EURO 2004 – GRUPO B – 2ª JORNADA

17 Junho, 2004 at 10:33 pm 1 comentário

InglaterraSuíça3-0

Segundo as crónicas, um bom início de partida dos suíços, sem “complexos” face aos ingleses, construindo algumas jogadas de ataque, fazendo chegar algum perigo à área inglesa.

Sem ter ainda criado grandes situações de perigo, a Inglaterra “abriria o activo” aos 23 minutos, por Rooney – que, apenas com 18 anos, se torna o mais jovem marcador de sempre na história dos Europeus.

A Suíça encerraria a primeira parte com duas jogadas de perigo junto da baliza adversária.

Na segunda parte, a Inglaterra assumiu o controlo do jogo, pressionando o adversário, o que viria a originar a expulsão de Bernt Haas (com dois cartões amarelos em pouco mais de 10 minutos), obrigando a Suíça a jogar novamente em inferioridade numérica durante uma boa parte do jogo (última meia-hora).

A Suíça passa a recorrer aos lançamentos em profundidade, sem sucesso; e é a Inglaterra que volta a causar perigo, com Rooney perto de “bisar”… até que, pouco depois, o mesmo Rooney remata forte contra o poste, acabando a bola por tabelar no guarda-redes Stiel, anichando-se na sua própria baliza.

Derrotada, a equipa suíça “entrega-se” e, logo de seguida, sofre o terceiro golo: um “castigo pesado”.

Inglaterra David James, Gary Neville, John Terry, Sol Campbell, Ashley Cole, David Beckham, Frank Lampard, Steven Gerrard, Paul Scholes (70m – Owen Hargreaves), Wayne Rooney (83m – Kieron Dyer), Michael Owen (72m – Darius Vassell)

Suíça Jörg Stiel, Bernt Haas, Patrick Mueller, Murat Yakin, Christoph Spycher, Raphael Wicky, Fabio Celestini (53m – Ricardo Cabanas), Benjamin Huggel, Hakan Yakin (84m – Johan Vonlanthen), Stephane Chapuisat (45m – Daniel Gygax), Alexander Frei

“Melhor em campo” – Wayne Rooney

1-0 – Wayne Rooney – 23m
2-0 – Wayne Rooney – 75m
3-0 – Gerrard – 82m

Amarelos – Bernt Haas (49m); Wayne Rooney (18m)

Vermelho – Bernt Haas (60m – acumulação de amarelos)

Árbitro – Valentin Ivanov (Rússia)

Estádio Cidade de Coimbra – Coimbra (17h00)


CroáciaFrança2-2

Tal como no primeiro jogo, frente à Inglaterra, a França entrou muito forte, impondo um ritmo acelerado, que a levaria até ao primeiro golo, mais uma vez na sequência de uma “bola parada”… mais uma vez, um livre apontado por Zidane, com o defesa croata a desviar a bola para a sua própria baliza.

E, tal como no jogo inaugural, a França decresceria de rendimento à medida que a primeira parte se aproximava do seu termo.

O início da segunda parte mostrou-nos uma Croácia completamente diferente, assumindo decididamente uma postura atacante (para os croatas, empatar ou perder era indiferente; apenas a vitória lhes interessava para chegarem em vantagem ao jogo decisivo com a Inglaterra).

E logo conseguiria empatar, beneficiando de mais um penalty sofrido pela França. Não baixando o ritmo, os croatas dariam a “volta ao resultado” 4 minutos depois.

Surgiria depois um período algo confuso, com as equipas a baixarem de rendimento e o jogo a transformar-se numa partida “estranha”… o que culminaria com mais um “golo esquisito”, na sequência de mais um erro defensivo, a restabelecer novamente o empate para a França (que ainda não conseguiu marcar um golo de “jogada corrida normal”).

Até final, ambas as equipas procuraram o golo (e a vitória), mas sem grande convicção ou serenidade, ajustando-se perfeitamente o empate como resultado do labor das duas formações.

A Croácia, bastante voluntarista na procura do golo, revela contudo alguma ingenuidade no momento da finalização (que já lhe custara o não ter alcançado a vitória frente à Suíça), tendo nomedamante o benfiquista Sokota realizado mais um encontro bastante esforçado, embora não muito inspirado.

A França, transmitindo uma imagem de grande poderio, denotando dispor de capacidade para, a qualquer momento, poder “resolver um jogo”, não realizou ainda uma partida “conseguida”, de início a fim, tendo Henry (e o próprio Zidane) andado arredados das suas melhores exibições.

E o apuramento, que os franceses esperavam festejar já hoje, ficou adiado para a última ronda.

Croácia Tomislav Butina, Josip Simunic, Dario Simic, Igor Tudor, Robert Kovac, Giovanni Rosso, Nenad Bjelica (67m – Jerko Leko), Milan Rapaic (87m – Ivica Mornar), Niko Kovac, Dado Prso, Tomislav Sokota (73m – Ivica Olic)

França Fabien Barthez, William Gallas (81m – Willy Sagnol), Lilian Thuram, Marcel Desailly, Mikaël Silvestre, Patrick Vieira, Olivier Dacourt (78m – Benoît Pedretti), Zinedine Zidane, Sylvain Wiltord (70m – Robert Pires), David Trezeguet, Thierry Henry

“Melhor em campo” – Dado Prso

0-1 – Tudor – 23m (p. b.)
1-1 – Rapaic – 48m (P)
2-1 – Prso – 52m
2-2 – Trezeguet – 63m

Amarelos – Igor Tudor (39m), Giovanni Rosso (61m), Robert Kovac (67m) e Jerko Leko (78m); Patrick Vieira (32m) e Olivier Dacourt (59m)

Árbitro – Kim Milton Nielsen (Dinamarca)

Estádio Dr. Magalhães Pessoa – Leiria (19h45)

[1435]

Entry filed under: Euro-2004.

REFORMA ADMINISTRATIVA DO TERRITÓRIO (IV) EURO 2004 – RESULTADOS E CLASSIFICAÇÕES

1 Comentário

  • 1. Nelson Santos  |  18 Junho, 2004 às 2:00 pm

    Análise correctissima. Curiosidade para Silvestre, que provocou ambos os penalties cometidos pela França…o homem está em grande!


Autor – Contacto

Destaques

Benfica - Quadro global de resultados - Printscreen Tableau
Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.


%d bloggers like this: