Posts filed under ‘“Blogosfera” em 2008’

Blogosfera em 2008 (XIX)

O grande tema que perpassava transversalmente a blogosfera era, nesta altura – da rentrée -, o do computadorMagalhães” (também a propósito da inclusão/activação ou não de “controlo parental”), por alguns considerado como um meio de propaganda do Governo de José Sócrates (com especial acutilância, por intermédio de José Pacheco Pereira, nomeadamente nos seus escritos no Abrupto), mas que outros defendem como uma iniciativa válida, de que aqui recupero uma amostra de artigos:

Os pais do Magalhães (Jonasnuts)
O porco do Magalhães (Arrastão)
Quando as putas dão lições de moral (Bitaites)
Viva o Magalhães! (Macacos sem galho)
Viva o Magalhães! (ou: qual é o futuro para um país moitaflorado?) (Mas certamente que sim!)
O Magalhães (Da Literatura)
Geração Magalhães (Ideias em série)

Por estes dias, a blogosfera portuguesa agitava-se também na sequência de intervenções da ERC – Entidade Reguladora para a Comunicação Social, que viria a sentir a necessidade de prestar esclarecimentos relativamente a artigos publicados em blogues. José Azeredo Lopes (presidente daquele organismo) responderia a José Pacheco Pereira (Abrupto), enquanto que Estrela Serrano responderia a Gabriel Silva (Blasfémias – ver também aqui).

Ainda antes do final de Setembro, a 28, chegava também ao seu termo o “Incontinentes Verbais“.

Mas haveria ainda tempo para mais momentos marcantes na blogosfera portuguesa neste repleto mês… 

O Conselho Deontológico do Sindicato dos Jornalistas pedia esclarecimentos a um blogger (Eugénio Queirós) a propósito de um controverso artigo, publicado no blogue “Bola na Área”.

Paulo Querido reflectia (no Expresso) sobre o estatuto da ERC e da blogosfera; enquanto que Besugo, Daniel, Maradona, Rogério Casanova e Sérgio Gouveia davam o “pontaté de saída” de “A Dieta Rochemback“.

E, também a 30 de Setembro, o Grupo Parlamentar do PSD dava também início ao “blogue debate Educação“: «inaugura-se este espaço na blogosfera, visando recolher opiniões, contributos ou testemunhos de todos os que queiram aqui reflectir sobre a importância da “exigência e qualidade do ensino”. O debate político, numa democracia moderna, não conhece fronteiras partidárias, ideológicas, ou de qualquer outra ordem. O PSD entende que também esta discussão não deve ficar contida intra-muros. O debate, agora, faz-se também aqui».

19 Dezembro, 2008 at 7:40 am Deixe um comentário

Blogosfera em 2008 (XVIII)

Entrando já na parte final do mês de Setembro, a 22 surgia o “Enganados e Sem Nada”: «A blogosfera também serve para isto – A blogosfera serve para entreter, debater, informar, denunciar. E serve para quem não tem voz a conquistar num espaço sem intermediários. Pois bem, um grupo de ex-trabalhadores da Capepresso (da Maia) com salários em atraso decidiu criar um blogue. Aqui fica o Enganados e Sem Nada. Para que sejam um exemplo: a blogosfera também pode ser um espaço de luta por direitos e por dignidade.»

Entretanto, na sequência da saída dos seus autores, o “Zero de Conduta” chegava ao fim… No mesmo dia, em que Rui Tavares apresentava a sua “nova casa”.

E em que era também anunciado o “Suplemento Digital”, página agregadora, compreendendo os media tradicionais, mas também um conjunto de blogues seleccionados.

Para além desta nova página, referência a outros agregadores: Neste Momento, Blogservatório (“frescos” da blogosfera portuguesa, monitorando cerca de 50 blogues), e os também recentemente lançados “Santa Aliança” (agregador de blogues de política e cultura escritos por bloggers de esquerda, organizado pelo Arrastão) e Blogs.Lift (Directório de blogues portugueses sobre Comunicação & Relações Públicas).

A 25, Manuel Monteiro lançava também um novo blogue (“Monteiro 2009“) de apoio à sua candidatura à eleição como deputado à Assembleia da República (pelo círculo de Braga), a disputar em 2009… dia em que tinha também início o “Correio Preto”, com os carteiros Emídio Fernando, Reinaldo Rodrigues e Daniel Rosário. 

