Moon-hwan, Kwon Kyung-won, Kim Young-gwon (81m – Son Jun-ho), Kim Jin-su, Jung Woo-young, Lee Jae-sung (66m – Hwang Hee-chan), Hwang In-beom, Lee Kang-in (81m – Hwang Ui-jo), Son Heung-min e Cho Gue-sung (90m – Cho Yu-min)

Portugal Diogo Costa, Diogo Dalot, Pepe, António Silva, João Cancelo, Rúben Neves (65m – Rafael Leão), Ricardo Horta, Matheus Nunes (65m – João Palhinha), Vitinha (82m – William Carvalho), João Mário (82m – Bernardo Silva) e Cristiano Ronaldo (65m – André Silva)

0-1 – Ricardo Horta – 5m
1-1 – Kim Young-gwon – 27m
2-1 – Hwang Hee-chan – 90m

Cartões amarelos – Lee Kang-in (36m) e Hwang Hee-chan (90m)

Árbitro – Facundo Tello (Argentina)

Education City Stadium – Al Rayyan, Doha (18h00 / 15h00)

O terceiro e último encontro da fase de grupos só não foi “mais do mesmo” porque Portugal praticamente entrou a ganhar, não dando azo a um sistema defensivo tão rígido por parte do opositor.

À parte isso – e com Fernando Santos a fazer rodar seis jogadores (entradas de Diogo Dalot, António Silva, Ricardo Horta, Matheus Nunes, Vitinha e João Mário, por troca com Nuno Mendes/Raphaël Guerreiro, Rúben Dias, Wiliam Carvalho, Bruno Fernandes, Bernardo Silva e João Félix, em repouso – o ritmo de jogo foi ainda substancialmente mais baixo (em especial na segunda parte, em que, literalmente, se chegou a “arrastar”).

Com o apuramento já previamente confirmado e o 1.º lugar do grupo “prometido” (pouco depois da meia hora de jogo o Uruguai já ganhava por 2-0 ao Ghana, pelo que essa posição só fugiria aos portugueses se os ganeses marcassem três golos e Portugal perdesse por dois golos de diferença), o tempo correu vagarosamente, numa modorra de que ninguém parecia despertar.

O que, por seu lado, convinha aos coreanos, que, enquanto se mantivesse o empate, tinham esperança de que poderia, a qualquer momento, suceder um “golpe de sorte” que lhes proporcionasse o golo, quanto bastava para garantirem o apuramento (desde que o Uruguai não ampliasse a vantagem no outro jogo…).

A entrada de Portugal em campo foi boa, com Dalot a “dar nas vistas”, a subir até à linha de fundo, e a oferecer o golo a Ricardo Horta, que não se fez rogado, finalizando com uma bela execução.

Este tento inaugural não provocaria grandes alterações na forma de jogar das duas equipas, com “sinal mais” da equipa portuguesa, mas os coreanos a procurar oferecer a réplica possível.

Até que, num canto, o primeiro sinal de um “dia de sorte” para a Coreia, com a bola a tabelar nas costas de Cristiano Ronaldo (em acção defensiva), e a sobrar para os pés de Kim Young-gwon, que não desperdiçou a soberana oportunidade.

Para além de Diogo Dalot, Vitinha era quem maior inconformismo demonstrava, a “pedir” um lugar no “onze”. Mas esteve sempre muito desacompanhado, pelo que, ao intervalo, o resultado não destoava da exibição das duas equipas.

O segundo tempo praticamente não tem história… A equipa portuguesa, muito a espaços, lá ia tentando sacudir a letargia, mas nem as substituições operadas tiveram qualquer efeito notório (à parte mais um episódio de manifestação de extrema “azia”, por parte de Cristiano Ronaldo, ao ser substituído, num “desabafo” urbi et orbi, para as câmaras, direccionado ao seleccionador, que «estaria com demasiada pressa para o tirar de campo»).

A verdade é que Cristiano teve uma tarde desastrada, com um cabeceamento completamente desconexo (mesmo que se tratasse de um lance em que a bola não seria fácil de dominar) e mais um par de intervenções pouco condizentes com o seu “estilo”.

Chegava então o momento em que Paulo Bento (ausente do banco, por expulsão no final do jogo da Coreia com o Ghana) entenderia que nada tinha a perder, e, ao contrário, poderia ainda ter “tudo a ganhar”.

