Archive for Maio, 2007

WORKSHOP SOBRE BLOGUES – J. L. ORIHUELA

José Luis Orihuela, doutorado em Ciências da Informação, professor na Faculdade de Comunicação da Universidade de Navarra, especialista em questões relacionadas com a blogosfera, coordenará a realização de dois workshops, a decorrer em Lisboa e no Porto, respectivamente a 22 e a 23 de Junho, sob o tema “Web 2.0: Introdução à Blogosfera e Uso de Meios Sociais”.

No seminário de Lisboa, das 9h30 às 17 horas, serão abordadas as seguintes questões:

– Introdução à blogosfera (Conceito, estrutura e funções do blogue; dinâmica da blogosfera; e chaves para criar e manter um blogue de êxito);

– Uso de meios sociais no jornalismo e na educação (Filosofia e ferramentas da Web 2.0; exploração e uso de recursos na internet para jornalistas e comunicadores; e exploração e uso de recursos na internet para investigação e docência).

A sessão a realizar no Porto, das 15 às 19 horas, abrangerá apenas a parte relativa à “Introdução à blogosfera”.

A data limite para inscrição é o próximo dia 11 de Junho. Mais informações, disponíveis aqui ou aqui.

31 Maio, 2007 at 10:02 am Deixe um comentário

"O QUE É SER UM BOM LIVREIRO?"

Com a Feira de Livro de Lisboa, a que há quem chame a maior livraria do país, instalada uma vez mais no Parque Eduardo VII, a próxima edição dos Livros em Desassossego vai discutir o papel dos livreiros e das livrarias no debate com as presenças de Antero Braga, da livraria Lello & Irmão, André Dourado, da cadeia de livrarias Bulhosa, e Jaime Bulhosa, que se prepara para abrir uma nova livraria em Lisboa, a Pó dos Livros.

Antes disso, Maria do Rosário Pedreira, a editora da QuidNovi, escolhe três livros recentes que gostaria de ter sido ela a editar e o escritor José Eduardo Agualusa, recentemente distinguido com o prémio de ficção estrangeira do jornal britânico The Independent, apresenta o seu novo romance, As Mulheres do Meu Pai.

A sessão de Maio dos Livros em Desassossego acontece, como habitualmente, na última quinta-feira do mês, dia 31 de Maio, a partir das 21h30. O debate é moderado, como habitualmente, por Carlos Vaz Marques e tem entrada livre.

30 Maio, 2007 at 8:41 am Deixe um comentário

FESTA DOS TABULEIROS 2007

01.07.2007 (Domingo) – Cortejo dos Rapazes (10 horas)

06.07.2007 (Sexta-feira) – Cortejo do Mordomo (18 horas); Inauguração das ruas populares ornamentadas (20h30)

07.07.2007 (Sábado) – Cortejos Parciais dos Tabuleiros (10 horas); Cortejo e Final dos Jogos Populares (14h30)

08.07.2007 (Domingo) – Cortejo dos Tabuleiros (16 horas)

09.07.2007 (Segunda-feira) – Distribuição da Pêza (10 horas)

29 Maio, 2007 at 1:55 pm Deixe um comentário

TAÇA DE PORTUGAL – PALMARÉS

              Vencedor  Finalista
Benfica           24          9
Sporting          14         10
FC Porto          13         11
Boavista           5          1
Setúbal            3          7
Belenenses         3          5
Braga              1          3
Académica          1          3
Leixões            1          1
Beira-Mar          1          1
E. Amadora         1          -
Guimarães          -          4
Marítimo           -          2
Atlético           -          2
U. Leiria          -          1
Campomaiorense     -          1
Farense            -          1
Rio Ave            -          1
Covilhã            -          1
Torreense          -          1
Olhanense          -          1
Estoril            -          1

27 Maio, 2007 at 6:40 pm Deixe um comentário

FINAIS DA TAÇA DE PORTUGAL

   Época    Vencedor     Finalista
2006-2007   Sporting     Belenenses      1-0
2005-2006   FC Porto     Setúbal         1-0
2004-2005   Setúbal      Benfica         2-1
2003-2004   Benfica      FC Porto        2-1
2002-2003   FC Porto     U. Leiria       1-0
2001-2002   Sporting     Leixões         1-0
2000-2001   FC Porto     Marítimo        2-0
1999-2000   FC Porto     Sporting        1-1   2-0
1998-1999   Beira-Mar    Campomaiorense  1-0
1997-1998   FC Porto     Sp. Braga       3-1
1996-1997   Boavista     Benfica         3-2
1995-1996   Benfica      Sporting        3-1
1994-1995   Sporting     Marítimo        2-0
1993-1994   FC Porto     Sporting        0-0   2-1
1992-1993   Benfica      Boavista        5-2
1991-1992   Boavista     FC Porto        2-1
1990-1991   FC Porto     Beira-Mar       3-1
1989-1990   E. Amadora   Farense         1-1   2-0
1988-1989   Belenenses   Benfica         2-1
1987-1988   FC Porto     Guimarães       1-0
1986-1987   Benfica      Sporting        2-1
1985-1986   Benfica      Belenenses      2-0
1984-1985   Benfica      FC Porto        3-1
1983-1984   FC Porto     Rio Ave         4-1
1982-1983   Benfica      FC Porto        1-0
1981-1982   Sporting     Sp. Braga       4-0
1980-1981   Benfica      FC Porto        3-1
1979-1980   Benfica      FC Porto        1-0
1978-1979   Boavista     Sporting        1-1   1-0
1977-1978   Sporting     FC Porto        1-1   2-1
1976-1977   FC Porto     Sp. Braga       1-0
1975-1976   Boavista     Guimarães       2-1
1974-1975   Boavista     Benfica         2-1
1973-1974   Sporting     Benfica         2-1
1972-1973   Sporting     V. Setúbal      3-2
1971-1972   Benfica      Sporting        3-2
1970-1971   Sporting     Benfica         4-1
1969-1970   Benfica      Sporting        3-1
1968-1969   Benfica      Académica       2-1
1967-1968   FC Porto     V. Setúbal      2-1
1966-1967   V. Setúbal   Académica       3-2
1965-1966   Sp. Braga    V. Setúbal      1-0
1964-1965   V. Setúbal   Benfica         3-1
1963-1964   Benfica      FC Porto        6-2
1962-1963   Sporting     Guimarães       4-0
1961-1962   Benfica      V. Setúbal      3-0
1960-1961   Leixões      FC Porto        2-0
1959-1960   Belenenses   Sporting        2-1
1958-1959   Benfica      FC Porto        1-0
1957-1958   FC Porto     Benfica         1-0
1956-1957   Benfica      Sp. Covilhã     3-1
1955-1956   FC Porto     Torreense       2-0
1954-1955   Benfica      Sporting        2-1
1953-1954   Sporting     V. Setúbal      3-2
1952-1953   Benfica      FC Porto        5-0
1951-1952   Benfica      Sporting        5-4
1950-1951   Benfica      Académica       5-1
1948-1949   Benfica      Atlético        2-1
1947-1948   Sporting     Belenenses      3-1
1945-1946   Sporting     Atlético        4-2
1944-1945   Sporting     Olhanense       1-0
1943-1944   Benfica      Estoril         8-0
1942-1943   Benfica      V. Setúbal      5-1
1941-1942   Belenenses   Guimarães       2-0
1940-1941   Sporting     Belenenses      4-1
1939-1940   Benfica      Belenenses      3-1
1938-1939   Académica    Benfica         4-3

27 Maio, 2007 at 6:26 pm Deixe um comentário

FC PORTO – CAMPEÃO EUROPEU – 20 ANOS

27 Maio, 2007 at 11:35 am 1 comentário

ÍNTIMA FRACÇÃO NO RCP

A Íntima Fracção, de Francisco Amaral, regressa ao “éter”, no Rádio Clube Português: aos Domingos, das 24 horas às 2 da manhã. 

26 Maio, 2007 at 2:31 pm Deixe um comentário

O CODEX ARQUIMEDES – PREFÁCIO

“Nicetas Choniates, irmão do arcebispo de Atenas, presenciou a maior calamidade que alguma vez se abateu sobre o mundo do conhecimento. Em Abril de 1204, os soldados cristãos enviados em missão para libertarem Jerusalém esqueceram o seu propósito e saquearam Constantinopla, a mais rica cidade da Europa. Nicetas relatou o seu testemunho desta carnificina. O tesouro sumptuoso da grandiosa igreja da Hagia Sophia (Santa Sabedoria) foi divido e distribuído pelos soldados. Levaram mulas até ao próprio santuário, para carregarem o saque. Na sé do Patriarca – sobre a qual dançou e entoou cantigas obscenas – sentou-se uma meretriz, que fazia encantamentos e venenos. Os soldados capturaram e violaram as freiras consagradas a Deus. «Ó Deus imortal», lamentou-se Nicetas, «quão grandes foram as aflições dos homens». A realidade obscena da guerra medieval abateu-se sobre Constantinopla e o cerne de um grande império estilhaçou-se.

A cidade saqueada tinha mais livros do que habitantes. Esta era a primeira vez que Constantinopla fora pilhada em 874 anos, desde que fora fundada em 330 por Constantino, o Grande, imperador de Roma. Os seus habitantes ainda se consideravam Romanos e como seu legado a cidade albergava os tesouros literários da Antiguidade. Entre estes tesouros contavam-se tratados do maior matemático da Antiguidade, e um dos maiores pensadores de todos os tempos. Ele calculara o valor aproximado de Pi, elaborou a teoria dos centros de gravidade, e lançou as bases do cálculo, 1800 anos antes de Newton e Leibniz. O seu nome era Arquimedes. Ao contrário de centenas de milhares de livros que foram destruídos no saque da cidade, três livros com textos de Arquimedes escaparam.

Um destes livros, o primeiro a desaparecer, era o Códice B; sabe-se que em 1311 ainda constava da biblioteca do Papa, em Viterbo, a norte de Roma, desconhecendo-se o seu paradeiro desde então. O outro era o Códice A, cujo último registo é de uma biblioteca de um humanista italiano, em 1564. Foi através de cópias destas obras que os mestres da Renascença como Leonardo da Vinci e Galileu conheceram os trabalhos de Arquimedes. Mas Leonardo, Galileu, Newton e Leibniz nada sabiam do terceiro livro. Este continha dois textos extraordinários de Arquimedes, que não constavam dos códices A e B. Comparada com estes textos, a matemática de Leonardo parece uma brincadeira de crianças. Oitocentos anos após o saque de Constantinopla, este terceiro livro, o Códex Arquimedes, o Códice C, na sua designação técnica, apareceu.

Esta é a história verídica e extraordinária do livro e dos textos que contém. Revela como é que os textos sobreviveram ao longo dos séculos, como foram descobertos, como desapareceram novamente, e como viriam finalmente a encontrar um paladino. É também a história do restauro paciente, da tecnologia de ponta e do estudo dedicado que devolveram à vida os textos rasurados. Quando em 1999 iniciou o seu trabalho, a equipa que trabalhou no livro não fazia ideia do que viria a descobrir. Quando concluíram, tinham revelado textos novos do mundo antigo e mudado para sempre a história da ciência.”

(Disponível aqui; vidé também http://www.codexarquimedes.edicoes70.pt/)

25 Maio, 2007 at 8:44 am Deixe um comentário

O CODEX ARQUIMEDES

“Em 1999, um manuscrito medieval foi vendido em leilão na Christie’s de Nova Iorque por 2 milhões de dólares, a um comprador que, até hoje, se mantém anónimo. Ao ser analisado, o manuscrito revelou-se, na verdade, um palimpsesto: um texto rasurado num pergaminho sobre qual se escreveu um livro de orações no século XIII.

Este é o ponto de partida para uma viagem fascinante, que nos leva num périplo pelo Mediterrâneo – das areias de Siracusa, sitiada pelos Romanos, a Constantinopla e, por fim, a Nova Iorque. É, também, a história do percurso dos textos de uma das maiores mentes matemáticas – Arquimedes – e de como a análise das suas obras, há muito dadas como desaparecidas, nos revela a genialidade do seu pensamento.

Profusamente ilustrada com diagramas elaborados com base nos de Arquimedes, esta é uma obra cativante, num relato que alterna entre o thriller científico, a história, e a divulgação da ciência.”

24 Maio, 2007 at 12:39 pm Deixe um comentário

AC MILAN – HEPTA-CAMPEÃO EUROPEU

AC MilanNuma reedição da Final de 2005, AC Milan e Liverpool reencontraram-se hoje em Atenas, na Final da Liga dos Campeões… que proporcionaria à equipa italiana a tão ambicionada “desforra”, consagrando-a pela 7ª vez como Campeã da Europa (marca apenas superada pelos 9 títulos do R. Madrid).

