Liga dos Campeões – 1/2 Finais (2.ª mão)

                                  2ª mão     1ª mão     Total
Bayern München - Barcelona          3-2        0-3       3-5
Real Madrid - Juventus              1-1        1-2       2-3

Barcelona e Juventus confirmaram a vantagem trazida da 1.ª mão, apurando-se para a final da Liga dos Campeões, a disputar em Berlim, no próximo dia 6 de Junho.

Em relação aos catalães, apesar de terem consentido um primeiro golo logo aos 7 minutos, cedo resolveram a eliminatória a seu favor, com o golo do empate ao quarto de hora; viriam aliás a colocar-se mesmo em vantagem, ainda antes da meia-hora de jogo, o que possibilitou ao treinador Luis Enrique começar a fazer algumas poupanças, tendo em vista o desafio da próxima jornada do campeonato espanhol, frente ao actual campeão em título, At. Madrid, onde a equipa de Barcelona poderá reconquistar o título. Os dois golos do Bayern que possibilitaram a reviravolta no marcador ficaram bem longe de poder chegar a ameaçar o desfecho da eliminatória.

Em Madrid, o Real também começou por marcar relativamente cedo, por Cristiano Ronaldo, de grande penalidade, mas, no segundo tempo, a Juventus, empatando o jogo, assumiu o comando da eliminatória, tendo beneficiado aliás de mais ocasiões para voltar a marcar; a igualdade final impede a tão ansiada final entre as duas equipas espanholas, no que seria uma repetição da situação da época precedente (então com Real e At. Madrid). Quanto à formação de Turim, após ter sido eliminada no ano anterior pelo Benfica, nas 1/2 finais da Liga Europa, regressa agora, doze anos depois, a uma final da Liga dos Campeões.

13 Maio, 2015 at 8:39 pm Deixe o seu comentário

Liga Europa – 1/2 Finais (1.ª mão)

Napoli – Dnipro – 1-1
Sevilla – Fiorentina – 3-0

À semelhança do Barcelona, também o Sevilla, actual detentor do troféu, parece ter muito bem encaminhado o apuramento para nova final; em Nápoles, os ucranianos do Dnipro surpreenderam (pese embora terem eliminado sucessivamente, nas eliminatórias antecedentes, o Olympiakos, o Ajax e o Brugge, e, na fase de grupos, o Saint-Etienne), saindo em posição vantajosa para o confronto da 2.ª mão.

7 Maio, 2015 at 9:33 pm Deixe o seu comentário

Liga dos Campeões – 1/2 Finais (1.ª mão)

Barcelona – Bayern München – 3-0
Juventus – Real Madrid – 2-1

Com uma exibição de nível superior, o Barcelona, no reencontro com Guardiola, com um quarto de hora final demolidor, beneficiando da inspiração de Messi (autor de dois soberbos golos) e Neymar, parte para a 2.ª mão, em Munique, com uma excelente vantagem, sendo improvável que possa vir a desperdiçar a oportunidade de alcançar a final. Em Turim, num jogo mais repartido, a Juventus obteve importante vitória, mantendo-se não obstante tudo em aberto para a partida de volta, em Madrid.

6 Maio, 2015 at 10:19 pm Deixe o seu comentário

O Pulsar do Campeonato – 26.ª jornada

Pulsar - 26

(“O Templário”, 30.04.2015)

Com os dois primeiros lugares já entregues, subsistiam por decidir, na derradeira ronda do Campeonato Distrital da I Divisão da Associação de Futebol de Santarém, o 3.º lugar, assim como o escalonamento das equipas ainda em luta pela manutenção, objectivos distintos que se cruzavam directamente em Santarém, no desafio entre Empregados do Comércio e Pontével.

De facto, tal como na época transacta, Benavente e Pontével voltavam a ver-se envolvidos, no último jogo da competição, nessa indesejável disputa para evitar a descida ao escalão secundário. Depois de uma muito boa recta final, com três vitórias sucessivas (sucedendo a um ciclo de seis desaires), o Benavente acabaria por vir a ser surpreendido, perdendo, na última jornada, no “derby” municipal, frente ao já despromovido Barrosense (1-0), com a turma da Barrosa a arrastar assim o clube da sede do município também para a II Divisão. Isto porque, por um lado, o Pontével, batalhando até ao fim, arrancou um eventualmente determinante empate (3-3) em Santarém; e, por outro, porque se confirmou neste fim-de-semana, que serão, pelo menos, duas as equipas do Distrito a despromover do Campeonato Nacional de Seniores.

