Liga dos Campeões – 6ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo A
Paris St.-Germain – Shakthar Donetsk – 2-0
Real Madrid – Malmö – 8-0

1º Real Madrid, 16; 2º Paris St.-Germain, 13; 3º Shakthar Donestsk, 3; 4º Malmö, 3

Grupo B
Wolfsburg – Manchester United – 3-2
PSV – CSKA Moskva – 2-1

1º Wolfsburg, 12; 2º PSV, 10; 3º Manchester United, 8; 4º CSKA Moskva, 4

Grupo C
Galatasaray – Astana – 1-1
Benfica – At. Madrid – 1-2

1º At. Madrid, 13; 2º Benfica, 10; 3º Galatasaray, 5; 4º Astana, 4

Grupo D
Manchester City – Borussia M’gladbach – 4-2
Sevilla – Juventus – 1-0

1º Manchester City, 12; 2º Juventus, 11; 3º Sevilla, 6; 4º Borussia M’gladbach, 5 

Grupo E
Bayer Leverkusen – Barcelona – 1-1
Roma – BATE Borisov – 0-0

1º Barcelona, 14; 2º Roma, 6; 3º Bayer Leverkusen, 6; 4º BATE Borisov, 5

Grupo F
D. Zagreb – Bayern – 0-2
Olympiakos – Arsenal – 0-3

1º Bayern, 15; 2º Arsenal, 9; 3º Olympiakos, 9; 4º D. Zagreb, 3

Grupo G
D. Kyiv – Maccabi Tel-Aviv – 1-0
Chelsea – FC Porto – 2-0

1º Chelsea, 13; 2º D. Kyiv, 11; 3º FC Porto, 10; 4º Maccabi Tel-Aviv, 0

Grupo H
Valencia – Lyon – 0-2
Gent – Zenit – 2-1

1º Zenit, 15; 2º Gent, 10; 3º Valencia, 6; 4º Lyon, 4

Obtiveram o apuramento para os 1/8 de final as seguintes equipas: Real Madrid, Paris St.-Germain, Wolfsburg, PSV Eindhoven, At. Madrid, Benfica, Manchester City, Juventus, Barcelona, Roma, Bayern, Arsenal, Chelsea, D. Kyiv, Zenit e Gent.

Numa repartição por países, temos os seguinte contingentes: Espanha (3), Inglaterra (3), Alemanha (2), Itália (2) e Bélgica, França, Holanda, Portugal, Rússia e  Ucrânia (1 cada).

Transitam para a Liga Europa (1/16 de final) as seguintes equipas: Shakthar Donetsk, Manchester United, Galatasaray, Sevilla, Bayer Leverkusen, Olympiakos, FC Porto e Valencia.

9 Dezembro, 2015 at 9:39 pm Deixe o seu comentário

Liga dos Campeões – 6ª Jornada (Benfica – At. Madrid)

BenficaBenfica – Júlio César, André Almeida, Lisandro López, Jardel, Eliseu, Lubjomir Fejsa, Renato Sanches, Pizzi, Nico Gaitán (76m – Mehdi Carcela-González), Gonçalo Guedes (45m – Kostas Mitroglou) e Jonas (61m – Raúl Jiménez)

At. MadridAt. Madrid – Jan Oblak, Juanfran, Stefan Savić, Diego Godín, Filipe Luís, Koke, Saúl Ñíguez, Gabi, Yannick Ferreira-Carrasco (73m – Óliver Torres), Luciano Vietto  (63m – Fernando Torres) e Antoine Griezmann (90m – José María Giménez)

0-1 – Saúl Ñíguez – 33m
0-2 – Luciano Vietto – 55m
1-2 – Kostas Mitroglou – 75m

Cartões amarelos – Lubjomir Fejsa (77m); Diego Godín (68m), Saúl Ñíguez  (70m) e Óliver Torres (89)

Árbitro – Ovidiu Haţegan (Roménia)

Entrando em campo, para a derradeira ronda, em posição privilegiada, já com o apuramento garantido, e em 1.º lugar – pelo que o empate lhe bastaria para o manter -, o Benfica enfrentava, não obstante, uma tarefa de muito elevado grau de dificuldade, perante o actual vice-líder do campeonato espanhol, a um único ponto do líder Barcelona, e à frente do Real Madrid.

