O Pulsar do Campeonato – 10ª Jornada

O pulsar do campeonato - 2018-19 - 10jornada

(“O Templário”, 06.12.2018)

Lino Freitas tornou-se, no passado Domingo, o treinador com mais jogos de sempre ao serviço do União de Tomar enquanto treinador da equipa senior, somando um total de 207 jogos, desde a época de 2012-13 (tendo superado a marca de Eduardo Fortes, com 206 jogos, entre 2006-07 e 2011-12). Neste período, o U. Tomar é o clube que obteve mais pontos nas várias edições do campeonato da I Divisão Distrital, registando igualmente o maior número de vitórias e de golos marcados, devendo notar-se que apenas Fazendense e Amiense são também “totalistas” em presenças no principal escalão do futebol distrital, nestas últimas sete temporadas. Em termos de média pontual, a equipa tomarense apenas foi suplantada por Fátima, Coruchense, Mação e Riachense, clubes que – a par do At. Ouriense – conquistaram os títulos de Campeão Distrital em disputa.

Destaques – O grande destaque da 10.ª ronda vai para o brilhante desempenho que o Amiense vem exibindo, tendo ampliado para seis o número de jogos em que mantém a sua baliza inviolada, após mais um notável triunfo (1-0) averbado no Cartaxo, o quarto sucessivo, continuando a partilhar a vice-liderança com o U. Santarém. Ao invés, os cartaxeiros, agora já a distantes onze pontos do guia, parecem cada vez mais arredados das suas pretensões ao título.

Por seu lado, o Coruchense prossegue também a sua marcha triunfal (regista sete vitórias nos últimos oito desafios, as últimas quatro também consecutivas), sem vacilar na liderança, mantendo um avanço de cinco pontos para os mais directos perseguidores (seis para o U. Almeirim, que, não obstante, tem ainda um jogo em atraso). Nesta jornada, começou até por ser surpreendido pelo Torres Novas, que se colocou em vantagem, mas a turma do Sorraia acabaria por conseguir operar a reviravolta no marcador, já na fase final da partida, vencendo por 2-1.

Merece também realce a vitória do Samora Correia em Alcanena (1-0), empurrando ainda mais a formação do Alcanenense para a zona delicada da tabela, integrando o quarteto da cauda da classificação, já a cinco pontos do concorrente que imediatamente o precede, o Ferreira do Zêzere, fazendo “tocar a rebate”, perante a séria ameaça de segunda despromoção sucessiva.

Surpresas – Assinalam-se duas “meias-surpresas”: por um lado, a expressão dos números (5-1) do triunfo do U. Santarém sobre o At. Ouriense, a fazer com que o grupo de Ourém tenha entretanto perdido o contacto com o pelotão da frente; por outro, a igualdade (2-2) imposta pelo Marinhais na visita a Ferreira do Zêzere, no que constitui já o quarto empate registado em cinco jogos em terreno alheio, com o conjunto do Sul do Distrito a mostrar o seu inconformismo.

Confirmações – As duas equipas do município de Almeirim confirmaram o seu favoritismo, vencendo as respectivas partidas: o Fazendense foi ganhar (2-1) à Glória do Ribatejo, mantendo a 5.ª posição, enquanto os visitados continuam na indesejada condição de “lanterna vermelha”; quanto ao U. Almeirim, recebendo o U. Tomar, triunfou por 3-1, uma vez mais com os nabantinos a oferecer boa réplica, tendo reduzido para a desvantagem mínima de 1-2, antes de sofrer o tento que sentenciou o desfecho do encontro – os almeirinenses poderão potencialmente, em caso de triunfo na recepção ao At. Ouriense, em jogo de acerto de calendário a disputar apenas no final do ano, reduzir para três pontos a diferença para o líder.

II Divisão Distrital – A Norte, o principal destaque vai para mais uma bela exibição da equipa “B” do União de Tomar, a “desforrar-se” do resultado da jornada anterior, goleando o Aldeiense por 6-1, estando agora somente a dois pontos do 3.º posto, ocupado pelo Ortiga, derrotado (0-1), no seu reduto, pelo Pego, com os pegachos a parecer serem os únicos que poderão oferecer alguma resistência ao comandante, Abrantes e Benfica. Os abrantinos, depois do 7-0 para a Taça, bisaram a vitória sobre o Riachense, desta feita em Riachos, por tangencial 1-0.

A Sul, os visitados ganharam: Rio Maior, por 3-0, frente ao Salvaterrense; Forense, por 4-1, ante os Empregados do Comércio; e Pontével, por 5-3, face ao Benavente. Tendo o Moçarriense folgado, a liderança é agora tripartida, entre o conjunto da Moçarria, Rio Maior e Forense.