Precisamente, tal desfecho (igualdade dos Empregados do Comércio na recepção ao Pontével) viria a ter um elevado custo para os escalabitanos, que, após a excelente temporada realizada (em que lideraram durante largo tempo, tendo inclusivamente chegado a dispor da possibilidade de, a somente quatro jornadas do fim, voltar a assumir o comando), acabaram por ser ingloriamente penalizados com a queda até ao 6.º lugar, assim se vendo ultrapassados, no último dia de prova, por nada menos de três concorrentes! O culminar de um final de época já em esforço, sem conseguir vencer nas últimas seis jornadas do campeonato…

Assim, o Fazendense, com uma impressiva goleada, por 8-0, sobre… a outra equipa de Santarém, o União, viria a arrebatar o 3.º posto, com um ponto de vantagem sobre o Torres Novas (vencedor na Chamusca, por 3-2) e dois pontos a mais que Mação (também vitorioso, pela mesma marca, face a um já tranquilo Rio Maior) e Empregados do Comércio.

Em relação aos dois primeiros classificados, o Campeão Coruchense não alcançou melhor que o empate a um golo no Cartaxo, enquanto o vice-campeão, União de Tomar – curiosamente encerrando a competição com a sua melhor série da temporada, à semelhança do ano anterior – somou quarto triunfo consecutivo, ganhando em Amiais de Baixo, ao Amiense (clube que disputará com o grupo de Coruche, na próxima sexta-feira, a final da Taça do Ribatejo), por 1-0, com mais um golo de Pelé, a somar 24 tentos, confirmando-se como melhor marcador da prova.

Nas contas finais do campeonato, cinco pontos a separar os dois primeiros classificados; a lógica fria dos números indica que teria bastado ao União de Tomar ganhar em casa ao Coruchense, para se sagrar Campeão… ou, noutra perspectiva, mais factual, enquanto os unionistas somaram 55 pontos nos 24 desafios com os restantes 12 concorrentes, o grupo do Sorraia “apenas” obteve 54. Continuando ainda nos números: a turma de Coruche (com o melhor ataque e a segunda melhor defesa) realizou excelente segunda volta, somando 33 pontos aos 27 obtidos na primeira metade; o União de Tomar (segundo melhor ataque) foi a equipa mais “regular”, com os parciais de 28 (na primeira volta) e 27 pontos (segundo melhor desempenho na segunda metade, a par do Mação).

Num balanço geral, comparativo face à época precedente, o Coruchense subiu do 2.º ao 1.º lugar; tendo o União de Tomar registado a mais significativa progressão, do 6.º para o 2.º posto; o Fazendense melhorou também (de 4.º para 3.º), precisamente por troca directa com o Torres Novas, enquanto o Mação subiu de 7.º para 5.º, tendo os Empregados do Comércio – que tanto prometeram durante período tão alargado da prova – acabado por melhorar também apenas duas posições (de 8.º para 6.º), com o Cartaxo a seguir-lhes de imediato as pisadas (de 9.º para 7.º). Em qualquer dos casos, uma notável estabilidade a nível das equipas que ocuparam os lugares cimeiros nos dois últimos campeonatos.

Ao invés, a principal baixa foi a do Amiense (de 5.º para 8.º), tendo o Pontével repetido o 10.º posto do ano anterior, com o Benavente a passar de 12.º para 11.º (ainda assim insuficiente para evitar a descida), também por troca directa com o U. Chamusca. Entre os três clubes promovidos, destaque para o Campeão da II Divisão Distrital do ano anterior, Rio Maior, a obter o 9.º posto, sendo o único a garantir a manutenção; as outras duas equipas, Barrosense e U. Santarém, que se quedaram nas duas últimas posições da tabela (substituindo Assentis e U. Abrantina), tiraram “bilhete de ida-e-volta”, regressando assim ao escalão secundário.

