Liga Europa – 1/4 Final

Sevilla – Zenit – 2-1
Brugge – Dnipro – 0-0
D. Kyiv – Fiorentina – 1-1
Wolfsburg – Napoli – 1-4

16 Abril, 2015 at 8:58 pm Deixe o seu comentário

Liga dos Campeões – 1/4 Final

Paris St.-Germain – Barcelona – 1-3
At. Madrid – Real Madrid – 0-0
FC Porto – Bayern München – 3-1
Juventus – Monaco – 1-0

Depois de, nos jogos de ontem, apenas se ter marcado um golo, por via de uma grande penalidade mal assinalada, em prejuízo do Monaco, esta noite, dois desfechos de 3-1, colocando o Barcelona com “um pé” nas meias-finais, e abrindo grande expectativa para um possível apuramento do FC Porto.

Numa excelente exibição da equipa portuguesa, plena de concentração, com grande eficácia no aproveitamento de erros defensivos do Bayern, com Ricardo Quaresma e Jackson a repartirem “a meias” os golos: primeiro, logo aos 3 minutos, Jackson, a roubar a bola a Xabi Alonso e, isolando-se, a forçar Manuel Neuer a cometer falta para grande penalidade (podendo inclusivamente ter sido expulso, o que lhe foi perdoado pelo árbitro), a qual seria serenamente convertida por Quaresma; logo de seguida, nuns dez primeiros minutos de “sonho”, um lance de grande oportunidade de Quaresma, a interceptar a bola, perdida por Boateng, e, em dois ou três toques, aproximar-se da baliza, rematando em arco, fora do alcance do guardião bávaro; a finalizar, no segundo tempo – e já depois de o Bayern ter ainda reduzido -, também Jackson, com grande frieza, a aproveitar mais uma falha dos centrais contrários. Uma margem que permite acalentar a esperança de, já na próxima semana, os portugueses poderem afastar o colosso alemão.

15 Abril, 2015 at 9:52 pm Deixe o seu comentário

O Pulsar do Campeonato – 23.ª jornada

Pulsar - 23

(“O Templário”, 01.04.2015)

Num campeonato que tem sido fértil em golos (total de 498, em 23 jornadas, resultando numa excelente média, superior a três golos por jogo, com diversas jornadas a superar a marca dos vinte tentos) – traduzindo de alguma forma o desnível que se verifica entre os oito primeiros da tabela e os seis clubes que lutam ainda pela manutenção – a ronda 23 ficou assinalada por um “record” de 31 golos (quase quatro golos e meio por jogo, em média)!

Para tal contribuiu decisivamente o líder Coruchense, estabelecendo também a maior goleada da prova, ao bater o U. Chamusca por concludente 8-0, numa prova de força, de uma equipa que se apresta para garantir matematicamente a conquista do título, o que, nesta altura, ainda com três jornadas por disputar, já só o União de Tomar poderá ainda, hipoteticamente, impedir, dado ser a única equipa que, matematicamente, subsiste ainda na disputa pelo 1.º lugar com a formação do Sorraia.

União de Tomar que, precisamente, voltou também aos triunfos, após duas jornadas sem vencer, batendo o Pontével por 4-2, com a curiosidade de todos os seis golos terem sido apontados apenas no segundo tempo; primeiro os nabantinos a ganhar vantagem, depois a consentir a igualdade a dois golos, para, de pronto, voltarem a adiantar-se, restabelecendo a tranquilidade no marcador final. Ainda uma nota adicional para destacar a posição de liderança do unionista Pelé (autor de mais um tento) como melhor marcador da prova.

A principal surpresa do fim-de-semana foi o segundo desaire sucessivo do grupo dos Empregados do Comércio, derrotado em Benavente por 1-0 – frente a uma equipa que, apesar da posição aflitiva que continua a ocupar na pauta classificativa, ganhara também no terreno do líder, o que, desde já, afasta definitivamente os escalabitanos de quaisquer aspirações que pudessem ainda subsistir no que respeita à disputa do título.