E teve toda a “felicidade”, na competência do incansável Son: num pontapé de canto a favor de Portugal, já em período de compensação, os coreanos recuperam a bola, com o jogador do Tottenham a correr velozmente todo o campo, praticamente de baliza a baliza, e, no momento preciso, a libertar o esférico para Hwang Hee-chan fazer o golo da vitória!

Para um “final feliz” da Coreia do Sul, seria ainda necessário esperar – após o termo do desafio – praticamente dez “longos minutos” (a segunda parte do Uruguai-Ghana tinha arrancado quase sete minutos depois do reatamento do Portugal-Coreia, tendo tido ainda um período de compensação mais alargado) para confirmar um histórico apuramento para os 1/8 de final (repetindo as proezas de 2002 – em que tinham também derrotado a selecção portuguesa, acabando por chegar às meias-finais, e de 2010).

Já Portugal a única coisa que poderá ter ganho com este desafio foi uma lição, de humildade, de entrega ao jogo, e de concentração. E uma oportunidade para melhorar (muito) o que de menos bom se fez, talvez dando a devida atenção aos sinais protagonizados por Diogo Dalot e por Vitinha.

2 Dezembro, 2022 at 5:56 pm Deixe um comentário

Mundial 2022 – Resultados e Classificações – 2ª jornada

GRUPO A        Jg  V  E  D   G  Pt  Qatar-Equador.........0-2
P. Baixos  Países Baixos  2  1  1  -  3-1  4  Senegal-Países Baixos.0-2
Equador    Equador  2  1  1  -  3-1  4  Qatar-Senegal.........1-3
Senegal    Senegal  2  1  -  1  3-3  3  Países Baixos-Equador.1-1
Qatar      Qatar  2  -  -  2  1-5  -  Países Baixos-Qatar...---
                                    Equador-Senegal.......---

GRUPO B        Jg  V  E  D   G  Pt  Inglaterra-Irão.......6-2
Inglaterra Inglaterra  2  1  1  -  6-2  4  EUA-País Gales........1-1
Irão       Irão  2  1  -  1  4-6  3  Inglaterra-EUA........0-0
EUA        EUA  2  -  2  -  1-1  2  País Gales-Irão.......0-2
País Gales País de Gales  2  -  1  1  1-3  1  País Gales-Inglaterra.---
                                    Irão-EUA..............---

GRUPO C        Jg  V  E  D   G  Pt  Argentina-A. Saudita..1-2
Polónia    Polónia  2  1  1  -  2-0  4  México-Polónia........0-0
Argentina  Argentina  2  1  -  1  3-2  3  Argentina-México......2-0
A. Saudita A. Saudita  2  1  -  1  2-3  3  Polónia-A. Saudita....2-0
México     México  2  -  1  1  0-2  1  Polónia-Argentina.....---
                                    A. Saudita-México.....---

GRUPO D        Jg  V  E  D   G  Pt  França-Austrália......4-1
França     França  2  2  -  -  6-2  6  Dinamarca-Tunísia.....0-0
Austrália  Austrália  2  1  -  1  2-4  3  França-Dinamarca......2-1
Dinamarca  Dinamarca  2  -  1  1  1-2  1  Tunísia-Austrália.....0-1
Tunísia    Tunísia  2  -  1  1  0-1  1  Tunísia-França........---
                                    Austrália-Dinamarca...---

GRUPO E        Jg  V  E  D   G  Pt  Espanha-Costa Rica....7-0
Espanha    Espanha  2  1  1  -  8-1  4  Alemanha-Japão........1-2
Japão      Japão  2  1  -  1  2-2  3  Espanha-Alemanha......1-1
Costa Rica Costa Rica  2  1  -  1  1-7  3  Japão-Costa Rica......0-1
Alemanha   Alemanha  2  -  1  1  2-3  1  Japão-Espanha.........---
                                    Costa Rica-Alemanha...---