Quem parece estar de regresso ao escalão principal é precisamente a formação de Abrantes, vencedora na recepção ao Moçarriense (2-1), mantendo o 2.º posto, assim como o líder U. Almeirim, que foi ganhar a Assentis pela mesma marca, e, também o Pego (3.º classificado), batendo o Glória do Ribatejo por 4-1. A quatro jornadas do termo desta fase de apuramento de Campeão, os três primeiros dispõem de importante vantagem sobre o Assentis, respectivamente nove, oito e sete pontos, o que indicia que poderão estar encontradas as três equipas a promover à I Divisão Distrital… a não ser que o Assentis conseguisse repetir a extraordinária recuperação que realizou na primeira fase do campeonato; só que, agora, para além de começar a escassear drasticamente o tempo para tal recuperação, o grau de dificuldade é deveras acrescido.

Por fim, no Campeonato Nacional de Seniores, também com quatro rondas ainda por disputar na sua segunda fase (apenas três jogos, no caso do At. Ouriense), a par do empate do Alcanenense na recepção ao líder U. Leiria (3-3), o pesado desaire caseiro sofrido pela formação de Ourém face ao Sertanense (2-6), não tendo ainda sentenciado matematicamente a sua despromoção, confirma, desde já – sendo o Fátima o 6.º classificado, a nove pontos –, que serão, pelo menos, duas as equipas a regressar ao Distrital (contando com o desistente Riachense); o destino do Fátima (nesta altura em posição de disputa do “play-off”) fica agora de “mãos dadas” com o do Pontével, dependente da manutenção dos fatimenses no Nacional.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 30 de Abril de 2015)

3 Maio, 2015 at 11:00 am Deixe o seu comentário

O Pulsar do Campeonato – 25.ª jornada

Pulsar - 25

(“O Templário”, 23.04.2015)

Como aqui antevira na passada semana, o União de Tomar, com uma categórica vitória (4-0) na recepção ao U. Chamusca – de que, aliás, nem necessitaria, dado o empate (1-1) registado entre Torres Novas e Empregados do Comércio – confirmou a sua posição de vice-campeão distrital, no que passa a constituir o melhor desempenho do clube nos últimos 14 anos, já desde a longínqua temporada de 2000-01, em que, pela última vez até à data, garantiu a presença em provas de âmbito nacional a nível do escalão de seniores (militando então na III Divisão Nacional, de que se despediria no ano seguinte).

Efectivamente, repetindo o excelente 2.º lugar averbado na época de 2008-09 (ano em que, dado o Riachense ter abdicado da promoção, a Associação de Futebol de Santarém chegou então a convidar o União a assumir a vaga aberta pela turma de Riachos, o que, contudo, por vicissitudes da regulamentação da Federação Portuguesa de Futebol, acabaria por não se concretizar, em benefício de clubes de Associações mais poderosas), a formação unionista regista, no campeonato que agora se apresta a chegar ao seu termo, uma média pontual bem superior: 2,08 pontos/jogo este ano, face a 1,84 (ou 1,86, se considerarmos apenas a primeira fase) há seis anos. Comparando os números, temos agora 15 vitórias (em 25 jogos), face a 13 (em 22 jogos) – ou 18 (em 32 jogos), considerando as duas fases – em 2009. Mas a diferença principal verifica-se a nível de derrotas: apenas três no presente campeonato (duas delas ante o campeão, Coruchense…) contra sete (ou nove, somando as duas fases).

Uma época muito meritória, com uma equipa bastante jovem, mesclada com alguns elementos de maior experiência, que se cotaram a grande nível – como são os casos, por exemplo de Nuno Rodrigues, do capitão Paulo Godinho, ou de Daniel Henriques (“Pelé”), que se apresta a sagrar-se melhor marcador da prova –, mas com todo o grupo, desde dirigentes, a equipa técnica, passando por jogadores e pela equipa médica, a justificar os parabéns e o orgulho pela forma como dignificaram as cores do emblema unionista, no culminar do ano do Centenário. Um comportamento bem afirmativo, de que, com outro tipo de apoios da comunidade tomarense, será possível ir mais além.

Nos restantes desafios, para além da expectável goleada aplicada pelo Coruchense ao Barrosense (5-0), e em função da vitória obtida pelo Fazendense em Pontével (4-0), e pelo Mação, na recepção ao Cartaxo (4-2), a disputa pelo 3.º lugar envolve, à entrada para a derradeira ronda, nada menos de quatro equipas, separadas por apenas dois pontos, com vantagem para os Empregados do Comércio.