Compreende-se portanto as cautelas com que a equipa portuguesa encarou este desafio, sabendo do fortíssimo potencial do seu opositor. E, durante os primeiros vinte minutos, o Benfica foi equilibrando a contenda, que arrancou em toada morna, sem grandes ocasiões de perigo.

Porém, ainda antes da meia hora, já o At. Madrid havia tomado conta das operações, e não só controlava o jogo, como passara a ameaçar com insistência a baliza benfiquista, antecipando-se o que acabaria por suceder aos 33 minutos, como corolário lógico do intensificar da pressão, que a formação portuguesa não conseguia então suster: o golo dos espanhóis.

Até final do primeiro tempo, agora já com as posições invertidas, ou seja, já com o At. Madrid a assumir a liderança do grupo, o ritmo e intensidade de jogo acalmaria bastante.

Na segunda parte, forçado a arriscar, o Benfica reforçaria o ataque, com a entrada de Mitroglou, que, logo nos minutos iniciais, teria boa iniciativa, como que um “aviso” a Oblak.

Contudo, em mais uma jogada rápida, surpreendendo a ala direita da defesa benfiquista, o At. Madrid ampliaria a vantagem para 2-0. Pensou-se, então, que o resultado estava feito, e que, aliás, poderia vir a agravar-se para as cores lusas.

Foi então que, num assomo de grande dignidade, o Benfica revelaria grande capacidade de reacção, que seria recompensada com o golo de Mitroglou.

A partir daí, e praticamente até final, com os níveis de confiança substancialmente reforçados, a turma benfiquista conseguiria mesmo empurrar a equipa espanhola para o seu reduto defensivo, criando bons lances, e tendo beneficiado de uma oportunidade soberana, num remate de cabeça de Raúl Jiménez que ficou muito perto do êxito. Curiosamente, assistia-se, nesta fase, como que a um reflexo espelhado do período de domínio espanhol da primeira parte.

De forma pragmática, evitando correr riscos – traduzindo também, paralelamente, um indício de respeito face ao desempenho que o Benfica vinha patenteando -,  o At. Madrid finalizaria o encontro “queimando tempo”, bem patente nos derradeiros minutos, em situações como um pontapé de canto que “ninguém” parecia querer marcar, assim como na substituição efectuada já em período de compensação.

Com uma actuação colectiva que não envergonha ninguém, e em que merece especial realce a soberba exibição do jovem (18 anos) Renato Sanches, ao Benfica faltou a “estrelinha” que lhe possibilitasse repetir a evolução do marcador que se registara na partida anterior, em Astana, o que lhe teria proporcionado a vitória no grupo…

8 Dezembro, 2015 at 9:36 pm Deixe o seu comentário

O Pulsar do Campeonato – 11.ª jornada

Pulsar - 11

(“O Templário”, 03.12.2015)

Com a competição definitivamente partida em dois – com Fátima e Cartaxo a fazer um “campeonato à parte”, contando ambos, agora, já com doze pontos de avanço sobre o mais directo perseguidor –, e sabendo-se que as restantes posições têm sido bastante voláteis, em função das escassas diferenças pontuais, o União de Tomar, beneficiando de duas vitórias consecutivas, subiu ao 3.º lugar, sendo, nesta altura, o melhor do campeonato dos doze restantes concorrentes, tendo ainda a vantagem teórica de contar apenas com cinco jogos já disputados em casa (face a seis de U. Almeirim e Riachense, e já sete jogos em casa do Rio Maior).

