Títulos de Futebol – Clubes portugueses

22 Maio, 2022 at 7:24 pm Deixe um comentário

Taça de Portugal – Palmarés

          Vencedor Finalista   Épocas (Vencedor / Finalista)

Benfica        26     12   1939-40; 1942-43; 1943-44; 1948-49;
                           1950-51; 1951-52; 1952-53; 1954-55;
                           1956-57; 1958-59; 1961-62; 1963-64;
                           1968-69; 1969-70; 1971-72; 1979-80;
                           1980-81; 1982-83; 1984-85; 1985-86;
                           1986-87; 1992-93; 1995-96; 2003-04;
                           2013-14; 2016-17
                           1938-39; 1957-58; 1964-65; 1970-71;
                           1973-74; 1974-75; 1988-89; 1996-97;
                           2004-05; 2012-13; 2019-20; 2020-21
FC Porto       18     14   1955-56; 1957-58; 1967-68; 1976-77;
                           1983-84; 1987-88; 1990-91; 1993-94;
                           1997-98; 1999-00; 2000-01; 2002-03;
                           2005-06; 2008-09; 2009-10; 2010-11;
                           2019-20; 2021-22
                           1952-53; 1958-59; 1960-61; 1963-64;
                           1977-78; 1979-80; 1980-81; 1982-83;
                           1984-85; 1991-92; 2003-04; 2007-08;
                           2015-16; 2018-19
Sporting       17     12   1940-41; 1944-45; 1945-46; 1947-48;
                           1953-54; 1962-63; 1970-71; 1972-73;
                           1973-74; 1977-78; 1981-82; 1994-95;
                           2001-02; 2006-07; 2007-08; 2014-15;
                           2018-19                           
                           1951-52; 1954-55; 1959-60; 1969-70;
                           1971-72; 1978-79; 1986-87; 1993-94;
                           1995-96; 1999-00; 2011-12; 2017-18
Boavista        5      1   1974-75; 1975-76; 1978-79; 1991-92;
                           1996-97/ 1992-93
V. Setúbal      3      7   1964-65; 1966-67; 2004-05
                           1942-43; 1953-54; 1961-62; 1965-66
                           1967-68; 1972-73; 2005-06
Belenenses      3      5   1941-42; 1959-60; 1988-89/ 1939-40
                           1940-41; 1947-48; 1985-86; 2006-07
Sp. Braga       3      4   1965-66; 2015-16; 2020-21
                           1976-77; 1981-82; 1997-98; 2014-15
Académica       2      3   1938-39; 2011-12
                           1950-51; 1966-67; 1968-69
V. Guimarães    1      6   2012-13/ 1941-42; 1962-63; 1975-76;
                           1987-88; 2010-11; 2016-17
Leixões         1      1   1960-61/ 2001-02
Beira-Mar       1      1   1998-99/ 1990-91
E. Amadora      1      -   1989-90
D. Aves         1      -   2017-18
Atlético        -      2   1945-46; 1948-49
Marítimo        -      2   1994-95; 2000-01
Rio Ave         -      2   1983-84; 2013-14
Estoril         -      1   1943-44
Olhanense       -      1   1944-45
Torreense       -      1   1955-56
Covilhã         -      1   1956-57
Farense         -      1   1989-90
Campomaiorense  -      1   1998-99
U. Leiria       -      1   2002-03
Paços Ferreira  -      1   2008-09
Chaves          -      1   2009-10
Tondela         -      1   2021-22

