Liga Europa – 4ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo E
D. Moskva – Estoril – 1-0
Panathinaikos – PSV – 2-3

1º D. Moskva, 12; 2º PSV, 7; 3º Estoril, 3; 4º Panathinaikos, 1

Grupo J
D. Kyiv – AaB Aalborg – 2-0
Rio Ave – Steaua – 2-2

1º D. Kyiv, 9; 2º Steaua, 7; 3º AaB Aalborg, 6; 4º Rio Ave, 1

(more…)

6 Novembro, 2014 at 8:27 pm Deixe o seu comentário

Liga dos Campeões – 4ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo A
Malmö – At. Madrid – 0-2
Juventus – Olympiakos – 3-2

1º At. Madrid, 9; 2º Olympiakos e Juventus, 6; 4º Malmö, 3

Grupo B
Basel – Ludogorets – 4-0
Real Madrid – Liverpool – 1-0

1º Real Madrid, 12; 2º Basel, 6; 3º Liverpool e Ludogorets, 3

Grupo C
Zenit – Bayer Leverkusen – 1-2
Benfica – Monaco – 1-0

1º Bayer Leverkusen, 9; 2º Monaco, 5; 3º Zenit e Benfica, 4

Grupo D
Arsenal – Anderlecht – 3-3
B. Dortmund – Galatasaray – 4-1

1º B. Dortmund, 12; 2º Arsenal, 7; 3º Anderlecht, 2; 4º Galatasaray, 1

Grupo E
Manchester City – CSKA Moskva – 1-2
Bayern – Roma – 2-0

1º Bayern, 12; 2º Roma e CSKA Moskva, 4; 4º Manchester City, 2

Grupo F
Paris St.-Germain – APOEL – 1-0
Ajax – Barcelona – 0-2

1º Paris St.-Germain, 10; 2º Barcelona, 9; 3º Ajax, 2; 4º APOEL, 1

Grupo G
Sporting – Schalke 04 – 4-2
Maribor – Chelsea – 1-1

1º Chelsea, 8; 2º Schalke 04, 5; 3º Sporting, 4; 4º Maribor, 3

Grupo H
Shakthar Donetsk – BATE Borisov – 5-0
At. Bilbao – FC Porto – 0-2

1º FC Porto, 10; 2º Shakthar Donetsk, 8; 3º BATE Borisov, 3; 4º At. Bilbao, 1 

Ainda com duas jornadas por disputar, garantiram já o apuramento para os 1/8 final as seguintes seis equipas: Real Madrid, B. Dortmund, Bayern, Paris St.-Germain, Barcelona e FC Porto.

Nesta ronda, destaque para o triplo triunfo das equipas portuguesas, sucesso que se regista pela segunda vez na história da Liga dos Campeões, depois da última jornada da temporada de 2007-08 (então com o Benfica a ganhar em Donestsk, o FC Porto face ao Besiktas, e o Sporting frente ao D. Kiev).

5 Novembro, 2014 at 9:35 pm Deixe o seu comentário

Liga dos Campeões – 4ª Jornada (Benfica – Monaco)

BenficaBenfica – Júlio César, Maxi Pereira, Luisão, Jardel, André Almeida, Andreas Samaris (62m – Lima), Eduardo Salvio, Enzo Pérez, Anderson Talisca, Nico Gaitán (90m – Tiago “Bebé”) e Derley (86m – Bryan Cristante)

MonacoMonaco – Danijel Subašić, Fabinho, Andrea Raggi, Ricardo Carvalho, Layvin Kurzawa, Jérémy Toulalan, João Moutinho, Geoffrey Kondogbia (86m – Valère Germain), Lucas Ocampos (63m – Nabil Dirar), Yannick Ferreira-Carrasco e Lacina Traoré (72m – Anthony Martial)

1-0 – Talisca – 82m

Cartões amarelos – Andreas Samaris (29m) e Enzo Pérez (38m); Lacina Traoré (26m), Ricardo Carvalho (39m), Jérémy Toulalan (56m), João Moutinho (74m) e Layvin Kurzawa (86m)

Árbitro – David Fernández Borbalán (Espanha)

A principal diferença neste desafio, face aos anteriores do Benfica na presente edição da Liga dos Campeões, esteve na atitude com que os jogadores abordaram o jogo. Sabendo da sua importância praticamente decisiva para continuar a alimentar eventuais aspirações, a equipa portuguesa estava “proibida” de perder pontos, e, mesmo o empate, seria um mau resultado…

De resto, as habituais falhas de concentração defensiva, uma entrada difícil em acção, concedendo muitos espaços, permitindo à formação monegasca, por algumas vezes, acercar-se da baliza benfiquista com bastante perigo, com Júlio César a revelar estar atento.