Destaques – O principal destaque desta jornada vai, necessariamente, para a vitória do líder Cartaxo em Riachos, frente ao Riachense (2-0), ainda mais valorizada na medida em que os cartaxenses se viram penalizados pelo facto de actuar em inferioridade numérica. Após o triunfo averbado na ronda anterior, em Torres Novas, este desfecho – que, paralelamente, traduz o ampliar para sete do número de vitórias consecutivas – vem confirmar, se dúvidas pudessem subsistir, o potencial desta equipa, que promete não dar tréguas ao Fátima.

De realçar também o triunfo do União de Tomar em Ourém, frente ao At. Ouriense, por 2-1, com o tento da vitória a ser alcançado novamente em cima do final do tempo de jogo – tal como sucedera frente ao U. Almeirim –, a premiar o esforço e a crença dos unionistas, que, assim, vão reforçando os níveis de confiança, visando alcançar classificação condigna com o seu real valor e com a condição que ostentam de vice-campeão da época anterior. Ao invés, os oureenses somaram o quinto desaire nos últimos seis jogos, caindo em posição (11.ª) algo preocupante.

Por fim, salienta-se ainda o regresso do Fátima às goleadas – depois do nulo da jornada anterior, em Mação –, impondo-se por categórica marca de 6-0, na recepção ao Moçarriense, clube que vem registando uma tendência de queda na pauta classificativa, tendo somado um único ponto nas últimas cinco jornadas, vendo aproximar-se perigosamente os dois últimos classificados.

Surpresas – A grande surpresa desta ronda foi a vitória do Amiense em Fazendas de Almeirim, face ao Fazendense (2-0), proporcionando à turma de Amiais de Baixo praticamente recolar ao pelotão, agora somente a três pontos do At. Ouriense… e do seu opositor nesta jornada, que, depois de uma sucessão de quatro empates, voltou a ser derrotado. Colocada que estará de lado a possibilidade de discutir os (dois) primeiros lugares, a motivação do grupo fazendense começará a ressentir-se, em prejuízo do nível de rendimento que seria expectável.

Uma “meia-surpresa” terá sido a vitória do U. Almeirim sobre o Torres Novas (3-2), pese embora os almeirinenses confirmem a sua boa campanha em casa (onde registam já quatro triunfos e dois empates, mantendo a invencibilidade caseira), tendo, por outro lado, somado o quinto jogo consecutivo sem derrota, ciclo apenas superado pelos dois primeiros classificados; mais inesperada é a série de quatro desaires consecutivos dos torrejanos – o pior ciclo de todos os concorrentes, neste campeonato, apenas igualado pela U. Abrantina (entre a 5.ª e a 8.ª jornadas).

Confirmações – Seriam de alguma forma previsíveis os desfechos do encontro Rio Maior – Empregados do Comércio (1-1), com a turma de Santarém a registar o sexto empate nos últimos oito jogos, continuando sem conseguir ganhar após as três vitórias que averbara nas três jornadas iniciais da prova; assim como o outro empate (nulo no marcador), na partida entre U. Abrantina e Mação, no que constitui a quarta igualdade sucessiva para os maçaenses, e, paralelamente, o terceiro jogo sem perder para o grupo de Abrantes.

II Distrital – Tendo ganho em Assentis (2-1), e beneficiando da derrota do Ferreira do Zêzere na Atalaia (3-2), o Pego ampliou para quatro pontos o seu avanço na liderança. A Sul, anotam-se as goleadas do líder Benavente (5-1 ao Forense) e do Samora Correia (5-0 ao Marinhais), mas o principal destaque vai para o triunfo do Benfica do Ribatejo na Barrosa (3-1), que lhe permite manter a diferença de apenas dois pontos para o guia.

Campeonato de Portugal Prio – Boas notícias para as equipas do Distrito, numa jornada muito positiva, averbando duas vitórias: o Alcanenense, na recepção ao até então vice-líder, Caldas, por 2-0, igualando assim o Sertanense no 6.º posto, dilatando já para oito pontos a margem face à “linha de água” (a qual, contudo, se reduz a apenas 4 pontos face ao 8.º classificado); o Coruchense, derrotando o “lanterna vermelha”, Eléctrico de Ponte de Sôr, por 1-0, mantém a 8.ª posição, com três pontos a mais que o Sacavenense.

Antevisão – Na I Divisão Distrital, destacam-se, na próxima ronda – a qual, contudo, poderá vir a ser adiada, em função da disputa, pela selecção distrital, de 6 a 8 de Dezembro, da “Taça das Regiões da UEFA” –, os seguintes desafios: Riachense-U. Tomar, Amiense-Fátima, Torres Novas-Fazendense e Cartaxo-U. Almeirim.

Na II Divisão Distrital, a atingir já a derradeira jornada da primeira volta, realce para as partidas: Pego-Atalaiense, Ferreira do Zêzere-At. Pernes; Benfica do Ribatejo-Glória do Ribatejo e Porto Alto-Benavente.

No Campeonato de Portugal, o Alcanenense tem uma saída de grau de dificuldade máximo, a Leiria, para defrontar o líder isolado, U. Leiria (ainda invicto, e já com sete pontos de avanço); por seu lado, o Coruchense, actuando também em terreno alheio, visita Sintra, onde encontrará o 2.º classificado da sua série, Sintrense (nesta altura, contando um jogo a mais, em igualdade pontual com o guia, curiosamente outra equipa do mesmo município, o 1.º de Dezembro).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 3 de Dezembro de 2015)

6 Dezembro, 2015 at 11:00 am Deixe o seu comentário

O Pulsar do Campeonato – 10.ª jornada

Pulsar - 10

(“O Templário”, 26.11.2015)

Numa jornada (10.ª) marcada por (quatro) empates, as três equipas que conseguiram obter a vitória dela retiraram, no imediato, bons dividendos: desde logo, o sensacional Cartaxo, somando sexto triunfo consecutivo, a alcançar o Fátima no comando, dispondo nesta altura, inclusivamente, de melhor diferença de golos; a seguir, o Riachense, prosseguindo uma recuperação consistente, tendo ascendido já da 5.ª à 3.ª posição; por fim, o União de Tomar, que escalou do 10.º até ao 6.º posto (na circunstância, igualado aliás com o 5.º classificado, Torres Novas).

Destaques – A principal nota de realce da jornada vai para o Mação, que conseguiu travar a magnífica série de oito vitórias que o Fátima vinha acumulando (em todos os jogos disputados, à excepção da ronda inaugural), impondo um nulo ao principal favorito, numa partida que se antecipava já pudesse ser de dificuldade máxima para o líder.

Em paralelo com este destaque, assinala-se também a tão feliz quão importante vitória do Cartaxo em Torres Novas (1-0 – tendo os torrejanos somado terceiro desaire sucessivo), fruto da grande eficácia (e solidez defensiva) demonstrada, a par com a chamada “estrelinha de campeão”; resultando assim numa conjugação de resultados que proporcionou a tal alteração no topo da tabela, com os fatimenses a cederem o comando aos cartaxenses.

Muitos poderiam apostar que, nesta altura, o Fátima tivesse descolado já do resto do pelotão, fazendo como que um “campeonato à parte” (dez pontos de vantagem sobre o 3.º classificado, à 10.ª jornada); não sei se os próprios jogadores e treinador do Cartaxo imaginariam que pudessem ser parceiros num avanço desta amplitude, ainda antes do termo da primeira volta.

Finalmente, a salientar ainda o triunfo do Riachense em Ourém (2-1), somando a sua quarta vitória nos últimos cinco jogos do campeonato (trepando assim desde o 11.º até ao 3.º lugar); curiosamente, em perfeito contraponto com o At. Ouriense, que somou quarto desaire nessas mesmas cinco jornadas (caindo do 5.º ao… 11.º posto).