GRUPO F        Jg  V  E  D   G  Pt  Bélgica-Canadá........1-0
Croácia    Croácia  2  1  1  -  4-1  4  Marrocos-Croácia......0-0
Marrocos   Marrocos  2  1  1  -  2-0  4  Bélgica-Marrocos......0-2
Bélgica    Bélgica  2  1  -  1  1-2  3  Croácia-Canadá........4-1
Canadá     Canadá  2  -  -  2  1-5  -  Croácia-Bélgica.......---
                                    Canadá-Marrocos.......---

GRUPO G        Jg  V  E  D   G  Pt  Brasil-Sérvia.........2-0
Brasil     Brasil  2  2  -  -  3-0  6  Suíça-Camarões........1-0
Suíça      Suíça  2  1  -  1  1-1  3  Brasil-Suíça..........1-0
Camarões   Camarões  2  -  1  1  3-4  1  Camarões-Sérvia.......3-3
Sérvia     Sérvia  2  -  1  1  3-5  1  Camarões-Brasil.......---
                                    Sérvia-Suíça..........---

GRUPO H        Jg  V  E  D   G  Pt  Portugal-Ghana........3-2
Portugal   Portugal  2  2  -  -  5-2  6  Uruguai-Coreia Sul....0-0
Ghana      Ghana  2  1  -  1  5-5  3  Portugal-Uruguai......2-0
Coreia Sul Coreia do Sul  2  -  1  1  2-3  1  Coreia Sul-Ghana......2-3
Uruguai    Uruguai  2  -  1  1  0-2  1  Coreia Sul-Portugal...---
                                    Ghana-Uruguai.........---

Melhores Marcadores:

  • 3 golos – Enner Valencia (Equador) e Kylian Mbappé (França)
  • 2 golos – Álvaro Morata (Espanha), Andrej Kramarić (Croácia), Bruno Fernandes (Portugal), Bukayo Saka (Inglaterra), Cho Gue-sung (Coreia do Sul), Cody Gakpo (Países Baixos), Ferrán Torres (Espanha), Lionel Messi (Argentina), Mehdi Taremi (Irão), Mohammed Kudus (Ghana), Olivier Giroud (França) e Richarlison (Brasil)

28 Novembro, 2022 at 10:00 pm Deixe um comentário

Mundial 2022 – Portugal – Uruguai

Portugal Uruguai 2-0

Portugal Diogo Costa, João Cancelo, Rúben Dias, Pepe, Nuno Mendes (42m – Raphaël Guerreiro), Wiliam Carvalho (82m – João Palhinha), Bruno Fernandes, Bernardo Silva, Rúben Neves (69m – Rafael Leão), João Félix (82m – Matheus Nunes) e Cristiano Ronaldo (82m – Gonçalo Ramos)

Uruguai Sergio Rochet, José María Giménez, Diego Godín (62m – Facundo Pellistri), Sebastián Coates, Guillermo Varela, Federico Valverde, Rodrigo Bentancur, Matías Vecino (62m – Giorgian De Arrascaeta), Mathias Olivera (86m – Matías Viña), Edinson Cavani (72m – Luis Suárez) e Darwin Núñez (72m – Maximiliano Gómez)

1-0 – Bruno Fernandes – 54m
2-0 – Bruno Fernandes (pen.) – 90m

Cartões amarelos – Rúben Neves (38m), João Félix (77m) e Rúben Dias (89m); Rodrigo Bentancur (6m) e Mathias Olivera (44m)

Árbitro – Alireza Faghani (Irão)

Lusail Stadium – Lusail, Al Daayen (22h00 / 19h00)

Este foi um jogo com bastantes pontos de contacto com a partida de estreia de Portugal no Mundial, outra vez a assumir a iniciativa e com domínio a nível da posse – mesmo que não tivesse sido o “dono da bola” em tão larga extensão como sucedera no encontro ante o Ghana.

O Uruguai não foi, igualmente, tão “inofensivo” quanto o tinham sido os africanos na primeira parte daquele desafio, mas, ainda assim, não deixou de surpreender alguma passividade de quem, teoricamente, estaria mais necessitado de ganhar o jogo, privilegiando, durante largo período, o procurar “não deixar jogar o adversário”.

Com Danilo lesionado, entrou Pepe para o eixo defensivo; pelo mesmo motivo, Otávio foi também substituído por William. Fernando Santos arriscou ainda fazer alinhar de início Nuno Mendes (no lugar de Guerreiro), mas esta troca não correria bem, visto que o lateral se viria a ressentir de lesão, acabando por ter de sair ainda antes do intervalo.

A equipa portuguesa repetiu uma actuação com muitas trocas de bola, mas, muitas vezes, passes curtos e lateralizados, de novo com a pecha da falta de velocidade, sem a dinâmica necessária para criar desequilíbrios e, consequentemente, poder romper a estrutura defensiva adversária.

Não obstante tenha efectuado nove tentativas de remate à baliza, a melhor oportunidade de golo, durante a primeira parte, seria do Uruguai, com Diogo Costa – redimindo-se da desconcentração do final da partida com o Ghana – a executar excelente defesa… uma intervenção que “valeu um golo” (negado a Bentancur).

Tal como sucedera no primeiro jogo, o tento inaugural surgiria de forma algo fortuita, num lance “estranho”: um centro “bombeado” de Bruno Fernandes para a zona da pequena área, com Cristiano Ronaldo a aparecer desmarcado, a aplicar a sua tradicional capacidade de impulsão, mas, desta feita – mesmo que tenha “reclamado” ter desviado a bola – a não conseguir, por “milímetros”, tocar-lhe… ainda assim, o seu gesto técnico (“cabeceamento na atmosfera”) seria determinante para ludibriar o guardião uruguaio, que ficou desarmado, a ver a bola seguir uma trajectória directa à sua baliza.

Com o tempo a passar e o resultado a manter-se, sem “nada a perder”, o Uruguai procurou agitar o jogo, trocando a dupla de avançados (fazendo entrar Suárez e Maxi Gómez para os lugares de Cavan e Darwin). E seria Gómez a provocar o maior “susto” para Portugal, acertando no poste, escassos minutos após ter entrado em campo.

O seleccionador português optou então por fechar os caminhos para a baliza, com as entradas de Palhinha e Matheus Nunes – isto já depois de nova aposta em Rafael Leão não ter sido, desta vez, tão bem sucedida.

Até final Portugal conseguiria manter a bola afastada do seu reduto defensivo, não dando possibilidades aos uruguaios. E, já em período de compensação, num muito controverso lance de contacto da bola com o braço (de Giménez, em queda, apoiando-se no chão), numa interpretação inapropriada por parte do “VAR”, originou o bis de Bruno Fernandes, na conversão da consequente grande penalidade.

Com a equipa Uruguai “entregue”, conformada com a derrota, a equipa nacional poderia ter ainda ampliado a contagem, por duas vezes, e, novamente, através de um inspirado Bruno Fernandes, primeiro com Rochet a “tapar a baliza”, e, de imediato, com um remate ao poste. A ter sucedido, o 3-0 teria sido punição demasiado severa para os sul-americanos, não justificando a exibição da formação portuguesa tal desnível no marcador.

Portugal conseguia a “desforra” da eliminação (nos 1/8 de final) do Mundial de 2018, ante esta mesma selecção do Uruguai, garantindo, ainda com um jogo por disputar, o apuramento para tal fase a eliminar – desta vez sem necessidade de recurso “à calculadora”.

28 Novembro, 2022 at 9:59 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 10ª Jornada

(“O Templário”, 24.11.2022)

Registando segunda goleada sucessiva (um total de nove golos marcados nos dois últimos jogos), e beneficiando da derrota sofrida pelo Fazendense em Amiais de Baixo, o U. Tomar recuperou a posição de liderança, a par do Samora Correia, que, findo o primeiro terço da prova, mantém a invencibilidade. Se os nabantinos se destacam pelo poderio ofensivo (somando 25 tentos em dez partidas), os samorenses têm no seu reduto defensivo o ponto forte (apenas cinco golos sofridos).

Por outro lado, em função dos desfechos da 10.ª ronda, o duo da frente abriu já uma vantagem interessante, de sete pontos, em relação ao 5.º lugar, repartido entre Alcanenense e At. Ouriense. Pese embora subsistam ainda 60 pontos em disputa, novos deslizes de Mação (empate), Ferreira do Zêzere e Abrantes e Benfica (ambos derrotados) colocam-nos já a distância muito dificilmente reversível (11 pontos de atraso para maçaenses e ferreirenses; 14 no caso dos abrantinos).