Numa partida dominada pelo tacticismo, sem grandes “rasgos” de génio, que valeu essencialmente pelos golos e pelos últimos 10 minutos, o Liverpool foi a equipa que entrou melhor, assumindo algum controlo do jogo durante a primeira parte… até ao último minuto, em que, na sequência de um livre (a penalizar uma falta sobre kaká) apontado por Pirlo, a bola tabelou em Inzaghi, traindo o guarda-redes espanhol (no que foi o 500º golo do Milan em provas europeias).

Em superioridade no marcador, a segunda parte foi-se “arrastando”, com o Liverpool a não denotar capacidade para inverter o marcador… e o AC Milan, matreiramente, aguardando até que surgisse uma oportunidade de desferir o “golpe final”, o que aconteceria, novamente com Inzaghi a marcar, já nos últimos 10 minutos.

O vencedor parecia encontrado, mas, a 2 minutos do fim, sob um extraordinário apoio dos seus adeptos, o holandês Kuyt reduzia para 1-2, fazendo pairar por momentos a incerteza sobre o desfecho final… fazendo recordar o que acontecera na final de há 2 anos, com o Liverpool a recuperar então de uma desvantagem de 3 golos, para vencer no desempate da marca de grande penalidade.

Avisada, a equipa italiana jogou com o tempo (apenas sendo disputados cerca de 2 minutos e meio dos três de período de compensação assinalados – o que deixaria Rafael Benitez “à beira de um ataque de nervos”), não concedendo possibilidades de recuperação ao adversário.

AC Milan – Dida, Oddo, Nesta, Maldini, Jankulovski (80m – Kaladze), Gattuso, Pirlo, Ambrosini, Seedorf (90m – Favalli), Kaká e Inzaghi (88m – Gilardino)

Liverpool – Reina, Finnan (88m – Arbeloa), Carragher, Agger, Arne Riis, Pennant, Xabi Alonso, Mascherano (78m – Crouch), Zenden (59m – Kewell), Gerrard e Kuyt

1-0 – Inzaghi – 45m
2-0 – Inzaghi – 82m
2-1 – Kuyt – 89m

No Palmarés da Prova, após 52 edições, são os seguintes os (21) vencedores: AC Milan (1963, 1969, 1989, 1990, 1994, 2003 e 2007), Barcelona (1992 e 2006), Liverpool (1977, 1978, 1981, 1984 e 2005), FC Porto (1987 e 2004), R. Madrid (1956, 1957, 1958, 1959, 1960, 1966, 1998, 2000 e 2002), Bayern (1974, 1975, 1976 e 2001), M. United (1968 e 1999), B. Dortmund (1997), Juventus (1985 e 1996), Ajax (1971, 1972, 1973 e 1995), Marseille (1993), Crvena Zvezda (1991), PSV Eindhoven (1988), Steaua (1986), Hamburger (1983), Aston Villa (1982), Nottingham Forest (1979 e 1980), Feyenoord (1970), Celtic (1967), Inter Milan (1964 e 1965) e Benfica (1961 e 1962).

A nível de países, foi a 11ª vitória para (3) equipas de Itália, igualando a marca das (2) equipas de Espanha e superando as (4) de Inglaterra (10 vitórias).

Para a história ficam ainda outros registos, a nível individual: Paolo Maldini igualou as 8 presenças em Finais do espanhol Gento (o único jogador com 6 títulos de Campeão Europeu, pelo R. Madrid, nas décadas de 50 e 60); igualou também as 5 vitórias de Di Stéfano e de Zárraga. Por seu lado Seedorf alcançou a 4ª vitória (2ª pelo Milan), sendo o único a vencer por 3 equipas diferentes (também pelo Ajax e R. Madrid). O treinador Carlo Ancelotti também alcançou a 5ª vitória, segunda enquanto treinador (sendo apenas um dos 5 treinadores que conquistaram essa proeza também como jogador).

23 Maio, 2007 at 9:57 pm 1 comentário

Artigos Mais Antigos


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Maio 2007
S T Q Q S S D
« Abr   Jun »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.