Campeonato de Portugal – Na 13.ª ronda, cruzavam-se os destinos dos dois representantes do Distrito, com o Fátima a ir vencer a Mação, por 2-1, recuperando assim algum “oxigénio” para poder voltar a respirar melhor, agora com uma margem de segurança de seis pontos em relação à “linha de água”; ao invés, os maçaenses, cada vez mais submergidos no último lugar, parecem começar a ter traçado o caminho de regresso ao Distrital: com os nove pontos que registam já de atraso face a tal linha, sem ganhar há doze jornadas (nas quais foram derrotados por dez vezes), uma hipotética possibilidade de salvação pouco mais será que uma quimera.

Antevisão – Na I Divisão Distrital, o jogo grande da próxima ronda será o Cartaxo-Coruchense, em que os visitantes “queimam os últimos cartuchos”: qualquer resultado que não seja a vitória, deverá traduzir o abdicar da já algo remota esperança em poder chegar ainda ao lugar de topo no presente campeonato. Por seu lado, se for o grupo do Sorraia a não conseguir também vencer, poderá eventualmente ver reduzida a sua vantagem no comando da prova.

Não obstante, U. Santarém, com deslocação agendada a Marinhais, e U. Almeirim, que visita Torres Novas, não deverão encontrar facilidades para levar de vencida os respectivos adversários, os quais se apresentam extremamente carenciados de pontos. Mais provável se afigura a possibilidade de vitória do Amiense, na recepção ao Samora Correia.

Em Tomar, teremos como que um “derby”, com o União a receber o Ferreira do Zêzere – num embate, que, curiosamente, coloca frente-a-frente os dois técnicos que lideraram o clube nas últimas treze épocas –, esperando-se que os unionistas possam retomar os resultados positivos.

No escalão secundário, em que se atinge já o termo da primeira volta desta primeira fase do campeonato, a Norte, o Abrantes e Benfica recebe a turma da Ortiga, enquanto o U. Tomar “B” reedita um velho clássico do futebol distrital, deslocando-se ao Tramagal. A Sul, o Moçarriense recebe a “equipa sensação” da Taça, Espinheirense, visitando o Forense o reduto do Benavente; o outro guia, Rio Maior, terá mais um dia de folga.

Por fim, no Campeonato de Portugal, as perspectivas continuam a ser de dificuldades para os clubes do Distrito: efectivamente, o Fátima terá a visita do B. C. Branco, actual 3.º classificado; quanto ao Mação terá uma curta mas complexa saída, até à Sertã, para defrontar o Sertanense.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 6 de Dezembro de 2018)

Anúncios

9 Dezembro, 2018 at 12:00 pm Deixe um comentário

EURO 2020 – Sorteio da Fase de Qualificação

Realizou-se hoje, em Dublin, o sorteio da Fase de Qualificação para o Campeonato da Europa de Futebol de 2020, cuja fase final será disputada em 12 cidades, de diversos países: Amesterdão (Holanda), Baku (Azerbaijão), Bilbau (Espanha), Bucareste (Roménia), Budapeste (Roménia), Copenhaga (Dinamarca), Dublin (Irlanda), Glasgow (Escócia), Londres (Inglaterra), Munique (Alemanha), Roma (Itália) e São Petersburgo (Rússia).

É a seguinte a constituição dos 10 Grupos:

Grupo A          Grupo B          Grupo C          Grupo D
Inglaterra       Portugal         Holanda          Suíça
R. Checa         Ucrânia          Alemanha         Dinamarca
Bulgária         Sérvia           I. Norte         Irlanda
Montenegro       Lituânia         Estónia          Geórgia
Kosovo           Luxemburgo       Bielorrússia     Gibraltar

Grupo E              Grupo F              Grupo G
Croácia              Espanha              Polónia
P. Gales             Suécia               Áustria
Eslováquia           Noruega              Israel
Hungria              Roménia              Eslovénia
Azerbaijão           I. Faroé             Macedónia
                     Malta                Letónia

Grupo H              Grupo I              Grupo J
França               Bélgica              Itália
Islândia             Rússia               Bósnia-Herzegovina
Turquia              Escócia              Finlândia
Albânia              Chipre               Grécia
Moldávia             Cazaquistão          Arménia
Andorra              S. Marino            Liechtenstein

Serão apurados para a fase final os dois primeiros classificados de cada Grupo – decorrendo a fase de qualificação de Março a Novembro de 2019, em cinco jornadas duplas – , sendo as restantes quatro vagas a atribuir por via dos play-off da “Liga das Nações” (a disputar em Março de 2020).

Portugal, que defende o título de Campeão Europeu, reencontra a Sérvia, depois de ter integrado o mesmo grupo da fase de apuramento para o EURO 2016, devendo, em teoria, estas duas selecções disputar com a Ucrânia os dois lugares de qualificação.

2 Dezembro, 2018 at 4:26 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – Taça do Ribatejo – 3ª Jornada

O pulsar do campeonato - 2018-19 - TRibatejo - 3jornada

(“O Templário”, 29.11.2018)

Concluiu-se, com a realização da 3.ª jornada da fase de grupos, a primeira etapa da Taça do Ribatejo, tendo sido qualificados para os 1/8 de final oito clubes da I Divisão Distrital e outros tantos do escalão secundário. A grande sensação foi o apuramento do Espinheirense, em detrimento do Cartaxo, equipa que, tendo assumido, desde início, a candidatura ao título no campeonato – ambição de que, por agora, surge distanciada (regista já oito pontos de atraso em relação ao líder) –, se vê também prematura e inesperadamente afastada da Taça.

Destaques – Numa série em que tudo estava já decidido a nível dos apurados para a fase seguinte, começa por destacar-se as robustas goleadas registadas, quer no desafio que definia o vencedor da série, entre Abrantes e Benfica e Riachense, com os abrantinos a derrotar um histórico do futebol distrital por 7-0 (resultado que, aliás, se verificava já ao intervalo!), quer na partida entre Torres Novas e Sardoal, na qual os torrejanos, vencendo por 9-0 (desfecho todavia “inconsequente”), saciaram a “fome” de golos que os vem assolando ao longo desta temporada.

A par da qualificação de abrantinos e riachenses, em prejuízo do Torres Novas (desfeiteado por ambos estes conjuntos que militam na II Divisão), destaca-se também o apuramento do Moçarriense, que, no confronto directo com o primodivisionário Samora Correia, conseguiu alcançar o empate (2-2) de que necessitava para seguir em frente, assim afastando os samorenses da competição.

Por outro lado, na única série que era composta por quatro clubes do principal escalão, realce também para os desempenhos de Ferreira do Zêzere, goleando por categórica marca de 4-0 em Alcanena, e do Amiense, que continua em “maré cheia”, vencedor face ao At. Ouriense (jogo disputado em Boleiros) por 3-2, assim garantindo os ferreirenses e a turma de Amiais de Baixo a continuidade na prova.

Os restantes clubes da divisão secundária apurados – para além dos anteriormente mencionados e do caso “especial” do Espinheirense – obtiveram a qualificação perante adversários do mesmo escalão: Pego e Aldeiense (que afastaram Caxarias e U. Atalaiense, com o empate averbado pelo Aldeiense em Caxarias, por 1-1, a ser determinante) e Rio Maior e Pontével (superando Empregados do Comércio, batidos em Rio Maior por inequívocos 3-0, e Forense).

Surpresas – À margem dos feitos já acima referidos, a grande (enorme!) surpresa desta ronda foi protagonizada pelo Espinheirense que, defrontando, em terreno alheio, a poderosa formação do Cartaxo, não se deixou “intimidar”, começando mesmo por se colocar em vantagem, para – depois de os cartaxeiros terem operado a reviravolta no marcador, chegando mesmo aos 3-1 – revelar ainda uma fantástica capacidade de reacção, repondo, nos minutos finais a igualdade (3-3), o que implicou a decisão da equipa apurada por via dos pontapés da marca de grande penalidade, fórmula de desempate na qual a turma do município de Alcanena levaria a melhor.

Confirmações – As equipas do U. Santarém (vencendo no Tramagal por 1-0) e do U. Tomar, batendo o Ortiga por expressivos 4-1 – com os unionistas a dar excelente resposta ao susto por que passaram, quando, depois de se terem visto em inferioridade numérica a findar o primeiro tempo, sofreram o tento do empate logo a abrir a segunda metade, tendo jogado todo esse período, até final da partida, com um jogador a menos – confirmaram o favoritismo que lhes era atribuído, avançando para a fase seguinte da prova.

O mesmo sucedeu em encontros em que não estava já em causa a disputa do apuramento, no Fazendense-Marinhais (2-0) – ambos qualificados – e no Salvaterrense-Coruchense (0-4).

Garantiram ainda o apuramento para os 1/8 de final o U. Almeirim (que folgou, dada a desistência do Barrosense), assim como a turma do Sorraia, líder do campeonato principal.

Desde que o modelo de fase de grupos foi adoptado na Taça do Ribatejo, na época de 2008-09, subsiste um trio de clubes “totalistas”, os quais se apuraram para os 1/8 de final em todas as onze edições da prova desde então disputadas: U. Tomar, Amiense e Fazendense – sendo que o Mação apenas “falhou” na presente temporada, dado não ter disputado a competição.

Campeonato de Portugal – O Fátima aproveitou a “folga” no calendário do Campeonato de Portugal para disputar o jogo que tinha em atraso da ronda inaugural da competição, tendo perdido em Santa Iria por 1-2, vendo assim reduzir-se a margem de que dispõe sobre a “linha de água” a escassos três pontos, o que, em paralelo, colocou o Mação já a oito pontos de tal linha.

Antevisão – Na retoma dos campeonatos distritais, os desafios de maior cartaz na I Divisão são o U. Almeirim-U. Tomar, com os tomarenses a enfrentar mais um teste de elevado nível de dificuldade, e, também com especial curiosidade, o Cartaxo-Amiense, em que, caso o grupo de Amiais de Baixo consiga dar continuidade ao notável desempenho que vem evidenciando, tal poderá traduzir como que o “abdicar” das pretensões dos cartaxeiros.

Noutro patamar, o Alcanenense-Samora Correia poderá também, em caso de resultado desfavorável à equipa visitada, fazer “tocar a rebate”, perante o que constituiria uma séria ameaça a uma eventual segunda despromoção sucessiva do conjunto de Alcanena.

No Coruchense-Torres Novas poderá aquilatar-se se os torrejanos conseguirão transpor para o campeonato a verve goleadora agora descoberta na Taça, num embate no qual, não obstante, atendendo à evolução das duas equipas nesta época, o líder se perfila como lógico favorito.

Na II Divisão, a Norte, haverá oportunidade para uma espécie de “tira-teimas”, com Riachense e Abrantes e Benfica a repetirem o encontro do passado fim-de-semana, mas agora em Riachos, no qual os homens da casa procurarão rectificar a má imagem deixada na última ronda da Taça.

Outros jogos de interesse serão o Ortiga-Pego, entre dois candidatos a um lugar na fase final, assim como o U. Tomar “B”-Aldeiense e o Caxarias-Tramagal. A Sul, com o guia (Moçarriense) e a equipa sensação da Taça (Espinheirense) ambos de “folga”, realce para o Pontével-Benavente.

No Campeonato de Portugal, chegou o dia de os dois clubes representantes do Distrito se encontrarem, com o Mação a receber a visita do Fátima, num confronto com tendência teoricamente de equilíbrio, possivelmente a pender algo mais para o lado dos fatimenses.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 29 de Novembro de 2018)

2 Dezembro, 2018 at 12:00 pm Deixe um comentário

Liga Europa – 5ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo E
Vorskla Poltava – Arsenal – 0-3
Qarabağ – Sporting – 1-6

1º Arsenal, 13; 2º Sporting, 10; 3º Vorskla Poltava e Qarabağ, 3

A uma ronda do termo da fase de grupos, garantiram já o apuramento para os 1/16 de final as seguintes equipas: Bayer Leverkusen, Zürich, RB Salzburg, Zenit, D. Zagreb, Fenerbahçe, Arsenal, Sporting, Betis, E. Frankfurt, Lazio, D. Kyiv e Chelsea.
(mais…)

29 Novembro, 2018 at 9:53 pm Deixe um comentário

Liga dos Campeões – 5ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo A
At. Madrid – Monaco – 2-0
B. Dortmund – Brugge – 0-0

1º At. Madrid, 12; 2º B. Dortmund, 10; 3º Brugge, 5; 4º Monaco, 1

Grupo B
Tottenham – Inter – 1-0
PSV – Barcelona – 1-2

1º Barcelona, 13; 2º Tottenham e Inter, 7; 4º PSV, 1

Grupo C
Napoli – Crvena Zvezda – 3-1
Paris St.-Germain – Liverpool – 2-1

1º Napoli, 9; 2º Paris St.-Germain, 8; 3º Liverpool, 6; 4º Crvena Zvezda, 4

Grupo D
FC Porto – Schalke 04 – 3-1
Lokomotiv Moskva – Galatasaray – 2-0

1º FC Porto, 13; 2º Schalke 04, 8; 3º Galatasaray, 4; 4º Lokomotiv Moskva, 3

Grupo E
Bayern – Benfica – 5-1
AEK – Ajax – 0-2

1º Bayern, 13; 2º Ajax, 11; 3º Benfica, 4; 4º AEK, 0

Grupo F
Lyon – Manchester City – 2-2
Hoffenheim – Shakhtar Donetsk – 2-3

1º Manchester City, 10; 2º Lyon, 7; 3º Shakhtar Donetsk, 5; 4º Hoffenheim, 3

Grupo G
CSKA Moskva – Viktoria Plzeň – 1-2
Roma – Real Madrid – 0-2

1º Real Madrid, 12; 2º Roma, 9; 3º Viktoria Plzeň e CSKA Moskva, 4

Grupo H
Juventus – Valencia – 1-0
Manchester United – Young Boys – 1-0

1º Juventus, 12; 2º Manchester United, 10; 3º Valencia, 5; 4º Young Boys, 1

A uma ronda do termo da fase de grupos, garantiram já o apuramento para os 1/8 de final da Liga dos Campeões: At. Madrid, B. Dortmund, Barcelona, FC Porto, Schalke 04, Bayern, Ajax, Manchester City, Real Madrid, Roma, Juventus e Manchester United.

Por outro lado, asseguraram já a transição para a Liga Europa: Brugge, Benfica e Valencia.

Estão já virtualmente eliminados das competições europeias: Monaco, PSV Eindhoven e Young Boys.

