Archive for 4 Fevereiro, 2018

O Pulsar do Campeonato – Taça do Ribatejo – 1/4 de final

Pulsar-TRibatejo - 1-4 final

(“O Templário”, 01.02.2018)

Os dois primeiros classificados do campeonato, Mação e União de Tomar, garantiram também o apuramento para as meias-finais da Taça do Ribatejo, parecendo “prometer” novo duelo, pela conquista deste troféu, sendo acompanhados por duas equipas escalabitanas, ambas qualificadas no desempate da marca de grande penalidade: o “lanterna vermelha” da I Divisão, Empregados do Comércio, e o agora único resistente do escalão secundário, U. Santarém.

Destaque – O destaque vai, uma vez mais, para nova goleada do Mação, batendo por inapelável 6-0 o Samora Correia. Começam a faltar palavras para caracterizar a campanha dos maçaenses, qual “rolo compressor”; depois de uma (curta) fase em que pareceu poder vacilar, com um ciclo de vitórias tangenciais (incluindo, por curiosidade, o triunfo por 1-0, precisamente sobre os samorenses), a par da inesperada perda de pontos na Ribeira de Santarém, o líder do campeonato voltou a mostrar-se amplamente dominador (com 14 golos nos últimos três jogos!).

Ao invés, necessariamente, algo terá de correr muito mal nas hostes de Samora – um grupo com bons valores, que se apresentava como candidato no arranque da época –, registando um terrível score de 2-20, nos seus últimos cinco desafios, os quais se saldaram, todos eles, por derrota.

Na partida do passado fim-de-semana, o Mação cedo sentenciou o desfecho da eliminatória, com dois tentos obtidos ainda na fase inicial do jogo, com o marcador a avolumar-se com alguma naturalidade, perante um opositor que, a partir daí, pouco mais tinha a defender que a sua dignidade, tendo procurado contrariar a adversidade e chegar, pelo menos, ao ponto de honra, que, contudo, não conseguiria alcançar.

Surpresas – A grande surpresa desta ronda foi a eliminação do Torres Novas, no seu reduto, ante o U. Santarém, clube que busca a promoção à divisão principal (posiciona-se, actualmente, no 4.º lugar da série Sul da II Divisão), não tendo os torrejanos conseguido melhor que a igualdade a uma bola, para acabarem por ser surpreendidos no desempate da marca de grande penalidade, cabendo agora aos escalabitanos o exclusivo da representação do seu escalão.

A outra equipa do município de Santarém, Empregados do Comércio, conseguiu igualmente surpreender, empatando a dois golos com o Ferreira do Zêzere – que vinha de um moralizador triunfo, na jornada anterior do campeonato, a consolidar o seu excelente desempenho nesta temporada –, tendo sido também mais feliz no desempate da marca de grande penalidade.

No próximo dia 6 de Fevereiro, veremos se o sorteio das meias-finais ditará um confronto entre os dois grupos da capital do Distrito – garantindo, desde logo, a representação do município na final –, ou se terão de enfrentar os actuais dois primeiros classificados do campeonato…

Confirmação – Num festivo ambiente de Taça, em que se salienta o desportivismo evidenciado pelos adeptos do Glória do Ribatejo, que afluíram em bom número à cidade de Tomar, o União confirmou o seu favoritismo, ganhando por 2-0, apurando-se assim – apenas pela segunda vez no seu historial, depois da época de 2002-03 – para as meias-finais da competição.

Perante um adversário competente, já com tradições na prova (semi-finalista por duas vezes consecutivas, em 2013-14 e 2014-15), motivado por praticamente um ano de invencibilidade – desde a eliminação nos 1/8 de final da edição precedente da competição (no início de Fevereiro do ano passado) –, os unionistas adoptaram uma toada de grande rigor, assumindo a iniciativa do jogo, em busca do golo, mas sempre sem descurar a segurança defensiva.

Num primeiro tempo praticamente de “sentido único”, os tomarenses inauguraram o marcador ainda antes dos vinte minutos de jogo, o que lhes conferiu maior tranquilidade. Porém, na segunda metade, a turma da Glória, nunca se entregando, lutando com todas as forças em ordem a tentar chegar ao empate, valorizou sobremaneira a vitória “rubro-negra”, numa tarde em que o forte vento dificultou a tarefa dos jogadores, na prática de um futebol mais apoiado. O tento da confirmação apenas chegaria a escassos minutos do final, novamente por Wemerson, a bisar na partida, em mais uma etapa superada na caminhada para a conquista deste tão ansiado troféu.

Campeonato de Portugal – Parece não haver maneira de as equipas do Distrito “acertarem o passo” no Nacional, vendo-se, a cada semana que passa, em posição cada vez mais aflitiva.

De facto, na 18.ª jornada, de positivo, apenas a assinalar o nulo que o Coruchense impôs ao até então líder, Vilafranquense (em função desse desfecho, a ceder novamente o comando ao Mafra). Quer o Fátima, quer o Alcanenense saíram derrotados, em partidas em que se esperaria mais: os fatimenses, actuando no seu reduto, foram desfeiteados pelo Torreense (5.º classificado) por 1-2; a formação de Alcanena perdeu por 0-1 em Pêro Pinheiro, trocando de posições precisamente com esse adversário, baixando ao 13.º lugar, sendo agora dois os clubes do Distrito abaixo da “linha de água”, situação na qual voltou a cair o Fátima. Preocupante…

Antevisão – Na retoma dos campeonatos distritais, na I Divisão – que teve já um jogo antecipado, disputado no passado fim-de-semana, com o Amiense, enfim, a regressar aos triunfos (1-0, na recepção ao Moçarriense) – o guia, Mação, perfila-se como favorito, sendo visitado pela “vizinha” U. Abrantina, enquanto o U. Tomar recebe um sempre difícil rival, At. Ouriense. Menção ainda ao Empregados do Comércio-Fazendense e Cartaxo-U. Almeirim.

Na II Divisão, a Norte, realce para o embate entre os dois primeiros da tabela, com o Rio Maior a receber o líder, Tramagal; na série mais a Sul, teremos um sempre apetecido “derby”, curiosamente, envolvendo também os dois primeiros, com o Marinhais a visitar o guia, Glória.

No Campeonato de Portugal, uma vez mais, não se antevêem grandes facilidades para os representantes do Distrito: o Coruchense viaja até aos Açores, para defrontar o Praiense, 3.º classificado, ainda com aspirações a alcançar um dos lugares que possam proporcionar a disputa da subida de divisão; o Fátima desloca-se às Caldas (actualmente na 6.ª posição); por fim, o Alcanenense está “proibido” de falhar na recepção ao “lanterna vermelha”, Guadalupe.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 1 de Fevereiro de 2018)

Anúncios

4 Fevereiro, 2018 at 12:00 pm Deixe um comentário


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Fevereiro 2018
S T Q Q S S D
« Jan   Mar »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

  • RT @rpOliveira: Isto era melhor quando eram apenas Brunicados no Facebook. Um gajo lia aquilo em 2 minutos. Quiseram tirá-lo de lá e agora… 3 hours ago
  • RT @Gouveia: Nunca vi ninguém tão mal tratado nos media como o Bruno. Há claramente um ataque fortíssimo de poderes ocultos contra a sua pr… 3 hours ago
  • RT @pedro_sales: está a dar em todos os canais que tèm uma licença de serviço público para transmitir notícias. canais esses, aliás, que as… 3 hours ago

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.