LIGA DOS CAMPEÕES (4ª JORNADA)

1 Novembro, 2006 at 10:37 pm Deixe um comentário

GRUPO B           Jg  V  E  D   G   Pt 
1 Bayern      Bayern  4  3  1  -  7-0  10 
2 Inter       Inter  4  2  -  2  3-4   6 
3 Sporting    Sporting  4  1  2  1  2-2   5 
4 Sp.Moscovo  Sp. Moscovo  4  -  1  3  2-8   1  

Sporting-Inter_______________1-0 / ___ 
Bayern-Sp.Moscovo____________4-0 / ___ 
Inter-Bayern_________________0-2 / ___ 
Sp. Moscovo-Sporting_________1-1 / ___ 
Inter-Sp. Moscovo____________2-1 / 1-0 
Sporting-Bayern______________0-1 / 0-0

GRUPO F           Jg  V  E  D   G   Pt 
1 M. United   M. United  4  3  -  1  7-3   9 
2 Celtic      Celtic  4  2  -  2  6-6   6 
3 Benfica     Benfica  4  1  1  2  3-4   4 
4 Copenhaga   Copenhaga  4  1  1  2  1-4   4  

M. United-Celtic_____________3-2 / ___ 
Copenhaga-Benfica____________0-0 / ___ 
Benfica-M. United____________0-1 / ___ 
Celtic-Copenhaga_____________1-0 / ___ 
Celtic-Benfica_______________3-0 / 0-3 
M.United-Copenhaga___________3-0 / 0-1

GRUPO G           Jg  V  E  D   G   Pt 
1 CSKA Mosc.  CSKA Moscovo  4  2  2  -  2-0   8 
2 Arsenal     Arsenal  4  2  1  1  4-2   7 
3 FC Porto    FC Porto  4  2  1  1  7-4   7 
4 Hamburgo    Hamburgo  4  -  -  4  3-10  -  

FC Porto-CSKA Moscovo________0-0 / ___ 
Hamburgo-Arsenal_____________1-2 / ___ 
Arsenal-Porto________________2-0 / ___ 
CSKA Moscovo-Hamburgo________1-0 / ___ 
CSKA Moscovo-Arsenal_________1-0 / 0-0 
FC Porto-Hamburgo____________4-1 / 3-1

O Sporting deslocou-se a Munique, para defrontar o líder do grupo, Bayern, que contava por vitórias os jogos disputados na presente edição da Liga dos Campeões, forçando um nulo.

A equipa alemã podia ter inaugurado o marcador na primeira parte, mas Ricardo conseguiria manter as suas redes invioladas.

Aos 75 minutos, o Sporting teria a sua melhor oportunidade, com um remate de João Moutinho a embater com estrondo na trave da baliza defendida por Oliver Khan, na sequência de um livre.

Não obstante as ocasiões repartidas até final do encontro, a partida terminaria com um empate a zero que qualifica o Bayern, desde já, para os 1/8 Final, enquanto o Sporting terá ainda um duelo decisivo com o Inter de Milão.


Depois do empate de ontem do Sporting em Munique, Benfica e FC Porto obtiveram hoje dois inequívocos triunfos, relançando a sua luta pelo apuramento para a fase seguinte das competições europeias.

Com a felicidade que lhe faltara em Glasgow e frente a uma simpática equipa do Celtic, o Benfica “devolveu” o resultado da primeira volta, obtendo a sua mais categórica vitória de sempre na “Liga dos Campeões”.

Felicidade por, em cerca de vinte minutos – e com 2 remates à baliza – alcançar uma confortável vantagem de 2 golos, que lhe “garantia”, logo aí, a vitória na partida.

Quando, aos 10 minutos do encontro, Nélson cruzou da direita, para a intercepção desastrada de Caldwell (introduzindo a bola na sua própria baliza), não obstante o predomínio benfiquista em termos de posse de bola (73 % / 27 %!), a equipa portuguesa não havia criado ainda qualquer situação de perigo para a baliza escocesa.

E, até aos 22 minutos, momento do segundo golo, em mais um momento infeliz do mesmo Caldwell, colocando a bola – na sequência de uma recepção defeituosa com o peito – à mercê de Nuno Gomes… que não perdoaria, o Benfica apenas fizera um remate de meia-distância, com uma boa intervenção do guarda-redes Boruc.