Só que, paralelamente, o Benfica não desistiu nunca – isso, de certo modo, já tinha sucedido também na ronda inaugural, com o Zenit, embora então, a equipa revelasse notória impotência para inverter o rumo dos acontecimentos – de procurar a sorte que tão arredada tem andado da equipa nesta competição, porfiando sempre, acabando por ser feliz, mas, também, ao mesmo tempo, ter o merecido prémio, com o golo obtido por Talisca já na fase derradeira da partida.

Uma vitória que poderá ser crucial, no pior dos cenários, para evitar uma eliminação prematura das provas europeias desta temporada. A qualificação para os 1/8 de final da Liga dos Campeões continua a ser, de alguma forma, uma quimera, mas há que continuar a acreditar, elevar os níveis de confiança e concentração… e jogar melhor.

4 Novembro, 2014 at 9:36 pm Deixe o seu comentário

O pulsar do campeonato – 5.ª jornada

Pulsar - 5

(“O Templário”, 30.10.2014)

Tal como aqui antevira na semana passada, os então três primeiros classificados (Empregados do Comércio, União de Tomar e Torres Novas) tinham saídas de elevado grau de dificuldade, nenhum deles tendo conseguido vencer. Pelo que o principal destaque da ronda vai para o Cartaxo, que ganhando por 2-1 ao (ainda) líder Empregados do Comércio, quebrou a invencibilidade (e a inviolabilidade das redes) dos escalabitanos.

Em função do que o União de Tomar – tendo obtido um positivo empate, a dois golos, em jogo de grande intensidade, no sempre difícil terreno do Mação – passa portanto a ser a única equipa ainda invicta nesta temporada, após a disputa da 5.ª jornada do campeonato (a que acresce um jogo da Taça Ribatejo), mantendo uma excelente 2.ª posição na pauta classificativa, reduzindo somente para um único ponto a diferença face ao guia.

No que respeita ao Torres Novas, jogando em Santarém, parecia ter o “pássaro” na mão, mas não evitaria o golo do União local, a empatar o jogo, o que representou a conquista do primeiro ponto pela turma da casa. Por outro lado, quem vem notoriamente “emergindo” é o Fazendense, com mais um categórico triunfo, desta feita frente ao Amiense, por 3-0, assim igualando os torrejanos no 3.º posto, ambos a dois pontos da liderança.

Outro realce, mas este pela negativa, foi o segundo desaire caseiro sucessivo do Coruchense, que, ao invés de ter recuperado do “trauma” da goleada sofrida ante o Fazendense, pode tê-lo agravado, ao perder, de forma inesperada, ante o “vizinho” Benavente, por 1-2. O Rio Maior não conseguiu também confirmar o ânimo que os 8-0 da Taça Ribatejo teriam proporcionado ao grupo, tendo sido surpreendido em casa pelo Pontével, perdendo por 2-3. Por fim, Barrosense e U. Chamusca, com alguma lógica, ter-se-ão equivalido, empatando a uma bola.

Algumas curiosidades ainda em relação às tendências reveladas por alguns concorrentes: três das equipas que perderam na ronda inaugural (Torres Novas, Fazendense e Benavente) não voltaram a ser derrotadas; ao invés, três outros clubes (Mação e U. Chamusca – ambos com uma série, em curso, de três empates sucessivos – e Amiense), que tinham ganho o jogo de estreia, não conseguiram (ainda) tornar a vencer…

As melhores séries actualmente em curso são as do Fazendense e Pontével, que venceram os dois últimos jogos; as piores, as do Rio Maior (três derrotas sucessivas) e do… Coruchense, que perdeu os dois encontros mais recentes que disputou.

Na classificação, tudo isto resume-se, para já, a um compactar na frente da tabela, com um quarteto no topo, separado por apenas dois pontos, seguido de perto por duas equipas agora a surpreender pela positiva, Pontével e Benavente. As principais desilusões, o Coruchense – um dos dois principais favoritos ao título, a par do Fazendense –, actualmente num sofrível 7.º lugar, a cinco pontos do comandante… mas, ressalve-se, apenas a três de Torres Novas e Fazendense; e o Amiense, que tem atrás de si apenas os três recém-promovidos (aliás, um deles, Barrosense, em igualdade pontual). As equipas de Rio Maior e do U. Santarém têm denotado dificuldades na adaptação ao “ritmo” da I Divisão.

Na Divisão secundária, o Pego, ganhando ao Alferrarede (3-1), isolou-se na liderança da série mais a Norte, beneficiando também do empate da U. Abrantina em Minde (1-1). O Assentis, depois da igualdade em Tomar, goleou o Ferreira do Zêzere por 7-0. A Sul os dois primeiros (Glória do Ribatejo e U. Almeirim) empataram entre si (2-2), o que permitiu a Samora Correia e Moçarriense (ganhando ambos por 3-0, em terreno alheio) igualarem a Glória na liderança.

No Campeonato Nacional de Seniores, as equipas do Distrito atravessam uma fase de dificuldades, nesta altura todas as quatro posicionadas na segunda metade da tabela: Riachense e At. Ouriense (dois últimos da classificação) não conseguiram desfazer o nulo em Riachos, enquanto o Fátima (agora antepenúltimo) perdeu (1-4) com o novo líder, Mafra, tendo o Alcanenense (6.º) sido surpreendido em casa, pelo Sertanense, perdendo por 1-2.

Na próxima jornada da I Divisão do Distrital, o grande destaque vai para o União de Tomar-Coruchense, necessariamente um jogo de “tripla”, mas de forte interesse serão também os desafios Benavente-Fazendense e Torres Novas-Mação. Os Empregados do Comércio reúnem favoritismo na recepção ao Rio Maior; veremos se poderá eventualmente haver surpresa…

P. S. No âmbito de pesquisa que tenho vindo a desenvolver, acabei entretanto de tomar conhecimento de alguns resultados do União de Tomar, referentes à temporada de 1951-52 (Campeonato Distrital da II Divisão), que – com base na consulta efectuada a jornais locais, de Tomar, jornais regionais (de Torres Novas e Santarém), e a jornais de índole nacional – não me tinha sido ainda, até agora, possível apurar. Dado que um desses resultados assume expressão muito significativa, traduzindo-se, efectivamente, na maior goleada sofrida pelo clube a nível de jogos oficiais, aproveito a oportunidade que me é proporcionada por “O Templário” para aqui rectificar tal omissão – ao mesmo tempo que, com a humildade devida, expresso também o meu pedido de desculpas por tal falta –, publicando uma lista actualizada das maiores goleadas, obtidas e sofridas pelo União de Tomar, em desafios de cariz oficial (jogos em que marcou, ou sofreu, oito ou mais golos, e em que, paralelamente, a diferença foi, pelo menos, de sete golos).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 30 de Outubro de 2014)

Pulsar - 5- Quadro goleadas UT

2 Novembro, 2014 at 11:00 am Deixe o seu comentário

O pulsar do campeonato – Taça Ribatejo – 1.ª jornada

Pulsar-TRibatejo1

(“O Templário”, 23.10.2014)

Começou a “festa” da Taça Ribatejo, nesta primeira fase, em sistema de grupos – portanto ainda sem o aliciante dos jogos de eliminação directa –, compreendendo dez séries: quatro constituídas por quatro clubes cada, integrando as restantes seis apenas três clubes, num total de 34 participantes, 14 da I Divisão e 20 da II Divisão Distrital, apurando-se para os 1/8 de final os dez vencedores de série, e as seis equipas, de entre as classificadas no 2.º lugar, com melhor média ponderada de pontos obtidos nesta fase.

Um modelo de disputa da competição que se reveste de alguma complexidade e que não deixa de suscitar dúvidas de interpretação (até pelo facto de haver algumas séries de três equipas, e outras de quatro), acrescida ainda pela fórmula de desempate adoptada intra-série, baseada na marcação (no final de todos os desafios) de pontapés da marca de grande penalidade, mas a qual produz efeitos apenas em caso de igualdade pontual no conjunto dos jogos disputados pelos concorrentes empatados em cada série.