Regressando aos (muitos) golos, também Fazendense e Torres Novas, empatando a dois tentos – com os torrejanos, por duas vezes, a chegarem à vantagem –, acabaram por se anular mutuamente, no que respeita às possibilidades, agora inexistentes, de chegarem ainda ao título. Nos restantes três desafios, três triunfos dos visitantes: goleada do Cartaxo em Rio Maior (4-0); o Amiense (formação que continua a apresentar o segundo melhor registo na segunda volta) a vencer em Mação, por 2-1; e, no duelo dos últimos, o Barrosense a conseguir, enfim, “quebrar o enguiço” (após nove desaires consecutivos, em todos os jogos da segunda metade do campeonato), ganhando em Santarém, face ao “lanterna vermelha”, por 3-2.

Em função destes desfechos, vão-se definindo as posições. Na frente, e tal como referido já, só Coruchense e União de Tomar podem ainda almejar o título, no que constituiria uma tão hercúlea quão épica tarefa dos tomarenses, que, não dependendo de si, precisariam não apenas de vencer os seus jogos, como esperar que o guia não somasse mais do que um ponto nos seus três últimos encontros, com duas saídas bem difíceis, a Amiais de Baixo e ao Cartaxo (onde encerra a prova), intervaladas pela recepção ao Barrosense (equipa que, curiosamente, na primeira volta, forçou uma igualdade a duas bolas perante a formação de Coruche. Mas, na perspectiva unionista, o calendário não se afigura mais fácil, com deslocações a Santarém e a Amiais de Baixo, recebendo o U. Chamusca.

A esse nível, o campeonato poderá até ficar decidido já na próxima jornada, caso o União de Tomar não consiga vencer os Empregados do Comércio, equipa que é agora o seu concorrente mais directo na disputa do 2.º lugar, e em que um eventual empate poderá beneficiar os nabantinos.

Na cauda da tabela, num cenário cada vez mais provável de despromoção de quatro clubes, Benavente, U. Chamusca, Barrosense e U. Santarém estão em forte risco (nesse cenário os escalabitanos terão já confirmada matematicamente a descida), mantendo-se acesa a disputa entre Rio Maior e Pontével pelo posto (9.º) que garante automaticamente a manutenção, sem ficar dependente das classificações do Campeonato Nacional de Seniores.

Na II Divisão Distrital, disputou-se a 3.ª ronda da fase final, de apuramento de Campeão, com destaque para os triunfos de U. Abrantina e Moçarriense, em terreno alheio, respectivamente em Assentiz e na Glória do Ribatejo, em ambos os casos por 2-1, tendo o U. Almeirim ganho ao anterior líder, Pego – equipa que agora igualou pontualmente, mas na 2.ª posição – por 1-0. Entretanto, o conjunto de Abrantes isolou-se na liderança, com um ponto a mais que o referido duo, com o Moçarriense a três pontos, e o Assentis um ponto mais abaixo.

No Campeonato Nacional de Seniores, terminou a primeira volta da fase final, com o Alcanenense a ganhar ao Torreense (2-1), mas mantendo a vantagem de sete pontos sobre o Fátima (primeira equipa em risco de despromoção), que, por sua vez, ganhou ao At. Ouriense por 2-0, “afundando” ainda mais a equipa de Ourém na posição de “lanterna vermelha”, a qual continua a onze pontos do Torreense (faltando disputar apenas seis jogos). Na próxima jornada, teremos um porventura decisivo Alcanenense-Fátima, que, em caso de vitória do grupo de Alcanena, lhe poderá praticamente possibilitar a tranquilidade da garantia da manutenção no campeonato nacional; por seu lado, o At. Ouriense recebe o Eléctrico de Ponte de Sôr.

A nível distrital, os campeonatos terão nova pausa no próximo fim-de-semana, para disputa (na Sexta-feira Santa) das meias-finais da Taça do Ribatejo, com o seguinte alinhamento de jogos: Empregados do Comércio-Coruchense; e Glória do Ribatejo-Amiense.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 1 de Abril de 2015)

5 Abril, 2015 at 11:00 am Deixe o seu comentário

Manoel de Oliveira (1908-2015)

ITALY VENICE FILM FESTIVAL
(foto via)

2 Abril, 2015 at 3:54 pm Deixe o seu comentário

Portugal – Sérvia (Europeu 2016 – Qualif.)