28 Novembro, 2018 at 9:54 pm Deixe um comentário

Liga dos Campeões – 5ª jornada – Bayern – Benfica

BayernBayern München – Manuel Neuer, Rafinha, Jérôme Boateng, Niklas Süle, David Alaba, Joshua Kimmich, Arjen Robben (72m – Renato Sanches), Thomas Müller (81m – Woo-Yeong Jeong), Leon Goretzka, Franck Ribéry (77m – Sandro Wagner) e Robert Lewandowski

BenficaBenfica – Odysseas Vlachodimos, André Almeida, Germán Conti, Rúben Dias, Alex Grimaldo, Ljubomir Fejsa (76m – Alfa Semedo), Rafa Silva, Pizzi (45m – Gedson Fernandes), Gabriel, Franco Cervi e Jonas (59m – Haris Seferović)

1-0 – Arjen Robben – 13m
2-0 – Arjen Robben – 30m
3-0 – Robert Lewandowski – 36m
3-1 – Gedson Fernandes – 46m
4-1 – Robert Lewandowski – 51m
5-1 – Franck Ribéry – 76m

Cartões amarelos – Arjen Robben (24m) e Franck Ribéry (33m); Alfa Semedo (87m)

Árbitro – Daniele Orsato (Itália)

Três palavras se impõem para definir este jogo: vergonha, passividade e injustificável.

Tendo o AEK-Ajax sido jogado em horário precedente, do seu desfecho (triunfo da formação holandesa) decorria que – ao entrar em campo no Allianz Arena –, por um lado, o Benfica tinha já garantida a continuidade nas provas europeias, por via da transição para a Liga Europa; por outro, se a possibilidade de apuramento para os 1/8 de final da Liga dos Campeões era já uma quimera, passava a afigurar-se como uma “impossibilidade” prática (seria necessário ganhar por, pelo menos, dois golos de diferença em Munique…).

Neste contexto, de absolutamente nenhuma pressão competitiva (ninguém exigiria a tal altamente improvável vitória) – em que, portanto, o jogo poderia ser gerido com serenidade, sem precipitação, com rigor táctico a nível defensivo e espreitando a possibilidade de construir lances de ataque, ou, talvez com maior propriedade, de contra-ataque, perante o previsível assumir da iniciativa ofensiva por parte do Bayern –, é completamente injustificável a exibição benfiquista.

Faltou tudo: não houve rigor na defesa, mas, antes, uma extrema passividade, proporcionando fartas facilidades de movimentação ao adversário, as quais estiveram na origem de todos os cinco tentos sofridos; em 90 minutos não se conseguiram criar mais do que dois lances de futebol ofensivo (um deles resultando no solitário golo); o contra-ataque foi praticamente inexistente e, em absoluto, inofensivo.

Qualquer “estratégia” que tivesse sido delineada rapidamente ruiria: logo aos 13 minutos, aproveitando a tal passividade, o já veterano Robben, em progressão desde a linha lateral direita, tirou do caminho quatro adversários, internando-se e rematando sem hipótese de defesa para Vlachodimos – o único a salvar-se do “naufrágio” colectivo (tendo “salvo” outras duas flagrantes ocasiões de golo, que negou a Lewandowski e a Müller); pior, o holandês repetiria, quase a “papel químico”, a jogada, à passagem da meia hora, com o mesmo desfecho, ampliando para 2-0.

A apatia da defesa benfiquista ficaria igualmente patente nos lances do terceiro e quarto golos sofridos, também muito similares, ambos apontados por Lewandowski, na sequência de pontapés de canto, com o polaco, nas duas vezes, à entrada da pequena área, a saltar mais alto e a conseguir antecipar-se às “marcações” dos defesas benfiquistas, cabeceando inapelavelmente para o fundo da baliza.

Pelo meio, o único momento positivo para o Benfica: logo a abrir a segunda parte, Rafa, com um toque subtil, a libertar a corrida de Gedson, que, após excelente combinação com Jonas, surgiu isolado frente a Neuer, e, com grande personalidade, sem vacilar, não desperdiçou a oportunidade para marcar, menos de 40 segundos após ter entrado em campo!

Porém, o tónico anímico que tal golo poderia consubstanciar, até no suster da avalanche alemã, não resistiu mais do que cinco minutos. Até final, numa fase em que o Bayern, notoriamente, “tirara já o pé do acelerador”, espaço ainda para o consumar da goleada, com o francês Ribéry, uma vez mais a beneficiar da permeabilidade da defesa benfiquista, sem marcação, a “empurrar” a bola, sem dificuldade, para as redes do desamparado Vlachodimos.

A vergonha (benfiquista) deste jogo reside sobretudo na forma fácil como o Bayern dispôs do jogo a seu bel-prazer, sem sequer ter de se empregar a fundo, como se o Benfica fosse uma vulgar equipa de terceiro escalão, denotando absoluta incapacidade de oferecer a mínima resistência ao adversário, que tantas dificuldades tem experimentado frente a alguns dos menos cotados opositores da “Bundesliga”…

Um desempenho do conjunto benfiquista para reflectir e agir: torna-se imperioso sacudir rapidamente a letargia e marasmo em que a equipa caiu, sem ideias, falha de organização, com um técnico a não conseguir sair do espartilho de um modelo esgotado, aparentando mesmo uma incompreensível falta de ânimo e motivação.

A questão que se coloca, perante a profundidade do problema, é se haverá ainda possibilidade de se virem a revelar “Campeões” a reagir a esta péssima fase, ou se, ao invés, teremos pela frente o que poderá ser um longo e penoso final de época.

27 Novembro, 2018 at 10:50 pm Deixe um comentário

Campeonato do Mundo de Fórmula 1 – 2018

Chegou ao fim o Campeonato do Mundo de Fórmula 1 de 2018, com o britânico Lewis Hamilton a sagrar-se Campeão do Mundo pela quinta vez, depois dos títulos conquistados em 2008, 2014, 2015 e 2017 – igualando assim o palmarés do mítico Juan Manuel Fangio, apenas superados por Michael Schumacher (7 títulos).

Ao longo desta temporada, o campeão venceu 11 Grandes Prémios – passando a totalizar 73 triunfos, marca também apenas ultrapassada por Schumacher (91 vitórias) -, face a 5 triunfos de Sebastian Vettel, 2 de Daniel Ricciardo e de Max Verstappen, e 1 de Kimi Räikkönen.

Classificação Final do Mundial de Pilotos:

1º Lewis Hamilton (Grã-Bretanha) – Mercedes – 408
2º Sebastian Vettel (Alemanha) – Ferrari – 320
3º Kimi Räikkönen (Finlândia) – Ferrari – 251
Max Verstappen (Holanda) – Red Bull Racing-Tag Heuer – 249
5º Valtteri Bottas (Finlândia) – Mercedes – 247
6º Daniel Ricciardo (Austrália) – Red Bull Racing-Tag Heuer – 170
7º Nico Hulkenberg (Alemanha) – Renault – 69
8º Sergio Perez (México) – Force India-Mercedes – 62
9º Kevin Magnussen (Dinamarca) – Haas-Ferrari – 56
10º Carlos Sainz (Espanha) – Renault – 53
11º Fernando Alonso (Espanha) – McLaren-Honda – 50
12º Esteban Ocon (França) – Force India-Mercedes – 49
13º Charles Leclerc (Mónaco) – Sauber-Ferrari – 39
14º Romain Grosjean (França) – Haas-Ferrari – 37
15º Pierre Gasly (França) – Toro Rosso-Honda – 29
16º Stoffel Vandoorne (Bélgica) – McLaren-Honda – 12
17º Marcus Ericsson (Suécia) – Sauber-Ferrari – 9
18º Lance Stroll (Canadá) – Williams-Mercedes – 6
19º Brendon Hartley (N. Zelândia) – Toro Rosso-Honda – 4
20º Sergey Sirotkin (Rússia) – Williams-Mercedes – 1

Classificação do Mundial de Construtores:

1º Mercedes – 655
2º Ferrari – 571
3º Red Bull Racing-Tag Heuer – 419
4º Renault – 122
5º Haas-Ferrari – 93
6º McLaren-Honda – 62
7º Force India-Mercedes – 52
8º Sauber-Ferrari – 48
9º Toro Rosso-Honda – 33
10º Williams-Mercedes – 7

Nota – Os pontos averbados por Sergio Perez (30) e por Esteban Ocon (29) nos doze primeiros Grandes Prémios da temporada, foram obtidos em representação da equipa “Sahara Force India F1 Team”, a qual, por ter entrado em administração judicial, foi excluída da competição, tendo sido substituída, nos nove últimos Grandes Prémios, pela nova “Racing Point Force India F1 Team”.

É o seguinte o palmarés de Campeões do Mundo: Michael Schumacher (7); Juan Manuel Fangio e Lewis Hamilton (5); Alain Prost e Sebastien Vettel (4); Jack Brabham, Jackie Stewart, Niki Lauda, Nelson Piquet e Ayrton Senna (3); Alberto Ascari, Graham Hill, Jim Clark, Emerson Fittipaldi, Mika Häkkinen e Fernando Alonso (2); Giuseppe Farina, Mike Hawthorn, Phil Hill, John Surtees, Denis Hulme, Jochen Rindt, James Hunt, Mario Andretti, Jody Scheckter, Alan Jones, Keke Rosberg, Nigel Mansell, Damon Hill, Jacques Villeneuve, Kimi Räikkönen, Jenson Button e Nico Rosberg (1).

25 Novembro, 2018 at 11:43 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 9ª Jornada

O pulsar do campeonato - 2018-19 - 9jornada

(“O Templário”, 22.11.2018)

Reafirmando as suas credenciais de candidato, somando o quinto triunfo em outros tantos jogos disputados em terreno alheio, o Coruchense beneficiou ainda de deslizes dos seus mais directos concorrentes (derrota do U. Santarém e empates do U. Almeirim e Cartaxo) para se distanciar na liderança, dispondo agora de uma vantagem de cinco pontos sobre o par que reparte o 2.º posto, formado pelo sensacional Amiense e pelo U. Santarém, com almeirinenses e cartaxeiros (não obstante ambos com um jogo em atraso) já a seis e a nove pontos, respectivamente.