22 Maio, 2022 at 7:24 pm Deixe um comentário

Finais da Taça de Portugal

Edição    Época     Vencedor      Finalista
LXXXII   2021-22   FC Porto      Tondela         3-1
LXXXI    2020-21   Sp. Braga     Benfica         2-0
LXXX     2019-20   FC Porto      Benfica         2-1
LXXIX    2018-19   Sporting      FC Porto        2-2 (5-4 g.p.)
LXXVIII  2017-18   D. Aves       Sporting        2-1
LXXVII   2016-17   Benfica       V. Guimarães    2-1
LXXVI    2015-16   Sp. Braga     FC Porto        2-2 (4-2 g.p.)
LXXV     2014-15   Sporting      Sp. Braga       2-2 (3-1 g.p.)
LXXIV    2013-14   Benfica       Rio Ave         1-0
LXXIII   2012-13   V. Guimarães  Benfica         2-1
LXXII    2011-12   Académica     Sporting        1-0
LXXI     2010-11   FC Porto      V. Guimarães    6-2
LXX      2009-10   FC Porto      Chaves          2-1
LXIX     2008-09   FC Porto      Paços Ferreira  1-0
LXVIII   2007-08   Sporting      FC Porto        2-0 (a.p.)
LXVII    2006-07   Sporting      Belenenses      1-0
LXVI     2005-06   FC Porto      Setúbal         1-0
LXV      2004-05   Setúbal       Benfica         2-1
LXIV     2003-04   Benfica       FC Porto        2-1 (a.p.)
LXIII    2002-03   FC Porto      U. Leiria       1-0
LXII     2001-02   Sporting      Leixões         1-0
LXI      2000-01   FC Porto      Marítimo        2-0
LX       1999-00   FC Porto      Sporting        1-1   2-0
LIX      1998-99   Beira-Mar     Campomaiorense  1-0
LVIII    1997-98   FC Porto      Sp. Braga       3-1
LVII     1996-97   Boavista      Benfica         3-2
LVI      1995-96   Benfica       Sporting        3-1
LV       1994-95   Sporting      Marítimo        2-0
LIV      1993-94   FC Porto      Sporting        0-0   2-1 (a.p.)
LIII     1992-93   Benfica       Boavista        5-2
LII      1991-92   Boavista      FC Porto        2-1
LI       1990-91   FC Porto      Beira-Mar       3-1 (a.p.)
L        1989-90   E. Amadora    Farense         1-1   2-0
XLIX     1988-89   Belenenses    Benfica         2-1
XLVIII   1987-88   FC Porto      V. Guimarães    1-0
XLVII    1986-87   Benfica       Sporting        2-1
XLVI     1985-86   Benfica       Belenenses      2-0
XLV      1984-85   Benfica       FC Porto        3-1
XLIV     1983-84   FC Porto      Rio Ave         4-1
XLIII    1982-83   Benfica       FC Porto        1-0
XLII     1981-82   Sporting      Sp. Braga       4-0
XLI      1980-81   Benfica       FC Porto        3-1
XL       1979-80   Benfica       FC Porto        1-0
XXXIX    1978-79   Boavista      Sporting        1-1   1-0
XXXVIII  1977-78   Sporting      FC Porto        1-1   2-1
XXXVII   1976-77   FC Porto      Sp. Braga       1-0
XXXVI    1975-76   Boavista      V. Guimarães    2-1
XXXV     1974-75   Boavista      Benfica         2-1
XXXIV    1973-74   Sporting      Benfica         2-1 (a.p.)
XXXIII   1972-73   Sporting      V. Setúbal      3-2
XXXII    1971-72   Benfica       Sporting        3-2 (a.p.)
XXXI     1970-71   Sporting      Benfica         4-1
XXX      1969-70   Benfica       Sporting        3-1
XXIX     1968-69   Benfica       Académica       2-1
XXVIII   1967-68   FC Porto      V. Setúbal      2-1
XXVII    1966-67   V. Setúbal    Académica       3-2 (a.p.)
XXVI     1965-66   Sp. Braga     V. Setúbal      1-0
XXV      1964-65   V. Setúbal    Benfica         3-1
XXIV     1963-64   Benfica       FC Porto        6-2
XXIII    1962-63   Sporting      V. Guimarães    4-0
XXII     1961-62   Benfica       V. Setúbal      3-0
XXI      1960-61   Leixões       FC Porto        2-0
XX       1959-60   Belenenses    Sporting        2-1
XIX      1958-59   Benfica       FC Porto        1-0
XVIII    1957-58   FC Porto      Benfica         1-0
XVII     1956-57   Benfica       Sp. Covilhã     3-1
XVI      1955-56   FC Porto      Torreense       2-0
XV       1954-55   Benfica       Sporting        2-1
XIV      1953-54   Sporting      V. Setúbal      3-2
XIII     1952-53   Benfica       FC Porto        5-0
XII      1951-52   Benfica       Sporting        5-4
XI       1950-51   Benfica       Académica       5-1
X        1948-49   Benfica       Atlético        2-1
IX       1947-48   Sporting      Belenenses      3-1
VIII     1945-46   Sporting      Atlético        4-2
VII      1944-45   Sporting      Olhanense       1-0
VI       1943-44   Benfica       Estoril         8-0
V        1942-43   Benfica       V. Setúbal      5-1
IV       1941-42   Belenenses    V. Guimarães    2-0
III      1940-41   Sporting      Belenenses      4-1
II       1939-40   Benfica       Belenenses      3-1
I        1938-39   Académica     Benfica         4-3

22 Maio, 2022 at 7:23 pm

O Pulsar do Campeonato – 28ª Jornada

(“O Templário”, 19.05.2022)

Numa ronda caracterizada por uma “chuva” de golos (um total de 39, resultando numa incrível média de praticamente 5 golos/jogo, um “record” nesta edição da prova), tudo ficou já matematicamente decidido, ainda com duas jornadas por disputar: o Rio Maior sagrou-se Campeão Distrital da I Divisão, assegurando a correspondente promoção ao Campeonato de Portugal; enquanto o U. Almeirim e o Glória do Ribatejo serão despromovidos à II Divisão Distrital. O União de Tomar garantiu o apuramento para a próxima edição da Taça de Portugal.

Os riomaiorenses conseguiram culminar com pleno êxito a “contagem regressiva” na rota do título – que mantinham desde que, à 22.ª jornada, estabeleceram uma “margem de segurança” de seis pontos para o mais directo perseguidor –, ampliando para dez o número de triunfos consecutivos; portanto sem sofrer qualquer deslize, como que neutralizando o efeito das seis vitórias também sucessivamente averbadas por uma equipa do U. Tomar que nunca abdicou da luta, mas que mais não lhe possibilitaram que consolidar, de forma claramente destacada, a 2.ª posição na tabela.

Destaques – Justamente, o maior destaque da 28.ª jornada terá de ser creditado aos tomarenses, com a estrondosa goleada aplicada ao Cartaxo, ganhando por números “esmagadores”: 10-0!

Em 2.300 jogos oficiais disputados ao longo do seu centenário historial, esta foi a segunda vitória por margem mais dilatada obtida pelo União, igualando os 10-0 registados em 1965, frente ao Vitória de Lisboa, um desfecho crucial, nessa ocasião, para uma ansiada subida à II Divisão Nacional, no percurso que conduziria à conquista do título de Campeão Nacional da III Divisão. Antes disso, o máximo histórico do clube tinha-se fixado já nos 13-1, face ao Alcanenense, no Distrital de 1942-43 (temporada em que ressalta também o 10-2 ante o Sporting de Tomar).

Nas últimas quatro partidas o U. Tomar acumula um fantástico total de 24 golos marcados. Desde a estreia do novo treinador, Marco Marques, contam-se três triunfos, com um saldo de 19-2!

O encontro perante o Cartaxo praticamente “não teve história”: os unionistas entraram a ganhar, inaugurando o marcador aos cinco minutos, ampliando para 2-0 ainda no quarto de hora inicial, estabelecendo o 3-0 pouco antes do intervalo. Na segunda metade, novo golo logo no minuto inicial, continuando a contagem a aumentar com naturalidade, até aos 6-0 aos 62 minutos. No derradeiro quarto de hora, mais quatro tentos, aliás, em menos de dez minutos, entre os 78 e 87…

Bastante maior foi o “suspense” – e, inevitavelmente, alguma dose de ansiedade – que se viveu em Rio Maior: num desafio que se antecipava já como sendo, provavelmente, da consagração do novo Campeão, os visitados abriram o activo aos 15 minutos, começando a preparar-se a festa… A qual, contudo, se faria ainda esperar longamente; o Amiense empatou aos 37 minutos e “vendeu cara” a derrota, com o “libertador” golo do título a chegar somente em cima do minuto 90.