Por outro lado, é de notar que o sorteio caprichou em reunir três clubes da I Divisão nas Séries 1 (Torres Novas, Amiense e Rio Maior) e 6 (Fazendense, Pontével e Benavente); e duas nas Séries 5 (Empregados do Comércio e U. Chamusca) e 9 (Coruchense e Barrosense); enquanto, ao invés, as Séries 4 e 8 (ambas com três participantes) apenas agregam clubes a militar na II Divisão Distrital, portanto numa notória situação de desequilíbrio de forças.

Assim sendo, nesta ronda inaugural, temos de começar por destacar as goleadas aplicadas pelo Rio Maior (8-0 ao Alferrarede); Empregados do Comércio (5-0 ao Caxarias, continuando a sua campanha “imparável”, com cinco vitórias em cinco jogos disputados, com um impressionante score de 15-0); e do Fazendense (5-0 ao Pontével, repetindo a marca registada na semana anterior em Coruche, confirmando atravessar uma fase de grande forma). Depois, não se tratando propriamente – ainda – de “tomba-gigantes”, uma menção particular ao Muge, única equipa de escalão secundário a derrotar outra do principal (Benavente) por 3-1.

De resto, nos oito encontros entre equipas de Divisão diferente (tendo Coruchense e U. Chamusca folgado), apenas o União de Tomar, neste jogo com uma exibição menos conseguida, não venceu também, não conseguindo ir além da igualdade a uma bola (mais um tento apontado por Pelé), e depois de o guardião unionista ter já defendido uma grande penalidade.

Por fim, no “principal” jogo desta primeira jornada, Amiense-Torres Novas, os torrejanos, ganhando por 1-0, obtiveram a “desforra” do desaire sofrido na ronda inicial do campeonato. E, ainda, uma referência final a uma particularidade muito especial, porventura inédita: o regressado Rossiense – que acabou de fazer a sua estreia no campeonato da II Divisão no sábado, empatando a duas bolas com o Tramagal –, jogou, menos de 24 horas depois (!) para a Taça do Ribatejo, indo ganhar a Ferreira do Zêzere por 3-2!

A nível nacional, disputou-se a eliminatória correspondente aos 1/32 de final da Taça de Portugal, não tendo o Alcanenense podido resistir ao superior poderio do Nacional da Madeira, saindo goleado por 6-1; ao invés, o Riachense – recebendo a visita de um conjunto do mesmo escalão (Campeonato Nacional de Seniores), Benfica de Castelo Branco – conseguiu, mercê de um tento alcançado nos derradeiros minutos, vencer por 2-1, avançando assim para os 1/16 de final, fase em que não marcam já presença cinco clubes da I Liga (FC Porto, Estoril, Boavista, Arouca e Académica, surpreendido pelo “tomba-gigantes” Santa Maria).

Na próxima semana estarão de regresso os campeonatos. Na I Divisão Distrital, o destaque vai para o Fazendense-Amiense, com favoritismo para a formação de Fazendas de Almeirim, e para o Coruchense-Benavente (também com clara tendência para os donos da casa, necessitando recuperar do “trauma” da última jornada), para além dos três sérios testes que os três primeiros classificados enfrentarão, todos a enfrentar deslocações de elevado risco: os Empregados do Comércio ao Cartaxo; o União de Tomar a Mação; e o Torres Novas a Santarém, neste caso com maior dose de favoritismo a ter de ser atribuído aos torrejanos, frente ao U. Santarém.

Na II Divisão Distrital, a Norte, os quatro primeiros defrontam-se: dois dos líderes encontram-se no Pego-Alferrarede; enquanto o outro, U. Abrantina, se desloca a Minde. Mais a Sul, temos também um líder, Glória do Ribatejo, a receber um dos 2.ºs classificados, U. Almeirim, enquanto Goleganense e Moçarriense, que partilham a 2.ª posição, se encontram também na Golegã.

Por fim, no Campeonato Nacional de Seniores, os dois últimos classificados, Riachense e At. Ouriense, enfrentam-se nos Riachos, enquanto o Alcanenense recebe o Sertanense, tendo o Fátima uma difícil saída a Mafra, actual vice-líder.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 23 de Outubro de 2014)

26 Outubro, 2014 at 11:00 am Deixe o seu comentário

Artigos mais antigos Artigos mais recentes


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Novembro 2014
S T Q Q S S D
« Out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.