Já a 3 de Junho, a Comissão Parlamentar da Cultura e Educação (União Europeia) aprovara um relatório da eurodeputada estónia Marianne Mikko sobre a concentração e o pluralismo dos meios de comunicação social na União Europeia, no qual era apontada – para além do risco inerente à excessiva concentração da propriedade dos meios de comunicação social – o interesse de «clarificação do estatuto jurídico das diferentes categorias de autores e editores de blogues, um meio de expressão cada vez mais comum na Internet», o qual seria objecto de debate no Parlamento Europeu, também a 25 de Setembro.

18 Dezembro, 2008 at 8:11 am Deixe um comentário

Blogosfera em 2008 (XVII)

A partir de 15 de Setembro, surgia um “novo Arrastão”, transformando-se num blogue colectivo, com Pedro Sales (Zero de Conduta) e Pedro Vieira (Irmão Lúcia e 5 dias) a reunirem-se a Daniel Oliveira. O  Arrastão anunciava também a apresentação de novo grafismo, novo cabeçalho e novas funcionalidades.

Em paralelo, o Prémio Nobel da Literatura José Saramago aderia também à blogosfera: «Mexendo nuns quantos papéis que já perderam a frescura da novidade, encontrei um artigo sobre Lisboa escrito há uns quantos anos, e, não me envergonho de confessá-lo, emocionei-me. Talvez porque não se trate realmente de um artigo, mas de uma carta de amor, de amor a Lisboa, decidi então partilhá-la com os meus leitores e amigos tornando-a outra vez pública, agora na página infinita de internet e com ela inaugurar o meu espaço pessoal neste blog». O blogue pessoal de José Saramago viria entretanto a ser autonomizado em página específica.

Tendo tido o seu artigo introdutório em Janeiro, apenas a partir de meados de Setembro seria retomada a publicação do “Escrita em Dia“, blogue de Tiago Taron, pintando e escrevendo a partir do Alentejo.

A 18 de Setembro, eram anunciados os vencedores de concurso de blogues promovido pela Superbock (Super Blog Awards 2007-2008), com o “Até onde vais com 1000 euros?” a ser distinguido com o prémio principal, sendo ainda atribuídos outros prémios, em função de diferentes categorias:

– Actualidade, notícias e mediaDa Rússia
– Cultura, arte e entretenimento – Mundo de Séries
– Desporto – O Visconde de Alvalade
– Educação e Ambiente – Ciência ao Natural
– Humor – Sorrisos em Alta
– Música – O Marsupilami
– Pessoal – Blog do Katano
– Sociedade – Vila de Moimenta da Beira
– Tecnologia – Peopleware

17 Dezembro, 2008 at 7:40 am Deixe um comentário

Blogosfera em 2008 (XVI)

Logo a 1 de Setembro, Miguel Somsen lançava “and now for somsen completely different”.

Para, no dia imediato, Marta Rebelo nos apresentar o seu novo espaço de escrita, Babel (sucedendo ao “Linha de Conta“)… o qual seria entretanto suspenso a 7 de Outubro.

E, ainda no mesmo dia, o início do Ponteiros Parados, de Ivone Mendes e José Ricardo Costa.

A 4, o Público fazia notícia sobre a participação de um blogger português (Nuno Gouveia) na Convenção Republicana):

 Um blogger português na convenção
04.09.2008

Um português está entre os 200 bloggers (e mais de 15 mil jornalistas) autorizados a cobrir a convenção republicana. A viagem foi patrocinada pela agência de comunicação LPM.

Nuno Gouveia é mestrando em Ciências da Comunicação na Universidade Fernando Pessoa, no Porto. Abriu há um ano um blogue sobre as eleições americanas (politica2008.wordpress.com) como preparação para a tese. Mas o projecto ganhou força: “Comecei a dedicar muito tempo e atenção a esta campanha. Vi que os partidos criaram espaços reservados a bloggers para cobrir as convenções. Pedi credencial aos dois partidos, mas apenas o Partido Republicano me atribuiu”. Diz ter tido sorte: “Sei que o blogue foi analisado segundo critérios como número de posts, número de acessos e influência na Internet. Mas acho que tive sorte, porque normalmente não atribuiriam uma credencial destas a alguém estrangeiro”. […]

Público

Praticamente a um ritmo diário, iniciavam-se também: a 8, o Spam Cartoon, um blogue original, com ilustrações de André Carrilho, Cristina Sampaio e João Fazenda; e, a 10, o  Chanatas, blogue de Jacinto Lucas Pires.

A 11 de Setembro, o Jornal de Negócios estreava o “Plano B”, rubrica semanal sobre blogues e Internet, publicada às quintas-feiras, em duas páginas da edição impressa do jornal, editada por Paulo Pinto Mascarenhas (jornalista e blogger), tendo como primeiro objectivo «ligar os leitores do Negócios aos melhores textos publicados nos blogues nacionais»:

Em Portugal, escrever sobre blogues é como ler o País que temos. A nossa blogosfera tem todos os defeitos da sociedade portuguesa, mas acrescenta liberdade ao debate democrático. Exagerar a importância dos blogues é tão absurdo como tentar desmentir a sua influência na agenda mediática.

16 Dezembro, 2008 at 8:08 am Deixe um comentário

Blogosfera em 2008 (XV)

O início do mês de Julho coincidia com o começo do “Derivados do Girassol”, o qual contudo teria uma curta existência, tendo a sua publicação sido suspensa a 17 de Setembro… entretanto retomada a 10 de Dezembro.

A 8, concretizava-se o regresso de Paulo Gorjão à blogosfera, novamente a título individual, agora no Vox Pop.

Por esta altura Nuno Gouveia informava-nos sobre a sua participação como blogger credenciado para acompanhar a Convenção do Partido Republicano, nos EUA.

Um dos melhores bloggers nacionais, Filipe Nunes Vicente anunciava então uma pausa. Dar-nos-ia o privilégio de podermos continuar a lê-lo no Mar Salgado a partir de meados de Agosto.

A 10 de Julho tinha também início o “À la Gauche“, com a participação de João Ferreira Dias, Isabel Salema Morgado, Fernando Mouro, Guilherme Roesler e João Carlos Correia.

Assistia-se, já desde o mês de Junho, à génese da formação de um movimento (“PTblogs“, também com uma sala no Friendfeed, e igualmente com presença no Twitter), visando credibilizar a blogosfera portuguesa, contribuindo para a sua afirmação como espaço digno e credível de expressão de ideia e debate – funcionando «como um núcleo gravitacional de iniciativas sobre temas ligados à blogosfera, seus contornos e interacções», procurando acordar num conjunto de regras de conduta, a que qualquer pessoa poderia voluntariamente aderir.  Porém, este movimento viria a revelar dificuldades em ultrapassar uma fase embrionária.

No dia 12, iniciava-se o PiaR – «Um poleiro onde se “pia” Public Relations e Comunicação», com Alexandre Guerra e Rodrigo Saraiva. No dia seguinte, nascia o Bereshit, de José A. Vaz.

A 15 de Julho, outro “final” anunciado (que acabaria efectivamente por mais não ser que uma pausa ou suspensão temporária), desta feita no Cachimbo de Magritte.

Do tradicional mês de férias, referência para o blogue do escritor João Tordo (“blog de um escritor português”), iniciado a 18 de Agosto.

Entretanto, às 8 horas e 8 minutos do dia 8 de Agosto de 2008, iniciava-se em Pequim a Cerimónia de Abertura dos Jogos Olímpicos, evento que, necessariamente, percorreria a blogosfera, com destaque para o acompanhamento dedicado por um “blogue improvável”, como foi o caso do Bibliotecário de Babel (com títulos curiosos, como por exemplo: 17,67, 19,30, ou 9,69) – para além do maradona, no A Causa Foi Modificada, cuja prática de “apagar artigos” impossibilita a preservação da sua memória – (também aqui, no Memória Virtual… igualmente com espaço para a recuperação das edições anteriores, num projecto colaborativo, desenvolvido com Paulo Querido).

A encerrar o mês de Agosto, surgia o Letra pequena, um novo blogue (convidado do Público), da autoria de Rita Pimenta, sobre literatura infanto-juvenil, também com leituras para ouvir…

15 Dezembro, 2008 at 7:50 am Deixe um comentário

Blogosfera em 2008 (XIV)

Mas, se uns partem, outros chegam, como eram os casos, a 23, de António Barreto – agora escrevendo também “a solo”, no seu blogue pessoal, “Jacarandá” – e de José Paulo Fafe, com um blogue em nome próprio… «ou “quem não tem cão, caça com gato…”, que é como quem diz, uma página e um espaço estritamente pessoal, onde também se comenta alguma actualidade, se recordam histórias de outros tempos e se tenta perceber o que está por detrás de algumas notícias».