Num campeonato com duas equipas manifestamente superiores à concorrência, o Rio Maior, com excelente campanha, fez meritório jus ao título, alicerçado numa defesa de grande solidez (apenas 14 golos sofridos, à média de 0,5/jogo), com um ataque também com registo muito bom (74 golos) – ainda que, nesse aspecto, agora algo aquém da fabulosa marca de 83 tentos do União (para já, terceira melhor marca da história do clube, apenas atrás dos 85 golos de 1973-74 e de 1987-88).

O Samora Correia prossegue a sua senda triunfal, tendo vencido pela oitava jornada sucessiva, batendo o Mação por 4-2, ultrapassando assim esse rival na disputa pelo 4.º lugar.

Confirmando o mau momento atravessado por U. Almeirim (quarto desaire sucessivo; sétimo em oito jogos, nos quais somou um único ponto, tendo visto confirmada a segunda despromoção em duas épocas) e Salvaterrense – equipa que angariara atempadamente os pontos necessários para garantir a manutenção, atravessando de forma bastante tranquila toda a época, tendo perdido, mais recentemente, todos os seus seis últimos jogos –, o Torres Novas e o Ferreira do Zêzere (este, em terreno alheio, em Salvaterra de Magos) impuseram-se com naturalidade: os torrejanos, goleando também, por 5-0, um triunfo que lhes proporcionou ascender ao 8.º posto; os ferreirenses, ganhando por 2-0, selando a permanência no escalão principal.

Confirmações – Confirmaram-se igualmente os expectáveis triunfos do Fazendense (outra goleada, por 4-0, ante o “lanterna vermelha”, Glória do Ribatejo, cimentando a 3.ª posição dos homens das Fazendas de Almeirim); do Alcanenense, face ao Benavente, por 4-2, fazendo prevalecer o factor casa, com a turma da Alcanena a agarrar-se ao 7.º lugar, estando agora somente dois pontos abaixo do adversário desta jornada; e do At. Ouriense, na recepção ao Abrantes e Benfica, ganhando por tangencial 2-1, o suficiente para escalar até ao 11.º posto (fruto de quatro vitórias e um empate nos cinco desafios mais recentes), deixando para trás Cartaxo e Salvaterrense, e apenas a um ponto do Amiense… e a três dos abrantinos.

II Divisão Distrital – A completar a primeira volta da fase de apuramento de Campeão e de promoção, o Águias de Alpiarça foi a Fátima arrancar um precioso triunfo (com o tento da vitória ao “cair do pano”), um desfecho que poderá vir a revelar-se de importância fulcral nas contas finais. Os alpiarcenses continuam a partilhar a liderança com o Entroncamento, que não teve dificuldades, goleando por 5-0 o Espinheirense (o qual conta por derrotas todos os cinco jogos).

Por seu lado o Moçarriense isolou-se no 3.º lugar, tendo ido vencer 3-0 aos Foros de Salvaterra.

Liga 3 – Depois do empate (1-1) registado na 1.ª mão em Alverca, os ribatejanos foram mais eficazes, indo ganhar (2-1) a Leiria, ante o União local, apurando-se para o “play-off” decisivo com o 16.º classificado da II Liga, Sp. Covilhã, para disputa da última vaga neste escalão.

Em paralelo o Torreense sagrou-se Campeão da edição inaugural desta nova competição, ao impor-se, no desempate da marca de grande penalidade, à Oliveirense (após 1-1 nos 120 minutos).

Campeonato de Portugal Subsistem ainda em prova apenas os doze clubes que se apuraram para a fase de apuramento de Campeão e de promoção, nesta altura – faltando disputar duas rondas – com Leça, Paredes, Fontinhas e Moncarapachense instalados nos lugares de subida.

Na 7.ª ronda assinala-se a igualdade (3-3) imposta pelo Sertanense no Restelo (tendo, aliás, o Belenenses empatado já no final do tempo de compensação), sendo que o histórico clube de Belém, agora no 3.º lugar, poderá ainda eventualmente beneficiar – caso venha a terminar nesse posto –, da vaga aberta pela despromoção administrativa da Liga 3 aplicada ao Cova da Piedade.

Antevisão – Definidas que estão as posições mais relevantes do Distrital da I Divisão, realça-se o embate Mação-Fazendense, mesmo que os maçaenses pareçam já arredados da possibilidade de chegar ao 3.º lugar; o Rio Maior desloca-se a Benavente, cabendo ao U. Tomar visitar Abrantes.

No escalão secundário, na viragem para a segunda volta, teremos um desafio crucial, entre Fátima e Entroncamento (com os fatimenses a verem estreitar-se a margem de erro), sendo Águias de Alpiarça e Moçarriense favoritos, respectivamente ante o Forense e o Espinheirense.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 19 de Maio de 2022)

22 Maio, 2022 at 11:00 am Deixe um comentário

Liga Europa – Final – Eintracht Frankfurt – Rangers

Num jogo muito repartido, apenas no desempate da marca de grande penalidade foi possível apurar o vencedor da edição desta temporada da Liga Europa (aliás, justamente como tinha sucedido na final da época anterior, entre o Villarreal e o Manchester United): depois do empate a um golo no final do tempo regulamentar, e após prolongamento, o Eintracht Frankfurt foi mais eficaz naquela fórmula de desempate, ganhando por 5-4, conquistando o seu segundo troféu europeu, depois da vitória na Taça UEFA em 1980.

Foi o desfecho perfeito para uma excelente campanha da equipa alemã, em que manteve a invencibilidade nos 13 jogos disputados (tendo somado 7 vitórias e 6 empates) – depois de ter superado o Olympiakos, Fenerbahçe e Antwerp, tendo vencido o seu grupo de apuramento, o Eintracht deixou para trás, sucessivamente, na fase a eliminar, o Betis, Barcelona e West Ham, antes de chegar à Final de Sevilha, ante o Rangers.