Destaques – A primeira nota de realce vai, necessariamente, para a vitória averbada pela formação do Sorraia na deslocação a Tomar, por tangencial 3-2, o que, em paralelo, atesta a boa réplica oferecida pelo União, mantendo a incerteza quanto ao desfecho da partida praticamente até final: a cinco minutos do termo do desafio, os nabantinos, então em desvantagem por 1-2, procuravam com insistência o golo do empate, vindo contudo a sofrer o decisivo terceiro tento; assim, o segundo golo dos “rubro-negros” acabaria por chegar já demasiado tarde…

Depois de uma fase menos positiva, de três jogos sem vencer, o Fazendense voltou aos bons resultados, batendo o U. Santarém por 3-1, no que poderá ter sido um encontro determinante para o futuro de ambos os emblemas para o que resta deste campeonato; pese embora esteja apenas disputado o primeiro terço da prova, o facto de os escalabitanos – que consentiram neste desafio tantos golos como os que haviam sofrido nas oito rondas iniciais – terem descolado da liderança poderá eventualmente vir a ter reflexos relevantes em relação às suas ambições; quanto ao conjunto das Fazendas, solidifica as suas pretensões, pelo menos, a uma posição entre os cinco primeiros da classificação.

Merece também particular destaque o Amiense, pela excelente campanha que vem realizando, impondo-se por 2-0 na recepção ao Alcanenense, o que, para já, lhe proporcionou ascender à vice-liderança (partilhada com o U. Santarém), apresentando agora a defesa menos batida do campeonato (somente cinco golos sofridos, mantendo a sua baliza inviolada há cinco jogos) – tendo também, por curiosidade, o actual melhor marcador, Moleiro, com sete golos. Um desempenho colectivo em que é bem notória a “mão” do seu responsável técnico, Jorge Peralta.

Surpresas – Registam-se duas “surpresas”, as quais, não obstante, se poderiam já, de alguma forma, entrever, dado que o perigo estava à espreita para as equipas mais credenciadas: os empates concedidos por Cartaxo (0-0, em Torres Novas) e, principalmente, do U. Almeirim (1-1, em Marinhais), assim vendo interrompido um notável ciclo de quatro vitórias consecutivas.

No que respeita aos torrejanos, confirmam a sua relativa solidez defensiva (para além do Amiense, só o U. Santarém e o U. Almeirim têm menos golos sofridos), a par da absoluta incapacidade que vêm denotando para marcar (averbam, até agora, um único tento, em 13 jogos disputados na presente temporada!). Quanto ao Marinhais, conseguiu evitar a derrota caseira pela primeira vez, à quinta tentativa, confirmando a recuperação que vem procurando encetar.

Confirmações – Por seu lado, eram previsíveis os triunfos caseiros do Samora Correia (3-0) sobre o Glória do Ribatejo – agora “lanterna vermelha” isolado, mantendo uma média de praticamente três golos sofridos por jogo –, e, porventura em menor escala, do At. Ouriense (3-1) na recepção ao Ferreira do Zêzere, num embate em que imperou o factor casa (com os ferreirenses a denotar dificuldades na condição de visitante, na qual somaram quarto desaire).

Em função dos resultados desta 9.ª ronda (em especial o triunfo do Samora Correia), começa a cavar-se um fosso na parte baixa da tabela, já com quatro pontos a separar o 10.º classificado, Ferreira do Zêzere, dos clubes posicionados imediatamente abaixo, Alcanenense e Torres Novas, que, com Marinhais e Glória do Ribatejo, integram o quarteto em situação “aflitiva”.

II Divisão Distrital – A Norte, o Abrantes e Benfica prossegue o seu “passeio”, somando mais uma goleada (quinta, em seis jogos concluídos), desta feita por 5-0, ante a equipa “B” do União de Tomar, que tão boa conta vem dando nesta sua estreia absoluta. De notar também o desaire sofrido pelo Riachense no terreno da Ortiga, perdendo por tangencial 0-1, vendo o seu oponente isolar-se no 3.º lugar. Tramagal e Pego (ambos com goleadas de 4-0) não tiveram dificuldades para suplantar, respectivamente, U. Atalaiense e Sardoal, afirmando as suas aspirações.

A Sul, apenas um jogo chegou ao fim, com o Pontével a aplicar também “chapa 4” na Ribeira de Santarém, perante uns irreconhecíveis Empregados do Comércio. As partidas de Salvaterra (1-0, ante o Espinheirense) e Benavente (0-2, com o Rio Maior) foram ambas interrompidas ao intervalo, com as condições climatéricas, outra vez, a deixar as suas marcas…

Campeonato de Portugal – Na 12.ª jornada, dois empates dos clubes do Distrito, que, em condições normais seriam resultados positivos (1-1 em Fátima, na recepção ao líder, Vilafranquense; 2-2 no Oliveira do Hospital-Mação), mas que, nas circunstâncias actuais, não permitem afastar os motivos de preocupação: os fatimenses viram encurtar-se para quatro pontos a sua margem de segurança em relação à “linha de água”, enquanto os maçaenses parecem dela cada vez mais afastados, mantendo o atraso de sete pontos… e o último lugar.

Antevisão – À margem de alguns encontros para acerto de calendário, agendados para meio da semana, os campeonatos distritais terão nova pausa no próximo fim-de-semana, para disputa da terceira e derradeira ronda da fase de grupos da Taça do Ribatejo.

Estando ainda metade das vagas de qualificação para os 1/8 de final em aberto, destacam-se nomeadamente os seguintes confrontos, de cariz decisivo: At. Ouriense-Amiense e Alcanenense-Ferreira do Zêzere (série 2) e Tramagal-U. Santarém e U. Tomar-Ortiga (série 3), em ambas as séries com apenas dois lugares disponíveis para quatro candidatos – para evitar ficar dependentes de terceiros, os nabantinos deverão vencer, caso em que garantem o apuramento; Rio Maior-Empregados do Comércio, Moçarriense-Samora Correia e Cartaxo-Espinheirense, em que apenas um clube de cada um destes pares poderá alcançar a qualificação.

Com o Campeonato de Portugal igualmente em suspenso, para dar lugar aos 1/16 de final da Taça de Portugal, Fátima e Mação terão direito a dia de “folga”.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 22 de Novembro de 2018)

25 Novembro, 2018 at 12:00 pm Deixe um comentário

Liga das Nações da UEFA – 2018/19 – 6ª Jornada

LIGA A

Grupo 1 – Alemanha-Holanda – 2-2

1.º Holanda, 7; 2.º França, 7; 3.º Alemanha, 2

Grupo 2 – Suíça-Bélgica – 5-2

1.º Suíça, 9; 2.º Bélgica, 9; 3.º Islândia, 0

Grupo 3 – Portugal-Polónia – 1-1

1.º Portugal, 8; 2.º Itália, 5; 3.º Polónia, 2

Grupo 4 – Inglaterra-Croácia – 2-1

1.º Inglaterra, 7; 2.º Espanha, 6; 3.º Croácia, 4

Holanda, Suíça, Portugal e Inglaterra são os apurados para a fase final (“final four”) desta edição inaugural da Liga das Nações da UEFA, a qual deverá disputar-se em Portugal (Guimarães e Porto), de 5 a 9 de Junho de 2019. São despromovidos à Liga B (edição de 2020/21): Alemanha, Islândia, Polónia e Croácia.

Os quatro melhores classificados de cada uma das Ligas A, B, C e D que não tenham obtido a qualificação para o EURO 2020 participarão nos “play-offs”, a disputar em Março de 2020, para preenchimento de quatro vagas na fase final dessa competição.

(mais…)

20 Novembro, 2018 at 10:44 pm Deixe um comentário

Portugal – Polónia (Liga das Nações – 6.ª Jornada)

Portugal Portugal – Beto, João Cancelo, Pepe, Rúben Dias, Kevin Rodrigues, Renato Sanches, Danilo Pereira, William Carvalho, Raphaël Guerreiro (61m – João Mário), Rafa Silva (70m – Bruma) e André Silva (87m – Éder)

Itália Polónia – Wojciech Szczęsny, Tomasz Kędziora, Thiago Cionek, Jan Bednarek, Bartosz Bereszyński, Kamil Grosicki (79m – Damian Kądzior), Mateusz Klich (75m – Jacek Góralski), Piotr Zieliński (90m – Damian Szymański), Grzegorz Krychowiak, Przemysław Frankowski e Arkadiusz Milik

1-0 – André Silva – 34m
1-1 – Arkadiusz Milik (pen.) – 66m

Cartões amarelos – Rúben Dias (64m) e João Mário (90m); Thiago Cionek (11m), Jan Bednarek (28m) e Przemysław Frankowski (78m)

Cartão vermelho – Danilo Pereira (63m)

Árbitro – Sergei Karasev (Rússia)

Tendo garantido, já de antemão, o apuramento para a fase final da prova, sem outros grandes objectivos que não o de manter a invencibilidade, a selecção de Portugal não foi além de um empate na recepção a uma selecção da Polónia, que, não obstante estar já virtualmente despromovida à “Liga B”, tinha em jogo neste desafio o estatuto de “cabeça-de-série” no sorteio para a fase de qualificação do EURO 2020, o que viria a alcançar, em detrimento da Alemanha.

A equipa portuguesa até entrou bem no jogo, colocando-se em vantagem pouco depois da meia hora, que conservaria até meio da etapa complementar. Então, com a expulsão de Danilo Pereira e a sanção com uma grande penalidade, que proporcionou a igualdade aos polacos, a tendência da partida virou a favor dos visitantes, tendo, até final, a formação nacional privilegiado a manutenção do resultado.

20 Novembro, 2018 at 10:41 pm Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Dezembro 2018
S T Q Q S S D
« Nov    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.