A segunda metade do mês de Junho seria agitada com o caso “Povoaonline”, o primeiro blogue a ser encerrado em Portugal por decisão judicial, devido a alegadas práticas de difamação, na sequência de processo interposto pelo presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim (Macedo Vieira) e pelo vice-presidente (Aires Pereira). De acordo com a sentença, a Google foi intimada a impedir, de imediato, o acesso ao referido blogue, o qual foi entretanto removido da plataforma blogspot. Praticamente de imediato, entraria em funcionamento o “Povoaoffline”, em que era apresentado o teor da referida decisão judicial.

Este caso seria objecto de grande mediatização, com entrevista no Público e artigo no Diário de Notícias. Paulo Querido abordaria também o assunto, no seu blogue pessoal, assim como na sua coluna no Expresso.

Por fim, a 30 de Junho, era criado o “Lisboa S. O. S.”, «um blogue de cidadãos preocupados com o estado de degradação de Lisboa. Não tem partidos, ideologias ou outras intenções que não sejam fazer de Lisboa uma cidade melhor»; que, justificava ainda: «Pela força do hábito, muitos lisboetas já nem reparam no estado de degradação dos espaços públicos da sua cidade. Este é um blogue contra essa distracção. Mostraremos aqui imagens recolhidas por toda a cidade e pedimos aos leitores que nos façam chegar as suas próprias fotografias, com a menção do local onde foram captadas».

Data em que tinha início também a interminávelnovela Barclays Bank“, a propósito de uma fraude com cartão de crédito de que Pedro Rebelo, autor do blogue Browserd, fora vítima. Um exemplo de um caso em que uma instituição não lidou da melhor forma com o poder da blogosfera, com inevitáveis danos para a sua reputação.

14 Dezembro, 2008 at 11:35 am Deixe um comentário

Blogosfera em 2008 (XIII)

A 4 de Junho, os sociólogos Hugo Mendes e Renato Carmo – tendo por base a citação de Albert Camus, no seu livro “O Homem Revoltado”, «No meio-dia do pensamento, o revoltado recusa assim a divindade, a fim de partilhar as lutas e os destinos comuns» – davam início ao “Pensamento do Meio-Dia”, espaço para abordar algumas das “inquietudes do espírito”: «a privação, a abundância, a (des)igualdade, a desconfiança, a cooperação, o crescimento, a (re)distribuição, as instituições, a política, a educação».

No dia seguinte nascia o “Novo Benfica” – visando «devolver ao Benfica “a voz de outros tempos”» -, com a participação de: António de Souza-Cardoso, Armindo Monteiro, Bruno Carvalho, Júlio Machado Vaz, Miguel Esteves Cardoso, Miguel Álvares Ribeiro, Miguel Osório,  Paulo Ferreira, Pedro Fonseca e Pedro Ribeiro.

Seria então criado o “40 horas em Serralves”, um blogue especificamente dedicado ao evento “Serralves em Festa” (realizado a 7 e 8 de Junho), com uma efémera vida de apenas uma semana!

A 12 de Junho era apresentado o blogue da Fundação José Saramago.

Antecedendo em poucos dias, o início (a 15) do “Caminhos da Memória”, que se apresentava como «um blogue que pretende dar voz a diferentes formas de lembrar, de evocar e de interpretar o passado, recorrendo a leituras contemporâneas da história e da memória». Com uma redação constituída maioritariamente por membros da Associação “Não Apaguem a Memória!”, ainda que não possua um vínculo formal com a mesma, agregava nomes como Diana Andringa, Irene Pimentel, Joana Lopes, Maria Manuela Cruzeiro, Miguel Cardina, Raimundo Narciso e Rui Bebiano, contando ainda com a colaboração regular de José Luís Saldanha Sanches, José Medeiros Ferreira, José Vera Jardim, Nuno Brederode Santos, para além de colaborações pontuais de Ana Vicente, Eduardo Graça, Jorge Martins, Maria João M. Pires e Nuno Teotónio Pereira.