No Palmarés da prova, após as 13 edições já disputadas sob o formato de “Liga Europa”, é a seguinte a lista de vencedores: Sevilla (2014, 2015, 2016 e 2020), At. Madrid (2010, 2012 e 2018), Chelsea (2013 e 2019), FC Porto (2011), Manchester United (2017), Villarreal (2021) e Eintracht Frankfurt (2022).

Nas 38 edições anteriores (nas temporadas de 1971-72 a 2008-09), com a denominação da Taça UEFA, sagraram-se vencedores: Juventus (1977, 1990 e 1993), Inter (1991, 1994 e 1998) e Liverpool (1973, 1976 e 2001), com três títulos cada; Borussia Mönchengladbach (1975 e 1979), Tottenham (1972 e 1984), Real Madrid (1985 e 1986), Göteborg (1982 e 1987), Parma (1995 e 1999), Feyenoord (1974 e 2002) e Sevilla (2006 e 2007), cada um com dois troféus; PSV Eindhoven (1978), Eintracht Frankfurt (1980), Ipswich Town (1981), Anderlecht (1983), Bayer Leverkusen (1988), Napoli (1989), Ajax (1992), Bayern München (1996), Schalke 04 (1997), Galatasaray (2000), FC Porto (2003), Valencia (2004), CSKA Moscovo (2005), Zenit St. Petersburg (2008) e Shakhtar Donetsk (2009).

Antes disso, criada em 1955, a par com a Taça dos Campeões Europeus, disputou-se, até à época de 1970-71, em 13 edições, a designada Taça das Cidades com Feiras, prova que seria precursora da Taça UEFA, apesar de não ser reconhecida a nível oficial pela UEFA, que teve por vencedores: Barcelona (1958, 1960 e 1966); Valencia (1962 e 1963) e Leeds United (1968 e 1971); Roma (1961), Zaragoza (1964), Ferencvaros (1965), D. Zagreb (1967), Newcastle (1969) e Arsenal (1970).

Num exercício de “consolidação” dos vencedores da competição nas suas três fórmulas/designações, temos os seguintes clubes que conquistaram mais do que um troféu: Sevilla (6); Barcelona, Juventus, Inter, Liverpool, Valencia e At. Madrid (3 cada); Leeds United, Borussia Mönchengladbach, Tottenham, Real Madrid, Göteborg, Parma, Feyenoord, FC Porto, Chelsea e Eintracht Frankfurt (2 cada).

18 Maio, 2022 at 10:58 pm Deixe um comentário

I Liga / I Divisão – Historial de lugares de honra

 Época    Campeão           2º           3º           4º
2021-22   FC Porto     Sporting     Benfica      Sp. Braga         
2020-21   Sporting     FC Porto     Benfica      Sp. Braga          
2019-20   FC Porto     Benfica      Sp. Braga    Sporting     
2018-19   Benfica      FC Porto     Sporting     Sp. Braga
2017-18   FC Porto     Benfica      Sporting     Sp. Braga
2016-17   Benfica      FC Porto     Sporting     V. Guimarães
2015-16   Benfica      Sporting     FC Porto     Sp. Braga  
2014-15   Benfica      FC Porto     Sporting     Sp. Braga 
2013-14   Benfica      Sporting     FC Porto     Estoril      
2012-13   FC Porto     Benfica      P. Ferreira  Sp. Braga
2011-12   FC Porto     Benfica      Sp. Braga    Sporting
2010-11   FC Porto     Benfica      Sporting     Sp. Braga
2009-10   Benfica      Sp. Braga    FC Porto     Sporting
2008-09   FC Porto     Sporting     Benfica      Nacional
2007-08   FC Porto     Sporting     V. Guimarães Benfica
2006-07   FC Porto     Sporting     Benfica      Sp. Braga
2005-06   FC Porto     Sporting     Benfica      Sp. Braga
2004-05   Benfica      FC Porto     Sporting     Sp. Braga
2003-04   FC Porto     Benfica      Sporting     Nacional
2002-03   FC Porto     Benfica      Sporting     V. Guimarães
2001-02   Sporting     Boavista     FC Porto     Benfica
2000-01   Boavista     FC Porto     Sporting     Sp. Braga
1999-00   Sporting     FC Porto     Benfica      Boavista
1998-99   FC Porto     Boavista     Benfica      Sporting
1997-98   FC Porto     Benfica      V. Guimarães Sporting
1996-97   FC Porto     Sporting     Benfica      Sp. Braga
1995-96   FC Porto     Benfica      Sporting     Boavista
1994-95   FC Porto     Sporting     Benfica      V. Guimarães
1993-94   Benfica      FC Porto     Sporting     Boavista
1992-93   FC Porto     Benfica      Sporting     Boavista
1991-92   FC Porto     Benfica      Boavista     Sporting
1990-91   Benfica      FC Porto     Sporting     Boavista
1989-90   FC Porto     Benfica      Sporting     V. Guimarães
1988-89   Benfica      FC Porto     Boavista     Sporting
1987-88   FC Porto     Benfica      Belenenses   Sporting
1986-87   Benfica      FC Porto     V. Guimarães Sporting
1985-86   FC Porto     Benfica      Sporting     V. Guimarães
1984-85   FC Porto     Sporting     Benfica      Boavista
1983-84   Benfica      FC Porto     Sporting     Sp. Braga
1982-83   Benfica      FC Porto     Sporting     V. Guimarães
1981-82   Sporting     Benfica      FC Porto     V. Guimarães
1980-81   Benfica      FC Porto     Sporting     Boavista
1979-80   Sporting     FC Porto     Benfica      Boavista
1978-79   FC Porto     Benfica      Sporting     Sp. Braga
1977-78   FC Porto     Benfica      Sporting     Sp. Braga
1976-77   Benfica      Sporting     FC Porto     Boavista
1975-76   Benfica      Boavista     Belenenses   FC Porto
1974-75   Benfica      FC Porto     Sporting     Boavista
1973-74   Sporting     Benfica      V. Setúbal   FC Porto
1972-73   Benfica      Belenenses   V. Setúbal   FC Porto
1971-72   Benfica      V. Setúbal   Sporting     CUF
1970-71   Benfica      Sporting     FC Porto     V. Setúbal
1969-70   Sporting     Benfica      V. Setúbal   Barreirense
1968-69   Benfica      FC Porto     V. Guimarães V. Setúbal
1967-68   Benfica      Sporting     FC Porto     Académica
1966-67   Benfica      Académica    FC Porto     Sporting
1965-66   Sporting     Benfica      FC Porto     V. Guimarães
1964-65   Benfica      FC Porto     CUF          Académica
1963-64   Benfica      FC Porto     Sporting     V. Guimarães
1962-63   Benfica      FC Porto     Sporting     Belenenses
1961-62   Sporting     FC Porto     Benfica      CUF
1960-61   Benfica      Sporting     FC Porto     V. Guimarães
1959-60   Benfica      Sporting     Belenenses   FC Porto
1958-59   FC Porto     Benfica      Belenenses   Sporting
1957-58   Sporting     FC Porto     Benfica      Belenenses
1956-57   Benfica      FC Porto     Belenenses   Sporting
1955-56   FC Porto     Benfica      Belenenses   Sporting
1954-55   Benfica      Belenenses   Sporting     FC Porto
1953-54   Sporting     FC Porto     Benfica      Belenenses
1952-53   Sporting     Benfica      Belenenses   FC Porto
1951-52   Sporting     Benfica      FC Porto     Belenenses
1950-51   Sporting     FC Porto     Benfica      Atlético
1949-50   Benfica      Sporting     Atlético     Belenenses
1948-49   Sporting     Benfica      Belenenses   FC Porto
1947-48   Sporting     Benfica      Belenenses   Estoril
1946-47   Sporting     Benfica      FC Porto     Belenenses        
1945-46   Belenenses   Benfica      Sporting     Olhanense
1944-45   Benfica      Sporting     Belenenses   FC Porto
1943-44   Sporting     Benfica      Atlético     FC Porto
1942-43   Benfica      Sporting     Belenenses   Unidos Lisboa
1941-42   Benfica      Sporting     Belenenses   FC Porto
1940-41   Sporting     FC Porto     Belenenses   Benfica
1939-40   FC Porto     Sporting     Belenenses   Benfica
1938-39   FC Porto     Sporting     Benfica      Belenenses
1937-38   Benfica      FC Porto     Sporting     Carcavelinhos
1936-37   Benfica      Belenenses   Sporting     FC Porto
1935-36   Benfica      FC Porto     Sporting     Belenenses
1934-35   FC Porto     Sporting     Benfica      Belenenses

Resumo:

– Benfica – 37 vezes Campeão / 29 vezes 2º / 17 vezes 3º / 4 vezes 4º classificado
– FC Porto – 30 vezes Campeão / 28 vezes 2º / 13 vezes 3º / 11 vezes 4º classif.
– Sporting – 19 vezes Campeão / 22 vezes 2º / 29 vezes 3º / 13 vezes 4º classif.
– Belenenses – 1 vez Campeão / 3 vezes 2º / 14 vezes 3º / 9 vezes 4º classificado
– Boavista – 1 vez Campeão / 3 vezes 2º / 2 vezes 3º / 10 vezes 4º classificado
– V. Setúbal – 1 vez 2º / 3 vezes 3º / 2 vezes 4º classificado
– Sp. Braga – 1 vez 2º / 2 vezes 3º / 16 vezes 4º classificado
– Académica – 1 vez 2º / 2 vezes 4º classificado
– V. Guimarães – 4 vezes 3º / 10 vezes 4º classificado
– Atlético – 2 vezes 3º / 1 vez 4º classificado
– CUF – 1 vez 3º / 2 vezes 4º classificado
– Paços Ferreira – 1 vez 3º classificado
– Nacional – 2 vezes 4º classificado
– Estoril – 2 vezes 4º classificado
– Barreirense – 1 vez 4º classificado
– Olhanense – 1 vez 4º classificado
– Unidos Lisboa – 1 vez 4º classificado
– Carcavelinhos – 1 vez 4º classificado

15 Maio, 2022 at 11:46 pm Deixe um comentário

I Liga – 2021-22 – Classificação final

     Equipa            J     V     E     D    GM   GS     P
 1.º FC Porto         34    29     4     1    86 - 22    91
 2.º Sporting         34    27     4     3    73 - 23    85
 3.º Benfica          34    23     5     6    78 - 30    74
 4.º Sp. Braga        34    19     8     7    52 - 31    65
 5.º Gil Vicente      34    13    12     9    47 - 42    51
 6.º V. Guimarães     34    13     9    12    50 - 41    48
 7.º Santa Clara      34     9    13    12    38 - 54    40
 8.º Famalicão        34     9    12    13    45 - 51    39
 9.º Estoril          34     9    12    13    36 - 43    39
10.º Marítimo         34     9    11    14    39 - 44    38
11.º Paços Ferreira   34     9    11    14    29 - 44    38
12.º Boavista         34     7    17    10    39 - 52    38
13.º Portimonense     34    10     8    16    31 - 45    38
14.º Vizela           34     7    12    15    37 - 58    33
15.º Arouca           34     7    10    17    30 - 54    31
16.º Moreirense       34     7     8    19    33 - 51    29
17.º Tondela          34     7     7    20    41 - 67    28
18.º B SAD            34     5    11    18    23 - 55    26

Campeão – FC Porto – Entrada directa na Fase Grupos da Liga dos Campeões
2º classificado – Sporting – Entrada directa na Fase Grupos da Liga dos Campeões
3º classificado – Benfica – 3ª eliminatória acesso à Fase Grupos Liga Campeões
4º classificado – Sp. Braga – 3ª elimin. acesso Fase Grupos “Conference League”
5º classificado – Gil Vicente – 2ª elimin. acesso à Fase Grupos “Conference League”

Vencedor da Taça – FC Porto / Tondela – Entrada directa na Fase Grupos da Liga Europa