Destaques – A principal nota de realce do passado fim-de-semana vai para a vitória do Amiense ante o até então líder, Fazendense, por tangencial 1-0, num embate que deu azo a muitas queixas por parte dos visitantes, quer em relação à arbitragem (qualificada de inexperiente), como à atitude dos donos da casa. Os homens dos Amiais chegaram ao golo, que ditaria o desfecho do encontro, aos 35 minutos, preciosa vantagem que tudo fizeram para preservar até final.

As duas equipas estão agora separadas, entre si, por dois pontos, distando, respectivamente, quatro e dois pontos dos guias, completando, portanto, o quarteto de principais candidatos ao título.

Como referido, o U. Tomar voltou a golear; depois do 4-0 ao Amiense, foi ganhar ao Entroncamento, face ao “lanterna vermelha”, por categórica marca de 5-1. Num confronto desnivelado, com entrada avassaladora, os unionistas rapidamente decidiram a contenda, com três tentos em pouco mais de vinte minutos (após abrirem o marcador ainda antes do quarto de hora).

Na segunda metade, a turma da cidade ferroviária, procurando dar réplica animosa, ainda reduziu para 1-3, mas os tomarenses mantiveram-se imperturbáveis, com a contagem a subir, com naturalidade, até ao 5-1 final.

Em destaque esteve também o At. Ouriense, que, pese embora alguma irregularidade, continua a somar pontos, tendo ido ganhar a Fátima, num “derby” distrital, por 3-1, contribuindo para agudizar ainda mais a periclitante posição dos fatimenses, que continuam no penúltimo lugar.

Surpresas – Atendendo ao que poderia projectar-se, em função do potencial das forças em presença, por um lado, e do respectivo desempenho recente, por outro, assinalam-se duas “meias-surpresas”, com o Cartaxo e o Águias de Alpiarça a fazer valer o factor casa, para se imporem, respectivamente, face a Ferreira do Zêzere e Abrantes e Benfica.

O Cartaxo, ganhando por 3-1, subsiste invicto em casa (registando três vitórias e dois empates), condição apenas acompanhada pelo duo da liderança. Tratou-se, no caso dos ferreirenses, do quarto desaire nos cinco últimos encontros, voltando a registar balanço negativo entre vitórias e derrotas (4-5), assim como a nível do “score” global (11-15), posicionando-se a meio da tabela.

O Águias de Alpiarça conseguiu enfim colocar termo a uma sucessão de cinco derrotas, batendo o Abrantes e Benfica por renhido 3-2, com o tento decisivo a chegar mesmo em cima do minuto 90, depois de os locais terem operado reviravolta (após terem começado por inaugurar o marcador logo aos cinco minutos de jogo). Esta foi a quarta jornada seguida sem vitória dos abrantinos, após uma série de três empates, sendo que não conseguiram ainda ganhar fora.

Confirmações – Nos restantes três desafios os resultados podem considerar-se dentro da lógica. Começando pelo inequívoco triunfo (3-0) do Samora Correia, na recepção ao Torres Novas, com a particularidade de, apenas pela segunda vez, os torrejanos terem ficado em branco (tal como sucedera nas Fazendas de Almeirim); por seu lado, os samorenses averbaram a quarta vitória em casa (apenas o Amiense tendo evitado a derrota em Samora).

Nos outros dois jogos, outros tantos nulos, entre Alcanenense e Mação, e Benavente e Salvaterrense. No primeiro caso, o facto de nenhuma das equipas se ter conseguido superiorizar, neutralizando-se, traduz-se no alargar do fosso pontual em relação aos lugares de topo da pauta classificativa; no segundo, o ponto que ambas somaram poderá vir a ser importante para as contas da manutenção, até – desde logo – em termos anímicos, por terem evitado a derrota.

II Divisão Distrital – Com o Forense de folga, aproveitou o Moçarriense para, ganhando ao Rebocho por 3-0, se isolar no comando da série A. Porventura surpreendente, atendendo à classificação dos dois clubes, terá sido a vitória (3-1) do U. Almeirim no “derby” com o Paço dos Negros; tal como não seria expectável o deslize do Espinheirense ante o Benfica do Ribatejo, não tendo conseguido melhor do que a igualdade a uma bola.