Surpresas – A principal surpresa da jornada terá sido a igualdade (1-1) obtida pela U. Abrantina (pela primeira vez a conseguir juntar dois resultados positivos) no terreno dos Empregados do Comércio (que, depois de ter ganho nas três primeiras jornadas, não mais conseguiu voltar a vencer – numa série que soma já um total de oito jogos sem vitória, incluindo o encontro da Taça Ribatejo).

Depois, como “meia-surpresa”, temos mais uma referência a um clube que parece ter tirado “assinatura” nesta secção das surpresas: o Moçarriense – vindo de três desaires sucessivos no campeonato –, a forçar também um empate (2-2) na recepção ao Fazendense, equipa que, por seu lado, somou o quarto desafio consecutivo sem ganhar (nem perder…).

Confirmações – Mais expectáveis seriam a vitória do União de Tomar sobre o Rio Maior (1-0), em qualquer caso um bom resultado dos tomarenses, face a uma equipa que vinha de três vitórias sucessivas, e que ocupava uma sensacional 3.ª posição na tabela (baixou muito ligeiramente, passando a 4.º classificado); assim como, por outro lado, o empate (outro nulo) registado entre Amiense e U. Almeirim.

A atestar a tónica de equilíbrio deste campeonato, subsiste um longo e compacto pelotão, mantendo-se diferença de apenas seis pontos entre o 3.º e o 12.º classificados (ou somente três pontos entre 4.º e 9.º). E, mesmo os dois últimos vão dando sinais de não abdicar da luta pela subida na classificação, com a U. Abrantina (13.º) agora a três pontos do Moçarriense, apesar de o Amiense continuar na delicada posição de “lanterna vermelha”, dois pontos mais abaixo.

II Distrital – Os triunfos do Pego (3-1 com o Alferrarede) e Ferreira do Zêzere (2-1 ao Assentis), permitiram-lhes distanciar-se no topo da tabela, beneficiando também do facto de o U. Santarém ter folgado, distando agora, respectivamente, cinco e quatro pontos do 3.º classificado. A Sul coube ao líder Benavente folgar, enquanto os até então 2.º classificados se defrontavam, com vitória do Benfica do Ribatejo sobre o Samora Correia (1-0), que lhe permitiu reduzir para apenas dois pontos a diferença para o comandante.

Antevisão – Na próxima ronda, perfila-se indubitavelmente como jogo grande da jornada o Riachense-Cartaxo, opondo o 3.º classificado ao agora novo líder, logo com um dos mais difíceis obstáculos que se lhe podiam deparar na caminhada que vem mantendo, a par e passo, com o Fátima. Depois, referência também ao At. Ouriense-U. Tomar, também um jogo de “tripla”, em que o empate até poderá ser eventualmente um desfecho com alguma lógica. Interessante será também o Rio Maior-Empregados do Comércio, entre duas equipas que têm manifestado alguma irregularidade competitiva, capazes do melhor e do… menos bom.

Na II Divisão Distrital, destacam-se como encontros à partida de maior aliciante o Assentis-Pego e o Atalaiense-Ferreira do Zêzere, a Norte; e, a Sul, o Barrosense-Benfica do Ribatejo e o Glória do Ribatejo-Porto Alto.

No regresso do Campeonato de Portugal, após a paragem para disputa dos 1/16 de final da Taça de Portugal – já sem equipas representantes do distrito, numa eliminatória na qual se destacou o Amarante, única equipa deste escalão a subsistir ainda em prova, apurando-se para os 1/8 de final, tendo assumido o papel de “tomba-gigantes”, ao afastar o Marítimo –, o Alcanenense recebe o vice-líder, Caldas, equipa que pretenderá conservar a importante vantagem (5 pontos) face aos mais directos perseguidores, curiosamente a mesma distância que o separa do guia incontestado, U. Leiria; por seu lado, o Coruchense, recebendo o “lanterna vermelha”, Eléctrico de Ponte de Sôr terá uma boa oportunidade de se afastar dos lugares da cauda da tabela.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 26 de Novembro de 2015)

29 Novembro, 2015 at 11:00 am Deixe o seu comentário

Liga Europa – 5ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo F
Sp. Braga – Slovan Liberec – 2-1
Marseille – Groningen – 2-1

1º Sp. Braga, 12; 2º Marseille, 9; 3º Slovan Liberec, 7; 4º  Groningen, 1

Grupo H
Lokomotiv Moskva – Sporting – 2-4
Beşiktaş – Skënderbeu – 2-0

1º Beşiktaş, 9; 2º Lokomotiv Moskva, 8; 3º Sporting, 7; 4º Skënderbeu, 3

Grupo I
Basel – Fiorentina – 2-2
Belenenses – Lech Poznan – 0-0

1º Basel, 10; 2º Fiorentina, 7; 3º Lech Poznan e Belenenses, 5

Faltando disputar a última jornada, garantiram já o apuramento para os 1/16 de final as seguintes 15 equipas: Molde, Borussia Dortmund, Napoli, Rapid Wien, Krasnodar, Villarreal, Lazio, St.-Étienne, Basel, Tottenham, Schalke 04, Sparta Praha, Athletic Bilbao, Liverpool e Sp. Braga.

(mais…)

26 Novembro, 2015 at 8:05 pm Deixe o seu comentário

Liga dos Campeões – 5ª Jornada – Resultados e Classificações

Grupo A
Malmö – Paris St.-Germain – 0-5
Shakthar Donetsk – Real Madrid – 3-4

1º Real Madrid, 13; 2º Paris St.-Germain, 10; 3º Shakthar Donestsk e Malmö, 3  

Grupo B
CSKA Moskva – Wolfsburg – 0-2
Manchester United – PSV – 0-0

1º Wolfsburg, 9; 2º Manchester United, 8; 2º PSV, 7; 4º CSKA Moskva, 4

Grupo C
At. Madrid – Galatasaray – 2-0
Astana – Benfica – 2-2

1º At. Madrid e Benfica, 10; 3º Galatasaray, 4; 4º Astana, 3

Grupo D
Juventus – Manchester City – 1-0
Borussia M’gladbach – Sevilla – 4-2

1º Juventus, 11; 2º Manchester City, 9; 3º Borussia M’gladbach, 5; 4º Sevilla, 3 

Grupo E
BATE Borisov – Bayer Leverkusen – 1-1
Barcelona – Roma – 6-1

1º Barcelona, 13; 2º Roma e Bayer Leverkusen, 5; 4º BATE Borisov, 4

Grupo F
Arsenal – D. Zagreb – 3-0
Bayern – Olympiakos – 4-0

1º Bayern, 12; 2º Olympiakos, 9; 3º Arsenal, 6; 4º D. Zagreb, 3

Grupo G
FC Porto – D. Kyiv – 0-2
Maccabi Tel-Aviv – Chelsea – 0-4

1º Chelsea e FC Porto, 10; 3º D. Kyiv, 8; 4º Maccabi Tel-Aviv, 0

Grupo H
Zenit – Valencia – 2-0
Lyon – Gent – 1-2

1º Zenit, 15; 2º Gent, 7; 3º Valencia, 6; 4º Lyon, 1

A uma jornada do termo desta fase de grupos, garantiram já o apuramento para os 1/8 de final as seguintes nove equipas: Real Madrid, Manchester City, Zenit, Barcelona, Bayern, Paris St.-Germain, At. Madrid, Benfica e Juventus.

As sete vagas remanescentes serão disputadas entre: Wolfsburg, Manchester United e PSV (apurar-se-ão dois destes clubes); Roma, Bayer Leverkusen ou BATE Borisov; Olympiakos ou Arsenal; Chelsea, FC e D. Kyiv (também serão apuradas duas destas três equipas); e Gent ou Valencia.