Despromovidos – Tondela e B SAD
Promovidos – Rio Ave e Casa Pia

Play-off – Moreirense – Chaves

Melhores marcadores:
1. Darwin Núñez (Benfica) – 26
2. Mehdi Taremi (FC Porto) – 20
3. Ricardo Horta (Sp. Braga) – 19

Palmarés – Campeões:

Benfica (37) – 1935-36; 1936-37; 1937-38; 1941-42; 1942-43; 1944-45; 1949-50; 1954-55; 1956-57; 1959-60; 1960-61; 1962-63; 1963-64; 1964-65; 1966-67; 1967-68; 1968-69; 1970-71; 1971-72; 1972-73; 1974-75; 1975-76; 1976-77; 1980-81; 1982-83; 1983-84; 1986-87; 1988-89; 1990-91; 1993-94; 2004-05; 2009-10; 2013-14; 2014-15; 2015-16; 2016-17; 2018-19

FC Porto (30) – 1934-35; 1938-39; 1939-40; 1955-56; 1958-59; 1977-78; 1978-79; 1984-85; 1985-86; 1987-88; 1989-90; 1991-92; 1992-93; 1994-95; 1995-96; 1996-97; 1997-98; 1998-99; 2002-03; 2003-04; 2005-06; 2006-07; 2007-08; 2008-09; 2010-11; 2011-12; 2012-13; 2017-18; 2019-20; 2021-22

Sporting (19) – 1940-41; 1943-44; 1946-47; 1947-48; 1948-49; 1950-51; 1951-52; 1952-53; 1953-54; 1957-58; 1961-62; 1965-66; 1969-70; 1973-74; 1979-80; 1981-82; 1999-00; 2001-02; 2020-21

Belenenses (1) – 1945-46

Boavista (1) – 2000-01

15 Maio, 2022 at 11:45 pm Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 27ª Jornada

(“O Templário”, 12.05.2022)

A primeira decisão do fim-de-semana chegou de Coruche, em partida do Campeonato de Portugal, onde o Coruchense, ganhando categoricamente, garantiu a manutenção nos Nacionais, o que, em paralelo, dita que serão apenas dois os clubes a despromover da I à II Divisão Distrital.

Também em função dos resultados da 27.ª ronda, e para além do Glória do Ribatejo, que viu já confirmada matematicamente a descida, o outro despromovido será certamente o U. Almeirim – acresce ainda a notícia de separação do clube em relação à respectiva SAD (a qual, depreende-se, deverá cessar actividade), pelo que, tal como sucedera com o Fátima, o histórico emblema almeirinense terá de retomar a competição a partir do escalão mais baixo (II Divisão Distrital).

A nível do topo da classificação, com o nono triunfo consecutivo (a sua melhor série neste campeonato), o Rio Maior está somente a uma vitória de garantir a conquista do título – dispondo ainda de três jogos por realizar –, podendo, pois, sagrar-se Campeão já neste Domingo.

Quanto ao U. Tomar, somou terceira goleada sucessiva (com 14 golos marcados nesses últimos três desafios), recuperando assim a posição de ataque mais concretizador da prova (totalizando 73 golos), cumprindo a sua missão, de adiar até ao limite a definição do campeonato – ao mesmo tempo que confirmou, desde já, a qualificação para a próxima edição da Taça de Portugal.

Destaques – O desfecho de maior significado nesta ronda terá sido a vitória (2-0) averbada pelo Ferreira do Zêzere frente ao Mação, o que – conjugado com as boas notícias com origem em Coruche – praticamente garante aos ferreirenses a manutenção no escalão principal (e, isto, independentemente da antes mencionada questão entre o U. Almeirim e a sua SAD).

A turma de Ferreira do Zêzere – sem deixar de ter os “ouvidos à escuta” do jogo do Coruchense, fundamental para as suas aspirações de manutenção na I Divisão – fez o seu trabalho, sob o comando de Eduardo Fortes, culminando da melhor forma a notável recuperação pontual que protagonizou: registava escassíssimos quatro pontos ao fim das 13 primeiras jornadas (sendo então “lanterna vermelha”), tendo somado vinte pontos nas 14 rondas seguintes! Ampliou, assim, para sete pontos, a vantagem face aos almeirinenses, distância que será, seguramente, irreversível.

A par do desaire do Mação, também o seu mais directo concorrente na disputa pelo 3.º posto, Fazendense, foi derrotado, em Benavente, por tangencial 1-0, possibilitando aos visitados (somaram nono triunfo caseiro, registo apenas superado pelos dois primeiros classificados, com onze vitórias em treze partidas nos respectivos redutos) cimentar um assinalável 6.º lugar.

Quem poderá tirar ainda maior benefício dos deslizes de Fazendense e Mação é o Samora Correia, com uma fantástica série de sete triunfos sucessivos – tendo ido ganhar à Glória do Ribatejo por 4-2 –, que, ocupando, de forma destacada, a 5.ª posição, “encostou” ao 4.º classificado (Mação), agora somente um ponto acima, estando o Fazendense com outros três pontos adicionais.

A última nota de realce vai para a vitória (2-1) averbada pelo Torres Novas, na deslocação a Salvaterra de Magos, frente a um Salvaterrense em queda acentuada (quinta derrota consecutiva; seis nos últimos sete encontros), proporcionando aos torrejanos partilhar agora o 9.º lugar com o Amiense, ambos já matematicamente a salvo de qualquer percalço.

Confirmações – Para além do expectável desfecho favorável (2-0) do Rio Maior, na recepção a um Abrantes e Benfica bastante aquém do seu rendimento habitual (reparte o 7.º posto com o Alcanenense, mas já com limitadas perspectivas de poder vir a melhorar tal classificação), também foram “normais” os desfechos do Amiense-Alcanenense, com o grupo dos Amiais de Baixo a triunfar, igualmente por 2-0, assim como a igualdade (1-1) no Cartaxo-At. Ouriense.