No mesmo dia, Manuel Maria Carrilho começava a escrever num novo blogue, denominado Contingências.

A 19 de Junho, João Paulo Meneses – não disfarçando algum cansaço e esgotamento do modelo, a que as sucessivas controvérsias, polémicas e, inclusivamente, «animosidades» que os seus escritos vinham gerando não terão sido alheias – colocava termo à publicação do Blogouve-se. Uma perda importante para este segmento da blogosfera, em particular no que respeita à ética no jornalismo.

13 Dezembro, 2008 at 12:20 pm Deixe um comentário

Blogosfera em 2008 (XII)

No início de Maio, a 4, Paulo Pedroso retomava a escrita blogosférica, a título individual, com o “Banco Corrido”.

A 8, o Grupo dos Amigos do Museu Nacional de Arte Antiga lançava também um blogue, com o seguinte apelo: «O MNAA é o único Museu Nacional que possui um espaço que possui espaço próprio para o seu Grupo de Amigos. Se não é Amigo do MNAA faça-se!Passe por lá!».

No dia imediato, João Pedro Pereira dava início  ao “Tecnopolis”, blogue (integrando a plataforma de blogues do Público) sobre «o mundo digital».

Para, a 11, surgir o Rua da Castela, de Jorge Reis-Sá, propondo: «Conversemos sobre livros, sobre música, arte ou até os problemas do PSD. Publicitemos os livros das Quasi e da Magnólia e, heresia das heresias, aqueles que à sombra do sobreiro de Talvai vou escrevendo».

A 23, a editora Assírio & Alvim chegava também à blogosfera: «Pretendemos fortalecer e alargar a comunicação com o público. Este espaço não substitui o do site, antes o complementa, preenchendo algumas limitações que o formato impõe e possibilitando novas formas de divulgação do catálogo, autores e iniciativas da Assírio & Alvim».

Entretanto, era anunciado o termo (que acabaria por se traduzir efectivamente numa interrupção temporária) do Bandeira ao Vento.

No dia 25 de Maio, José Pacheco Pereira retomava no Abrupto um tema caro ao autor, com uma “reportagem” da chegada a Marte da Sonda Phoenix.

A 27, numa iniciativa das jornalistas da secção de multimédia do Expresso, era lançado “A Vida de Saltos Altos“, «O blogue do sexo forte», visando «falar de coisas que interessam às mulheres, desde séries de TV à política».

E, a fechar o mês de Maio, num exemplo do que pode constituir o risco de tomar a árvore pela floresta, o programa da SIC, “Aqui e Agora” apontava: «A Internet é um maravilhoso Mundo novo, mas é também uma inesgotável nova fonte de perigos. Fraudes, seduções que terminam em tragédia, pedófilos à espreita, fotos e videos íntimos que de repente estão à vista de todos».

As reacções na blogosfera chegariam a atingir níveis cáusticos. Nada melhor do que ir beber à(s) fonte(s): Ponto Sapo, Bitaites, Lisbonlab, Charquinho, Mas Certamente que Sim!, Sixhat Pirate Parts, (It’s) Not about You ou A Educação do Meu Umbigo, são apenas alguns dos muitos exemplos do desassossego provocado pelo referido programa televisivo (ver também uma compilação do “buzz”, no iPhil).

12 Dezembro, 2008 at 8:10 am Deixe um comentário

Blogosfera em 2008 (XI)

A 13 de Abril, o Correio da Manhã tratava do tema blogues de campanha: «Bloggo, logo existo… mas só em campanha» – «A blogosfera é, principalmente, um fenómeno de Marketing para os políticos à beira das urnas. Não a usam para interagir com o eleitorado. Depois das eleições há blogues ao abandono. A maioria das páginas na web sobre política é escrita por políticos que já não estão no activo ou por apartidários.»

‘Conseguimos” – escreveu Sócrates, no seu blogue, ao vencer as legislativas. Mas será que a blogosfera lhe prestou atenção ao partilhar este momento? Especialistas como José Pacheco Pereira defendem que “os blogues artificiais” não resultam. Mas a blogosfera já foi trampolim para muitos autores serem chamados a comentar política na imprensa. Que universo é este?