O FC Porto, que tinha a qualificação muito bem encaminhada, pode ter deitado tudo a perder com o inesperado desaire caseiro ante o D. Kyiv; caso os ucranianos vençam, na derradeira ronda, o Maccabi de Tel-Aviv, o FC Porto necessitará vencer em Londres, frente ao Chelsea.

25 Novembro, 2015 at 9:37 pm Deixe o seu comentário

Liga dos Campeões – 5ª Jornada (Astana – Benfica)

AstanaAstana – Nenad Erić, Branko Ilic, Evgeni Postnikov, Marin Anicic, Dmitri Shomko, Patrick Twumasi (90m – Denys Dedechko), Roger Cañas, Nemanja Maksimovic, Foxi Kéthévoama (87m – Georgi Zhukov), Junior Kabananga (84m – Aleksei Schetkin) e Serikzhan Muzhikov

BenficaBenfica – Júlio César, Sílvio (65m – André Almeida), Lisandro López, Jardel, Eliseu, Renato Sanches, Andreas Samaris (65m – Anderson Talisca), Gonçalo Guedes, Pizzi, Jonas (80m – Bryan Cristante) e Raúl Jiménez

1-0 – Patrick Twumasi – 19m
2-0 – Marin Anicic – 31m
2-1 – Raúl Jiménez – 40m
2-2 – Raúl Jiménez – 72m

Cartões amarelos – Roger Cañas (50m) e Aleksei Schetkin (90m); Raúl Jiménez (23m) e Lisandro López (44m) e Jonas (48m)

Árbitro – Ruddy Buquet (França)

Na mais longa deslocação das história das competições europeias, até à capital do Cazaquistão (quase 6.200 km), o Benfica conhecia, à partida, os riscos e dificuldades que se lhe ofereciam, num terreno em que nem o Galatasarary, nem sequer o At. Madrid, haviam conseguido melhor que o empate.

O que não invalida que tivesse constituído surpresa, ver-se em posição desfavorável no marcador ainda antes dos vinte minutos, e pouco depois de ter já antes ameaçado a baliza portuguesa. E, ainda mais, como resultado de um mau desempenho defensivo, com várias desconcentrações, que o Astana tivesse chegado ao 2-0, à passagem da meia hora. Era mau demais!

Valeu então, para que a equipa portuguesa se conseguisse recompor, o golo de Raúl Jiménez, obtido ainda antes do termo do primeiro momento, crucial para que os benfiquistas pudessem serenar e voltar a entrar no jogo.

Na segunda parte, a tendência do jogo foi bastante distinta;  o Astana já não era tão ameaçador, e, à medida que o tempo decorria, era o Benfica que ia forçando, na tentativa de chegar ao empate.

O que viria a alcançar, novamente pelo mexicano Jiménez, ainda com cerca de vinte minutos por jogar. Não obstante, até final, depois de restabelecida a igualdade, concretizando uma boa recuperação, depois do “choque” inicial, a equipa portuguesa como que se terá considerado satisfeita, preferindo jogar pelo seguro.

Era um desfecho que constituía como que “meio caminho andado” para o apuramento para os 1/8 de final – no caso de uma expectável vitória do At. Madrid na recepção ao Galatasaray, o que se viria a confirmar poucas horas depois -, ao mesmo tempo que garantia ao Benfica chegar à última jornada no 1.º lugar do grupo.

25 Novembro, 2015 at 4:54 pm Deixe o seu comentário

Artigos mais antigos Artigos mais recentes


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Fevereiro 2016
M T W T F S S
« Jan    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
29  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

  • Benfica à frente do campeonato! Quem haveria de dizer... 8 hours ago
  • RT @RuiMCB: Usando a medida internacional q o INE respeita, a mediana do rendim mon. líquido anual por adulto equivalente é €703 https://t.… 8 hours ago
  • Depois dos 10 golos ao Moreirense (em 5 dias), 10 golos ao Belenenses! 8 hours ago

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.