Como aludido, o U. Tomar não teve dificuldades para se impor na deslocação a Almeirim, repetindo o “placard” (5-1) que obtivera já em Torres Novas (isto, depois de ter chegado ao intervalo a ganhar por 4-0). Frente a um adversário bastante depauperado, que procurou entregar-se ao jogo com a maior dignidade possível, anota-se um episódio, de alguma forma, sintomático.

O desafio, agendado para as 17 horas, acabaria por ser adiado para as 19 horas. De facto, o relvado do campo do U. Almeirim (Estádio D. Manuel de Mello), denotando como que “ar de abandono” (justificado pelos responsáveis devido a avaria no sistema de rega), apresentava-se impróprio para se jogar, sendo de enaltecer o papel assumido pelo árbitro, Rui Mendes, na defesa da integridade física dos jogadores, e contribuindo para solucionar o problema, assegurando a realização do encontro, recorrendo-se, para tal, ao relvado sintético do Estádio Municipal de Almeirim.

II Divisão Distrital – A fase de apuramento de Campeão e de promoção à Divisão principal está “ao rubro”. Como se antecipava, há quatro fortes candidatos a… apenas três vagas de subida.

Na 4.ª ronda, a equipa mais em evidência volta a ser o Águias de Alpiarça, que recebeu e bateu o Entroncamento AC, por 2-1, repartindo agora estes dois clubes a liderança, com nove pontos. Dois pontos mais abaixo posicionam-se Moçarriense e Fátima, que se neutralizaram, em partida na Moçarria, não tendo sido desfeito o nulo inicial. No outro jogo, entre Espinheirense e Forense – que contavam por desaires os três jogos anteriores –, os forasteiros impuseram-se por 3-1.

Liga 3 – O passado fim-de-semana registou um único desafio, da 1.ª mão do “play-off” de promoção, com o empate (1-1) entre Alverca e U. Leiria, a deixar a decisão para o jogo de Leiria. O vencedor disputará, depois, com o 16.º classificado da II Liga, a última vaga nesta divisão.

Campeonato de Portugal O Coruchense apenas necessitava obter desfecho análogo ao que o V. Sernache viesse a registar ante o Marinhense, em ordem a garantir a continuidade nos Nacionais. Mas a turma do Sorraia – interpretando que a forma mais segura era a de procurar resolver a questão por si própria – não teve contemplações, batendo o Peniche por concludente marca de 4-1, confirmando o 2.º lugar final na sua série, e consequente manutenção neste escalão.

De entre os despromovidos, assinala-se a descida aos Distritais de alguns “históricos”: Sp. Espinho, U. Coimbra, Peniche, O Elvas, Barreirense e Louletano (este, a par do Limianos, extremamente penalizados por um modelo de fase final que não relevou o mérito de toda a época regular, ao longo de mais de seis meses, que tinham concluído no 3.º lugar das respectivas séries).

Antevisão – O Rio Maior actuará, pela terceira semana sucessiva, no seu reduto, recebendo o Amiense, no que poderá ser o jogo da “consagração”. Por seu lado, o U. Tomar, tendo a visita do Cartaxo, terá como meta – para além da “desforra” da inesperada eliminação da Taça do Ribatejo – igualar o registo de vitórias (22) alcançado aquando da última conquista do título de Campeão Distrital, na época de 1997-98. Outro jogo de especial interesse será o Samora Correia-Mação.

Na derradeira jornada da 1.ª volta da fase final da II Divisão Distrital o “jogo-grande” coloca frente-a-frente o Fátima e o Águias de Alpiarça, visitando o Moçarriense os Foros de Salvaterra.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 12 de Maio de 2022)

15 Maio, 2022 at 11:00 am Deixe um comentário

O Pulsar do Campeonato – 26ª Jornada

(“O Templário”, 05.05.2022)

Na retoma do Distrital da I Divisão, após interregno de três semanas, os dois aspirantes ao título prosseguem a sua senda vitoriosa, tendo vencido todos os oito jogos (quatro cada um) que disputaram deste o encontro entre ambos, na 22.ª jornada. Sendo que o Rio Maior segue agora já com um total de oito triunfos consecutivos, tendo igualado o seu melhor registo neste campeonato – estando, nesta altura, quando falta disputar quatro rondas, a duas vitórias da conquista do título.

A 26.ª jornada foi, aliás, de algum modo clarificadora: por um lado, com todos os cinco primeiros a saírem vencedores das suas partidas, reforçando as respectivas posições; tal como sucedeu, por outro lado, na parte baixa da pauta classificativa, com os triunfos de Torres Novas e At. Ouriense (averbados face a rivais directos na luta pela manutenção, respectivamente Ferreira do Zêzere e U. Almeirim), tendo-se colocado praticamente a salvo de qualquer eventual percalço.

Destaques – Começa por realçar-se a vitória do Abrantes e Benfica em Alcanena, face ao Alcanenense, por tangencial 1-0, o que proporcionou a inversão de posições entre estes dois clubes, com os abrantinos a subir ao 7.º lugar, ainda que a distância considerável (de sete pontos) do 5.º posto, que continua a ser ocupado, agora com maior “folga”, pelo Samora Correia.

Justamente, os samorenses obtiveram categórico triunfo ante o 6.º classificado, Benavente, num “derby” municipal, goleando por 4-1, praticamente “fechando” a posição no “top-5”, e “deitando um olho” à eventualidade de poderem vir ainda a surpreender o Mação, quatro pontos mais acima.

O Torres Novas, batendo o Ferreira do Zêzere por clara marca de 3-0, ampliou para dez pontos a sua “almofada” de segurança em relação aos ferreirenses, margem que deverá ser já intransponível – partilhando agora a 10.ª posição com o Amiense.

Noutro embate que se afigurava de cariz determinante na luta pela permanência, o At. Ouriense ganhou por tangencial 2-1 ao U. Almeirim, o suficiente para se afastar – também, presumivelmente, de forma definitiva – do Ferreira do Zêzere (agora a oito pontos dos oureenses), ao mesmo tempo que mantém os almeirinenses em posição muito delicada.