Na política há dois tipos de produtores de blogues: “Os políticos em campanha que acham fino fazerem um blogue, desde a Hillary Clinton [candidata às presidenciais dos EUA] ao Luís Filipe Menezes [líder do PSD]. São blogues ocasionais. Depois há os outros políticos e vou dar o exemplo do José Medeiros Ferreira [http://bichos-carpinteiros.blogspot.com], que era deputado [do PS], não falava, mas que fazia blogues – as análises políticas que fazia eram como blogueiro.” A descrição do professor universitário, especialista em Ciência Política, José Adelino Maltez é facilmente perceptível ao navegar-se por blogues dos principais lideres partidários ou ex-candidatos eleitorais.

José Sócrates criou o seu blogue (em http://josesocrates.blogs.sapo.pt) por altura do fórum do PS ‘Novas Fronteiras’, no final de Janeiro de 2005. Deu–lhe cunho político e agenda de campanha. Dia 23 desse mês, podia ler-se, talvez, o comentário mais pessoal do actual primeiro-ministro: “Hoje deve ser o último domingo mais ou menos descansado até ao dia das eleições. É preciso aproveitar o momento, mas também gastar algum tempo a preparar a entrevista de mais logo, ao Jornal da Noite da SIC.” Desde 22 de Fevereiro de 2005, o blogue não foi actualizado mais. A última mensagem dizia: “Conseguimos. Conseguimos.”

Nessas mesmas legislativas, o presidente do CDS-PP, Paulo Portas, criou um blogue de campanha; tal como fez Morais Sarmento, do PSD, na corrida pela distrital de Castelo Branco. Nas presidenciais, Manuel Alegre e Jerónimo de Sousa eram dois dos bloguers do momento. Mais tarde, nas eleições intercalares para a Câmara de Lisboa, Santana Lopes abriu um blogue descrevendo a alma de muitos políticos: “a blogosfera pode ser muito importante para quem não tem acesso a outros meios de comunicação. Graças a Deus, eu tenho. Hoje, penso sobretudo nos que querem comunicar com os outros e, não tendo outros meios, também não sabem, não podem, ter acesso a estas novas auto-estradas. Somos, mesmo, privilegiados” – escreveu, dia 10 de Julho de 2007, o ex-primeiro-ministro e ex-autarca da capital. Volvidos cinco dias, depois de ter ido votar, Santana desabafou: “Lisboa merece sentido de responsabilidade e sentido de grandeza. Entretanto, são 18h00 e intensificam-se os telefonemas dos jornalistas. Não me apetece atender, nem que seja o director do Sol!…”

Em Agosto de 2007, Luís Filipe Menezes corria pela liderança do PSD quando foi acusado de estar a plagiar a Wikipédia no seu blogue. Menezes desvalorizou o incidente e afirmou que era um assessor seu quem alimentava o blogue. Pouco depois foi extinto, sem que o hoje líder social-democrata tivesse escrito na primeira pessoa.

“Os blogues políticos artificiais não resultam – garante José Pacheco Pereira –, salvo em excepções como o ‘Pulo do Lobo’ [em http://pulo-do-lobo.blogspot.com] ou ‘Super Mário’ [http://mario-super.blogspot.com], que apoiavam Cavaco Silva e Mário Soares nas presidenciais. Tiveram sucesso porque eram escritos por pessoas que tinham experiência.” Para o comentador político e autor do ‘Abrupto’ (em http:// abrupto.blogspot.com) os blogues usados por políticos em campanhas eleitorais “não têm controvérsia, nem debate.” Além do mais, não estão inseridos num meio onde se deve falar de tudo sem pruridos. “O meu blogue tem entre 3000 e 5000 leitores por dia. O que é um número muito elevado” – afirma Pacheco Pereira. “As pessoas que lá vão são especiais, têm um papel importante na multiplicação da palavra e interessam-se pelo debate público.”

Para Adelino Maltez, que desde há muito tem o ‘Sobre o tempo que passa’ [http://tempoquepassa.blogspot.com], os blogues ocasionais não têm grande expressão eleitoral. “É um fenómeno de Marketing que não tem consequências na chamada blogosfera – que é um universo de dar e receber, e eles não entram neste circuito.” A popularidade também aqui se mede. Os mais conceituados bloguers são os mais citados. “O Pacheco Pereira, por exemplo, que sempre se manteve activo. Na área do PS, o Medeiros Ferreira; o Daniel Oliveira, na parte do Bloco de Esquerda; aquele grupo da revista Atlântico; aquela zona dos liberais, Carlos Abreu Amorim, etc; da ala esquerda do PS, Pedro Adão e Silva; há uma intervenção esporádica do grupo do Paulo Pedroso; mas há, sobretudo, apolíticos.”