Na série B o Riachense “soma e segue” (conta seis vitórias e um empate), não obstante tenha vencido a U. Atalaiense por magro 2-1. Beneficiou ainda do desaire do Pego, batido por 3-1 pelo Vasco da Gama, para se distanciar na frente, com a turma dos Riachos a dispor de vantagem de cinco pontos sobre os pegachos. O Tramagal, ganhando na Ortiga por 4-1, ascendeu à 3.ª posição.

Campeonato de Portugal – Foi uma jornada a “zeros”, em termos de golos marcados, para os três emblemas do Distrito, a 8.ª desta competição. A derrota 0-1 do Rio Maior no terreno do imprevisto líder, Mortágua, não surpreende – até pelas recentes notícias que nos chegam, dando conta da grave situação que os jogadores do clube vêm atravessando, com vários meses de salários em atraso. Já o 1-0 registado no Loures-Coruchense não deixa de constituir também um mau indício, dado que a equipa dos arredores de Lisboa se posiciona igualmente na cauda da tabela.

O U. Santarém, empatando a zero na Sertã, obteve, ainda assim, um resultado positivo, que lhe confere, por ora, o 8.º lugar (último acima da “linha de água”) em igualdade pontual, precisamente, com o Sertanense (7.º)… mas, também com o União da Serra (9.º).

Bastante pior estão: o grupo do Sorraia (10.º, mas já com cinco pontos de atraso); e, sobretudo, os riomaiorenses, últimos classificados, ainda sem ganhar, e a 11 pontos daquele trio, o que, a não haver uma rápida inversão de rumo, se poderá traduzir numa breve passagem pelos “Nacionais”.

Antevisão – Na 11.ª ronda o foco estará, sobretudo, no grande embate Ferreira do Zêzere-U. Tomar, uma espécie de “tudo ou nada” para os ferreirenses. O Cartaxo-Samora Correia apresenta o aliciante de avaliar até que ponto os samorenses conseguirão preservar a sua campanha invicta.

Na II Divisão, destaca-se o Paço Negros-Espinheirense e, a Norte, o Tramagal-Vasco da Gama.

No Campeonato de Portugal o U. Santarém tem um importante desafio, recebendo o União da Serra; tendo o Coruchense a visita do Alcains, em que somar os três pontos se afigura muito importante; o Rio Maior volta a jogar com o (outro) líder, 1.º de Dezembro, também no seu reduto.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 24 de Novembro de 2022)

27 Novembro, 2022 at 11:00 am Deixe um comentário

Mundial 2022 – Resultados e Classificações – 1ª jornada

GRUPO A        Jg  V  E  D   G  Pt  Qatar-Equador.........0-2
P. Baixos  Países Baixos  1  1  -  -  2-0  3  Senegal-Países Baixos.0-2
Equador    Equador  1  1  -  -  2-0  3  Catar-Senegal.........---
Qatar      Qatar  1  -  -  1  0-2  -  Países Baixos-Equador.---
Senegal    Senegal  1  -  -  1  0-2  -  Países Baixos-Catar...---
                                    Equador-Senegal.......---

GRUPO B        Jg  V  E  D   G  Pt  Inglaterra-Irão.......6-2
Inglaterra Inglaterra  1  1  -  -  6-2  3  EUA-País Gales........1-1
EUA        EUA  1  -  1  -  1-1  1  Inglaterra-EUA........---
País Gales País de Gales  1  -  1  -  1-1  1  País Gales-Irão.......---
Irão       Irão  1  -  -  1  2-6  -  País Gales-Inglaterra.---
                                    Irão-EUA..............---

GRUPO C        Jg  V  E  D   G  Pt  Argentina-A. Saudita..1-2
A. Saudita A. Saudita  1  1  -  -  2-1  3  México-Polónia........0-0
México     México  1  -  1  -  0-0  1  Argentina-México......---
Polónia    Polónia  1  -  1  -  0-0  1  Polónia-A. Saudita....---
Argentina  Argentina  1  -  -  1  1-2  -  Polónia-Argentina.....---
                                    A. Saudita-México.....---