A simpática equipa do Celtic – que sabe trocar a bola e, não sendo actualmente um dos clubes de topo, tem qualidade – sentiu-se como que “atordoada”, apenas tendo efectivamente mostrado algo da sua capacidade nos últimos 20 minutos da primeira parte, altura em que o Benfica perdeu o controlo do jogo.

Na segunda parte, desde cedo, o Benfica “recompôs-se”, acertou as marcações, readquiriu o domínio da partida, e, rapidamente, se anteviu que a vitória não lhe escaparia… e que, aliás, o resultado poderia vir a ser ampliado.

Como foi, numa excelente jogada colectiva, superiormente concretizada por Karyaka. Até final, o Benfica dispôs ainda de, pelo menos, mais duas oportunidades para marcar, mas o resultado não se alteraria.

Foi o 4º encontro entre Benfica e Celtic e, em todos eles, o resultado foi de 3-0! (com 2 vitórias para cada uma das equipas). E, como é nosso hábito, saímos do Estádio… a fazer muitas “contas de cabeça” em relação ao apuramento, ainda mais complexas na sequência da surpreendente derrota do Manchester United em Copenhaga.

A equipa escocesa – que já fora muito feliz em Lisboa, aqui tendo conquistado o seu único título de Campeão Europeu, numa final disputada no Estádio Nacional, no ano de 1967 (fora feliz na outra ocasião que defrontara o Benfica, com um desempate por “moeda ao ar” a ser-lhe favorável, depois de uma outra vitória dos benfiquistas por 3-0) – não teve hoje argumentos para contrariar uma boa exibição da equipa da casa.

Uma palavra final para o “fair-play” dos escoceses: nunca uma equipa estrangeira trouxera tantos adeptos ao Estádio da Luz (calculados em cerca de 8 000!), aproveitando a visita à cidade que lhes deu a alegria da conquista da Taça dos Campeões Europeus, efeméride que foi recordada, com os Campeões de 1967, “apadrinhados” por Eusébio, a terem direito a uma “volta de honra” em pleno estádio.

Foi bonita a forma como evocaram a memória de Miklos Fehér… como foi bonita a forma como se despediram da equipa – a merecer fortes aplausos – após uma pesada derrota, com alegres cânticos; toda uma (outra) cultura de futebol, fazendo-nos perceber quanto temos ainda a aprender.

Benfica – Quim , Nélson, Luisão, Ricardo Rocha e Léo; Petit (84m – Beto), Katsouranis, Nuno Assis, Simão Sabrosa, Nuno Gomes (89m – Mantorras) e Fabrizio Miccoli (67m – Andrei Karyaka)

Celtic – Artur Boruc, Paul Telfer, Gary Caldwell, Stephen McManus e Lee Naylor; Shunsuke Nakamura, Evander Sno (72m – Maciej Żurawski), Neil Lennon, Stephen Pearson, Shaun Maloney (65m – Aiden McGeady) e Kenny Miller

1-0 – G. Caldwell (p.b.) – 10 m
2-0 – Nuno Gomes – 22 m
3-0 – Karyaka – 76m

Cartões amarelos – Ricardo Rocha (28m) e Léo (54m); Evander Sno (5m), Shaun Maloney (55m) e Stephen Pearson (87m)

Árbitro – Kyros Vassaras (Grécia)


Sobre o jogo do FC Porto – que, tendo estado presente no Estádio da Luz, não tive oportunidade de acompanhar – realce para o excelente golo de Lucho Gonzalez, com a equipa portuguesa a alcançar nova e concludente vitória sobre os alemães do Hamburgo, relançando-se também na luta pelo apuramento, igualmente com contas complicadas, a três, envolvendo Spartak de Moscovo e o Arsenal.


Concluída a 4ª jornada, são já conhecidas 7 das 16 equipas apuradas para os 1/8 Final: Bayern Munique, Liverpool, PSV Eindhoven, Valencia, Lyon, Real Madrid e AC Milan.

Anúncios

Entry filed under: Desporto. Tags: , , , .

“LUZ E DESIGN" PROXIMIZADE – 1 ANO

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Novembro 2006
S T Q Q S S D
« Out   Dez »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Erro: Twitter não está a responder. Por favor espere alguns minutos e recarregue esta página.

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.


%d bloggers like this: