Archive for 25 Fevereiro, 2020

Grandes clássicos das competições europeias – (10) Juventus – Manchester United

Juventus Manchester_United

 Época Prova Ronda       1.ª Mão                2.ª mão
1976-77 UEFA  1/16 M.United-Juventus 1-0 Juventus-M.United 3-0
1983-84 TVT   1/2  M.United-Juventus 1-1 Juventus-M.United 2-1
1996-97 TCE  Grupo Juventus-M.United 1-0 M.United-Juventus 0-1
1997-98 LCE  Grupo M.United-Juventus 3-2 Juventus-M.United 1-0
1998-99 LCE   1/2  M.United-Juventus 1-1 Juventus-M.United 2-3
2002-03 LCE  Grupo M.United-Juventus 2-1 Juventus-M.United 0-3
2018-19 LCE  Grupo M.United-Juventus 0-1 Juventus-M.United 1-2

      Balanço global                J    V    E    D   GM   GS
Juventus - Manchester United       14    6    2    6   17 – 17

O confronto entre Juventus e Manchester United tem-se pautado, em termos históricos, por um absoluto equilíbrio a nível de balanço global, com seis triunfos para cada lado, e, inclusivamente, igualdade em golos marcados e sofridos!

Curiosamente, metade das vitórias do Manchester United foram obtidas nas suas três últimas deslocações a Turim, tendo, por seu lado, a Juventus vencido por duas vezes (e empatado noutras duas ocasiões) em Manchester.

Não obstante estes dois clubes nunca se tenham encontrado numa Final de uma competição europeia, cruzaram-se em três eliminatórias (duas delas, nas meias-finais) e, por quatro ocasiões, integrando o mesmo grupo da Liga dos Campeões.

Em 1976-77, disputando a Taça UEFA – por curiosisidade, depois de, na 1.ª eliminatória, o Manchester United ter afastado o Ajax, enquanto a Juventus eliminava o Manchester City – a turma de Turim teria de voltar a Manchester logo na 2.ª ronda da prova: a derrota sofrida (0-1) seria cabalmente revertida na 2.ª mão, com um categórico 3-0. Nessa temporada, a Juventus (em cujo comando se estreava Giovanni Trappatoni) superaria ainda o Shakhtar Donetsk, o Magdeburg e o AEK de Atenas, antes de bater, na Final a duas mãos, o Athletic de Bilbao, sagrando-se vencedora da competição, um título que reconquistaria por outras duas vezes (em 1990 e 1993).

Sete épocas mais tarde (1983-84), Juventus e Manchester United voltariam a encontrar-se, agora na Taça dos Vencedores de Taças, nas meias-finais, com a turma italiana a superiorizar-se novamente, empatando em Manchester e ganhando em Turim, apurando-se assim para a Final de Basileia, uma página que fica também marcada na história do futebol português, dado que foi disputada ante o FC Porto. Ganhando por tangencial 2-1, a Juventus (ainda sob a batuta de Trappatoni) conquistaria então o seu único troféu nesta prova.

A última vez que os caminhos de italianos e ingleses se cruzaram em eliminatórias, também nas meias-finais, mas da Liga dos Campeões, foi em 1998-99 – no que constituía já a terceira época consecutiva de embates entre ambos, numa espécie de grande rivalidade inaugural na era da Liga dos Campeões -, tendo a sorte sorrido, desta feita, a o Manchester United, a rectificar o empate consentido em Old Trafford com um triunfo (3-2) no terreno do adversário, ganhando assim o direito a disputar a Final, realizada em Barcelona, ante o Bayern, a qual culminaria na épica reviravolta (com os dois golos marcados em período de compensação) que proporcionou então aos “Red Devils” sagrarem-se Campeões Europeus pela segunda vez no seu historial (depois da estreia, em 1968, ante o Benfica).

Na segunda mão dessas meias-finais, disputada em Turim, o Manchester perdia por 2-0 à passagem dos dez minutos iniciais (dois golos de Filippo Inzaghi em apenas cinco minutos), quando uma fantástica exibição de Roy Keane conduziu os ingleses a uma sensacional reviravolta no marcador.

De facto, os dois emblemas haviam-se defrontado já, nas duas temporadas precedentes, na fase de grupos, com duas vitórias da Juventus em 1996-97 e um triunfo para cada lado em 1997-98. Sobre o primeiro desses embates, em que se destacaram Alessandro Del Piero ou Zinedine Zidane, diria Gary Neville: «Big names, big players, in every respect. We lost 1-0 to them in Turin, but it could have been 10-0. It was the biggest battering I’ve ever had on a football pitch».

Em ambos os casos seguiriam em frente na competição, vindo as duas equipas a ser desfeiteadas pelo Borussia Dortmund, na sua gloriosa campanha de 1996-97 (o United nas meias-finais; a Juventus, perdendo a Final); em 1997-98, os ingleses quedar-se-iam pelos 1/4 de final, eliminados pelo Monaco, após dois empates, enquanto a Juventus repetiria a presença (e a derrota) na Final, desta vez batida pelo Real Madrid, de regresso aos títulos (Campeão Europeu pela 7.ª vez) após um longo interregno de 32 anos…

No intervalo de apenas seis anos, Juventus e Manchester United defrontaram-se por oito vezes, as últimas, de novo na fase de grupos, em 2002-03, com o grupo inglês a triunfar nas duas partidas, impondo um 3-0 em Turim (com Ryan Giggs a bisar, ainda na primeira metade). Tal como nas outras ocasiões, independentemente dos desfechos dos confrontos directos, os dois clubes avançaram para a fase a eliminar, vindo ambos a cruzar-se com… o Real Madrid: a turma inglesa ficaria, outra vez, pelos 1/4 de final, conseguindo a “Vecchia Signora” superar os merengues nas meias-finais, antes de perder a sua 5.ª final da Taça/Liga dos Campeões, no desempate da marca de grande penalidade, frente ao AC Milan.

Os mais recentes embates entre estes dois “gigantes” do futebol europeu – após uma demorado “desencontro” de 16 anos – datam da época passada, outra vez integrando o mesmo grupo (com José Mourinho a reencontrar Cristiano Ronaldo, embora em lados opostos, no regresso do jogador a Old Trafford), com a particularidade de, nos dois jogos, os visitantes terem imposto uma derrota aos visitados.

Uma vez mais, Juventus e Manchester United superiorizaram-se à concorrência, ocupando os dois primeiros lugares do respectivo grupo. Os ingleses, depois de uma fantástica reviravolta, ganhando (3-1) em Paris, ao Paris St–Germain, nos 1/8 de final (após o desaire sofrido em casa, por 0-2), seriam liminarmente afastados pelo Barcelona (com duas derrotas) na eliminatória seguinte; quanto à formação de Turim, depois de eliminar o At. Madrid, terminaria também a sua participação pelos 1/4 de final, suplantado pelo sensacional Ajax.

Por curiosidade – à excepção da primeira e da última temporada -, Alex Ferguson liderou o Manchester United em dez dos desafios disputados contra a Juventus, primeiro de Giovanni Trappatoni (de 1976 a 1986), depois de Marcello Lippi (de 1994 a 1999 e, de novo, de 2001 a 2004).

25 Fevereiro, 2020 at 7:00 pm Deixe um comentário


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Fevereiro 2020
S T Q Q S S D
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
242526272829  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.