GRUPO D        Jg  V  E  D   G  Pt  França-Austrália......4-1
França     França  1  1  -  -  4-1  3  Dinamarca-Tunísia.....0-0
Dinamarca  Dinamarca  1  -  1  -  0-0  1  França-Dinamarca......---
Tunísia    Tunísia  1  -  1  -  0-0  1  Tunísia-Austrália.....---
Austrália  Austrália  1  -  -  1  1-4  -  Tunísia-França........---
                                    Austrália-Dinamarca...---

GRUPO E        Jg  V  E  D   G  Pt  Espanha-Costa Rica....7-0
Espanha    Espanha  1  1  -  -  7-0  3  Alemanha-Japão........1-2
Japão      Japão  1  1  -  -  2-1  3  Espanha-Alemanha......---
Alemanha   Alemanha  1  -  -  1  1-2  -  Japão-Costa Rica......---
Costa Rica Costa Rica  1  -  -  1  0-7  -  Japão-Espanha.........---
                                    Costa Rica-Alemanha...---

GRUPO F        Jg  V  E  D   G  Pt  Bélgica-Canadá........1-0
Bélgica    Bélgica  1  1  -  -  1-0  3  Marrocos-Croácia......0-0
Croácia    Croácia  1  -  1  -  0-0  1  Bélgica-Marrocos......---
Marrocos   Marrocos  1  -  1  -  0-0  1  Croácia-Canadá........---
Canadá     Canadá  1  -  -  1  0-1  -  Croácia-Bélgica.......---
                                    Canadá-Marrocos.......---

GRUPO G        Jg  V  E  D   G  Pt  Brasil-Sérvia.........2-0
Brasil     Brasil  1  1  -  -  2-0  3  Suíça-Camarões........1-0
Suíça      Suíça  1  1  -  -  1-0  3  Brasil-Suíça..........---
Camarões   Camarões  1  -  -  1  0-1  -  Camarões-Sérvia.......---
Sérvia     Sérvia  1  -  -  1  0-2  -  Camarões-Brasil.......---
                                    Sérvia-Suíça..........---

GRUPO H        Jg  V  E  D   G  Pt  Portugal-Ghana........3-2
Portugal   Portugal  1  1  -  -  3-2  3  Uruguai-Coreia Sul....0-0
Uruguai    Uruguai  1  -  1  -  0-0  1  Portugal-Uruguai......---
Coreia Sul Coreia do Sul  1  -  1  -  0-0  1  Coreia Sul-Ghana......---
Ghana      Ghana  1  -  -  1  2-3  -  Coreia Sul-Portugal...---
                                    Ghana-Uruguai.........---

Melhores Marcadores:

  • 2 golos – Bukayo Saka (Inglaterra), Enner Valencia (Equador), Ferrán Torres (Espanha), Mehdi Taremi (Irão), Olivier Giroud (França) e Richarlison (Brasil)

24 Novembro, 2022 at 9:55 pm Deixe um comentário

Mundial 2022 – Portugal – Ghana

Portugal Ghana 3-2

Portugal Diogo Costa, João Cancelo, Rúben Dias, Danilo Pereira, Raphaël Guerreiro, Rúben Neves (77m – Rafael Leão), Bruno Fernandes, Bernardo Silva (88m – João Palhinha), Otávio Monteiro (56m – William Carvalho), João Félix (88m – João Mário) e Cristiano Ronaldo (88m – Gonçalo Ramos)

Gana Lawrence Ati-Zigi, Alidu Seidu (66m – Tariq Lamptey), Mohammed Salisu, Daniel Amartey, Alexander Djiku (90m – Antoine Semenyo), Abdul Rahman Baba, André Ayew (77m – Jordan Ayew), Thomas Partey, Salis Abdul Samed (90m – Daniel-Kofi Kyereh), Mohammed Kudus (77m – Osman Bukari) e Iñaki Williams

1-0 – Cristiano Ronaldo (pen.) – 65m
1-1 – André Ayew – 73m
2-1 – João Félix – 78m
3-1 – Rafael Leão – 80m
3-2 – Osman Bukari – 89m

Cartões amarelos – Danilo Pereira (90m) e Bruno Fernandes (90m); Mohammed Kudus (45m), André Ayew (49m), Alidu Seidu (57m) e Iñaki Williams (90m)

Árbitro – Ismail Elfath (EUA)

Stadium 974 – Ras Abu Aboud, Doha (19h00 / 16h00)