“Foi convidado para comentar assuntos em jornais/rádios?” O investigador e professor na Universidade da Beira Interior, João Canavilhas, perguntou e 64 por cento dos bloguers de política respondeu que sim. Mais: 74,8 por cento afirmou sentir que tem intervenção cívica na sua comunidade.

Poucos dos que alimentam blogues se queixam de censura mas, segundo João Canavilhas, em 2004 parecia haver mais combates directos entre a esquerda política e a direita do que hoje. “Actualmente não é tão habitual, mas ainda acontece. Nesses dias o número de visitas e de comentários sobe em flecha.” Conclusões que reflectem o arrefecimento precoce nas discussões que a blogosfera fomenta, já que os primeiros blogues portugueses devem ter surgido no final dos anos 90.

Ainda hoje, indica o estudo ‘Bloguers e Blogosfera.pt’, do OberCom, que apenas um quinto dos portugueses sabe o que é um blogue. Este conhecimento ainda só é tido por metade dos utilizadores habituais da internet. Destes, um quarto afirma navegar na blogosfera – a maioria procura informar-se sobre temas específicos ou esclarecer a actualidade noticiosa. Nesta análise, os temas de ‘política’ correspondem à primeira escolha de 3,7 por cento dos utilizadores; já o ‘entretenimento’ atrai 40,8 por cento e 21,7 por cento dos internautas caça a vida pessoal dos VIP.

Na área mais institucional, enquanto que apenas meia dúzia dos 230 deputados à Assembleia da República está motivada para o sistema de blogues criado (em http://blogs.parlamento.pt), o eurodeputado Joel Hasse Ferreira criou o seu próprio blogue e até está no Myspace. “Claro que [me] aproximam, especialmente do eleitorado mais jovem ou com mais interesse pelas questões tecnológicas. A informação é disponibilizada, praticamente em tempo real, com intervenções colocadas após os debates no Parlamento ou noutras instituições e associações onde sou convidado a intervir”, conta o deputado do Partido Socialista Europeu.

À beira das urnas, os blogues ocasionais não trarão votos. Mas a comunidade internauta consegue encontrar nos blogues uma identidade forte que sensibilize para as questões políticas da actualidade. Entretanto, os norte-americanos já usam o ‘twitter’, que são mensagens ao estilo SMS de telemóvel enviadas para blogues. É o acompanhamento na hora dos candidatos, aliada hoje às eleições nos EUA. […]

Bruno Contreiras Mateus – Correio da Manhã

E, a 15, uma tomada de posição original, com os blogues portugueses do Second Life a anunciar uma “greve”, reclamando contra as novas politicas que regiam a utilização das marcas da empresa Linden Lab, proprietária da marca “Second Life”.

No dia 22, Daniela Major dava início ao Camâra dos Lordes, «um blogue onde espero que se fale de tudo com tudo e por tudo. Actualidade, política, desporto, teatro, cinema».

Já próximo do final do mês, era lançado “O futuro é agora”, blogue de apoio à candidatura de Pedro Passos Coelho à presidência do PSD (com uma duração efémera, tendo sido suspenso logo a 1 de Junho). Ainda a propósito desta campanha interna partidária, dava que falar o “falso blogue” em nome de Manuela Ferreira Leite, a candidata que viria a vencer essas eleições.

E, a encerrar o mês de Abril, o que terá sido o primeiro caso de resposta a comentários de leitores num artigo publicado num blogue, dada pelo autor com recurso a um vídeo (ou, nas palavras do próprio, “video-resposta a comentários” ou “video-comentário”).

11 Dezembro, 2008 at 12:00 pm Deixe um comentário

Blogosfera em 2008 (X)

Coincidindo com o início do mês de Abril, o nascimento do Câmara de Comuns, com um vasto e eclético elenco (29 nomes na “ficha técnica”!), prometendo um debate plural.