Na luta pena manutenção, o grande vencedor foi o Rio Maior, que, ganhando em Santarém, face ao União local, por 3-0, garantiu matematicamente a permanência; também o Benavente, somando terceiro triunfo sucessivo, tendo ganho ao Amiense (2-1), vem empreendendo importante recuperação, embora subsista ainda dependente das despromoções do Campeonato Nacional de Seniores. Ao invés, e para além do U. Chamusca, que viu consumada a descida à II Divisão Distrital, também o Pontével se encontra em posição muito delicada, um ponto abaixo do Benavente.

Na última jornada, a disputar no próximo fim-de-semana, cruzam-se ambas as disputas, do 3.º lugar, e pela permanência, desde logo em Santarém, com os “Caixeiros” a receberem o Pontével, enquanto o União de Santarém terá a visita do Fazendense; por seu lado, o grupo de Torres Novas desloca-se à Chamusca, indo o Mação até Rio Maior. De particular interesse será o “derby” municipal de Benavente, com o Barrosense a receber a equipa da sede do município, que busca ainda um triunfo final que poderá revelar-se redentor…

Tal dependerá também, de forma determinante, do desempenho do Fátima no Campeonato Nacional de Seniores. Na jornada passada, defrontando um adversário directo na luta pela manutenção, com o qual reparte aliás a posição na tabela, os fatimenses não foram além do empate a uma bola, na recepção ao Torreense, ambos agora a quatro pontos do Eléctrico de Ponte de Sôr, conjunto que derrotou o Alcanenense por 3-2. Não obstante, a formação de Alcanena mantém – com quatro partidas por disputar – seis pontos de vantagem sobre o referido duo. No que respeita ao At. Ouriense, desfeiteado pelo líder, U. Leiria (perdendo por 1-5) vê cada vez mais remota a possibilidade de “salvação”: tem agora um atraso de nove pontos face aos concorrentes mais directos; restando doze pontos em jogo, será muito improvável que possa vir a ser bem sucedido. Sendo que a condenação da turma de Ourém traduzirá, automaticamente, a condenação de Pontével ou Benavente. Na próxima jornada cabe ao Fátima folgar, tendo as outras duas equipas tarefas árduas, não obstante jogarem em casa: o Alcanenense recebendo o U. Leiria; o At. Ouriense tendo a visita do Sertanense.

Na II Divisão Distrital, completou-se a primeira volta da fase final, com o anterior guia, U. Abrantina, a não conseguir melhor que o nulo na recepção ao vizinho conjunto do Pego. De tal empate beneficiou o U. Almeirim, que, ganhando por 2-0 ao Glória do Ribatejo, arrebatou a liderança, agora com um ponto de vantagem sobre a formação de Abrantes. Num jogo pleno de golos, o Assentis ganhou por 4-3 ao Moçarriense, mantendo assim as esperanças de poder ainda alcançar a promoção ao principal escalão do futebol distrital: está agora a quatro pontos da última posição de acesso a tal objectivo, actualmente ocupada pelo Pego… equipa que, na segunda volta, terá de se deslocar a Assentis. Para já, na abertura da segunda volta, o Assentis recebe precisamente o líder, enquanto o Pego é visitado pelo Glória do Ribatejo, com  a U. Abrantina a deslocar-se à Moçarria.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 23 de Abril de 2015)

25 Abril, 2015 at 4:00 pm Deixe o seu comentário

Artigos mais antigos Artigos mais recentes


Autor – Contacto

Destaques

Literatura de Viagens e os Descobrimentos Tomar - História e Actualidade União de Tomar - Recolha de dados históricos

Calendário

Maio 2015
S T Q Q S S D
« Abr    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Arquivos

Pulsar dos Diários Virtuais

O Pulsar dos Diários Virtuais em Portugal

O que é a memória?

Memória - TagCloud

Jogos Olímpicos

Eleições EUA 2008

Twitter

Categorias

Notas importantes

1. Este “blogue" tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular páginas na Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de comunicação social, que nem sempre será viável citar ou referenciar.

Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo o favor de me contactar via e-mail (ver no topo desta coluna), na sequência do que procederei à sua imediata remoção.

2. Os comentários expressos neste "blogue" vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste "blogue", pelo que publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo.

Reservo-me também o direito de eliminar comentários que possa considerar difamatórios, ofensivos, caluniosos ou prejudiciais a terceiros; textos de carácter promocional poderão ser também excluídos.