A estreia da selecção nacional na fase final do Campeonato do Mundo teve “quase de tudo”: um domínio tão absoluto como estéril ao longo da primeira parte (a equipa portuguesa chegou a ter “posse de bola” na ordem dos 80%), com o Ghana perfeitamente inofensivo; um golo algo fortuito, a fixar mais um “record” de Cristiano Ronaldo, o único a marcar em cinco “Mundiais” (desde 2006); uma primeira falha defensiva a proporcionar o empate; Portugal a tirar partido das armas com que a formação africana pretenderia surpreender, marcando dois golos em rápidas transições, “virando-se o feitiço contra o feiticeiro”; outro erro a fazer com que o desfecho se mantivesse incerto até ao minuto 100 (!), altura em que uma incrível e caricata desconcentração poderia ter resultado no 3-3!

Ainda na fase inicial da partida, logo aos dez minutos, a equipa portuguesa tivera ocasião soberana para inaugurar o marcador, quando Cristiano Ronaldo, isolado por Bruno Fernandes, não conseguiu dominar a bola da melhor forma, gorando-se tal oportunidade, devido à intervenção de Lawrence Ati-Zigi.

De resto, assistiu-se a uma (excessivamente) paciente troca de bola, entre os vários jogadores da equipa nacional, com os adversários literalmente a “assistir”, mas, quase sempre, de forma denunciada e lenta, sem alterações de ritmo que pudessem desmontar a estratégia defensiva delineada pelo Ghana. Apenas de grande penalidade Portugal viria a chegar ao golo.

Só após o tento do empate – dando a ideia de que Fernando Santos terá protelado em demasia as substituições (à parte a saída “forçada” de Otávio) – a turma nacional se viu compelida a alterar o seu esquema táctico, com a entrada de Rafael Leão, uma opção que logo se revelou ganhadora – beneficiando também do facto de, enfim, a selecção africana ter abdicado da concentração de quase todos os elementos no seu sector defensivo, abrindo mais o jogo.

Bruno Fernandes assumiu a batuta, e foi protagonista, com duas notáveis assistências para outros tantos golos, intervalados por escassos dois minutos, primeiro por João Félix, a isolar-se e a “picar” a bola sobre o guardião contrário, e, quase de imediato, pelo próprio Leão, a surgir também desmarcado, pela esquerda, com um toque subtil a desviar a bola do alcance de Ati-Zigi.

Sem saber muito bem como, ou, pelo menos, sem ter feito grande coisa por isso, o Ghana reduziria ainda para a diferença tangencial, aproveitando um erro da defesa, lançando a dúvida, e fazendo com que Portugal tivesse de sofrer ainda durante os cerca de dez minutos de tempo de compensação, mesmo que tenha, nesse período, controlado bem o jogo, quase sempre em zona ofensiva do terreno.

Faltariam cerca de trinta segundos para o apito final quando, numa reposição de bola, o matreiro Iñaki Williams, sorrateiramente colocado, expectante, atrás de Diogo Costa – praticamente em cima da linha de baliza portuguesa, e sem que o guarda-redes se tivesse apercebido da sua presença ali – rapidamente se esgueirou para lhe roubar a bola, mal ela tinha sido colocada a rolar no chão, valendo ter escorregado, para que não tivesse havido mal maior, com dois defesas a acorrer em socorro do “keeper” português, a interceptar o remate que tinha saído frouxo.

Num balanço final, houve coisas boas, a dar sinais de esperança e a mostrar que há soluções e opções para além do “onze base”, mas também indícios preocupantes, no que respeita às fragilidades defensivas demonstradas, assim como a sensação de que há trabalho por fazer, a nível, por exemplo, de lances de bola parada.

24 Novembro, 2022 at 7:00 pm Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Dezembro 2022
S T Q Q S S D
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Twitter

  • RT @2010MisterChip: España sólo ha ganado 3 partidos en la Copa del Mundo desde que logró el títlo en Sudáfrica: 1 contra Australia 1 cont… 29 minutes ago
  • @OFuraRedes RTP costuma "acertar"... 2 hours ago
  • RT @lequipe: Olivier Giroud : «@Ce 52e but me soulage » Olivier Giroud attendait avec impatience de marquer son 52e but en équipe de Franc… 2 hours ago

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.