A 8 de Abril, um artigo publicado no Diário de Notícias apontava que os portugueses desconhecem ainda a blogosfera: «Apenas um quinto da população portuguesa sabe o que é um blogue. Um sétimo da população nacional que navega na Internet construiu e mantém um blogue. Esta é uma das conclusões do estudo Bloguers e Blogosfera.pt, do OberCom».

O relativo desconhecimento da existência da blogosfera” é um traço que caracteriza a sociedade portuguesa, afirma a análise. Na verdade, apenas um quinto da população sabe o que é um blogue. Quanto aos internautas, metade sabe o que é um blogue.

Entre os que navegam na Rede, a visita à blogosfera é uma prática ainda pouco enraizada. Cerca de 23,6% costuma navegar na blogosfera e apenas 14% construiu e mantém um blogue. O estudo conclui contudo, que “não se observa uma desproporção muito acentuada entre bloguers que navegam e bloguers que produzem conteúdos”, existindo uma proporção de 5,8 produtores para cada 10 consumidores.

Os conteúdos mais procurados pelos produtores e pelos consumidores dos bloguers são muito similares. No topo das preferências de ambos está a procura sobre determinado assunto e, em segundo lugar, saber mais sobre um assunto da actualidade noticiosa.

Os temas dos blogues mais procurados são muito diversificados. No topo, está o entretenimento, com 41%. Os blogues sobre a vida pessoal de um círculo restrito de pessoas e os blogues sobre comunicação e cultura ocupam o segundo e terceiro lugares, respectivamente.

No que diz respeito ao conhecimento sobre quem são os autores dos blogues consultados, um quinto dos bloguers portugueses revela desconhecer os autores. O desconhecimento sobe dos 17% para os 24%, quando os internautas são apenas consumidores.

Entre os bloguers que conhecem a identidade dos autores dos blogues que consultam, os exclusivamente consumidores frequentam mais blogues produzidos por pessoas que fazem política activa, professores do ensino secundário e superior e comentadores dos mass media. A pluralidade de vozes da blogosfera, em simultâneo com a diversidade temática, são as características mais frisadas pelos internautas que participaram no estudo.

A existência de blogues é vista pelos bloguers das mais variadas maneiras: como fonte de informação e formação da opinião, como uma colectânea de diários pessoais online ou como clubes de partilha de interesses comuns.

Em termos etários, a faixa mais produtora de blogues é a dos 8 aos 17 anos com 39,9%, enquanto a que mais consome é a dos 18 aos 24 anos (29,9%).

Na sua maioria são homens, escolarizados e estudantis. Este perfil aproxima-se do internauta comum, principalmente se relacionado apenas com o leitor-consumidor de blogues, avança ainda o mesmo estudo.

A.B.F. – Diário de Notícias

Este estudo do Obercom sobre bloggers e a blogosfera, o qual efectivamente se reportava já a 2006, seria, naturalmente, objecto de debate… blogosférico.

A partir de 9, o Íntima Fracção, um programa de rádio estreado por Francisco Amaral há 24 anos na Antena 1, passava a estar disponível em exclusivo no Expresso online, com um podcast e blogue (na esteira de um dos mais antigos blogues em Portugal, criado a 30 de Dezembro de 2002).

Ao mesmo tempo que Laurinda Alves se estreava também na blogosfera,  com o blogue “A Substância da Vida“.

O jornal Expresso inaugurava então uma boa prática, enviando previamente para determinados bloguistas algumas das «Matérias» a publicar no sábado seguinte, em paralelo com a introdução do “BlogBrother” – O blogue com a revista da blogosfera, comentando os assuntos em destaque na blogoesfera nacional.

10 Dezembro, 2008 at 8:15 am Deixe um comentário

Artigos Mais Antigos Artigos mais recentes


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Março 2019
S T Q Q S S D
« Fev    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

  • RT @HemerotecaRMCF: Gracias al archivo de @ArchivoRTVE podemos ver joyas como estas: imágenes de los exteriores y el estadio de Chamartín,… 8 hours ago
  • RT @carlos_mcastro: Um Chefe de Estado que não está à altura de saber dignificar os melhores dos melhores. Trump passará, o exemplo de McC… 21 hours ago
  • RT @susanafrexes: Que é como quem avisa que short extension é até 23 de maio. E long extension são bem mais de três meses. É como quem avis… 1 day ago

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.