Portugal Portugal – Rui Patrício, Bosingwa, Bruno Alves, Ricardo Carvalho (17m – José Fonte), Eliseu, Tiago, João Moutinho, Fábio Coentrão (78m – Ricardo Quaresma), Nani, Cristiano Ronaldo e Danny (86m – William Carvalho)

Sérvia Sérvia – Vladimir Stojković, Dušan Basta, Branislav Ivanović, Matija Nastasić, Aleksandar Kolarov, Radosav Petrović, Nemanja Matić, Lazar Marković (65m – Filip Djuričić), Adem Ljajić (85m – Petar Škuletić), Dušan Tadić (78m – Zoran Tošić) e Aleksandar Mitrović

1-0 – Ricardo Carvalho – 10m
1-1 – Nemanja Matić – 61m
2-1 – Fábio Coentrão – 63m

Cartões amarelos – Fábio Coentrão (41m) e João Moutinho (90m); Nemanja Matić (25m), Adem Ljajić (41m), Aleksandar Kolarov (47m), Zoran Tošić (82m) e Filip Djuričić (90m)

Árbitro – Gianluca Rocchi (Itália)

Num jogo que se afigurava poder ser de importância fulcral, no sentido de, não apenas assumir a liderança do grupo, no termo da primeira metade desta fase de qualificação, mas, sobretudo, de praticamente garantir desde já um lugar entre os três primeiros, perante um potencial adversário directo na disputa do apuramento, a selecção de Portugal assumiu, uma vez mais, uma clara aposta no resultado, em detrimento da exibição.

O seu responsável, Fernando Santos, mantendo a linha de rumo que definiu desde início, fez alinhar uma equipa muito experiente, com uma média de idades na ordem dos 30 anos, com Fábio Coentrão, de 27 anos, a ser o mais jovem dos onze portugueses que iniciaram a partida.

Curiosamente, seria mesmo o mais veterano do “onze”, Ricardo Carvalho (36 anos), a dar vantagem à equipa portuguesa, logo aos dez minutos de jogo; após se ter lesionado, acabaria por ter se ser substituído pouco depois.

Num desafio em que Cristiano Ronaldo não deu tanto nas vistas como é habitual, os principais destaques vão mesmo para as actuações de João Moutinho e, principalmente, Fábio Coentrão, esta coroada com o golo da vitória, que acabaria por surgir na melhor altura, logo após o tento da formação da Sérvia, por Matić, assim evitando que o grupo português tivesse passado por uma fase de “dúvida” sobre as suas capacidades.

No final, o resultado tangencial ajusta-se ao decorrer do jogo, com a selecção nacional a cumprir plenamente os seus objectivos pontuais, com grande eficácia, após o passo em falso da ronda inaugural, pelo que a tão propalada (e imperiosa) renovação “pode esperar” (?)…

Agora já com a tranquilidade de oito pontos de vantagem face ao 4.º classificado, no pior dos cenários, o “play-off” estará quase garantido. É importante, porém, manter os “pés assentes no chão”, sabendo que, na “segunda volta”, Portugal apenas recebe a Dinamarca, tendo de enfrentar três saídas, com grau de dificuldade distinto, mas nenhuma delas em que se possam antever facilidades, começando pela Arménia, passando pela Albânia, e culminando na Sérvia. Será ainda necessário trabalhar bastante para garantir o apuramento para a fase final do Europeu.

GRUPO I        Jg   V   E   D     G    Pt
1º Portugal     4   3   -   1   4 - 2   9
2º Dinamarca    4   2   1   1   6 - 4   7
3º Albânia      4   2   1   1   4 - 5   7
4º Sérvia       4   1   1   2   6 - 6   1*
5º Arménia      4   -   1   3   3 - 6   1

* Sérvia penalizada em 3 pontos pela UEFA, devido aos acontecimentos do jogo com a Albânia


5ª jornada

29.03.15 – Albânia – Arménia – 2-1
29.03.15 – Portugal – Sérvia – 2-1

(mais…)

29 Março, 2015 at 8:36 pm Deixe o seu comentário

Artigos mais antigos Artigos mais recentes


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Abril 2015
S T Q Q S S D
« Mar    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.