A questão de saber se serão dois ou três os clubes a despromover à II Divisão Distrital ficará definida no próximo Domingo, com a conclusão da fase de manutenção do Campeonato de Portugal, sendo que o Coruchense (que recebe o Peniche) necessitará obter, na pior das hipóteses, desfecho similar ao do V. Sernache (na recepção ao Marinhense), para assegurar a manutenção.

Caso venham a descer apenas os dois últimos classificados, antecipa-se luta intensa entre Ferreira do Zêzere (14.º) e U. Almeirim (15.º), separados por quatro pontos, sendo que apenas subsistiria vaga para um deles na I Divisão da próxima temporada. No cenário de virem a ter de ser três os clubes a despromover, então U. Almeirim e Glória do Ribatejo estariam já “sentenciados” à descida, enquanto o Ferreira do Zêzere também muito dificilmente poderia escapar a tal destino.

Confirmações – Tal como decorre do anteriormente mencionado, os quatro primeiros classificados confirmaram cabalmente o favoritismo que lhes era atribuído, vencendo, todos eles, por números expressivos, sendo, ainda assim, de anotar a réplica oferecida pela equipa da Glória do Ribatejo, perdendo em Mação por 4-2. Por seu lado, o Rio Maior bateu, de forma segura, o Cartaxo, por 3-1; enquanto o Fazendense se impôs por inequívoco 3-0 na recepção ao Amiense.

Já o U. Tomar, na estreia de Marco Marques, como treinador da equipa principal, goleou o Salvaterrense, por 4-1. Um desfecho que aparentará maiores facilidades do que o que se passou na realidade. Num Sábado de bastante calor, os jogadores sentiram muita dificuldade em manter um ritmo alto; pese embora, os unionistas colocar-se-iam em vantagem à passagem da meia hora, vindo, contudo, a conceder o restabelecimento da igualdade apenas cinco minutos volvidos.

Refrescando o “onze” ao intervalo – com três substituições de uma assentada –, os tomarenses conseguiriam impor maior intensidade no decurso da segunda parte, beneficiando também, em paralelo, da quebra física dos homens de Salvaterra, selando a vitória com dois tentos obtidos entre os 63 e os 67 minutos, o que viria ainda a ser confirmado com o 4.º golo, já na parte final.

II Divisão Distrital – Na 3.ª ronda da fase de apuramento de Campeão, foi enfim quebrada a magnífica série de 18 jogos sempre a ganhar do Moçarriense! Coube ao Entroncamento AC a proeza, ganhando por 1-0, isolando-se, assim, no comando, com o pleno de triunfos nesta fase.

Foi empolgante o embate entre Fátima e Forense: os fatimenses começaram por inaugurar o marcador, mas os visitantes ripostariam, marcando por três vezes, colocando-se em vantagem por 3-1, praticamente à entrada do quarto de hora final. O Fátima não se “entregou”, e conseguiria ainda, também com outros três golos, a seu favor, uma sensacional reviravolta, ganhando 4-3!

Na outra partida, o Águias de Alpiarça obteve um bom triunfo, por 3-1, no terreno do Espinheirense. Não obstante estarmos ainda no primeiro terço do torneio (tendo sido disputadas apenas três do total de dez jornadas), parece haver quatro “galos” para três “poleiros”: à equipa da cidade ferroviária seguem-se, todos a três pontos: Fátima, Águias de Alpiarça e Moçarriense.

Liga 3 – Foi, de alguma forma, extemporânea a vitória obtida pelo U. Santarém nas Caldas da Rainha na derradeira ronda da fase de manutenção, uma vez que os escalabitanos tinham visto já confirmar-se matematicamente, na semana anterior, a despromoção ao Campeonato de Portugal.

Num desafio em que, por três vezes, o U. Santarém se colocou em vantagem, o desfecho de 3-2 não permitiu melhor que reduzir para um ponto (11 pontos do grupo da capital do Distrito, face a 12 do Caldas) a diferença na classificação final, com o 4.º lugar da série já previamente fixado.

Desceram ao 4.º escalão do futebol nacional as seguintes equipas (últimas classificadas nas respectivas séries): Lusitânia de Lourosa, Pevidém, U. Santarém e Oriental Dragon.

Campeonato de Portugal – O Coruchense não conseguiu evitar desaire tangencial (0-1) na Marinha Grande, adiando para a última jornada a decisão do seu futuro para a próxima época; chega ao jogo decisivo no 2.º posto, em igualdade pontual com o V. Sernache (face ao qual dispõe de vantagem no confronto directo) – sendo que apenas os dois primeiros da série se manterão.

Antevisão – Na I Divisão Distrital o Rio Maior volta a jogar em casa – devido à inversão da ordem dos jogos, entre a 1.ª e a 2.ª volta –, recebendo o Abrantes e Benfica, enquanto o U. Tomar se desloca a Almeirim, para defrontar uma equipa extremamente carenciada de pontos.

No escalão secundário caberá ao Águias de Alpiarça receber o agora líder isolado, Entroncamento AC, sendo que, em paralelo, no Moçarriense-Fátima, se defrontam as outras duas equipas que partilham o 2.º posto. Espinheirense e Forense, que se cruzam, procurarão estrear-se a pontuar.

Na ronda final do Campeonato de Portugal, e tal como referido, o Coruchense recebe o já despromovido Peniche. A vitória garantirá a manutenção à turma do Sorraia, a qual, no limite, até poderia perder, desde que o V. Sernache fosse também derrotado, em casa, pelo Marinhense.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 5 de Maio de 2022)

8 Maio, 2022 at 11:00 am Deixe um comentário

Liga Conferência Europa – 1/2 finais (2.ª mão)

                               2ª mão      1ª mão       Total
Roma - Leicester City            1-0         1-1         2-1
Olympique Marseille - Feyenoord  0-0         2-3         2-3

A final, a disputar a 25 de Maio em Tirana, no  Arena Kombëtare, colocará frente-a-frente a Roma, de Itália, com o Feyenoord, dos Países Baixos.

5 Maio, 2022 at 9:55 pm Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Maio 2022
S T Q Q S S D
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.